Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

EUA ‘Encurralado’ ao culpar o ISIS pelo ataque a Moscou enquanto pessoas eram assassinadas

israel-isis-siria-terror-false-flag-attack

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, deu na quarta-feira uma entrevista à mídia estatal russa em língua inglesa, onde continuou a avançar as alegações do Kremlin de que o governo ucraniano e/ou seus parceiros psicopatas do ‘hospício ocidental’ provavelmente tiveram algo a ver com o sangrento ataque terrorista à Prefeitura de Crocus, nos subúrbios de Moscou.

EUA ‘Encurralado’ ao culpar o ISIS pelo ataque a Moscou enquanto pessoas eram assassinadas

Fonte: Zero Hedge

Ela descreveu que era estranho que uma narrativa das PRE$$TITUTA$ da mídia ocidental se unissem em torno do ISIS/DAESH estar por trás do ataque, mesmo quando o shopping e a sala de concertos ainda estavam em chamas e as equipes de emergência ainda estavam respondendo á emergência.

Ela disse que o governo dos EUA ele próprio se encurralou, uma vez que as autoridades fizeram declarações ousadas muito rapidamente no rescaldo do sangrento ataque terrorista.

“O próprio fato de nas primeiras 24 horas [após o ataque], mesmo antes de o fogo ser apagado, os americanos terem começado a gritar que não era a Ucrânia, penso eu, já é uma prova incriminatória. caso contrário; é uma evidência por si só”, disse Zakharova à Sputnik

“O segundo fato a se notar diz respeito ao clamor dos EUA de que este foi seguramente trabalho do ISIS”, enfatizou Zakharova. ” É claro que a velocidade com que conseguiram [chegar a conclusões tão diretas] é surpreendente. Levaram apenas algumas horas para chegar a um microfone, acender as luzes, convocar a imprensa e tirar uma conclusão sobre quem é o culpado por este ataque terrorista horrivelmente sangrento.”

Ela sublinhou que tudo isto demonstra que as autoridades dos EUA “encurralaram-se num canto” porque permitiram que analistas independentes “[lembrassem] a todos o que o ISIS realmente é”. Com isso, ela quis dizer que a história recente da aliança EUA/Golfo na Síria alimentou a ascensão do ISIS:

“Vocês estão por trás de todas essas estruturas do tipo ISIS; vocês – os Estados Unidos, a Grã-Bretanha [e ISRAEL] – vocês mesmos as criaram”, concluiu ela.

Durante a guerra por procuração que durou uma década na Síria, o Ocidente apoiou o lado que produziu o Estado Islâmico. Em muitos casos, os EUA estavam mesmo a pagar os salários dos comandantes do “Exército Sírio Livre” (FSA) que cooperavam abertamente e lutavam ao lado dos terroristas do ISIS e da Al-Qaeda.

Autoridades do Kremlin sugeriram fortemente que militantes do ISIS foram usados ​​como representantes para o ataque de sexta-feira em Moscou em nome dos governos ou agências de inteligência ucranianos ou possivelmente ocidentais.

Na quarta-feira, o número oficial de mortos pelas autoridades russas na sequência do  ataque terrorista  à sala de concertos de Moscou atingiu  140 mortos, depois de mais pessoas sucumbirem aos ferimentos no hospital.

Nos dias que se seguiram ao ataque à Câmara Municipal de Crocus, os meios de comunicação estatais russos têm divulgado histórias sobre a “ascensão do ISIS” e a jihad patrocinada pelo Ocidente na Síria:

Os EUA – Padrinho do ISIS ? Enquanto Washington atribui firmemente a culpa pelo ataque à Câmara Municipal de Crocus ao ISIS, aparentemente protegendo a Ucrânia de acusações, a RT revela como os alvos do Estado Islâmico nos últimos anos levantaram algumas questões interessantes…

O presidente Vladimir Putin, ao abordar o ataque terrorista à Rússia no fim de semana, prometeu caçar e punir todos os perpetradores, ao mesmo tempo  que acusou a Ucrânia de preparar uma “janela” para ajudar os terroristas a escaparem .

Desde então, várias outras prisões de supostos colaboradores e conspiradores foram feitas. Quanto aos culpados que possivelmente recebem assistência da Ucrânia ou de governos ocidentais, ainda não foram apresentadas provas claras que demonstrem uma ligação deles com o ocidente.


Uma resposta

  1. A Russia planejou o ataque de 07 de outubro, em Israel, vitimando milhares de pessoas inocentes. Depois, convidou os terroristas que executaram o ataque a mando de Moscou, para uma convera amigável. Agora que são vítimas do mesmo veneno, saem falando bobagem. Existem milhões de muçulmanos na Russia. Muitos deles sunitas, que se lembram do massacre perpetrado pela Força Aerea russa em Alepo, contra hospitais e maternidades sírias. Portanto, não adianta fingir que os culpados não são os próprios russos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *