browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

China e os Lockdowns generalizados do pais poderiam ter uma “Agenda Oculta”: Afetar econômica e financeiramente o Hospício Ocidental

Posted by on 19/04/2022

Os bloqueios chineses pela Covid se expandem, levantando mais perguntas sobre os motivos de Pequim para fechar o gigante asiático comunista. Os crescentes lockdowns na China me fazem acreditar cada vez mais que o país não está exatamente desanimado ou interessado com a crise da cadeia de suprimentos que está criando para o resto do mundo e a consequente desorganização generalizada dos meios de produção importantes na produção OCIDENTAL de bens.

China e os Lockdowns Covid-19 generalizados do pais poderiam ter uma “Agenda Oculta”: Afetar econômica e financeiramente o Hospício Ocidental

Fonte: QuoththeRaven.substack.com

Dias atrás, escrevi sobre as crescentes suspeitas que surgiram sobre a última rodada de bloqueios de Covid na China. Nesse artigo, cheguei à conclusão de que o plano “Covid Zero” do país é flagrantemente irracional e completamente ilógico, e que os bloqueios da China podem ter a ver com algo mais do que apenas o quase inofensivo vírus Covid-19 e suas inúmeras variantes.

Os três cenários que apresentei para a possível razão pela qual a China estava “ultrapassando a linha” com seus bloqueios draconianos foram:

  1. O PCC pode estar tentando usurpar mais poder
  2. Pode haver algo sobre o Covid que a China sabe que o resto do mundo ainda não sabe
  3. A China está provocando intencionalmente uma desculpa para desacelerar sua produção para pressionar o Hospício ocidental num mesmo movimento em que tenta se separar ainda mais economicamente do Ocidente [e SE APROXIMAR E AUXILIAR A RÚSSIA]

Hoje, estou inclinado para a razão número três. Isso porque, no fim de semana passado, a China EXPANDIU ainda mais seus implacáveis lockdowns em todo o país. Ah, e eu mencionei que o maior produtor de petróleo e gás da China também decidiu de repente que vai deixar de fazer negócios com a Grã-Bretanha, Canadá e Estados Unidos? [sintomático?]

Primeiro, vamos identificar algumas das maneiras interessantes pelas quais os bloqueios estão se espalhando pelo país. Um bloqueio acontece para atingir diretamente a Apple, Inc., com sede na Califórnia, no intestino. A “Zhengzhou Airport Economic Zone, uma área de fabricação central chinesa que inclui a Foxconn, fornecedora da Apple Inc, anunciou um bloqueio de 14 dias na sexta-feira a ser ajustado de acordo com a situação epidêmica”, segundo a Reuters .

Foto: SCMP

Além disso, o país reforçou os controles no noroeste da China, onde, na cidade de Xian, os moradores foram instruídos a “evitar viagens desnecessárias fora de seus complexos residenciais e encorajou as empresas a ter funcionários trabalhando em casa ou morando em seu local de trabalho”.

Suzhou também disse a seus moradores que “todos os funcionários capazes de trabalhar em casa devem fazê-lo, e os complexos residenciais e os campi da empresa devem evitar a entrada desnecessária de pessoas e veículos”, observou o relatório.

Ao todo, estamos testemunhando um aumento significativo na intensidade dos lockdowns em toda a China – as mesmas ações que nos levaram ao inferno global da completa ruptura da cadeia de suprimentos e logística em 2020.

A maneira como os chineses pensam sobre a covid-19 está mudando |  O economista

É importante lembrar que o resto do mundo nem se recuperou da primeira rodada de bloqueios há quase 2 anos. As montadoras de veículos em todo o mundo ainda estão atoladas em uma escassez de semicondutores, as prateleiras das lojas nos EUA permanecem escassamente abastecidas, commodities e bens que normalmente estariam disponíveis têm atrasos de vários meses e os preços dispararam à estratosfera.

Gráfico: Interrupções na Cadeia de Suprimentos Retornam |  Estatista

Todas as indicações da China parecem apontar para o fato de que estamos prestes a reviver a perturbação de 2020 novamente, apesar das objeções dos próprios moradores da China.

O apoio doméstico a uma política de COVID-zero se esgotou nas últimas semanas, pois as restrições relacionadas ao vírus provocaram escassez de alimentos, separações familiares, salários perdidos e problemas econômicos.

Analistas dizem que as amplas interrupções na cadeia de suprimentos provavelmente levarão a atrasos nas remessas de empresas como a Apple, e pesarão na taxa de crescimento econômico do país este ano.

O Japão já está inquieto com os longos lockdows, informou a Reuters:

…as restrições em curso levaram o cônsul geral do Japão em Xangai a pedir ao governo local que abordasse as preocupações das empresas japonesas, em uma carta publicada no site do consulado no sábado.

Além disso, de acordo com outro artigo da Reuters publicado neste fim de semana, o principal produtor offshore de petróleo e gás da China decidiu repentinamente encerrar as operações comerciais na Grã-Bretanha, Canadá e EUA por causa de “preocupações em Pequim de que os ativos possam ficar sujeitos a sanções ocidentais”. [uma grande jogada na face dos psicopatas do hospício ocidental]

Isso só agrava as tensões entre os EUA e a China, que já são as piores em décadas. Além disso, os EUA alertaram a China sobre tentar ajudar a Rússia a contornar as sanções ocidentais, diz o relatório:

Os Estados Unidos disseram na semana passada que a China pode enfrentar consequências se ajudar a Rússia a evitar sanções ocidentais que incluem medidas financeiras que restringem o acesso da Rússia a moeda estrangeira e dificultam o processamento de pagamentos internacionais.

Para acrescentar mais dados e lenha nessa fogueira, nos últimos anos o gigante asiático estocou TODAS as COMMODITIES de que mais depende para atender a maior população do planeta, num movimento perfeito de xadrez geopolítico, talvez porque soubesse da invasão da Ucrânia pela Rússia com bastante antecedência e as sanções que se seguiram: China Estoca metade da Produção Mundial de Grãos em meio a ‘Ameaças de Colapso Sistêmico’

2020 foi uma coisa – nós (provável e injustamente) demos à China o benefício da dúvida em seus bloqueios por causa do ar de confusão que o Covid criou globalmente – mas graças à guerra na Ucrânia e ao que agora sabemos sobre o Covid, os fatos do ano de 2022 devem ser tratados com muito mais ceticismo.

Mas desta vez, estaríamos mais bem servidos para questionar o motivo da China de uma maneira que a maioria de nós não fez em 2020. Embora em 2020 tenha sido fácil atribuir o fechamento da China ao vírus, desta vez não devemos ser tão rápidos para ficarmos satisfeitos com essa resposta.

Por um lado, sabemos muito mais sobre o vírus do que há 2 anos – principalmente que não é uma sentença de morte garantida. Além disso, temos uma situação econômica única que se desenvolve globalmente, na qual a Rússia – em meio à guerra e sancionada pelo hospício do Ocidente – está procurando um parceiro econômico e provavelmente encontrou um em Pequim.

Dado o pano de fundo global e o que agora sabemos sobre o vírus, é difícil traçar um caminho de lógica e racionalidade que não leve, em algum momento, a fazer perguntas sobre se a China poderia ou não estar engajada nesses bloqueios com um propósito OCULTO.

As próximas ações dos comunistas em Pequim continuarão a contar essa história em desenvolvimento.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.