Dezenove estados dos EUA iniciam investigações sobre a BlackRock e Vanguard por abraçarem a ‘Tirania Verde’

Esforços nefastos de dois dos maiores gestores de fundos e ativos do mundo para forçar a América a adotar a “Energia Verde” e o abrangente esquema ‘acordado, ‘inclusivo’ ESG (ambiental, social e de governança) enfrentam oposição de 19 estados americanos que estão iniciando investigações sobre as suas operações.

Dezenove estados dos EUA iniciam investigações sobre a BlackRock e Vanguard por abraçarem a ‘Tirania Verde’

Fonte: Natural News

A BlackRock e a Vanguard [controladas pelos khazares Rotschild], que juntas controlam uma parte considerável da riqueza mundial, são alvos dos republicanos da Câmara que querem saber: alguma delas, ou ambas, está violando a lei antitruste com sua imposição de investimentos ESG? (Relacionado: BlackRock e Vanguard são donos da mídia e da Big Pharma)

A Vanguard recentemente desistiu da chamada iniciativa Net Zero Asset Managers (NZAM), que é um passo na direção certa. No entanto, tanto ela quanto a BlackRock ainda investem fortemente em iniciativas de ‘mudança climática’ que ameaçam a liberdade dos americanos comuns de viver suas vidas sem a constante opressão dos psicopatas das ‘mudanças climáticas’.

Os republicanos da Câmara enviaram recentemente uma carta aos executivos do Comitê Diretor para a Ação Climática 100+ exigindo todos os documentos pertencentes à rede de influência do NZAM. Os seguintes estados também tomaram suas próprias medidas individuais:

• Em agosto, o procurador-geral do Arizona, Mark Brnovich, liderou uma coalizão de 19 estados para alertar a BlackRock sobre possíveis violações antitruste associadas à sua pressão sobre empresas para a adoção em massa dos padrões ESG.

• A Flórida retirou US$ 2 bilhões em um desinvestimento anti-ESG da BlackRock junto com um anúncio do CFO do estado de que o plano é se desfazer totalmente da administração da BlackRock dos fundos do estado no início de 2023.

• O Texas intimou recentemente a BlackRock para documentos pertencentes à agenda ESG porque acredita-se que a empresa está “usando o dinheiro dos texanos para forçar uma agenda política estreita”.

 A Louisiana fez quase o mesmo que a Flórida, retirando US$ 794 milhões da BlackRock por causa do escândalo ESG.

• Missouri recentemente “vendeu todas as ações públicas administradas pela BlackRock, Inc., retirando aproximadamente US$ 500 milhões em fundos de pensão do fundo de investimentos” sobre a agenda ESG.

• Utah também retirou US$ 100 milhões em fundos da BlackRock.

• West Virginia e Arkansas também sacaram seus fundos da BlackRock por razões semelhantes.

Se o seu dinheiro estiver em um fundo vinculado ao NZAM e você não apoiar o extremismo climático, convém fazer uma mudança de administrador

No momento em que este livro foi escrito, a Vanguard não faz mais parte da NZAM, mas a BlackRock ainda faz, daí todos esses movimentos dos estados liderados pelos republicanos para punir o maior gestor de ativos do mundo. Outras grandes instituições financeiras que fazem parte do NZAM incluem Fidelity Investments, State Street Global Advisors, Morgan Stanley e JPMorgan Chase.

Também são signatários do NZAM:

• Gerenciamento de Ativos Brookfield

• Coutts & Co.

• Rockefeller Asset Management

• Rothschild & Co Asset Management Europa

• Royal London Asset Management

O objetivo declarado do NZAM é aproximar as empresas do portfólio da eliminação de todas as “emissões líquidas de carbono” até o ano de 2050 ou antes. A Vanguard diz que sua decisão de se retirar dessa agenda depende de seu desejo de “fornecer a clareza que nossos investidores desejam sobre o papel dos fundos de índice e sobre como pensamos sobre riscos materiais, incluindo riscos relacionados ao clima”.

A medida também ocorreu depois que vários procuradores-gerais apresentaram moções à Comissão Federal de Regulamentação de Energia para impedir que a Vanguard comprasse ações de empresas de serviços públicos de capital aberto devido a preocupações de que sua agenda climática pudesse aumentar ainda mais os preços da energia e diminuir a confiabilidade da rede.

“A Vanguard percebeu que todo o seu modelo de negócios poderia estar em jogo se não parasse de se coordenar com outros membros para aumentar os custos de energia”, anunciou Will Hild, diretor executivo de pesquisa de consumidores, cuja organização também apresentou uma moção semelhante à mesma agência.

“Demos um duro golpe na agenda ESG anticonsumidor e vamos continuar lutando até que esses gestores de ativos e bancos voltem a cumprir seus deveres fiduciários e parem de fazer política e impor agendas ao mercado com o dinheiro de outras pessoas.”

Mais notícias sobre os golpes conhecidos como “mudança climática”, “energia verde”, “Great Reset”, “emissão zero”, “aquecimento global”, et caterva, podem ser encontradas em Climate.news .

Saiba mais:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.326 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth