Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Divisão da Linha do Tempo-Realidade, Frequências e as Forças Ocultas da Vida (8)

O objetivo de longo prazo de introduzir constantemente “novos aplicativos divertidos” no mainstream é tornar as pessoas ainda mais zumbis, reativas, controladas, centradas no ego/intelecto e viciadas em tecnologia externa mais do que já estão… é um método eficiente de programação oculta de controle mental e comportamental, transformando as pessoas em robôs-zumbis por sua própria vontade (manipulados), preparando-as para aceitar (e se viciar) em mais “avanços” tecnológicos que influenciarão suas emoções, comportamentos, escolhas atitudes e ações à medida que se tornam cada vez mais semelhantes a máquinas: conformados bovinamente, programados, influenciáveis e previsíveis.

Divisão da Linha do Tempo-Realidade, Frequências e as Forças Ocultas da Vida (7)

Fonte: VeilofReality.comPor Bernhard Guenther (as sentenças entre colchetes [ ] são do tradutor)

Tópicos:

  • A armadilha de combater o mal
  • O futuro não está definido em pedra

A armadilha de combater o mal

Toda esta noção de combater o mal e tentar salvar o mundo baseia-se numa concepção errada do que realmente é o “mal” e de como funciona dentro da dualidade da Luz e das trevas.

Ninguém é “melhor” ou “pior” que os outros – todos são únicos e são essencialmente uma expressão fractal da Consciência Divina/Deus/Fonte ou como vocês quiserem chamar de Totalidade Unificada da Totalidade. Cada ser tem seus próprios talentos, lições e carma – não há nada aqui que não deveria estar aqui. Até mesmo os psicopatas e os seres hiperdimensionais têm seus papéis a desempenhar neste drama cósmico (ou ilusão, dependendo do seu ponto de vista), criando o atrito necessário e contrastante para a evolução da consciência.

Também não se trata de negar o “mal”, mas de compreender o seu papel no quadro geral. Parte do nosso trabalho é discernir e tornar consciente a escuridão, tanto dentro como fora; não viver numa bolha, nem usar verdades superiores generalizadas como “somos todos um” ou “tudo é ilusão” como desculpa para a inacção.

No entanto, não há nada de “errado” com a realidade. Tudo e todos têm o seu lugar neste jogo de evolução da consciência e expressão do eu “Deus”. A frequência do Mal (às vezes chamada de ‘vírus wetiko‘ e expressa em termos socioculturais como ‘ponerologia’) e os psicopatas têm o seu lugar e seu próprio propósito na trajetória de nosso arco evolutivo consciente. Ele tem seu próprio “direito” de livre arbítrio de existir como parte da criação. Tudo se resume a encontrar nosso próprio “ambiente” único dentro de tudo isso; ter discernimento e escolher conscientemente, e entender com o que realmente estamos nos alinhando, já que todos somos transdutores de energias superiores.

A realidade abrangente é que a humanidade nunca conseguirá erradicar ou remover completamente o “mal” da nossa consciência mundana, nem todos serão capazes de experimentar a “reabilitação”. Mas embora reconheçamos estes fatos, pode haver uma maneira diferente de procurar mitigar o impacto do mal nas nossas sociedades – e a chave neste esforço envolve a compreensão da frequência/vibração e como isto se relaciona com a realidade, a fim de transcender a Matrix.

Existem predadores/psicopatas que são predadores por escolha própria – eles têm seu próprio propósito nesta encarnação e não podem ser mudados. Portanto, compreender o “mal” e a escuridão no jogo cósmico da humanidade (com todo o discernimento que isso requer) é um componente crucial, em oposição a negá-lo, fugir dele, tentar livrar-se dele ou tentar combatê-lo em um ambiente de nível puramente 3D.

Se acreditarmos que o “mal” pode e deve ser erradicado, ou que precisamos “salvar o mundo” combatendo-o num nível puramente 3D – ou mesmo negar a possibilidade do mal e acreditar que ele não existe – então iremos permanecer não apenas ignorantes em relação a todo o propósito deste milagre chamado vida na Terra e a evolução da consciência, mas também estaremos sendo manipulados para nos alinharmos [sermos controlados] com a agenda negativa do Reino.

“Nas dimensões mais elevadas, o nome do jogo é Consciência. Isto significa simplesmente que as dimensões mais elevadas de existência, sejam elas de orientação positiva ou negativa, reconhecem que o negócio de todo ser e existência em todos os lugares é sempre o da Consciência… tornar-se cada vez mais “Consciente”. A consciência está relacionada à “densidade” da consciência, por assim dizer.

A maneira STS (Serviço a Si Mesmo) de alcançar a “densidade de consciência” é “ganhar peso” através da assimilação de outras unidades de consciência. Isso geralmente é promovido como “Tudo é Um” e refere-se ao “mal” como uma “rebelião” ou uma falha ou algo que acabará sendo “eliminado”.

O STO (o Serviço aos Outros), por outro lado, vê o como “ganhar peso” de uma forma diferente. Vê que o reconhecimento da consciência do “outro eu” como igual à sua própria consciência, apesar da manifestação completamente diferente desse ser, é o caminho para “ligar em rede” a consciência de modo que o Todo seja maior do que a soma das peças.

A diferença é que os rapazes da STO reconhecem a consciência como sendo uma atividade “integrativa” de rede mútua e interdependência porque vêem todos os outros como eu, mesmo que sejam diferentes, e portanto procuram ajudar e assistir porque o outro É o eu de uma forma absoluta, no sentido interno. Desta forma, a Consciência Absoluta, ou Deus, é “glorificado” por uma maravilhosa diversidade de seres, se você quiser colocar nesses termos.

Os caras negativos, por outro lado, jogam o jogo em termos de dominação, subjugação e absorção de outras consciências em “Um”. Mas, eles também compreendem que as regras do jogo postulam que, para que possam verdadeiramente “absorver” no seu ser estas outras “consciências”, o “outro” deve escolher tornar-se parte do seu “auto engrandecimento”.

Um “alimento” relutante não é, em essência, “nutritivo”, por assim dizer. Se a consciência não escolher, torna-se um “veneno” para a consciência que procura “comê-lo”. E então eles devem promover a “Unidade” de uma forma muito particular.

[…]Um ponto importante aqui é: esta consciência Negativa[STS} surge da “auto-visão” no instante da criação e é, portanto, uma parte integrante da criação. Então, o resultado final é: esta outra “parte” do Todo, nascida junto com o surgimento Criativo, concentra-se em atualizar o seu próprio impulso – desfazer a criação – pois percebe que só então poderá estar em “Paz”. […]Assim, vemos que os esforços para “salvar o mundo” através da “punição dos ímpios”, ou da “conversão à luz” ou da “espiritualização da matéria com amor”, são todos expressões do princípio fundamental do desejo de DESFAZER A CRIAÇÃO; para MATAR DEUS! Através da ideia de que “mal/escuridão” é uma rebelião, uma falha, uma coisa a ser eliminada, é introduzida a “reviravolta” que estabelece as bases para a dominação e absorção. E, porque este “estado de consciência” ocorre em conjunto com, e precisamente por causa do potencial Criativo, ou OUTRO, e é, de fato, identificado através desse fator, ele não pode ser “eliminado” e apenas “voltar a dormir”. sem que TODOS retornem ao UM.

A única maneira de alcançar esse recolhimento narcísico ideal em si mesmo na Autocontemplação infinita é através da recuperação de toda a Atenção e consciência que é, na verdade, “emprestada contra” a magnitude inconcebível da Consciência no Sono Cósmico.

A escuridão torna-se, na verdade, um insone incurável!

A consciência do STS/Escuridão sente que deve rasgar o tecido criativo da existência, libertando assim aquelas unidades de energia envolvidas nas funções criativas, e “engoli-las” de volta para si, apagando as suas propriedades e poderes diferenciais, de modo a restaurar o UM..

No entanto, isto não é claramente visto nas dimensões mais baixas até que as máscaras sejam retiradas. As implicações mais profundas disto estão escondidas por muitos véus…

É apenas nos níveis mais baixos da estrutura de poder que muitos ainda acreditam que estão a desempenhando os papéis básicos de “antagonismo” e “auto proteção”. Eles acreditam que “enviar amor e luz” aos “necessitados” é apropriado, sem perceber que esta atividade se baseia em uma crença profunda de que há algo errado, no erro, na rebelião, e assim torna-se novamente, “nós contra eles.”… E mesmo os participantes da 4ª e 5ª dimensões não compreendem necessariamente esta dissolução final.

Uma espécie de “Devorador de Luz Supremo” pregando o evangelho da Devolução como ‘Salvação’”.

– Michael Topper, Os reinos positivos/negativos das densidades mais alta

O futuro não está definido em pedra

À medida que as energias planetárias aumentam cada vez mais, as pessoas ficam terrivelmente inseguras sobre o futuro. Com várias figuras de proa dos meios de comunicação alternativos a fazer todo o tipo de previsões – desde o colapso económico, a iminente Terceira Guerra Mundial, a guerra nuclear, os cataclismas, os bombardeamentos de cometas, a lei marcial e o despovoamento; para um despertar em massa, “derrota da cabala”, Primeiro Contato, divulgação de OVNIs, união com nossos “irmãos do espaço”, energia livre, etc., …e vários outros cenários que supostamente acontecerão “em breve”, alguns deles até mesmo em uma data específica (e na verdade deveriam ter acontecido há muitos anos, de acordo com previsões anteriores, especialmente por volta do ano 2012) – também estamos sendo enganados pela ilusão do tempo linear 3D.

Pessoalmente, ouvi repetidamente todas estas previsões (“positivas” e “negativas”) nos últimos 20 anos. Houve um tempo em que acreditei em algumas delas, ficando preso em projeções futuras baseadas no medo ou na esperança equivocada (há uma razão pela qual os políticos usam o slogan “Esperança em que podemos acreditar”). Na realidade, eles só fizeram uma coisa comigo: distrair-me da minha própria orientação interior, da minha intuição corporal e do meu próprio processo de emancipação e incorporação que me permitiria SER verdadeiramente a mudança.

Nossa mente pode criar todos os tipos de cenários e projeções do tipo “e se”, mas está presa no tempo linear e não pode prever o futuro em detalhes, muito menos mapear o propósito único de nossa alma, as lições que precisamos aprender e os talentos que estamos aqui para desenvolver como indivíduos encarnados durante este Tempo de Transição. O medo é literalmente uma ilusão, enraizada no medo da morte e decorrente da identificação do ego e tem como base “real” a ignorância. O perigo pode ser real, mas o medo é, em última análise, uma escolha.

Quanto mais você está preocupado com os possíveis resultados futuros, mais você vive apenas a partir da sua cabeça e desconectado do seu corpo – desapegado da essencialidade do presente, da natureza e do seu divino interior, e do seu sistema de orientação interno que é ESPECÍFICO para você – e, portanto, mais vulnerável você será a ser manipulado por meio de injeções/interferências hiperdimensionais.

A maioria das pessoas que fazem ou se entregam a este tipo de previsões não estão integradas, não estão envolvidas em qualquer trabalho sincero; eles carecem de inteligência emocional e são superficiais, principalmente engajados na projeção de sombras. Alguns deles tendem a ganhar uma boa vida com o fomento do medo ou com promessas de um salvador. No final das contas, todo esse “negócio” de previsão só funciona a favor da Matrix de Controle, porque eles consomem a frequência que você emite com todas as suas preocupações e medos, ou mesmo esperanças carregadas de emoção baseadas em mentiras. Ambos fazem a mesma coisa: tiram o seu próprio poder inerente de ser um co-criador em alinhamento com a Vontade Divina – um participante ativo no seu próprio processo de emancipação.

Na verdade, já não presto muita atenção à política global 3D, nem acompanho quaisquer sites de notícias alternativos ou as últimas mensagens “canalizadas”, ou os mais recentes “denunciantes” que revelam os “segredos dos Illuminati”. Ainda mantenho um “olho” em algumas delas, mas não invisto, nem sinto a necessidade de descobrir cada bandeira falsa óbvia (ou qualquer outro evento no cenário global) em grande detalhe. O fio invisível que liga todos eles tornou-se demasiado óbvio.

Nos últimos anos, comecei a vivenciar cada vez mais a vida e a “realidade” em um nível diferente que é difícil até mesmo de colocar em palavras. Estou cada vez mais fundamentado no momento presente, despreocupado com o passado ou o futuro. De forma alguma afirmo ter “despertado” completamente, muito menos alcançado um estado real de existência “iluminada”, mas ocorreram mudanças internas dentro de mim – que refletem minha realidade “externa” – que são inegáveis ​​(resultando em uma mudança exponencial e o aumento das sincronicidades). Também há mais alegria e simplesmente contentamento e gratidão em meu coração, estou me sentindo muito ancorado e muito conectado com a natureza. No entanto, o meu processo pessoal de emancipação e incorporação continua, e há sempre mais lições a aprender.

Não tomo decisões de cabeça (ou por meio de um processo de pensamento) como antes, mas, em vez disso, elas surgem ouvindo cada vez mais minha orientação interior e minha intuição. Há também uma confiança mais profunda na vida e no “universo”, de que estou sendo “cuidado” e “apoiado”, uma sensação mais clara de ser apenas um recipiente para o Divino que está fazendo seu trabalho através de mim (e de todos os outros de nós) e com a qual me alinho humildemente com o melhor de minhas habilidades atuais. Ainda tenho dias em que fico preso na cabeça, me desconecto ou fico preso em um ciclo de pensamento, mas não chega nem perto do estado de Ser que eu tinha alguns anos atrás.

Eu também sinto (e sinto, em um nível cada vez mais incorporado) a divisão Linha do Tempo-Realidade movendo-se com força total. Vejo isso no meu entorno imediato e também na vida de outras pessoas: separações, colapsos, avanços, etc. Vemos isso no cenário mundial: pessoas parcialmente despertando, parcialmente se desintegrando; alguns tomam a pílula vermelha, outros a pílula azul, e alguns deles confundem a pílula azul com a pílula vermelha… mas não há julgamento sobre nenhuma das escolhas.

Tanta coisa está acontecendo ao mesmo tempo, que não podemos compreender racionalmente através da mente. À medida que as coisas aceleram, é importante desacelerar, mergulhar em seu intestino/tigela pélvica, estar presente no que É, e o universo, a natureza e o Divino se abrirão para você de maneiras que você não pode compreender intelectualmente, e de maneiras você nunca poderia ter “previsto”.

Seja o primeiro. Então faça. Fique em alinhamento. Abrace o mistério do desconhecido e aproveite o passeio. É para isso que você se inscreveu.

Adicionado: Alguém submeteu minha redação a um programa de “texto para fala”. Aparentemente, leva 2 horas e 19 minutos para lê-lo do início ao fim:


“Precisamos do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”


“A sabedoria (Sophia) clama lá fora; pelas ruas levanta a sua voz. Nas esquinas movimentadas ela brada; nas entradas das portas e nas cidades profere as suas palavras:  Até quando vocês, inexperientes, irão contentar-se com a sua inexperiência? Vocês, zombadores, até quando terão prazer na zombaria? E vocês, tolos, até quando desprezarão o conhecimento? Atentai para a minha repreensão; pois eis que vos derramarei abundantemente do meu espírito e vos farei saber as minhas palavras [o conhecimento]”. – Provérbios 1:20-23


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *