browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Doença Rara se espalha na Europa. OMS convoca Reunião de Emergência

Posted by on 21/05/2022

As autoridades de saúde da Espanha emitiram um alerta sobre um possível surto de Varíola dos Macacos [Monkeypox]uma infecção viral rara e incurável – em Madri. O alerta espanhol segue surtos semelhantes no Reino Unido e em Portugal, e todos os pacientes espanhóis são homens gays. Ministério da Saúde da Espanha emitiu alerta às autoridades regionais de saúde, depois que autoridades de saúde de Madri registraram oito casos suspeitos de Varíola dos Macacos. As amostras foram enviadas ao Centro Nacional de Microbiologia da Espanha para um diagnóstico definitivo. 

Doença Rara se espalha na Europa. OMS convoca Reunião de Emergência

Fonte: Rússia Today

“De um modo geral, a Varíola dos Macacos [Monkeypox] é transmitida por transmissão respiratória, mas as características dos oito casos suspeitos apontam para contato com fluidos corporais”, disse um porta-voz do departamento regional de saúde de Madri ao Guardian . 

“Os oito casos suspeitos em Madri estão entre homens que fazem sexo com homens. Eles estão bem, mas esta doença pode exigir tratamento hospitalar”.

Monkeypox é semelhante à varíola humana, que foi erradicada em 1980, e pode ser confundida com varicela. Seus sintomas iniciais incluem febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, linfonodos inchados, calafrios e exaustão. Uma erupção geralmente começa no rosto e depois se espalha para outras partes do corpo.

Não há cura para a varíola dos macacos, embora a maioria dos pacientes apresente sintomas leves e se recupere dentro de algumas semanas.

O surto espanhol segue grupos semelhantes de infecção no Reino Unido e em Portugal. Cerca de 20 casos suspeitos de varíola foram descobertos entre jovens do sexo masculino perto de Lisboa esta semana, enquanto um surto semelhante no Reino Unido foi notado pela primeira vez no início deste mês. Na segunda-feira, a Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido (UKHSA) havia  confirmado  sete casos de varíola, com os quatro casos mais recentes envolvendo homens gays ou bissexuais. 

Até agora, 87 casos foram confirmados em todo o mundo e 57 estão sob investigação, segundo a Organização Mundial da Saúde. Na sexta-feira, Israel se tornou o 13º país a relatar um caso suspeito.

Monkeypox é endêmica em partes da África Ocidental e Central, onde pode ser capturada de animais selvagens infectados, como ratos, camundongos e esquilos. O primeiro caso do Reino Unido envolveu um paciente com “um histórico recente de viagens da Nigéria”, de acordo com o UKHSA.

OMS convoca reunião de emergência sobre surto de doenças raras.

Órgão internacional de vigilância da saúde convoca especialistas para discutir a rápida disseminação da Varíola dos Macacos [Monkeypox], relata o Telegraph

A mais recente disseminação do vírus da varíola dos macacos levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a convocar uma reunião de emergência, informou o jornal britânico Telegraph na sexta-feira. A doença, que normalmente está confinada a áreas florestais da África Ocidental e Central, vem se espalhando rapidamente em vários países europeus, bem como nos EUA e na Austrália desde o início de maio.

De acordo com o relatório, no alto da agenda da reunião estão os mecanismos por trás da transmissão do vírus e as possíveis estratégias de vacinação. O Dr. Mike Ryan, Diretor Executivo do Programa de Emergências de Saúde da OMS, está participando da discussão. O jornal afirma que a OMS está analisando se as vacinas contra a varíola podem ser usadas efetivamente para combater a propagação da Varíola dos Macacos [Monkeypox].

Enquanto isso, o governo do Reino Unido já encomendou estoques adicionais da vacina contra a varíola, que está sendo administrada a pessoas que podem ter sido expostas à doença, informou o Telegraph. Além das 5.000 doses que as autoridades britânicas têm em mãos no momento, um pedido foi feito para mais 20.000 injeções, de acordo com o relatório.

O secretário de Saúde do Reino Unido, Sajid Javid, disse na sexta-feira que mais 11 casos de varíola foram identificados, dobrando o número de infecções conhecidas no país. A reportagem do jornal diz que pelo menos seis dos casos confirmados no Reino Unido foram detectados entre homens homossexuais ou bissexuais. A Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido (UKHSA), no entanto, esclareceu que a maioria dos casos não está relacionada entre si.

As autoridades acreditam que o primeiro indivíduo a testar positivo para a doença na Grã-Bretanha retornou recentemente da Nigéria, afirma o jornal. Na sexta-feira, a Alemanha também confirmou seu primeiro caso de varíola, assim como a França, elevando para onze o número de países que lidam com o vírus fora das regiões africanas nas quais é endêmico, incluindo Austrália, Bélgica, Canadá, Itália, Portugal, Espanha, Suécia e os EUA. [Na sexta-feira , Israel se tornou o 13º país a relatar um caso suspeito.]

As autoridades francesas revelaram que a primeira pessoa infectada ali é um homem de 29 anos sem histórico recente de viagens para áreas onde é tradicionalmente associado. Em Portugal, cinco casos de varíola foram confirmados na área de Lisboa, com mais 15 atualmente sob investigação. Na vizinha Espanha, 23 pessoas estão sendo observadas por temores de que possam ter contraído o vírus. A Suécia e a Itália também registraram um caso cada.

Um caso de varíola foi confirmado em Munique, na Alemanha . 
O ministro da Saúde da Baviera, Klaus Holetschek, apontou isso na sexta-feira. O paciente vem do BRASIL e já está isolado na Clínica Schwabing de Munique.

Fora da Europa, a Austrália relatou na sexta-feira o primeiro caso de varíola em Melbourne em um homem que viajou recentemente para o Reino Unido, com outro caso suspeito sendo investigado atualmente em Sydney. Na quinta-feira, as autoridades de saúde canadenses confirmaram os dois primeiros casos da doença no país, enquanto mais 17 infecções suspeitas estavam sendo investigadas na província de Quebec.

A Agência de Saúde Pública do Canadá (PHAC) divulgou um comunicado, dizendo que o país nunca havia enfrentado essa doença viral.

Na quarta-feira, um único caso de varíola foi confirmado no estado americano de Massachusetts. O departamento de saúde local disse que o homem viajou recentemente para o Canadá. As autoridades garantiram ao público que estavam tomando medidas para rastrear os contatos da pessoa infectada.  De acordo com um comunicado oficial, o referido caso “não representa risco para a população, estando o indivíduo hospitalizado e em boas condições”.

A Varíola dos Macacos [Monkeypox] é tipicamente espalhada por animais selvagens em certas áreas tropicais da África; no entanto, também é capaz de transmitir de animais para humanos. Ainda não se sabe quais espécies são o reservatório natural da varíola dos macacos, com a OMS supondo que poderiam ser roedores.

“O contato com animais vivos e mortos por meio da caça e do consumo de caça selvagem ou carne de caça são fatores de risco conhecidos”, alertou a OMS.

O período de incubação pode ser em qualquer lugar entre seis e 21 dias. A doença se manifesta inicialmente com febre, dor de cabeça, dores no corpo e exaustão. Os pacientes também costumam desenvolver uma erupção cutânea, geralmente aparecendo primeiro no rosto e depois se espalhando para outras partes do corpo e formando crostas.

Surtos ocorreram regularmente desde a década de 1970 na República Democrática do Congo (RDC) e na Nigéria, mas geralmente permaneceram confinados a essas áreas. Em uma nota mais positiva, o vírus não é conhecido por se espalhar facilmente entre as pessoas, com o risco para o público em geral considerado bastante baixo.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

One Response to Doença Rara se espalha na Europa. OMS convoca Reunião de Emergência

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.