Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Enorme Ejeção de Massa Coronal do Sol pode impactar a Terra e causar Apagões na Estrutura Tecnológica

Uma enorme ejeção solar de massa coronal [EMC] “canibal” impactará a Terra à partir desta terça-feira (18), segundo previsão da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês). De acordo com o portal Spaceweather, no dia 14 de julho ocorreu uma intensa e duradoura EMC, seguida de outra ejeção de massa coronal mais rápida, que ocorreu no dia seguinte.

Enorme Ejeção de Massa Coronal do Sol pode impactar a Terra e causar Apagões na Estrutura Tecnológica

Fontes: Spaceweather – Sputnik

UMA EXPLOSÃO SIGNIFICATIVA NO SOL (Ejeção de Massa Coronal): Estávamos esperando por isso. A grande mancha solar AR3363 acabou de produzir uma erupção solar significativa, um evento de classe M6 de longa duração durante as primeiras horas de 18 de julho. O Solar Dynamics Observatory da NASA registrou a explosão perto do lado sudoeste do sol:

Grande mancha solar AR3363 acabou de produzir uma erupção solar significativa, um
evento de classe M6

Observação de tempestades geomagnéticas: Tempestades geomagnéticas intermitentes de classe G1 são possíveis nos próximos 2 dias, pois o campo magnético da Terra reverbera de uma série de impactos CME e quase acidentes desde 16 de julho. As tempestades podem se intensificar para a categoria G2 ou G3 em 20 de julho, quando chegar a energia de uma nova e mais potente CME solar.

Prótons energéticos acelerados pela explosão atingiram a Terra e agora estão salpicando o topo da atmosfera do nosso planeta. Isso é chamado de “tempestade de radiação”. Segundo dados do satélite GOES-16 da NOAA, trata-se de um evento de categoria S2 .

Embora a explosão não fosse classe X, era mais poderosa do que muitos X-flares seriam. Por que? Porque durou tanto. A saída de raios-X do flare ficou acima de M5 por mais de uma hora e acima de M1 por quase 4 horas. Teve muito tempo para levantar um CME substancial da atmosfera do sol.

De fato, os coronógrafos da sonda SOHO detectaram uma explosão de CME brilhante emergindo do local do sol:

Embora o CME não esteja indo atingir frontal e diretamente a Terra, parece ter um componente direcionado para a Terra. Um modelo da NASA sugere que poderia desferir um golpe de raspão efetivo já em 20 de julho (00:00 UT). A agência NOAA está fazendo sua própria modelagem e os resultados devem estar disponíveis em breve. Nossa previsão preliminar: o flanco do CME chegará à Terra em 20 de julho. Seu impacto pode desencadear tempestades geomagnéticas de classe G1 a G2 , com uma pequena chance de G3 . 

Sendo assim, a NOAA prevê que a segunda EMC “varrerá” a primeira, formando uma EMC “canibal, que alcançará nosso planeta nas próximas horas, cujo impacto poderia provocar tempestades geomagnéticas de intensidade G1 e G2.

As EMC são grandes nuvens de rápido movimento de [intensa energia] plasma magnetizado e radiação solar, que ocasionalmente são lançadas ao espaço junto com as erupções solares, ou seja, são explosões potentes na superfície solar desencadeadas quando os ciclos de plasma em forma de ferradura, localizados perto das manchas solares, são partidos pela metade em uma cinta elástica ao ser demasiado esticado.

Caso impacte a Terra, tempestades geomagnéticas capazes de provocar apagões parciais de rádio e sistemas tecnológicos de comunição, como GPS, e de produzir visualizações de auroras vibrantes mais distantes em direção ao hemisfério sul, poderão ser produzidas.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *