Espiões dos EUA estão ‘Convencidos’ de que Ataque de Retaliação do Irã contra Israel é iminente

A inteligência dos EUA (CIA) está “convencida” de que o Irã está preparando um ataque de retaliação contra Israel pelo ataque judeu de segunda-feira ao complexo da embaixada iraniana na Síria, disseram autoridades dos EUA à CBS News , e que pode ser iminente. As “autoridades” dizem que os EUA “obtiveram informações de que o Irã está planejando um ataque retaliatório que incluiria um enxame de drones e mísseis de cruzeiro Shaheed.

As autoridades [marionetes dos judeus khazares] dizem que o momento e o alvo são desconhecidos, mas uma resposta proporcional ao ataque em Damasco seria atingir uma instalação diplomática israelense no exterior.”

Quanto ao possível momento, eles acreditam que ocorrerá entre agora e o final do Ramadã na próxima semana. Israel já emitiu avisos firmes de que qualquer ataque direto a partir de solo iraniano terá uma  resposta “mais forte” [se os EUA fornecerem armas e munições, claro], levando o conflito ao próximo nível.

A CBS relata ainda que “Um funeral público foi realizado em Teerã na sexta-feira para os sete membros do IRGC mortos no suposto ataque israelense a embaixada do Irã em Damasco, incluindo dois generais.” Um analista agressivo do Middle East Institute, Jason Brodsky, observou o seguinte nesta sexta-feira :

Há relatos de que o regime do Irã poderá estar planejando atingir um complexo diplomático de Israel num terceiro país através de drones e mísseis. Israel mantém embaixadas no Bahrein; Emirados Árabes Unidos; Jordânia; Egito; Azerbaijão; & Peru. Eu ficaria de olho na Jordânia.

Este é um cenário que os líderes iranianos e regionais podem considerar “proporcional”. A ideia de um Estado soberano atacar intencionalmente a embaixada ou consulado de outro país era inédita antes do ataque de Israel às instalações iranianas em Damasco, na segunda-feira .

Israel, no entanto, tentou alegar à comunidade internacional – que em geral e em uníssono condenou o ataque às embaixadas do Irã – que o que foi realmente destruído foi um edifício militar usado pelo Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica (IRGC) em Damasco.

Um punhado de publicações e especialistas salientaram que o ataque israelita, que matou onze pessoas e derrubou um importante general Quds do IRGC, é na verdade uma declaração de guerra direta ao Irã . 

Por exemplo, Hamidreza Azizi, do Instituto Alemão para Assuntos Internacionais e de Segurança,   procurou imediatamente sublinhar  que os ataques que destruíram um consulado próximo do edifício principal da embaixada “são vistos por alguns no Irã como uma declaração de guerra de Israel contra o Irã“. 

Israel entrando em uma ‘guerra sem precedentes’, diz ex-oficial das FDI As pessoas que nos lideram hoje estão agindo de forma irreal e irracional e trazendo riscos e desastres para o país

Ele escreveu ainda que “Isso representa uma mudança em relação aos compromissos anteriores, atingindo diretamente o solo iraniano representado por seu consulado na Síria – em vez de atingir oficiais do IRGC em locais sírios.”

Atualmente, Israel está preparando-se para uma resposta inevitável e alegadamente está convocando forças de reserva adicionais. O Hezbollah também poderia abrir uma frente de guerra maior desde o Líbano:

O líder do movimento libanês Hezbollah disse na sexta-feira que o Irã retaliaria inevitavelmente depois de um ataque – amplamente atribuído a Israel – ter destruído o seu consulado em Damasco esta semana, matando dois generais. “Estejam certos de que a resposta do Irã ao ataque ao seu consulado em Damasco é inevitável”, disse Hassan Nasrallah num discurso televisivo assinalando o Dia de Quds (Jerusalém) – um dia anual de comícios pró-Palestina realizados pelo Irã e seus aliados.

Pelo menos até agora, os combates diários ao longo da fronteira norte de Israel permaneceram contidos, mas talvez por pouco. Os líderes israelitas alertaram que todo o Líbano poderia ser bombardeado de volta à “idade da pedra” se o Hezbollah iniciasse uma guerra total.

Os EUA pedem que o Irã não ataque bases americanas quando retaliar contra Israel

O Irão diz ter transmitido uma rara mensagem direta aos Estados Unidos na forma de uma declaração escrita, num momento em que o “Barril de Pólvora” da região do Oriente Médio está prestes à explodir, preparando-se para uma possível retaliação do Irã contra Israel pelo ataque de segunda-feira à embaixada iraniana em Damasco.

O Irã diz agora que recebeu uma resposta imediata da administração Biden, que alertou Teerã para não atacar instalações dos EUA como parte de qualquer potencial operação de vingança contra Israel .

O assessor presidencial iraniano, Mohammad Jamshidi, disse o seguinte na sexta-feira : “Em uma mensagem escrita, a República Islâmica do Irã alerta a liderança dos EUA para não se deixar arrastar pela armadilha de Netanyahu pelos EUA: Fique longe para não se machucar.

O funcionário continuou: “Em resposta, os EUA pediram ao Irã que não visasse as instalações americanas”. Desde 7 de Outubro, representantes iranianos no Iraque e na Síria enviaram drones e mísseis contra bases dos EUA muitas dezenas de vezes, mas estes ataques diminuíram nos últimos meses.

Ao longo deste período, contudo, o Irã nunca atacou diretamente as instalações dos EUA a partir do seu solo. No entanto, isto aconteceu em grande escala logo após o assassinato, em Janeiro de 2020, pelos EUA, por drone, do comandante da Força Quds do IRGC, Qasem Soleimani. Foi quando mísseis balísticos iranianos choveram sobre duas bases aéreas iraquianas que abrigavam forças dos EUA, resultando em ferimentos nas tropas americanas na época.

Na sequência do ataque israelita desta semana à embaixada do Irã na Síria, que matou dois comandantes seniores do IRGC, a administração Biden procurou rapidamente distanciar os EUA de qualquer envolvimento.

A vice-secretária de imprensa do Pentágono, Sabrina Singh, confirmou que autoridades dos EUA contataram Teerã para transmitir que Washington não era responsável pelo ataque, que foi um ataque sem precedentes, visto que foi contra uma instalação diplomática, que deveria estar sob a proteção do Conselho de Viena e da Convenção sobre Relações Diplomáticas.

A vice-secretária de imprensa do Pentágono @DepPentPressSec disse a @jhaboush da Al Arabiya English que os #EUA não foram notificados sobre o ataque de #Israel ou o alvo pretendido de seu ataque em Damasco com antecedência, que matou altos funcionários do IRGC.

“Não fomos notificados pelos israelitas sobre o seu ataque ou sobre o alvo pretendido do seu ataque em Damasco”, disse Singh no início desta semana.

No entanto, a Axios informou ao mesmo tempo que os israelitas notificaram os EUA apenas alguns minutos antes do ataque, e que isto não foi um esforço para obter luz verde, mas apenas uma notificação de uma operação já em ação, em mais uma ação dos judeus de que eles não prestam contas a ninguém e fazem o que lhes aprouver.

O Irã ainda culpou os EUA por terem permitido a agressão israelita à sua representação diplomática em Damasco, com os EUA sendo o seu maior fornecedor de armas, caso contrário o estado pária e anão moral do Oriente Médio não seria capaz de lutar e matar os seus vizinhos. O Pentágono diz que isto é uma preocupação :

Na quarta-feira, em Washington, o principal comandante da Força Aérea dos EUA para o Oriente Médio, tenente-general Alexus Grynkewich, disse que a afirmação do Irã de que os EUA são responsáveis ​​pelas ações israelenses poderia pôr fim a uma pausa nos ataques das milícias às forças dos EUA que durou desde o início de fevereiro. Ele disse que não vê nenhuma ameaça específica às tropas dos EUA neste momento, mas “estou preocupado, por causa da retórica iraniana que fala sobre os EUA, que possa haver um risco para as nossas forças”.

Nos últimos cinco meses houve um total de pelo menos 150 ataques a bases americanas na Síria e no Iraque. Há também ainda um esforço do governo iraquiano para expulsar todas as forças da coligação liderada pelos EUA do país, que tem o apoio mais amplo do público iraquiano, já farto da presença dos militares dos EUA.

Entretanto, os israelitas continuarão nervosos nos próximos dias, temendo algum tipo de ataque com mísseis balísticos em grande escala vindo do Irã. Tel Aviv alertou a República Islâmica para não lançar qualquer ataque a partir do seu próprio solo, dizendo que encontrará uma resposta mais forte e levará o conflito ao próximo nível.


Uma resposta

  1. Israel só espera e torce por este ataque. Os americanos, que desconhecem o Oriente Médio, por não fazerem parte da rotina diária, como Israel, negoi a Jerusalem estender a guerra ao Iran, pelo massacre de judeus em 07 de outubro. Mas Israel nunca esqueceu quem realmente esteve por trás. Pode apostar que o Iran, se resolver entrar na guerra, será literalmente destruído. Gaza foi um aviso ao Iran e eles compreeenderam o aviso, tanto que prometeram ao Hamas entrar na guerra, caso Israel invadisse Gaza, mas se acovardaram ao verem a proporção da vingança israelense e perceberem que Teera ficaria em escombros tal qual Gaza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.330 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth