browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

‘Cuties’ da Netflix: não é a primeira tentativa de Hollywood de ‘normalizar’ a pedofilia

Posted by on 18/09/2020

Depois de estudar e expor as agendas das “elites estabelecidas” em posições de poder nos últimos 14 anos, posso dizer com alguma consciência que, observando essas pessoas, você rapidamente começa a entender a realidade do mal. Qualquer pessoa que rejeite o conceito de mal como nada mais do que uma “construção social” ou uma questão de “percepção” está sofrendo de ingenuidade, ignorância ou preconceito. Eles tiveram a sorte de evitar um confronto direto com os psicopatas residentes em sua cidade ou têm certas tendências secretas que não revelam. Uma coisa que achei mais perturbadora é o hábito de pessoas más de virem rapidamente em defesa de outras pessoas más que eles nem mesmo conhecem. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

‘Cuties’ da Netflix: não é a primeira tentativa de Hollywood de normalizar a pedofilia

Fonte:  Alt-Market.com

Ou seja, inicialmente fiquei chocado ao descobrir o nível extremo de fraternidade que as pessoas predatórias [os psicopatas] sentem e exibem quando outras pessoas predatórias estão sendo expostas em público. É como se fossem uma irmandade tácita e não gostam quando seus parentes são punidos pelos seus crimes.

Sim, existem coisas como ignorância, ganância, ciúme, desejo doentio, etc., e todas essas fragilidades humanas podem levar a ações más. Dito isso, na maioria dos casos, você descobrirá que a MAIORIA das pessoas sente culpa, arrependimento, empatia e remorso que as impedem de seguir em frente com seus instintos animalescos mais básicos. Isso é o que comumente chamamos de “consciência”, e um número maior de pessoas a possui. Sem ela, a consciência nossa espécie já teria se autodestruído e sido extinta há milhares de anos.

Com os psicopatas, no entanto, não se trata apenas de uma completa falta de empatia e consciência; eles também costumam ter ALEGRIA na destruição, degradação, corrupção e exploração dos outros. Os sociopatas comuns prejudicam as pessoas no processo de conseguirem o que desejam porque não têm capacidade para sentimentos. 

Os psicopatas prejudicam as pessoas porque ESSE É O SEU OBJETIVO. Pense nisso como uma espécie de distorção; eles desejam controlar os outros, eles ficam altos com isso. E a “DROGA” mais procurada é a violação da inocência infantil.

Em minha vida, conheci mentirosos épicos, vigaristas, estupradores, pedófilos e até assassinos, e seus comportamentos, hábitos e maneirismos tendem a ser os mesmos. A cada encontro, você recebe um curso intensivo sobre o mal e começa a aprender como identificá-los por seus sinais de personalidade e processos de pensamento interrompidos. Chega a um ponto em que eles realmente se tornam enfadonhos e previsíveis.

Enquanto Hollywood adora romantizar os psicopatas como eternamente interessantes, na vida real eles são mais como robôs ou máquinas estúpidas. A maioria deles é muito bom no que fazem, que é ser predatório ou parasita, mas é o seu ÚNICO conjunto de habilidades – é a única coisa que os define. Caso contrário, eles não têm capacidade de imaginação ou criatividade e todos os seus pensamentos e ideias são roubados de outras pessoas e reciclados. Na verdade, você descobrirá que, se ficar perto de um psicopata por um longo período, ele começará a falar e a agir exatamente como você. Isto é o que eles fazem; eles procuram se misturar.

Algumas pessoas têm dificuldade em compreender a natureza da psicopatia e do mal, porque viveram vidas protegidas e permanecem alheias ao perigo [ou porque são apenas ignorantes e inconscientes].

Certamente é possível tropeçar pela vida sem encontrar indivíduos tão aberrantes. Psicopatas desenvolvidos (também conhecidos como sociopatas narcisistas) são raros no grande esquema da sociedade humana. Eles representam cerca de 1% da população estatisticamente, com narcisistas e pessoas com tendências sociopatas representando cerca de 5% do público em geral. 

E é uma coisa boa, porque uma impressionante maioria dos crimes violentos tende a ser cometida por pessoas psicopatas. Eles são, de longe, o principal dreno de recursos da justiça criminal e a maior ameaça à estabilidade e segurança social dentro de qualquer cultura.

Se alguém realmente quisesse mudar a humanidade para melhor, NÃO poderia fazê-lo sem primeiro remover os psicopatas da equação. Isso significa, mais importante, removê-los de posições de poder [político, religioso, jornalistico, etc] e influência cultural. O problema é que não há maneira de testar com precisão e facilidade os traços psicopáticos preventivamente. É necessária ampla observação psicológica em um ambiente controlado.

Os testes psicológicos padrão podem ser enganados, e os testes de varredura cerebral são altamente suspeitos (há pessoas que tentaram fazer carreira no jogo de varredura cerebral do psicopata, mas ainda não há provas de que os testes façam algo para identificar preventivamente tais características ) Em última análise, os psicopatas devem ser julgados por suas ações e comportamento ao longo do tempo por alguém que está muito familiarizado com seus traços universais de personalidade.

Dito isso, uma vez que essas pessoas se identificam por meio da sua ação nefasta, algo deve ser feito a respeito delas. Se puderem continuar atuando em resistência, eles seguirão seu caminho até sua conclusão natural, o que significa terror e carnificina para qualquer pessoa com quem entrarem em contato.

Para se proteger e proteger suas atividades, os psicopatas realmente se organizam em grupos. Isso tem acontecido repetidamente ao longo da história e os membros mais inteligentes ou astutos geralmente se agrupam dentro dos escalões superiores da sociedade, infiltrando-se em instituições de poder. Novamente, o conceito de “psicopata solitário” é uma criação de Hollywood [justamente porque é controlada por … psicopatas] que não representa a vida real. Contanto que haja ganho mútuo e muitas vítimas disponíveis, os psicopatas podem facilmente se unir.

Hollywood provou ser ao longo dos anos um refúgio para muitas pessoas terrivelmente más. Não tanto em termos de celebridades (embora muitas delas sejam narcisistas e sociopatas), mas mais em termos de pessoas que controlam a indústria cinematográfica. Todo o edifício foi projetado como um refúgio para tendências animalescas. Eles já celebraram isso abertamente no passado, embora atualmente finjam que estão limpando a casa.

A máquina de Hollywood é uma armadilha de vampiros sanguessugas, um farol brilhante atraindo pessoas [moscas] talentosas (ou pelo menos esperançosas e fascinadas), drenando-as de toda a sua vida e então cuspindo-as fora quando a alimentação terminar [o melhor exemplo disto é Marylin Monroe, ela própria uma psicopata e satanista].

Isso é particularmente verdadeiro no caso de crianças , e o número de casos de abuso infantil no setor é impressionante. Se fosse qualquer outro negócio, a mídia estaria em pé de guerra quanto ao número de condenações e denúncias. Se a indústria de fast food tivesse tantas acusações de pedofilia quanto Hollywood, a mídia MSM [PRE$$TITUTE] estaria escrevendo milhares de artigos por ano admoestando a epidemia de abuso sexual nos celeiros. Mas quando se trata de Hollywood, os “jornalistas tradicionais” defendem raivosamente as pessoas no topo e atacam os críticos como “teóricos da conspiração”.

É bem conhecida a propensão dos psicopatas a valorizarem as crianças como seus alvos mais procurados. Nem sempre é necessariamente sexual, às vezes é apenas abuso físico ou mental. Mas, as crianças são uma iguaria para eles, no entanto. O que poderia ser mais cativante para o mal do que destruir a vida de uma pessoa puramente inocente e tirar sua infância e acabar com seu futuro adulto?

Foi apenas nos últimos anos que a pedofilia praticada em Hollywood foi levada mais a sério pelo público em geral. As elites de Hollywood que dominam as posições corporativas de alto nível têm sido as provedoras e controladoras da “expressão cultural” da América por quase um século e, ainda assim, raramente estão sujeitas a escrutínio. São as suas próprias ações, cada vez mais abertas e imprudentes que criaram o recente movimento de expansão para erradicar o abuso infantil organizado.

Os psicopatas são movidos por desejos tortuosos e distorcidos, mas também são movidos por uma necessidade desesperada de “provar” que o resto da sociedade é tão má ou perturbado quanto eles, se receberem o “empurrão” correto. Esta é uma de suas maiores fraquezas, porque faz com que cometam erros e exponham sua verdadeira natureza diabólica.

Digite o filme da Netflix ‘Cuties’ ...

Já assisti a partes deste filme infame, incluindo “cenas dramáticas” da história para ter uma noção justa do conteúdo total, bem como alguns clipes das cenas notórias que enfureceram o público. E, posso dizer SEM DÚVIDA NENHUMA, que este filme é de fato pornografia infantil de acordo com a definição legal do Departamento de Justiça dos EUA. Um aviso – NÃO recomendo assistir a este filme, mas se o fizer, esteja ciente de que o conteúdo é altamente perturbador.

Se você ouviu da grande mídia que a reação a este filme foi “exagerada” e parte de uma “conspiração de direita”;  então estou aqui para lhe dizer que mentiram para você [mais uma vez]. Embora eu continue mantendo minha posição de que o movimento QAnon é uma piada e um sociopata que está errado sobre quase todas as previsões que fizeram, você não precisa fazer parte do culto QAnon para ver mais uma tentativa de normalizar a pedofilia na base do filme “Cuties”.

Argumentos feitos pela mídia predominantemente PRE$$TITUTE de justiça social expuseram onde eles realmente se posicionam na questão do mal, e eles são todos a favor da “obra cinematográfica”! Mais uma vez, a extrema esquerda política expõe sua verdadeira natureza quando se trata da defesa de conteúdos “culturais” terríveis. 

Tem havido um excedente de indícios disso em campanhas anteriores da mídia, como o outlet de esquerda Salon e um artigo que publicaram em defesa da pedofilia escrito por um pedófilo declarado. Seu argumento? Essa pedofilia deve ser tratada com mais empatia, desde que os pedófilos não ajam de acordo com seus impulsos naturais.  Posteriormente, o Salon retirou o artigo, mas outros meios de comunicação PRE$$TITUTE argumentaram que deveriam tê-lo deixado publicado.

Inicialmente, as críticas ao trailer do filme “Cuties” foram recebidas com zombarias de especialistas da mídia PRE$$TITUTE, as únicas pessoas que já tinham visto o filme em sua totalidade. Alegaram que os críticos não tinham ideia do que estavam falando e que o trailer não transmitia a “verdadeira mensagem” do filme, que supostamente é a de que a exploração sexual de crianças é “ruim”. No entanto, quando o filme foi lançado, ficou claro que isso era mentira.

Você pode envolver a pornografia infantil em quantas declarações de “arte” e tipo tortuoso de “discurso” que quiser, mas no final do dia a “obra” ainda é pornografia infantil. O fato de ter sido dirigido por uma mulher da África ocidental que migrou para a França é irrelevante. Mulheres migrantes africanas também podem ser pedófilas e psicopatas. E sim, qualquer pessoa que exporia meninas de 11 anos a esse “tipo de cinema” é de fato um psicopata.

Os métodos de cinematografia e os ângulos de câmera utilizados para expor as “cuties” no filme são o que o denunciam, e qualquer pessoa que tenha estudado filme e tenha bom senso sabe como isso funciona. Temas de filmes sexualizados tendem a se prestar a certa forma de cinematografia que é projetada para glamorizar e seduzir.

Por exemplo, assista ao filme ‘Dancing At The Blue Iguana’ (do qual eu realmente gosto), um filme sobre a vida sórdida de mulheres strippers que tentam sobreviver a podridão em e de Los Angeles. Observe o trabalho da câmera naquele filme, e então, se você aguentar, compare-com as cenas de dança em “Cuties”. O trabalho de câmera é o MESMO, pairando sobre certas partes do corpo das meninas de forma voyeurística. A diferença é que ‘Dancing At The Blue Iguana’ é estrelado por MULHERES ADULTAS, não garotas de 11 anos.

Cuties é frequentemente defendido pela mídia como um filme “vencedor de prêmios” de Sundance Festival; ou seja, se as “elites” [pedófilas] da arte aprovam, é, portanto, um material social e moralmente aceitável para as massas ignorantes que não entendem nada de arte cinematográfica. É simplesmente “inteligente demais” para os plebeus estúpidos [nós, os cidadãos comuns] entenderem, certo? Bem, eu mesmo sou um cinéfilo de longa data e sei quando estou olhando para “arte” e quando estou olhando para exploração sexual barata de meninas na puberdade, e Cuties é uma exploração sexual e pedófila bem definida.

Também deve ser observado que o cofundador do Festival de Cinema de Sundance se declarou culpado de acusações de abuso sexual infantil há apenas um ano. Então, talvez ter o emblema do prêmio Sundance Festival em um filme não seja um passe livre para a pedofilia.

Claro, o filme Cuties não é a primeira vez que Hollywood tentou normalizar a sexualização e pedofilia das crianças. Em 1932 e 1933, logo no início da Grande Depressão, o produtor Jack Hays e o diretor Charles Lamont lançaram uma série de pelo menos oito filmes que seriam apelidados de “Baby Burlesque” . Os filmes apresentavam atores e atrizes extremamente jovens, incluindo Shirley Temple antes que ela se tornasse um gigante de bilheteria, representando histórias e cenas adultas, vestidas em fantasias de adultos.

Os filmes continham conotações sexuais generalizadas, e se você está familiarizado com as maneiras pelas quais Temple foi violentamente abusada pelos produtores psicopatas de Hollywood durante seu tempo como atriz, os filmes têm uma escuridão a mais.

A fórmula para os filmes Baby Burlesque era retratar jovens atores em situações adultas e depois rotulá-los de “paródia”. Isso incluiu uma jovem Temple interpretando uma prostituta vestida com “roupas de rua” revelando e discutindo quanto ela custa. Os filmes posteriores de Temple retratariam uma criança, geralmente órfã, adotada ou passando o filme inteiro com um rico benfeitor. 

Os pais geralmente não aparecem nos filmes ou são mortos de alguma forma trágica, deixando a criança sozinha e vulnerável. As danças e até canções dos filmes são semi-eróticas, principalmente para a época. O relacionamento entre as crianças e os seus [pseudo] benfeitores adultos é bizarro e geralmente é retratado como uma interação quase romântica em vez de uma interação adulto / cuidador normal da criança.

Hollywood já faz isso há MUITO tempo. Cuties nada mais é do que uma versão modernizada do Baby Burlesque.

Para ser claro, a Netflix não fez o filme, apenas financiou a distribuição dele. Dito isso, o trailer promocional do filme mostrou diretamente os elementos sexuais e não muito mais, o que me indica com o que eles REALMENTE se importavam, e não era a história. Assim que o filme foi lançado ao público, ficou óbvio que os trailers do filme nem mesmo arranharam a superfície do conteúdo pedofílo real.

O elenco para o filme levou 6 meses para ser concluído e mais de 700 garotas foram “testadas” para os papéis principais. A diretora Maïmouna Doucouré continua defendendo o filme, chamando-o de projeto “feminista” . Isso não é surpreendente; a natureza desequilibrada e mentalmente perturbada dos psicopatas do movimento pela justiça social se presta a todos os tipos de transtornos. O maior problema é sua paixão pelo relativismo moral e sua capacidade de racionalizar qualquer número de crimes em nome da “diversidade” ou “igualdade” ou “interseccionalidade”. Essas são palavras-chave vazias inventadas por pessoas vazias; eles não desculpam o seu mau comportamento.

Como no caso do Baby Burlesque, a pornografia infantil costuma ser mascarada como outra coisa. No caso de Cuties, a exploração infantil é mascarada como um comentário vago sobre a exploração infantil. É uma ironia cega? Não, na verdade não. Em vez disso, na minha opinião, foi muito bem planejado.

Acho interessante que as redes de pedófilos psicopatas em Hollywood parecem escolher os momentos mais instáveis ​​da história como um trampolim para introduzir a sexualização e prostituição infantil na consciência pública. Eles inundaram o mercado de entretenimento com filmes Baby Burlesque logo no início da Grande Depressão. Agora eles estão empurrando o envelope ainda mais durante a pandemia, durante os distúrbios e crise econômica hoje. Minha teoria? Eles veem a fraqueza e a incerteza generalizadas em nossa sociedade e veem isso como uma oportunidade de mudar fundamentalmente nossos limites morais.

As elites psicopatas realmente querem que vejamos filmes como Cuties e digamos “Puxa, essa coisa de pedofilia não é tão ruim quanto parece … e talvez não seja errado ser excitado por meninas de 11 anos …” Algumas pessoas estão de fato defendendo isso no YouTube agora, enquanto defendem o filme.

Resumindo: se você é excitado por meninas de 11 anos, então você é psicologicamente deficiente e deve ser separado do resto da sociedade para o bem de todos. Existem certos comportamentos que não podem e nunca devem ser adotados por nossa cultura como toleráveis. Este é um deles.

Se há algo positivo a ser obtido da obsessão do establishment elitista em nos fazer aceitar o abuso infantil como “normal”, é que eles continuam a expor os demônios que eles são, cada vez mais abertamente. Felizmente, parece que a América e grande parte do mundo rejeitaram o filme Cuties de cara, e qualquer interesse no filme parece ser devido à curiosidade mórbida sobre como tal desastre poderia ter sido produzido e distribuído. Hollywood NUNCA vai convencer o público de que não há nenhum problema no abuso infantil de crianças em sua puberdade, mas eles continuarão tentando até que sejam eliminados do mercado e da nossa sociedade.


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. – Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da BESTA; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis[666]“.  –  Apocalipse 13:16-18


Mais informações, leitura adicional:

Permite reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

phi-cosmoswww.thoth3126.com.br

2 Responses to ‘Cuties’ da Netflix: não é a primeira tentativa de Hollywood de ‘normalizar’ a pedofilia

  1. Laura

    A pergunta: “Que pais são esses que permitem que suas filhas sejam usadas dessa forma?” Talvez sejam psicopatas também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.