Cientistas da Big Pharma Moderna alertam que Vacinas de mRNA apresentam ‘Riscos de Toxicidade’

A tecnologia mRNA usada na vacina COVID-19 da Moderna apresenta riscos de toxicidade, disseram os próprios cientistas da empresa em um novo artigo. Um grande desafio agora é como reduzir de forma eficiente o risco de potenciais toxicidades associadas à tecnologia de mRNA [usadas nas injeções experimentais], escreveram os cientistas no artigo, publicado pela Nature Reviews Drug Discovery em 23 de janeiro.

Cientistas da Big Pharma Moderna alertam que Vacinas de mRNA apresentam ‘Riscos de Toxicidade’

Fonte: The Epoch Times – De autoria de Zachary Stieber

As injeções COVID-19 [pseudo vacinas] da Moderna e da Pfizer usam tecnologia de ácido ribonucleico mensageiro modificado (mRNA). O mRNA é entregue por nanopartículas lipídicas (LNP).

Os riscos de toxicidade incluem “componentes estruturais de nanopartículas lipídicas, métodos de produção, via de administração e proteínas produzidas a partir de mRNAs complexados”, disseram os autores do artigo.

Os autores do artigo incluem Eric Jacquinet e Dimitrios Bitounis, funcionários da Moderna, e Maximillian Rogers, que trabalhava na Moderna quando o artigo estava sendo feito. A Moderna não respondeu a um pedido de comentário.

As injeções de mRNA têm vários [e graves] efeitos colaterais conhecidos, incluindo inflamação cardíaca [miocardite] e choque alérgico grave. Isso pode resultar de reações de hipersensibilidade, que podem ser provocadas por “qualquer componente de mRNA do LNP”, mas são provavelmente desencadeadas por nanopartículas lipídicas PEGliadas, que é “o componente mais potencialmente reatogênico”, disseram os cientistas.

O polietilenoglicol, ou PEG, um ingrediente das injeções Pfizer e Moderna COVID-19, é conhecido por causar reações alérgicas. Cientistas externos estão divididos sobre o mecanismo por trás da inflamação cardíaca, enquanto a Pfizer postulou que os LNPs estão por trás do problema. O novo artigo baseou-se em publicações anteriores e outros dados. Os autores não realizaram novos experimentos.

Alguns dos artigos citados incluíam aqueles que encontraram mRNA e a proteína spike entregue pela injeção da Moderna em várias partes dos seres humanos semanas ou meses após a vacinação, apesar das autoridades de saúde alegarem que, quando as vacinas foram lançadas, tais materiais sairiam do corpo dentro de alguns dias.

Os cientistas disseram que a vacina COVID-19 da Moderna é “segura e eficaz” e saudaram o desenvolvimento de uma vacina atualizada como “demonstrando o rápido cronograma para modificações com a tecnologia de mRNA na clínica”. Devido à “natureza transitória do mRNA”, porém, “a administração repetida pode ser necessária”, disseram eles.

Os cientistas acrescentaram mais tarde que a redução dos riscos de toxicidade com vacinas e medicamentos baseados em mRNA é necessária, mas “complicada”. Isso pode ser conseguido através de uma abordagem multifacetada que inclua testes avançados em laboratórios e ajuste os ensaios pré-clínicos em animais para melhor ter em conta “diferenças na fisiologia humana e animal.

Em 25 de fevereiro de 2009, durante uma reunião [Council of Eugenics] da OMS, o judeu khazar Henry Kissinger declarou: “Uma vez que o rebanho (os bovinamente zumbis) aceita as vacinas obrigatórias, o jogo termina. Eles aceitarão qualquer coisa – doação forçada de sangue ou órgãos – para um bem maior, NÓS PODEMOS MODIFICAR GENETICAMENTE E ESTERILIZAR CRIANÇAS, para um bem maior – Controle as mentes das ovelhas e você controla o rebanho. Os fabricantes de vacinas devem ganhar bilhões. E muitos de vocês nesta sala são investidores. É uma grande vitória para todos. Nós reduzimos o rebanho e o rebanho nos paga pelos serviços de extermínio“.

A Moderna e outras empresas estão atualmente testando uma série de novos produtos de mRNA, incluindo vacinas contra gripe e tratamentos contra o câncer.

“Graças à plataforma de mRNA que construímos, temos um pipeline interessante, com até 15 lançamentos nos próximos cinco anos”, disse Stephane Bancel, CEO da Moderna, aos investidores na mais recente teleconferência de resultados da empresa.

O autor correspondente do artigo, Mansoor Amiji, dos Departamentos de Ciências Farmacêuticas e Engenharia Química da Northeastern University, encaminhou um pedido de comentários ao Sr. Bitounis, que não forneceu nenhuma resposta.

Dr. Malone reage

O Dr. Robert Malone, que ajudou a inventar a tecnologia de mRNA, disse que o artigo minimizou a gama de riscos que têm sido associados às vacinas baseadas em mRNA e podem ser parte de um ponto de encontro limitado ou de uma técnica de propaganda.

Essa técnica, uma forma de desorientação, envolve pessoas que oferecem algumas informações para obscurecer ou impedir a descoberta de outras informações [mais graves].

“Minha interpretação mais generosa da intenção geral do artigo é que este artigo resume e representa informações sobre os riscos e toxicidades desta tecnologia de plataforma que a Moderna deseja que seja divulgada de uma forma que coloque a empresa, suas atividades e a tecnologia de plataforma subjacente em a melhor luz possível”, escreveu o Dr. Malone, que não esteve envolvido no artigo, em sua resenha .

“Uma interpretação menos generosa da intenção é que este artigo representa uma forma sutil de estratégia de propaganda comumente referida como ponto de encontro limitado”.


SEJA UM ASSINANTE DO BLOG: Para os leitores do Blog que ainda não são assinantes e desejam acessar as postagens em seus endereços de E-Mail, solicitamos, por favor, que façam a sua inscrição aqui neste LINK: https://linktr.ee/thoth3126

Convidamos também a conhecerem e seguirem nossas redes sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/th.oth3126/
Facebook: https://www.facebook.com/thoth3126.blog
X (antigo Twitter): https://twitter.com/thoth3126_blog
Youtube: https://www.youtube.com/@thoth3126_blog

Siga o canal “Blog Thoth3126” no WhatsApp: https://www.whatsapp.com/channel/0029VaF1s8E9Gv7YevnqRB3X


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.310 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth