browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

China Estoca metade da Produção Mundial de Grãos em meio a ‘Ameaças de Colapso Sistêmico’

Posted by on 29/12/2021

[Os comunistas chineses SABEM de algo que é mantido em segredo …]: Há cerca de um ano e meio, dissemos aos leitores que a China estava freneticamente acumulando alimentos , ouro e outras commodities, o que aconteceu [“coincidentemente”] vários meses antes da pandemia do vírus covid começar a se espalhar pelo mundo; atualmente Pequim conseguiu estocar mais da metade do milho e outros grãos do mundo, o que resultou em uma rápida inflação dos alimentos e desencadeou a fome em alguns países. 

China Estoca metade da Produção Mundial de Grãos em meio a ‘Ameaças de Colapso Sistêmico’

Fontes: Nikkei Asia  – Zero Hedge

Em agosto de 2019, fizemos a seguinte pergunta: 

A China acredita que estamos à beira de uma grande crise [catástrofe] global? O governo comunista chinês sempre foi muito grande em planejamento e parece que eles decidiram que agora é a hora de acumular alimentos, ouro e outras mercadorias.

Hoje, a resposta é provavelmente “SIM”. A China mantém “níveis historicamente altos” de grãos e cereais e alimentos armazenados nas 310 instalações de armazenamento do Grupo COFCO (uma grande processadora de alimentos estatal chinesa) no nordeste do país, de acordo com o Nikkei Asia . 

Qin Yuyun, chefe de reservas de grãos da Administração Nacional de Alimentos e Reservas Estratégicas da China, disse a repórteres no mês passado: “nossos estoques de trigo podem atender à demanda interna [de mais de 1,4 bilhões de chineses] por um ano e meio. Não há problema algum com o fornecimento de alimentos.”

Dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos mostram que a China retém aproximadamente 69% das reservas mundiais de milho na primeira metade do ano-safra de 2022, 60% do arroz e 51% do trigo.

Desde que os chineses planejaram há vários anos, apontamos como uma série de desastres e eventos climáticos provavelmente levaram as autoridades comunistas a prever um período problemático de escassez GLOBAL de alimentos. A China já observou secas, inundações e pragas que  arruinaram as suas colheitas internas. Mais de 20 meses de desestruturação das cadeias de abastecimento devido aos padrões climáticos, lockdowns generalizados pela COVID, e o fenômeno climático La Niña  (o segundo consecutivo) também produziram condições voláteis para a produção, processamento, distribuição e estocagem de alimentos. 

A única coisa que Pequim não pode ter é o descontentamento entre seus cidadãos, causado pela escassez de alimentos e / ou pela alta nos preços; seja por uma catástrofe natural, guerras, pestes, etc… é por isso que os planejadores centrais comunistas gastaram US$ 98,1 bilhões  importando alimentos somente em 2020 , 4,6 vezes mais que na década anterior, de acordo com a Administração Geral das Alfândegas da China. Nos primeiros oito meses deste ano, a China importou mais alimentos do que em todo o ano de 2016. 

“Nos últimos cinco anos, as importações chinesas de soja, milho e trigo aumentaram de duas a doze vezes com as compras agressivas feitas nos Estados Unidos, Brasil e outros países fornecedores de grãos. As importações de carne bovina, suína, laticínios e frutas aumentaram de duas a cinco vezes”, a Nikkei Ásia disse. 

A aquisição massiva e discreta do suprimento mundial de alimentos pela China ajudou a empurrar os preços dos principais produtos para o pico de uma década. A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura estimou que o índice de preços dos alimentos está atualmente em uma  alta de dez anos . 

O Ministério do Comércio até disse às famílias para  estocarem alimentos em caso de emergência , tudo sob o pretexto da pandemia do vírus. 

Enquanto isso, a mídia estatal chinesa minimizou a ideia de que a China se encaminha para uma crise alimentar. O presidente chinês, Xi Jinping, deve manter o abastecimento e os preços dos alimentos para garantir a segurança alimentar; caso contrário, o descontentamento entre os cidadãos aumentará na segunda maior economia do mundo. 

Nikkei Asia conclui dizendo: “ao longo da história, a escassez de alimentos gerou inquietação popular. Eles contribuíram para as revoltas que derrubaram dinastias chinesas”.

Portanto, sem dúvida, Pequim tem estocado alimentos para evitar um colapso, já que os bancos centrais ainda precisam descobrir como imprimir alimentos do nada. Mas não se preocupe, à medida que a situação alimentar global piora, provavelmente todos seremos forçados a  comer grilos, minhocas e gafanhotos . 


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


“Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas  na medida em que o tempo da GRANDE COLHEITAse aproxima rapidamente  ao longo dos próximos anos. Você vai ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes. 

Deverão acontecerfortes tsunamis e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS, e emissão de energia solar (CME-Ejeção de Massa Coronal do Sol)que fará  importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta“. Saiba mais AQUI


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.