Cientistas alertam contra o ‘Fanatismo’ vegano e dizem que a carne é crucial para a dieta humana

Dezenas de especialistas foram convidados a investigar a “ciência” por trás das alegações de que o consumo de carne causa doenças e é prejudicial ao planeta em uma edição especial de uma revista chamada Animal Frontiers. Eles alertaram contra um amplo impulso de certas “castas” da sociedade em direção a dietas à base de plantas, argumentando que as comunidades mais pobres com baixo consumo de carne geralmente sofrem de atrofia, emagrecimento e anemia devido à falta de nutrientes e proteínas vitais obtidas com as carnes de diferentes animais.

Cientistas alertam contra o ‘Fanatismo’ vegano e dizem que a carne é crucial para a dieta humana

Fonte: Zero Hedge

Milhares de cientistas em todo o mundo também aderiram à Declaração de Dublin, um grupo que afirma que a pecuária é importante demais para a sociedade planetária para “tornar-se vítima do fanatismo”.  Eles dizem que muitas das afirmações negativas sobre a carne em nossa dieta simplesmente não são verdadeiras. 

O grupo da Declaração de Dublin publicou uma carta permitindo que signatários globais se juntem a eles na defesa de dietas baseadas em carne e contradizendo reivindicações comuns feitas por instituições [tipo WEF] estabelecidas contra a pecuária e a agricultura. 

Em particular, os cientistas destacam que as carnes de diversos animais fornecem vitamina B12 na dieta humana, desempenham um papel importante no fornecimento de retinol, ácidos graxos ômega-3 e minerais como ferro e zinco, além de compostos importantes para o metabolismo, como taurina e creatina. Não existe um equivalente vegano/vegetariano que preencha essas necessidades nutricionais e vários suplementos são frequentemente necessários para mantê-los saudáveis. 

Os cientistas observam que apenas pessoas com bons recursos (as mais ricas) têm meios para abandonar a carne [e seus derivados] em suas dietas e consumir apenas vegetais e carboidratos. Em outras palavras, o veganismo é uma ideologia de primeiro mundo impraticável para a maioria da população global.  Mesmo a Índia, uma nação em desenvolvimento frequentemente citada por ativistas anti-carne por sua postura religiosa contra a matança de animais, ainda tem 70% da população que come carne . 

Estudos anteriores (como o Global Burden of Diseases, Injuries and Risk Factor Study, publicado no The Lancet em 2020) alertando contra os “perigos” da carne também estão sendo desmascarados. A Dra. Alice Stanton, do Royal College of Surgeons na Irlanda, uma das autoras de uma revisão das alegações anti-carne, observa que :

“A evidência revisada por pares publicada reafirma que [o Relatório Global de Fatores de Risco de Doenças de 2019] que alegou que o consumo de até mesmo pequenas quantidades de carne vermelha prejudica a saúde é fatalmente falho cientificamente… Na verdade, remover carne fresca e laticínios e derivados de dietas prejudicaria a saúde humana. Mulheres, crianças, idosos e de baixa renda seriam particularmente os mais impactados negativamente”.

O movimento anti-carne provavelmente encontra suas raízes no astroturf. A pesquisa pró-vegana tende a ser financiada por instituições globalistas como a ONU e o WEF, que deixaram claro que querem que a carne se torne um “deleite raro” em vez de um alimento básico. 

Isso seria alcançado por vários meios, mas uma ferramenta primária seria a tributação das emissões de agricultores e produtos agrícolas, levando a preços artificialmente mais altos. A ONU espera afastar grande parte da população da carne, tornando-a inacessível à maioria da população. 

Isso é semelhante à tática que eles recomendaram para afastar as pessoas dos “combustíveis fósseis”. Se o preço é um problema e você ainda precisa de proteína, os globalistas sugerem carne falsa (que é mais cara que a carne real por enquanto) ou mudar para uma dieta do terceiro mundo e comer insetos.

A ONU diz que seu objetivo é impor uma dieta humana completamente livre de carne e laticínios até 2050, a fim de “combater as mudanças climáticas”, embora eles tenham sido pegos no passado  exagerando muito o quanto o metano do gado contribui para as emissões globais. 

Mesmo se você acredita que há uma crise climática real (apesar de não haver nenhuma evidência científica irrefutável para apoiar o exagero), ainda há o fato de que as emissões de gado são uma parcela insignificante dos supostos “gases de efeito estufa”. Você não estaria realizando nada para salvar o planeta tornando-se vegano.     

Quando a histeria climática não é eficaz, os mesmos grupos tentam afastar as pessoas da carne usando preocupações de saúde fraudulentas. Vimos isso ultimamente na questão da carne, bem como nos aparelhos de fogões a gás natural. Alegações infundadas de risco à saúde são promovidas usando as pre$$tituta$ da mídia corporativa como um amplificador, e as evidências que provam que as alegações estão erradas nunca são abordadas.   

Sem acesso regular à carne, um grande número de pessoas pode depender de suplementos industrializados para se manter saudável. Muitos desses suplementos são produzidos em países estrangeiros que podem se tornar hostis e interromper as exportações. Sem mencionar que os governos também podem controlar os suprimentos para seus próprios cidadãos como alavanca de poder. O fator preço dos alimentos tornaria insustentável a manutenção da população atual, levando à fome em massa ou à redução deliberada da população, o que parece ser o caso e o verdadeiro motivo por trás do combate ao consumo de carne e seus derivados.  


“E, chamando a si a multidão, disse-lhes: Ouvi, e entendei: O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem. Então, acercando-se dele os seus discípulos, disseram-lhe: Sabes que os fariseus, ouvindo essas palavras, se escandalizaram? Ele, porém, respondendo, disse: Toda a planta, que meu Pai celestial não plantou, será arrancada.Deixai-os; são cegos condutores de cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova.
E Pedro, tomando a palavra, disse-lhe: Explica-nos essa parábola. Jesus, porém, disse: Até vós mesmos estais ainda sem entender? Ainda não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce para o ventre, e é lançado fora? Mas, o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, fornicação, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. São estas coisas que contaminam o homem; mas comer sem lavar as mãos, isso não contamina o homem”. – Mateus 15:10-20


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


“O indivíduo é deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana [humana] simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.325 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth