browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Desfile “fashion” satânico em igreja de Londres (sinais dos tempos)

Posted by on 29/10/2017

A “designer” turca Dilara Findikoglu apresentou sua coleção Primavera / Verão 2018 na London Fashion Week e não foi nada menos do que uma missa negra satânica. Na verdade, o evento ocorreu no altar da igreja de Santo André em Londres e incorporou o simbolismo pesado oculto e satânico. Em suma, o evento resumiu tudo sobre o “mundo da moda”. Enquanto Dilara Findikoglu é chamada de “rebelde do mundo Fashion”, ela está perfeitamente em linha com a “filosofia” da indústria fashion. Ela não está se rebelando, ela está fazendo exatamente o tipo de coisa que “eles (os controladores do sistema) querem” que ela faça.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

UM DESFILE DE MODA SATÂNICO ACONTECEU DENTRO DE UMA IGREJA NA FASHION WEEK DE LONDRES

Jeffrey Roberts – Fonte: http://www.collective-evolution.com/


“Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim”;  – João 14:30


Hoje, a palavra “Illuminati” é tão generalizada e associada à “conspiração” que se tornou satírica por direito próprio. No entanto, mesmo como um assunto de ridículo, a prevalência de símbolos ocultos nas mídias de massa é cada vez mais recorrente e inegável.

É tudo sobre “jogar direto na sua face”, sem rodeios, pra ver como fica, com sigil (selo) satânico, chifres, pilares maçônicos, piso xadrez, olhos de Hórus, pentagramas, vermelho e preto, as cores de satã – você os nomeia. 

Pegue esta vitrine na London Fashion Week, por exemplo. Hospedado na igreja de St. Andrew em Londres, o desfile de “vanguarda” ao ocultismo carregado de simbologia satânica foi a criação da designer turca Dilara Findikoglu.

Como você poderá ver a seguir, a exibição de figurino e vestuário de Findikoglu foi nada menos que uma ode para todas as coisas que abundam o simbolismo maçônico, ocultista e satânico, ou seja ILLUMINATI!

O (A) modelo desfilando é a artista Drag Queen Violet Chachki, nome artístico de Jason Dardo, uma rainha do mundo drag queen americana, dançarina burlesca, artista, personalidade de TV e modelo mais conhecido por ganhar a sétima temporada da RuPaul’s Drag Race

É tudo sobre  “jogar direto na sua face” pra ver como fica, com sigils satânicos, chifres, pilares maçônicos, piso xadrez, olhos de Horus, pentagramas – você os nomeia. Naturalmente, as respostas ficaram selvagens entre as comunidades dos teóricos da conspiração e movimentos anti NWO-Illuminati.

Os decodificadores do simbolismo do ocultismo bem conhecidos como no Vigilant Citizen também tinham muito a dizer sobre tudo isso chamado de fashion/moda inofensiva.

“O pano de fundo é basicamente uma bagunça, uma mistura de imagens de símbolos de inspiração maçônica. De cada lado estão os pilares gêmeos  maçônicos. Entre os pilares está a letra G (Geômetra, o arquiteto do universo) dentro de um pentagrama invertido.

Por baixo, é o olho que tudo vê dentro de um hexagrama. Modelos desfilando com chifres na cabeça. Há também o quadrado maçônico e o compasso e esquadro. Para completar, a pista de desfile era num padrão de xadrez (branco e preto, a dualidade). A seguir está uma pintura maçônica clássica para comparação”.

Eles continuam a explicar como o desfile de moda foi uma recriação do que é conhecido no ocultismo como Missa Negra:

“Historicamente, uma Missa Negra é um ritual caracterizado pela inversão da Missa Latina Tradicional celebrada pela Igreja Católica Romana e a profanação de objetos cristãos para fins de rituais satânicos. O fato de que os modelos desfilam dentro de uma Igreja, usando chifres do diabo recorda o conceito de Missa Negra”.

Arte-final maçônica e simbolismo.

A “designer” Findikoglu responde à repercussão

Em resposta à reação pública sobre suas brilhantes referências ocultas e satânicas, Findikoglu disse a Dazed Digital que seu show não tinha “nenhum significado religioso, Illuminati, [ou] de alguma sociedade secreta”. Ela explicou:

“Muitas marcas (de moda) usam símbolos semelhantes ao que eu faço, mas acho que todo os penteados e maquiagem teatral fizeram com que as pessoas pensassem que era um ritual satânico. Na verdade, todas as pessoas da igreja gostaram muito do show e acharam que foi muito bonito”.

Este vampiro “desfilando” moda tem um sigil na testa. Em seu manto parece ter um anjo caído. Lúcifer É um anjo caído.

Eles vieram pessoalmente e me agradeceram no final do show. O show que eu fiz não tem motivos religiosos, Illuminati, significados de sociedades secretas … Todos os símbolos que usei foram para fins positivos. Sou criativa e não estou tentando ofender ninguém. Eu entendo que as pessoas podem ser sensíveis, mas acho que todos esses erros de e-mail e ataques que recebo dos cristãos mostram quem realmente está errado – se existe algo certo ou errado.

As pessoas estão tão prontas para odiar-se e encontrar uma vítima para lançar negatividade pesada. Mas a religião não deve dizer que devemos espalhar o amor? Eu acho que toda essa ideia de religião é tão corrompida e este é um exemplo muito bom disso.

Um pingente que contém o Sigil (Selo) dos seguidores de Lúcifer (também conhecido como Selo de Satanás). Tradução da inscrição em latim: “Nosso deus satanás-Lúcifer. Um nome exaltado”

Quando a Diocese de Londres foi questionada sobre o show controverso sendo hospedado dentro da igreja, um porta-voz disse a Dazed que “eles não estavam cientes do conteúdo ou design antes do show”  e que “não reflete a fé cristã da Igreja . Nós estaremos olhando para o nosso processo de reserva de espaço para garantir que isso não aconteça novamente”.

O que nós podemos aprender sobre tudo isso?

É claro que existem duas formas polarizadas de olhar a exibição de “moda fashion” de Findikoglu, e para todos os símbolos ocultos apresentados, para esse assunto. Então, consideremos os dois lados.

Consideremos que todas essas alusões (já não tão) ocultas na cultura pop sejam apenas e tão somente “coincidências”. Consideremos que, “por acaso”, as pessoas encarregadas desses projetos artísticos escolheram o olho, a pirâmide, os azulejos quadrados, os pilares, o compasso, a régua, o crânio, e os ossos, os chifres, o vermelho e preto (as cores de satã) e todos os demais símbolos ocultos por simples “fascínio”. Consideremos que não há nada demais por detrás do uso desses símbolos do que nossas próprias projeções sobre-analíticas de medo, separação e ignorância.

Por outro lado, vamos considerar que não é verdade que exista algo inocente por trás do uso destes símbolos ocultos. Consideremos que um grupo de pessoas que esta no poder está influenciando e comunicando uma mensagem através dos muitos fóruns da chamada “cultura pop” e o mundinho fashion de hoje, e que somos os objetos reativos de uma agenda sombria. Para onde isso nos leva?

Isso nos leva ao ponto de reflexão que é mais importante nesta discussão.

Existe alguma influência do punk rock e algumas caveiras.

Embora saibamos que a consciência é um componente necessário da mudança, e vemos o poder desta ocorrendo agora com o desenrolar das descobertas dos anéis pedófilos da elite, do abuso sexual em Hollywood, massificação do uso de drogas cada vez mais potentes, há outro elemento que muitas vezes é ignorado no campo desses tópicos. Independentemente do lado da história em que nos posicionamos, ambos os lados atuam do mesmo modo – uma distração sobre o que realmente importa.

E o que realmente importa é que o consciente individual e coletivo retome seu poder ao invés de o entregar ao exterior – aos manipuladores, às sociedades secretas, as empresas de comunicação de massa, à Hollywood, aos políticos, aos artistas, aos esportistas, às grandes empresas corporativas – e começar a reconhecer que a mudança real começa desde o nosso INTERIOR.

É quando deixamos de olhar e de DAR IMPORTÂNCIA para o exterior e focamos nossa atenção para dentro DE NÓS MESMOS, que começamos a ver e perceber a verdade. E a verdade é que nós  temos o poder e devemos nos transformar primeiro e acima de tudo desde o nosso INTERIOR. Só temos que usar o poder para sair da mente (controlada pelo sistema, como o mundo “fashion”) e entrar em nosso próprio coração.

É uma escolha simples e poderosa, uma que devemos fazer avançar todos os dias e nesta posição continuarmos firmes (Orai e Vigiai…. diaria e constantemente). A partir daí, e só então, vamos realmente criar a onda de mudanças que o nosso mundo precisa e o mundo “fashion” e coisas que tais ficam para os NÉSCIOS..


countdown-contagem-regressiva

“É já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristospor onde sabemos que é já a última hora1 João 2:18

“Existem três coisas que não podem ser escondidas por muito tempo: a  Lua, o Sol e a VERDADE” – Sidhartha Gautama (Budha)


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

One Response to Desfile “fashion” satânico em igreja de Londres (sinais dos tempos)

  1. Silvio J. B. Maia

    Demônio solto, sai da reta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *