browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

COVID-19: um precursor da ‘Nova Ordem Mundial?’, também conhecida como “A Grande Restauração”

Posted by on 29/11/2020

Os fatos: O caos global [quase sempre  intencionalmente  criado] sempre foi um precursor de grandes mudanças em nosso planeta, esta iniciativa dos ‘poderes constituídos’ agora está sendo chamada de “A Grande Restauração”. Os “problemas são criados” por aqueles que querem propor a solução ideal para a implantação de sua agenda ? Os problemas que ocorrem naturalmente são impedidos de implementar medidas de controle maiores? Estamos vivendo uma epidemia de CONTROLE TOTAL DA HUMANIDADE?

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

COVID-19: um precursor da ‘Nova Ordem Mundial?’ também conhecido como “The Great Reset” [A Grande Restauração]

Fonte:  Collective-Evolution  –  Por Arjun Walia

A que se refere a “Nova Ordem Mundial”? Refere-se à ideia de que muitas crises ‘são fabricadas por grupos de pessoas em posições poderosas para justificar um estado de segurança nacional mais draconiano [literalmente]. Embora alguns [zumbis] possam ver isso como uma “teoria da conspiração” infundada, há vários exemplos e evidências que mostram que não é esse o caso. 

Muitos líderes mundiais falaram sobre uma ‘nova ordem mundial’ em várias ocasiões, apontando para uma maior “colaboração” global, mais controle e vigilância para realizar tudo. É uma agenda de maior poder centralizado para aqueles que já estão em grandes posições de poder não eleito, um movimento que lentamente tira muitos de nossos direitos e liberdades sob o pretexto de boa vontade e “filantropia”.

Um estado de segurança nacional reforçado em nossos tempos atuais inclui mais vigilância e aquisição e controle de nossos dados, usando mais métodos para rastrear a população em geral, suas ações, intenções e até mesmo controlar sua moeda. Novamente, não é uma teoria da conspiração, Edward Snowden deixou bem claro que a NSA estava rastreando cidadãos americanos o tempo todo, ilegalmente, sem sua permissão, e eles até negaram fazer isso sob juramento.

Dado isso, pensar que qualquer instituição governamental ou político se apresentará e será honesto conosco, o povo, sobre seus planos reais seria tolice, já sabemos o quão longe alguns foram para encobrir esses projetos ocultos.

Este artigo examinará o uso de ‘ameaças’ contínuas, às vezes fabricadas para impor mais medidas de segurança à população, o que é a “Grande Reinicialização” [The Great Rest] e por que é importante reconhecer as medidas tomadas por aqueles que afirmam que isso é um passo em direção a mais autoritarismo.

É hora de realmente começarmos a ter conversas sérias sobre esses tópicos controversos e aprender a ter empatia com as diferentes posições sobre eles. A necessidade de criação de sentido coletiva está no auge, e se estivermos constantemente divididos e incapazes de perceber a realidade da perspectiva de qualquer outra pessoa, vamos lutar para criar mudanças significativas. Este é um momento de consumir informações e de nos desenvolvermos pessoalmente para nos tornarmos agentes eficazes de mudança.

O foco em problemas ou ameaças

As justificativas usadas para criar este novo mundo são frequentemente ameaças contínuas, como as mudanças climáticas, surtos de doenças como o que estamos experimentando com COVID-19, o terrorismo, quebra dos mercados, etc., e as medidas tomadas contra essas coisas são postas à mesa e comercializadas como necessárias para nossa proteção e bem-estar. Como resultado desse marketing, aos poucos estamos sendo condicionados a ver nossa liberdade como egoísta e prejudicial aos outros. Esta é uma conversa inteira por si só, mas por enquanto vamos parar por aqui.

Muitos, especialmente os chamados “verificadores de fatos”, descartam a ideia de alguma forma de ‘aumento do poder centralizado’ ou ‘nova ordem’ como uma “teoria da conspiração”, mas a ideia tem bastante legitimidade. Esse tipo de legitimidade ganhou ainda mais força graças a pessoas como Julian Assange, Edward Snowden e William Binney.

Binney e Snowden, ambos denunciantes insiders da NSA, falaram amplamente sobre a propaganda de ameaças várias vezes. Obviamente, isso não é coberto pela mídia convencional pre$$titute, pois é parte do problema, e qualquer pessoa que dê voz a pessoas como Snowden e Binney parece estar sujeito à censura das plataformas de mídia social das Big Techs. Pessoas como Assange, que está à beira da morte em uma prisão do Reino Unido à espera da extradição para os EUA, são rotulados como traidores ou um perigo para a sociedade, enquanto Edward Snowden vive no exílio na Rússia.

Uma ótima citação vem à mente de  Nils Melzer , Presidente de Direitos Humanos da Academia de Direito Humanitário Internacional de Genebra, Professor de Direito Internacional da Universidade de Glasgow e Relator da ONU sobre Tortura e Outros Tratamentos ou Penas Desumanos ou Degradantes. Eu já usei antes.

“Até onde descemos se dizer a verdade se torna um crime? Até onde descemos se processamos pessoas que expõem crimes de guerra por exporem crimes de guerra? Até onde descemos quando não processamos mais nossos próprios criminosos de guerra? Porque nos identificamos mais com eles do que com as pessoas que realmente expõem esses crimes. O que isso diz sobre nós e sobre nossos governos? Em uma democracia, o poder não pertence ao governo, mas ao povo. Mas o povo tem que reivindicar isso. O sigilo enfraquece as pessoas porque as impede de exercer o controle democrático, que é exatamente porque os governos querem o sigilo”.

Snowden falou sobre muitas ameaças, enfatizando recentemente que o Coronavirus está sendo usado, assim como foi a ameaça do terrorismo, para impor medidas de controle mais abrangentes sobre a população humana. William Binney transmitiu a ideia de que a NSA não está interessada em proteger a nós e nossas liberdades, mas sim quer o “controle total da população”.

Este tipo de censura acontece em todas as escalas em vários níveis, nós aqui no Collective Evolution [ e nós do Thoth3126, também] temos experimentado com a desmonetização total e a perda de nossa capacidade de postar em nossa página do Facebook de 5,5 milhões de seguidores, e pessoas como Joe Rogan experimentaram isso simplesmente por discutir ‘Tópicos Controversos’.

Parece que a liberdade de expressão nunca foi tão ameaçada e, no entanto, estamos em um momento crítico em que ela é extremamente necessária.

Não devemos ouvir apenas denunciantes insiders confiáveis, existem exemplos, dados e evidências reais do mundo real. Quando se trata do coronavírus, por exemplo, vários cientistas, médicos e professores renomados de todo o mundo continuamente expressam sua opinião veemente de que estamos lidando com algo muito menos perigoso do que o que está sendo apresentado, e que talvez seja parecido com uma gripe sazonal, ou não mais perigoso do que outros vírus respiratórios que já infectam centenas de milhões e matam milhões por ano.

Cerca de 45.000 médicos e cientistas já assinaram a Declaração Great Barrington opondo-se fortemente às medidas de bloqueio, distanciamento social, imposição do uso de máscaras e alguns dos cientistas mais conceituados da área têm compartilhado as mesmas informações enquanto são completamente ignorados pela corrupta e prostituída mídia convencional, censurados po “verificadores dos fatos” do Facebook, Twitter, Google, YouTube, et caterva.

Juntamente com esse tipo de censura, vem uma grande cobertura da mídia em todo o mundo, constantemente transmitindo a narrativa exatamente oposta narrada pela mídia alternativa e ridicularizando-a ao longo do caminho. Cientistas dos governos ganham destaque enquanto todos os outros, que parecem ser a maioria, parecem amordaçados, pois talvez estejam falando a verdade.

Tempos estranhos, de fato, são os que estamos vivendo.

É uma pena que a ciência tenha se tornado tão politizada, corrupta [Big Pharma] usada e manipulada para possivelmente ajudar a impulsionar esta implantação da “Nova Ordem Mundial” ou maior poder centralizado e vigilância em massa da população em geral.

Tal como acontece com COVID-19, “terrorismo de bandeira falsa”, a ideia de que ‘os poderes constituídos’ criam, financiam e armam organizações terroristas como ‘ISIS’ e ‘Al-Qaeda’ vem com uma abundância de evidências. É por isso que a congressista e veterana militar Tulsi Gabbard introduziu o ato “Pare de Armar Terroristas”, porque isso SIM acontece. O [pseudo] atentado de 11 de setembro às torres gêmeas de N. York foi um grande exemplo usado para justificar a invasão do Iraque. Esses eventos parecem ser usados ​​na tentativa de invasão sob o pretexto de boa vontade.  Novamente, esta é uma narrativa que ameaça interesses poderosos [nesse caso das grandes empresas do Complexo Industrial Militar], e é por isso que é geralmente ridicularizada e minimizada sempre que acontece de fazer seu caminho para o mainstream da mídia pre$$titute.

“A verdade é que não existe um exército islâmico ou grupo terrorista chamado Al-Qaeda, e qualquer oficial de inteligência bem informado sabe disso. Mas, há uma campanha de propaganda para fazer o público acreditar na presença de uma entidade intensificada que representa o ‘diabo’ apenas a fim de levar os telespectadores a aceitar uma liderança internacional unificada para uma guerra contra o terrorismo. ”

– Robin Cook, ex-secretário do Exterior britânico. ( fonte )

“Os [pseudo] estadistas [políticos psicopatas, corruptos e marionetes] inventarão mentiras baratas, colocando a culpa sobre a nação atacada, e todo homem ficará feliz com essas falsidades que acalmam a [in]consciência, e as estudará diligentemente, recusando-se a examinar qualquer refutação delas; e assim, aos poucos, ele se convencerá de que a guerra é justa, e agradecerá a Deus pelo sono melhor que desfruta após esse processo de autodecepção grotesca ”.

  Mark Twain

A Grande Restauração

O que é “The Great Reset?” É uma iniciativa do Fórum Econômico Mundial, de Davos. A Casa de Windsor e a ONU são os principais co-produtores executivos. Os principais patrocinadores incluem alguns gigantes como a British Petroleum, Mastercard e Microsoft [Bill Gates]. De acordo com eles,

 Há uma necessidade urgente de as partes interessadas globais cooperarem na gestão simultânea das consequências diretas da crise COVID-19. Para melhorar o estado do mundo, o Fórum Econômico Mundial  está iniciando a iniciativa “The Great Reset”.

Eles continuam explicando que todas as “interrupções” que estamos enfrentando são “mudar o contexto tradicional para a tomada de decisões. As inconsistências, inadequações e contradições de múltiplos sistemas – de saúde e financeiro a energia e educação – estão mais expostas do que nunca em um contexto global de preocupação com vidas, meios de subsistência e o planeta”.

COVID e todas as outras crises que enfrentamos, de acordo com o Fórum Econômico Mundial,

… proporciona moldar a recuperação, esta iniciativa oferecerá insights para ajudar a informar todos aqueles que determinam o estado futuro das relações globais, a direção das economias nacionais, as prioridades das sociedades, a natureza dos modelos de negócios e a gestão de um patrimônio global. Com base na visão e na vasta experiência dos líderes engajados nas comunidades do Fórum, a iniciativa Great Reset tem um conjunto de dimensões para construir um novo contrato social que honre a dignidade de cada ser humano.

O fundador e presidente executivo do WEF, Klaus Schwab, disse:

“O mundo deve agir em conjunto e rapidamente para renovar todos os aspectos de nossas sociedades e economias, da educação aos contratos sociais e condições de trabalho … Todos os países, dos Estados Unidos à China, devem participar, e todas as indústrias, de petróleo e gás a tecnologia , deve ser transformado. Em suma, precisamos de uma ‘Grande Restauração’ do capitalismo”.

A mensagem de Schwab foi ampliada pelo “Príncipe Charles” [alguém que nunca trabalhou em sua vida]  quando ele disse :

“Temos uma oportunidade de ouro de aproveitar algo de bom desta crise [COVID-19]. Suas ondas de choque sem precedentes podem tornar as pessoas mais receptivas a grandes visões de mudança. ”

Jennifer Morgan (atual chefe do Greenpeace) afirmou:

“Estabelecemos uma nova ordem mundial após a Segunda Guerra Mundial … Estamos agora em um mundo diferente do que éramos então. Precisamos perguntar: o que podemos fazer de maneira diferente? O Fórum Econômico Mundial tem uma grande responsabilidade nisso também – apertar o botão de reinicialização e ver como criar bem-estar para as pessoas e para a Terra ”.

Tudo isso requer mudanças no comportamento humano. Modificação de comportamento, se você quiser e aceitação de novas regras. Isso, de acordo com muitos, é autoritarismo e filantropias disfarçados de boa vontade e, sem dúvida, incluirá medidas impostas aos cidadãos em detrimento de nossas liberdades e da própria existência de nossos países. No momento, estamos morando nele e vivenciamos o início de “The Great Reset”.

Também estamos vivenciando uma grande divisão entre os cidadãos, há muitos que acreditam que esses impulsos para a mudança foram levados a acreditar que eles são necessários e para o bem comum, e há outros que acreditam que é apenas MAIS um passo em direção a uma experiência humana ainda sob mais autoritarismo .

O ex-Núncio Apostólico nos Estados Unidos da América e conhecedor dos escaninhos do Vaticano, Carlo Maria Viganò, por exemplo, escreveu recentemente uma carta a Donald Trump. Nele, ele menciona The Great Reset.

Um plano global chamado  Grande Reinicialização  está em andamento. Seu arquiteto é uma elite global que deseja subjugar toda a humanidade, impondo medidas coercitivas com as quais limitar drasticamente as liberdades individuais e de populações inteiras. Em várias nações este plano já foi aprovado e financiado; em outros, ainda está em um estágio inicial. Por trás dos líderes mundiais, cúmplices e executores desse projeto infernal, estão personagens inescrupulosos [da estirpe de um George Soros, Bill Gates, Principe Charles, a realeza europeia, et caterva], que financiam o  Fórum Econômico Mundial  e o  Evento 201 , promovendo sua agenda.

O objetivo da  Grande Reinicialização  é a imposição de uma ditadura da saúde visando a imposição de medidas liberticidas, escondidas por trás de promessas tentadoras de garantia de uma renda universal e cancelamento de dívidas individuais. O preço dessas concessões do Fundo Monetário Internacional será a renúncia à propriedade privada e adesão a um programa de vacinação contra Covid-19 e Covid-21 promovido por Bill Gates com a colaboração dos principais grupos farmacêuticos [Big Pharma]. Além dos enormes interesses econômicos que motivam os promotores da Grande Reinicialização, a imposição da vacinação será acompanhada da exigência de passaporte de saúde e carteira de identidade digital, com o consequente rastreamento de contato da população de todo o mundo. Aqueles que não aceitarem essas medidas serão confinados em campos de detenção ou colocados em prisão domiciliar, e todos os seus bens serão confiscados.

Você pode acessar e ler a carta inteira aqui .

De acordo com Ellen Brown, advogada e presidente do Public Banking Institute:

“Nenhum país poderá optar por não participar porque colocaria em risco o resto … Quem está por trás da Grande Restauração e o que ela realmente envolve são questões importantes que precisam de seu próprio artigo, mas basta dizer aqui que para escapar da armadilha do agenda globalista, precisamos de um despertar em massa para o que realmente está acontecendo e uma resistência coletiva a isso enquanto ainda há tempo. Há sinais de esperança de que isso está acontecendo, incluindo protestos em massa contra paralisações e restrições econômicas, especialmente na Europa; uma série de ações judiciais questionando a constitucionalidade dos bloqueios e do exagero do poder policial; e uma enxurrada de denúncias da mídia alternativa, apesar da censura generalizada da mídia convencional [pre$$titute} e dos grandes da mídia [Big Techs} social.

A vida como a conhecemos mudará. Precisamos garantir que ela mude de forma a servir ao povo e à economia produtiva, ao mesmo tempo que preserva a nossa soberania nacional e liberdades pessoais conquistadas a duras penas”.

Conclusão: é hora de pensar mais profundamente 

Para não simplificar demais, cerca de 50 por cento dos americanos acreditam que aqueles que votaram em Donald Trump são burros e talvez racistas. A outra metade que votou em Trump e sente que o outro lado é mau e está roubando a eleição. A fé nas instituições está desmoronando e há boas razões para isso. Não é simplesmente a dúvida costurada por vozes altas como Trump ou seus apoiadores, ela vem de anos de mentiras evidentes, de desconstrução de valores básicos, engano generalizado, manipulação, e um profundo apelo por mudanças significativas.

A eleição é um dos muitos exemplos, junto com o COVID-19, que mostra como as pessoas estão separadas não apenas na América, mas em todo o mundo. Vivemos em uma narrativa coletiva fundada na ideia básica de que estamos separados uns dos outros e, portanto, nosso mundo nos dá essa realidade. O que muitos de nós chamamos de medidas autoritárias não são realmente impostas à população como podemos pensar. 

Existem muitas pessoas que veem e acreditam no valor de mais segurança, moedas digitais, mais rastreamento, etc., e sentem que estarão mais seguras com tudo isso. Esta história é verdadeira?  Isso cabe a você decidir, mas explorar POR QUE concordamos com essas coisas é a maior conversa que devemos ter.

Sempre há justificativas nas mentes das pessoas que se opõem ao que você ou eu podemos acreditar. Isso requer diálogo, não ridículo, requer compreensão e requer que as pessoas tenham empatia e se entendam, e percebam de onde todos nós viemos.

Hoje em dia, não é apenas conhecer informações e fatos que irão criar mudanças, é mudar a nós mesmos, como fazemos para comunicar e reavaliar as histórias, ideias e crenças subjacentes que formam nosso mundo. Temos que praticar essas coisas se realmente quisermos mudar algo. É mais importante do que o que sabemos, porque, em última análise, se não pudermos nos tratar como queremos ser tratados, não chegaremos a lugar nenhum.

Por mais que apontemos o dedo para a elite global e medidas governamentais autoritárias que estão acontecendo, a verdadeira mudança vem de nos educarmos, despertarmos para um entendimento mais profundo de quem somos, tratando a todos com respeito e dialogando com aqueles que discordam conosco. Além disso, temos que começar a nos perguntar por que ficamos tão estimulados dessa maneira.

A mudança profunda que todos sabemos que é possível neste planeta será criada a partir de um estado diferente de consciência. Devemos promover e desenvolver. Jogar o jogo da culpa, em um nível mais profundo, não adianta muito. Dito isso, é um passo importante perguntar por que nosso mundo é como é e identificar os problemas que enfrentamos, especialmente aqueles que são colocados em prática por governos que não ressoam com muitas ou nenhumas pessoas.

Não importa muito se concordamos ou não que algo como The Great Reset é uma conspiração planejada, é mais importante perguntar profundamente ‘este é o mundo que realmente queremos criar? É isso que estamos limitados a criar e, se não, o que nos impede? Que poder teríamos se, como coletivo, nos reuníssemos e fizéssemos algo?

Se não quisermos que as pessoas que não nos representam verdadeiramente tenham um poder tremendo, temos que acordar e perceber que não são eles que precisam mudar, somos nós. Se você está se sentindo chamado para se tornar um agente de mudanças mais eficaz neste momento crítico, considere se tornar um membro do CETV, onde este é o foco principal de nossas conversas, programas originais e cursos.

Mergulhe mais fundo

Hoje em dia, não é apenas conhecer informações e fatos que irão criar mudanças, é mudar a nós mesmos, como fazemos para nos comunicar e reavaliar as histórias, ideias e crenças subjacentes que formam nosso mundo. Temos que praticar essas coisas se realmente quisermos mudar. No Collective Evolution e no CETV, essa é uma grande parte da nossa missão.

Entre centenas de horas de conteúdo exclusivo, concluímos recentemente dois cursos curtos para ajudá-lo a se tornar um agente de mudanças eficaz, um chamado Realização Profunda e o outro chamado Como Fazer uma Desintoxicação de Mídia Eficaz.

Junte-se ao CETV, participe desses cursos e muito mais aqui!


Questione tudo, nunca aceite nada como verdade sem a sua própria análise, chegue às suas próprias conclusões.


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. – Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da BESTA; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis[666]“.  –  Apocalipse 13:16-18


Mais informações, leitura adicional:

Permite reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

phi-cosmoswww.thoth3126.com.br

 

 

12 Responses to COVID-19: um precursor da ‘Nova Ordem Mundial?’, também conhecida como “A Grande Restauração”

  1. jedu

    “Questione tudo, nunca aceite nada como verdade sem a sua própria análise, chegue às suas próprias conclusões.”
    Agradeço o artigo postado, todos estão confusos e desorientados com informações postadas pela mídia e especialistas de plantão que nos impedem de uma avaliação isenta de “achismos” e nos mostre uma perspectiva correta.
    Sempre enfrentamos um estado gripal e controlamos esse desequilíbrio, mas o receio (que alimentamos sem compreender) de que em um momento qualquer deixaremos esse corpo, é assustador, e isso foi explorado de uma maneira inteligente, portanto, intencionalmente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.