Cisjordânia em Chamas após ataques de colonos israelenses apoiados pelo exército judeu

Ramallah, Cisjordânia ocupada – Espiral de violência sem fim: Um palestino foi baleado e morto enquanto colonos apoiados pelo exército israelense queimavam dezenas de casas e carros na Cisjordânia ocupada em ataques de vingança. Os israelenses realizaram pelo menos 300 ataques, incluindo tiroteios e incêndios criminosos, em um violento tumulto nas aldeias palestinas na área de Nablus, na Cisjordânia ocupada, disseram autoridades palestinas, no que foi descrito como um “pogrom“.

Tensões altas na Cisjordânia após ataques de colonos israelenses apoiados pelo exército de Israel

Fonte: AlJazeera

Um homem palestino de 37 anos identificado como Samih al-Aqtash foi baleado no estômago na noite de domingo por colonos protegidos pelo exército israelense na aldeia de Zaatara, ao sul de Nablus. Ele morreu devido aos ferimentos. O pai de cinco filhos havia acabado de voltar para casa há cinco dias depois de se voluntariar para ajudar os sobreviventes do terremoto na Turquia.

Pelo menos 390 palestinos ficaram feridos no tumulto dos colonos nas aldeias de Huwara, Zaatara, Burin e Asira al-Qibliya – todos ao sul de Nablus, disse o Crescente Vermelho Palestino, acrescentando que a maioria foi ferida por gás lacrimogêneo disparado pelo exército israelense bem como a inalação de fumaça de incêndios generalizados iniciados pelos colonos judeus.

A mídia palestina relatou esfaqueamentos e ataques com hastes de metal e pedras. O Ministério da Saúde palestino disse que uma pessoa estava no hospital depois de ser espancada na cabeça com uma pedra, causando fraturas no crânio. Outra pessoa foi espancada com uma barra de metal no rosto.

Saddam Omar, morador de Huwara, descreveu a violência como “bárbara”. “Ontem testemunhamos um novo nível de crimes de colonos colonizadores, onde eles atacaram agressivamente tudo”, disse ele à Al Jazeera na segunda-feira.

É realmente um #pogrom patrocinado pelo estado de Israel em Huwara esta noite. 20 casas palestinas incendiadas. Inúmeros carros foram queimados. Ambulâncias e caminhões de bombeiros foram atacados com pedras. 98 relataram ferimentos entre os palestinos, incluindo pessoas que foram esfaqueadas ou atingidas com hastes de metal.

“Quero dizer, literalmente, lojas, pessoas, supermercados, casas, árvores, carros, garagens”, disse ele. “Eles tentaram entrar nas casas. Eles queimaram quase tudo.” Omar acrescentou que os colonos “estavam 100% protegidos pelo exército israelense”.

Pelo menos 30 casas palestinas e 100 carros foram incendiados por colonos, disse Ghassan Daghlas, chefe de monitoramento de assentamentos da Autoridade Palestina para o norte da Cisjordânia, à Al Jazeera. Não houve queimaduras em moradores.

Daghlas disse que o ataque foi “sem precedentes em termos de tamanho e pouco tempo em que ocorreu”, acrescentando que o exército israelense foi um “parceiro” nos ataques.

Condenação generalizada

Os colonos realizaram sua violência logo depois que dois colonos israelenses foram mortos a tiros por um homem palestino em Huwara. Os colonos eram dois irmãos na casa dos 20 anos que viviam no assentamento ilegal de Har Bracha, ao sul de Nablus.

A violência foi amplamente condenada por políticos locais e internacionais, ONGs e grupos de direitos humanos.

“Cenas de casas e carros em chamas, agressão a cidadãos, impedindo que caminhões de bombeiros cheguem a casas queimadas e agredindo ambulâncias que transportam pacientes e feridos – todos esses crimes devem enfrentar uma intervenção internacional em breve para prender as autoridades de ocupação e detê-los”, disse o primeiro-ministro palestino Mohammad Shtayyeh disse em comunicado.

“Nós consideramos as autoridades de ocupação totalmente responsáveis ??por esses crimes hediondos, que refletem uma política sistemática praticada pelo governo israelense, cujos ministros demonstram seu apoio a esses crimes em violação das leis internacionais”, disse ele, acrescentando que um comitê ministerial será formado. para compensar as pessoas afetadas.

Os grupos de direitos humanos Al Haq, com sede em Ramallah, disseram que o ataque foi o “resultado de décadas de impunidade desfrutada por Israel e colonos por crimes internacionais cometidos contra palestinos”.

Sami Abu Shahadeh, um político palestino no parlamento israelense, disse: “O pogrom sionista que ocorre em Huwara é uma consequência da plataforma política supremacista judaica do governo israelense”.

Os grupos israelenses de direitos humanos Peace Now e B’Tselem também descreveram os ataques como um “pogrom” de colonos apoiado pelo governo israelense. Vários governos estrangeiros, incluindo os Estados Unidos e a França, também condenaram os ataques.


E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a BESTA. Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; Vencerão os que estão com Ele, Chamados, e Eleitos, e Fiéis. E disse-me: As águas que viste, onde se assenta a prostituta [ROMA], são povos, e multidões, e nações, e línguas“. – Apocalipse 17:12-15

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é nabucodonoor-estatua-daniel.png

A estátua do sonho de Nabucodonosor, um símbolo daquilo que a humanidade construiria na Terra. Os dias de insanidade da atualidade estão contados, muito em breve, a “Grande Prostituta”, a cidade de Roma será varrida da face da Terra, dando início a derrota completa dos servidores das trevas e o fim de seus planos nefastos para o controle do planeta. Em 2023 o Brasil terá um papel decisivo na Guerra entre a Luz e as trevas.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.328 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth