Crise Financeira nos EUA: bancos ‘Problemáticos’ passam de 4 para 43 em apenas seis meses

Os bancos norte-americanos identificados como problemáticos multiplicaram-se dez vezes em um período de seis meses, informou a Corporação Federal de Seguros de Depósitos (FDIC, na sigla em inglês) em um relatório trimestral. De acordo com a instituição, os depósitos dos clientes detidos por todos os credores do país também caíram, atingindo os níveis mais baixos em 40 anos.

Crise financeira segue nos EUA: bancos ‘problemáticos’ passam de 4 para 43 em apenas meio ano

Fonte: FDICSputnik

O perfil bancário trimestral é o primeiro publicado pela FDIC após a falência de vários bancos registrada entre março e abril. Embora o relatório mostre mais aspectos positivos do que negativos, o número de bancos enumerados pela FDIC como potencialmente problemáticos indicou que era necessário mais trabalho para garantir o sistema bancário dos EUA.

“Durante o trimestre, um banco abriu, um banco se liquidou, um banco vendeu a maioria dos ativos e não apresentou um relatório; dois bancos faliram e 31 instituições se fundiram com outras instituições seguradas pela FDIC“, detalha o documento.

“O número de bancos na lista aumentou em quatro em relação ao trimestre anterior, refletindo o movimento dos bancos que entram e saem da lista – 43 bancos“, acrescenta o relatório.

Enquanto isso, os depósitos totais diminuíram US$ 472 bilhões de dólares (R$ 2,38 trilhão), equivalentes a 2,5%, entre o quarto trimestre de 2022 e o primeiro trimestre de 2023.

O sistema bancário dos EUA foi abalado por uma crise de confiança no primeiro trimestre quando os clientes retiraram abruptamente os seus depósitos em várias entidades financeiras, o que exigiu a assistência do governo ou uma venda direta a um banco mais forte para manter operacionais as instituições em causa.

O Fed disse que a crise se deveu à sua própria falta de supervisão, bem como à insuficiência das salvaguardas nas instituições financeiras.

Em 1º de maio, o Departamento de Proteção e Inovação Financeira da Califórnia transferiu o First Republic Bank (FRB) para a Corporação Federal de Seguro de Depósito, que aceitou a oferta do gigante JP Morgan Chase para comprar os depósitos e ativos do FRB.

Apesar das medidas tomadas pelos gigantes de Wall Street e pelos reguladores governamentais, o banco com sede em São Francisco afundou-se ainda mais. Inicialmente, o FRB assistiu ao colapso das suas ações em março, após o espetacular colapso do ‘acordado’ Silicon Valley Bank (SVB) e do Signature Bank.


“O indivíduo é deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana [humana] simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.326 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth