Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

EUA: Estados investigam aumento nº mortos entre 18 a 49 anos, maioria não relacionada à Covid

Departamentos de saúde de vários estados norte americanos confirmaram ao Epoch Times que estão analisando um aumento significativo na taxa de mortalidade de pessoas de 18 a 49 anos em 2021 – a maioria não está ligada ao COVID-19 . As mortes entre as pessoas de 18 a 49 anos aumentaram mais de 40% nos 12 meses encerrados em outubro de 2021 em comparação com o mesmo período de 2018-2019, antes da pandemia [ou antes da VACINAÇÃO], de acordo com uma análise do Epoch Times de  dados de atestados de óbito  dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

EUA: Estados investigam aumento do número de mortes entre população de 18 a 49 anos, maioria não relacionada à Covid

Fonte: The Epoch Times – Por Petr Svab

A agência ainda não tem os números completos de 2021, pois os dados da certidão de óbito têm um atraso de até oito semanas ou mais.

O aumento  diferiu muito de estado para estado , com o aumento mais dramático nas mortes de jovens para a meia-idade no Sul, Centro-Oeste e Costa Oeste dos EUA, enquanto os estados do nordeste geralmente tiveram picos muito mais leves. As autoridades de saúde pública em vários estados com alguns dos maiores aumentos estão examinando a questão.

O Texas viu a mortalidade de 18 a 49 anos saltar 61%, o segundo maior aumento no país. Desse total, menos de 58% foi atribuído ao COVID-19.

“Estamos investigando para ver se há algum tipo de correlação/causação”, disse Jeremy Redfern, porta-voz do Departamento de Saúde da Flórida por e-mail. O estado de Nevada teve o maior aumento, 65%, dos quais apenas 36% foram atribuídos ao COVID-19.

Shannon Litz, oficial de informações públicas do Departamento de Saúde e Serviços Humanos de Nevada, disse por e-mail que passou perguntas sobre o pico de mortalidade ao Office of Analytics da agência “para revisão”. O Distrito de Columbia experimentou um aumento de 72% de mortes, nenhum deles atribuído ao COVID-19.

Robert Mayfield, porta-voz da autoridade de saúde de DC, encaminhou o Epoch Times ao Gabinete do Examinador Médico Chefe (OCME) do distrito, que sugeriu que não havia experiência para analisar o fenômeno. “O OCME não tem atualmente um epidemiologista (o cargo está sendo anunciado), então não tem capacidade atual de analisar os dados”, disse o porta-voz do escritório Rodney Adams por e-mail.

O Arizona registrou um aumento de 57%, 37% do qual foi atribuído ao COVID-19. O Departamento de Serviços de Saúde do Arizona não pôde responder a perguntas sobre o assunto porque seus dados “ainda não estão finalizados”, disse Tom Herrmann, oficial de informações públicas da agência, por e-mail.

“Nosso Centro de Estatísticas de Saúde está analisando os dados”, disse Chris Van Deusen, chefe de Relações com a Mídia do Departamento de Serviços de Saúde do Estado do Texas, por e-mail. “Nós vamos voltar com você.”

A Flórida, que teve um aumento de 51% no número de mortes, 48% do atribuído ao COVID-19, também está investigando o assunto.

Foto do Epoch Times
Um trabalhador médico trata um paciente não-COVID-19 na enfermaria da UTI do UMass Memorial Medical Center em Worcester, Massachusetts, em 4 de janeiro de 2022. (Joseph Prezioso/AFP via Getty Images)

Outros estados com alguns dos maiores aumentos foram Tennessee ( aumento de 57% , 33% atribuídos ao COVID-19), Califórnia (55% acima, 42% atribuídos ao COVID-19), Novo México ( aumento de 52% , 33% atribuídos a COVID-19) e Louisiana (aumento de 51%, 32% atribuídos ao COVID-19). Nenhuma de suas autoridades de saúde respondeu aos pedidos de comentários.

O significativo aumento da mortalidade parece ser significativamente mais suave no nordeste. New Hampshire não viu aumento, Massachusetts teve apenas um pico de 13% (24% atribuído ao COVID-19) e Nova York, uma das mais atingidas pela pandemia na região, subiu 29% (30% do total). atribuído ao COVID-19).

Os dados do CDC sobre as causas dessas mortes em excesso ainda não estão disponíveis para 2021, além daqueles envolvendo COVID-19, pneumonia e gripe. Houve cerca de 6.000 mortes por pneumonia em excesso que não envolveram COVID-19 na faixa etária de 18 a 49 anos nos 12 meses encerrados em outubro de 2021. A gripe esteve envolvida apenas em 50 mortes nessa faixa etária, abaixo das 550 no mesmo período pré-pandemia. A contagem de mortes por gripe não excluiu aqueles que também envolveram COVID-19 ou pneumonia, observou o CDC.

Uma parte do aumento pode ser atribuída a overdoses de drogas, que aumentaram para mais de 101.000 nos 12 meses encerrados em junho de 2021, de cerca de 72.000 em 2019,  estimou o CDC . Cerca de dois terços dessas mortes envolveram opióides sintéticos, como o fentanil, que muitas vezes são contrabandeados para os Estados Unidos da China via México.

Para aqueles com idade entre 50 e 84 anos, a mortalidade aumentou mais de 27%, representando mais de 470.000 mortes em excesso. Cerca de 77% das mortes tiveram o COVID-19 marcado no atestado de óbito como causa ou fator contribuinte.

Para aqueles com 85 anos ou mais, a mortalidade aumentou cerca de 12%, com mais de 100.000 mortes em excesso. Houve mais de 130.000 mortes relacionadas ao COVID neste grupo, indicando que esses idosos eram menos propensos a morrer de uma causa não relacionada ao COVID de novembro de 2020 a outubro de 2021 do que durante o mesmo período de 2018-2019.

Comparando 2020 a 2019, a mortalidade aumentou cerca de 24% para pessoas de 18 a 49 anos, com menos de um terço dessas mortes em excesso envolvendo COVID-19. Para aqueles com idades entre 50 e 84 anos, a mortalidade aumentou menos de 20%, com mais de 70% envolvendo o COVID-19. Para aqueles ainda mais velhos, a mortalidade saltou cerca de 16%, com quase 90% envolvendo o COVID-19.

Para os menores de 18 anos, a mortalidade diminuiu cerca de 0,4% em 2020 em comparação com 2019. Nos 12 meses encerrados em outubro de 2021, caiu cerca de 3,3% em comparação com o mesmo período de 2018–2019.

Os resultados aqui apresentados são consistentes e corroboram os mesmos números no aumento considerável de indenizações por morte de pessoas produtivas entre 18 e 64 anos, que esta impactando seguradoras de vida, que viram um aumento em torno de 40% no número de vítimas desta faixa etária, algo inédito e sem precedentes, conforme depoimento do CEO de uma seguradora em Indiana.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


“Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente.  Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo [uma verdadeira profecia publicada em 1932].  Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento INFANTIL e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que e prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito sugerindo às pessoas que amem sua servidão ao invés de açoita-los e chutando-os até à obediência. ”  Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984” 


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *