browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Deutsche Bank tem conexões com o pedófilo Epstein e escândalo 1MDB na Malásia

Posted by on 20/07/2019

A má semana do Deutsche Bank está só piorando. O governo dos EUA está investigando se o envolvimento do banco alemão com o rumoroso escândalo do fundo de desenvolvimento 1MDB da Malásia, violou as leis de corrupção estrangeira e/ou lavagem de dinheiro,  informou o Wall Street Journal . Esse novo fato veio depois que o The New York Times noticiou que os gerentes do Deutsche Bank rejeitaram as preocupações do pessoal de Compliance em suas negociações com Jeffrey Epstein, que está enfrentando pesadas acusações de tráfico sexual e pedofilia com garotas menores de idade, em que muita gente importante, da América e da Europa, podem estar envolvidos.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

A semana infernal do Deutsche Bank só piorou depois da descoberta de ligações do Deutsche com o pedófilo e traficante sexual de menores Jeffrey Epstein e uma investigação dos EUA sobre seu papel no escândalo do fundo de desenvolvimento 1MDB da Malásia

Por Yusuf Khan – Fonte: https://markets.businessinsider.com/

  • O Deutsche Bank está sendo investigado pelo Departamento de Justiça (DoJ) dos EUA como parte de uma investigação mais ampla do escândalo do fundo de desenvolvimento 1MDB da Malásia (1Malaysia Development Berhad) da Malásia, informou o Wall Street Journal. 
  • O New York Times também informou que a equipe de compliance do banco alemão levantou preocupações sobre seus acordos com a empresa do pedófilo Jeffrey Epstein. Eles foram anulados pelos gerentes seniores do banco.
  • Os relatórios acrescentam-se aos problemas do Deutsche Bank. O preço da ação despencou e o banco acabou de iniciar uma brutal rodada de cortes de empregos demitindo 18 mil funcionários e reestruturações.
  • Veja Markets Insider para mais histórias. 

Foram semanas difíceis em julho para o Deutsche Bank. Quando as negociações foram abertas, as ações do banco alemão caíram mais de 1% e continuam a cair diariamente.

Depois de iniciar uma brutal rodada de cortes que eliminou 18.000 empregos no início da semana passada, o Deutsche Bank foi criticado por despedir executivos seniores com ‘pára-quedas de ouro’ e a queda dos preços de ações de traders que pensam que o banco não foi longe o bastante em seu plano de reestruturação.

Somando-se as dores de cabeça para o maior banco da Alemanha: um punhado de escândalos no ano passado, inclusive com seus escritórios invadidos, seu suposto envolvimento no desastre da lavagem de dinheiro do Banco Danske, e nova atenção em cerca de US$ 2 bilhões em empréstimos para as empresas de… Donald Trump.

Este é um vídeo do Miami Herald sobre uma vítima de Epstein:

Investigadores do Deparmento (DoJ) de Justiça dos EUA, que investigaram as negociações lucrativas do Goldman Sach com o fundo da Malásia, conhecido como fundo de desenvolvimento 1MDB da Malásia, também estão investigando mais profundamente um novo elo de um ex-executivo do Goldman que mais tarde trabalhou no Deutsche Bank. publicou o Wall Street Journal (WSJ) na quinta-feira.

Até agora, o funcionário ainda não foi nomeado e identificado pelas autoridades dos EUA e ainda não acusou nem o Deutsche de nenhum delito. O Times informou que os responsáveis ​​pela Compliance (conformidade às normas) do Deutsche levantaram preocupações sobre as transações com a empresa de Jeffrey Epstein, dizendo que ele representava um risco de reputação para o banco. 

EUA Investigando as Relações do Deutsche Bank com o escândalo do Fundo de desenvolvimento 1MDB da Malásia. DoJ esta analisando se o banco alemão violou a lei de corrupção estrangeira ou as leis contra lavagem de dinheiro: (Wall Street Journal vídeo)

Os gerentes do Deutsche Bank superaram suas preocupações, disse o Times, observando que não havia nada de ilegal nas transações e que Epstein era um cliente lucrativo. Mas apesar destas alegações, no início deste ano, o banco encerrou seu relacionamento com a Epstein, bem antes do escândalo de pedofilia e abuso sexual com menores ser reaberto ao mesmo tempo que iniciava o pior período para o Deutsche Bank, ironicamente. 

O Deutsche Bank se recusou a comentar sobre a questão de seu relacionamento com Jeffrey Epstein para a Business Insider. Sobre o escândalo do fundo 1MDB da Malásia, o banco disse: “O Deutsche Bank cooperou totalmente com todas as agências reguladoras e de aplicação da lei que fizeram investigações relacionadas ao 1MDB”.

O inquérito dos EUA tem como objetivo determinar se o Deutsche violou a lei de corrupção estrangeira ou as leis de combate à lavagem de dinheiro, uma vez que o Deutsche Bank ajudou o Fundo de desenvolvimento 1MDB da Malásia a levantar US$ 1,2 bilhão há cinco anos, de acordo com o Wall Street Journal .

Outro ex-funcionário do gigante de Wall Street, Goldman SachsTim Leissner, que se declarou culpado no ano passado por ajudar a extrair bilhões de dólares do fundo, tem ajudado as autoridades norte-americanas na investigação do maior escândalo de corrupçõ da história da Malásia. O Fundo de desenvolvimento 1MDB da Malásia começou como um plano do governo da Malásia para financiar projetos de infraestrutura no país, mas supostamente se transformou em uma fraude gigantesca de mais de US$ 3 bilhões. 

É um dos maiores escândalos financeiros da história, derrubando o então primeiro-ministro da Malásia. O principal suspeito – Jho Low – está em fuga, e o ‘vampiro’ de Wall Street, ops o Goldman Sachs tem sido criticado por suas ligações com o fundo da Malásia.  O escândalo conseguiu envolver o ator Leonardo DiCaprio e a modelo Miranda Kerr, entre outros.

As investigações do escândalo foram principalmente focadas nos US$ 6 bilhões do fundo arrecadado em 2012 e 2013, usando a ajuda do Goldman Sachs. O banco naquela ocasião conseguiu ganhar US$ 600 milhões em taxas, (exorbitantes 10% do valor arrecadado) segundo a Bloomberg.

O pedófilo e abusador sexual Jeffrey Epstein se declarou inocente das acusações apresentadas esta semana em audiência para tentar valor de fiança para obter sua liberdade, no que foi negado pelo juiz, que o manteve atrás das grades. O Goldman Sachs negou irregularidades no caso do Fundo de desenvolvimento 1MDB da Malásia, dizendo ao Business Insider no passado que está cooperando com as investigações do rumoroso escândalo.  


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL): “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. 

Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle Mental. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Muito mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.b

2 Responses to Deutsche Bank tem conexões com o pedófilo Epstein e escândalo 1MDB na Malásia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.