Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Chegamos ao ‘Pico Zelensky’ na Ucrânia. O que acontece agora?

Quando o presidente da  nação mais pobre e  corrupta  da Europa é homenageado com várias ovações de pé pelas Casas do Congresso combinadas, e seu nome é invocado  ao mesmo tempo que Winston Churchill, você sabe que chegamos ao Pico Zelensky de insanidade total no hospício ocidental. É uma superpromoção ridícula, quase psicótica, provavelmente superada apenas pela vergonhosa e hiperbólica das pre$$tituta$ da mídia do país para a guerra com o Iraque, em 2003. Parafraseando Gertrude de Hamlet, “Acho que a mídia exagera demais”.

Chegamos ao ‘Pico Zelensky’ na Ucrânia. O que acontece agora?

Fonte: Common Dreams – Escrito por Robert Freeman

Lembremo-nos de que, antes de ascender à presidência de seu país, a maior reivindicação de fama de Volodymyr Zelensky era a de que, além de ser um humorista palhaço na tv do pais, ele tocava piano com o pênis. Eu não estou brincando. E ele concorreu em uma plataforma para unir seu país pela paz e fazer as pazes com a Rússia. Mais uma vez, eu não estou brincando.

Agora, ele é comparado à George Washington, FDR e Douglas MacArthur da Europa, todos reunidos em um e diante de quem se faz uma poderosa genuflexão. Por favor. O único lugar para ir a partir daqui é para baixo. E isso certamente está chegando. Em breve.

Considere alguns fatos inconvenientes que as pre$$tituta$ da mídia bajuladora, que é essencialmente o braço de relações públicas da indústria de armas do Complexo Industrial Militar, não quer que você saiba .

A psicopata presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyendeixou escapar recentemente  que o exército ucraniano perdeu mais de 100.000 soldados nos oito meses desde o início da guerra. Durante o período de nove anos da Guerra do Vietnã, os EUA, com uma população seis vezes maior que a da Ucrânia, perderam um total de 58.220 homens.

Esta semana, Ursula von der Leyen, uma funcionária da UE, divulgou e apagou um vídeo onde dizia que a Ucrânia havia perdido 100.000 soldados, dados não confirmados que a Ucrânia afirma serem confidenciais. Mais tarde, ela relançou um vídeo com a estimativa de baixas editada”.

Em outras palavras, por dia, per capita, a Ucrânia está perdendo soldados a uma taxa 141 vezes maior do que as perdas dos EUA no Vietnã. Os EUA perderam o controle do apoio público no Vietnã quando meninos brancos de classe média começaram a voltar para casa em sacos para cadáveres. Alguém com meio cérebro acredita que tais perdas na Ucrânia são sustentáveis? Alguém tem outro plano para evitar tal matança?

Von der Leyen está entre as figuras públicas mais perspicazes do mundo. O que ela está fazendo é estabelecer o predicado para a retirada ocidental da Ucrânia e o fim da guerra. Se você olhar para os fatos no terreno, não para a propaganda exagerada divulgada pelas pre$$tituta$ da mídia, você pode entender o porquê.

Em questão de poucas semanas, a Rússia, com seus novíssimos mísseis hipersônicos, destruiu metade da infraestrutura de energia elétrica da Ucrânia. Isso, já que o inverno está a meio caminho. Os russos podem facilmente eliminar a outra metade, bombardeando efetivamente a Ucrânia levando-a de volta à Idade da Pedra. É isso que alguém quer?

A parte surpreendente, de fato, aterrorizante disso, é que nem a Ucrânia nem o Hospício do Ocidente têm qualquer defesa contra esses mísseis hipersônicos. Eles viajam tão rápido e em trajetórias variáveis ??que não podem ser abatidos, mesmo pelos sistemas ocidentais mais avançados. Eles representam uma das maiores assimetrias em poder destrutivo distribuível na história da guerra, provavelmente diminuído apenas pela posse de bombas atômicas pelos EUA no final da Segunda Guerra Mundial.

Novamente, não há defesa eficaz contra eles. Os russos os têm. Os ucranianos não. Fim de jogo. Você consegue entender por que os líderes do Hospício do Ocidente estão começando a acordar?

Na frente convencional, os ucranianos estão tendo problemas para obter até mesmo armas convencionais para se defender. Os fornecedores de armas dos EUA estão trabalhando dia e noite para repor seus próprios estoques e os estoques que os países europeus deram à Ucrânia. Mas o atraso está chegando aos anos. Uma manchete recente do The Wall Street Journal afirmava: “A Europa está levando armas para a Ucrânia, mas está ficando sem munição “.

… no CIRCO do congresso dos EUA, o palhaço Zelensky é ovacionado …

Finalmente, os EUA destinaram US$ 112 bilhões à Ucrânia. Isso inclui US $ 45 bilhões que acabaram de entrar no projeto de lei de financiamento geral contra a probabilidade de que uma nova Câmara controlada pelos republicanos corte esse financiamento, quase certamente substancialmente.

Isso representa mais de US$ 10 bilhões por mês desde que a guerra começou em fevereiro. E isso sem contar os subsídios, tanto materiais quanto financeiros, da UE que chegam a bilhões de dólares a mais por mês.

Sem tais subsídios, Zelensky não teria durado um mês na guerra. Quantas horas você acha que ele vai durar depois que o fluxo secar? E com certeza em breve irá secar…. totalmente.

Os europeus estão começando a perceber que seu continente está sendo intencionalmente empobrecido e desindustrializado, literalmente retrocedendo uma época inteira em termos econômicos, por causa de sua disposição de servir de capacho para a guerra imperial dos psicopatas do Deep State dos EUA contra a Rússia. Nem mesmo eles, com sua lealdade supina ao domínio dos EUA, estão dispostos a cometer suicídio econômico coletivo em nome dos EUA.

Macron da França e Scholz da Alemanha estão sugerindo que as acomodações aos interesses russos devem ser planejadas para trazer uma solução pacífica para a guerra.

Macron sugeriu  em um discurso na televisão para sua nação  que uma Rússia antagonizada não é do interesse de segurança da Europa. “Precisamos preparar o que estamos prontos para fazer… para dar garantias à Rússia no dia em que ela voltar à mesa de negociações.”

Scholz foi ainda mais específico. Em um  artigo no Foreign Affairs, ele declarou: “Temos que voltar aos acordos que tivemos nas últimas décadas e que foram a base para a ordem de paz e segurança na Europa”.

Isso é um repúdio direto à posição maximalista dos EUA antes do início da guerra, de que as necessidades de segurança da Rússia não interessavam a uma OTAN saqueadora.

Até mesmo o secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken, está discutindo a ideia de que as concessões territoriais devem estar na mesa. Em um  artigo do Wall Street Journal, Blinken afirmou que, “Nosso foco é … retomar o território que foi tomado da [Ucrânia] desde 24 de fevereiro.”

Observe que esta é uma queda significativa em relação à posição anterior dos EUA de que todos os ganhos russos desde 2014, incluindo a Crimeia, devem ser revertidos antes que as negociações possam começar. E esta é apenas a mão inicial de Blinken. Mais concessões certamente virão à medida que os ganhos russos se tornarem maiores e sua probabilidade de reversão, menor.

Junte estas quatro coisas: perdas insustentáveis ??e impressionantes de soldados; assimetrias aterrorizantes e indefensáveis ??de poder destrutivo; incapacidade de se abastecer com armas defensivas convencionais; e suporte categoricamente reduzido de seus patrocinadores [manipuladores] mais importantes.

Isso soa como a fórmula para vencer uma guerra? Não é. É a fórmula para perder a guerra, e é por isso que von der Leyen, Macron, Scholz e Blinken estão agora preparando o caminho para sair . A maré está baixando sob Zelensky. Ele logo será lembrado como uma pergunta do Trivial Pursuits ou uma resposta no Jeopardy: “O único chefe de estado moderno [um judeu khazar] conhecido por ser capaz de tocar piano com seu pênis.” Ding. “Concorrente #3?” “Quem é Volodymyr Zelensky?”

A paz será declarada em breve. A Rússia manterá o Donbass e a Crimeia em reconhecimento aos fatos no terreno. Ambos os lados estarão em melhor situação com isso. O Donbass é etnica, linguistica, religiosa e culturalmente russo, e é por isso que votou esmagadoramente pela assimilação na Rússia. Além disso, se Kiev os amasse tanto, não teria matado 14.000 deles nos últimos oito anos e retomado o bombardeio maciço no início de fevereiro deste ano, antes da invasão russa.

A Ucrânia renunciará a qualquer afiliação futura à OTAN. Esta é a maior prioridade de Putin e o que ele pediu – e foi negado – em seu pedido aos EUA e à OTAN em dezembro passado, antes do início da invasão. Se a Rússia começar sua tão temida ofensiva de inverno, como muitos esperam, os generais ucranianos despacharão Zelensky em um golpe, em vez de enviar seus poucos soldados restantes para a aniquilação certa.

Os conglomerados de grãos e farmacêuticos dos EUA comprarão terras agrícolas ucranianas – algumas das melhores do mundo – por centavos de dólar. Este é o Modus Operandi padrão dos vampiros multinacionais dos EUA que chegam após a matança para separar as carcaças. Os fabricantes de armas dos EUA procurarão e ajudarão a provocar o próximo frenesi alimentar para os abutres da guerra, assim como eles materializaram a Ucrânia apenas um ano depois que a derrota humilhante dos EUA no Afeganistão descarrilou seu último trem da alegria.

A Rússia e a China, impulsionadas pela intimidação dos EUA, continuarão a constelar as nações do Sul Global em um bloco antiocidental comprometido com o desenvolvimento pacífico, mutuamente lucrativo e colaborativo. Os Estados Unidos e seus aliados mais próximos se esconderão atrás dos muros que construíram da parcela cada vez menor da economia e população global que eles conseguem manter como sua.

A Ucrânia será um ponto de virada no desmantelamento da hegemonia dos Estados Unidos sobre os assuntos globais de que desfrutou – e, sejamos honestos, frequentemente abusou – desde 1945. O público dos Estados Unidos não está psiquicamente preparado para tal queda. Mas esse é o custo de vida no mundo da fantasia que as pre$$tituta$ da mídia gasta para manter esse mesmo público de zumbis idiotas ignorante, medroso, confuso, entretido e distraído.

Finalmente, os neoconservadores que levaram os EUA aos desastres em série do Afeganistão, Iraque e agora Ucrânia, custando ao país dezenas de trilhões de dólares e quantidades ainda maiores de capital de reputação destruído, reivindicarão sua imunidade habitual de qualquer responsabilidade por seus fracassos selvagens e alegremente seguir em frente para sua próxima calamidade

Precisamos estar atentos à sua próxima jogada para pilhar o tesouro e promover seus próprios interesses privados acima dos da nação. Com certeza este momento virá .


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Você não é deste mundo. Você não é este corpo que habita. Você não é essas emoções, esses pensamentos, esse EGO com o qual se identifica. Você nem mesmo é sua vida ou a morte. Quando você é capaz de se distanciar dessas coisas, então o verdadeiro você, o você gnóstico, entra no foco de sua cognição. Mais puro que o éter, mais radiante que o sol, mais puro que a neve acumulada, cheio de vida e retirado do contexto da morte, este é o eu que você é. Para ajudá-lo a saber disso, Krishna, Buddha, Jesus e todos os outros grandes Mensageiros da Luz vieram a este mundo, fazendo o sacrifício de vir da plenitude para o caos para trazer isso [esse CONHECIMENTO] a você. Você deve saber disso, e deve fazer isso, porque sem ele você não está realmente vivo, não está realmente consciente, mas com ele, você é todas as coisas, você tem todas as coisas, e o Tudo se tornou você. Esta é a mensagem da GNOSE!  Richard, Duc de Palatine (1916–1977)


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *