Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

EUA suspendem viagens da Europa para conter coronavírus. Bolsas desabam em todo o mundo

A Tempestade Perfeita: Os mercados financeiros vivem mais um dia de fortes turbulências nesta quinta-feira (12), após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar, por causa da pandemia de coronavírus, a suspensão de viagens a partir da Europa por 30 dias. A piora no cenário derrete as bolsas e faz cair os preços do petróleo, ao mesmo tempo em que o dólar bate novos recordes no Brasil. Mesmo os mercados de moedas criptográficas são um mar vermelho, com tudo desabando. Em uma nota mais esperançosa, a CoinTelegraph relata que o CEO da gigante de derivativos  BitMEX  disse ontem que o Bitcoin ( BTC ) provavelmente atingirá níveis mais baixos de até US $ 6.000, mas evitará perdas maiores.

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

EUA suspendem viagens da Europa para conter coronavírus. Bolsas desabam em todo o mundo.  Medida foi imposta aos 26 países-membros do Espaço Schengen. Reino Unido, com mais de 450 casos, não está incluído na proibição. Cidadãos americanos poderão voltar ao país se passarem por bateria de exames.

Fontes:  https://www.dw.com/ – G1Globo – TheNewYorkTimes – BBCNews

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na noite desta quarta-feira (11/03) a suspensão de todas as viagens de 26 nações da Europa para o país, a fim de evitar a propagação do coronavírus. A medida entrará em vigor à meia-noite de sexta-feira para sábado (horário local) e valerá por pelo menos 30 dias. Os EUA já registram mais de 1,2 mil casos de coronavírus e pelo menos 36 mortes. 

“Decidi tomar várias medidas fortes, mas necessárias, para proteger a saúde e o bem-estar de todos os americanos. Para evitar que novos casos entrem em nossas fronteiras, vamos suspender todas as viagens da Europa para os Estados Unidos”, disse Trump, em uma mensagem televisiva transmitida da Casa Branca.

Os voos suspensos são os com partida dos países-membros do Espaço Schengen, uma zona de isenção de visto que compreende 26 Estados europeus: Áustria, Bélgica, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia e Suíça.

O Reino Unido, com mais de 450 casos da doença, e a Irlanda, que não fazem parte da Zona Schengen, não estão incluídas na proibição, assim como Bulgária, Croácia, Chipre e Romênia.

A bertura dos mercados financeiros foi uma repetição da manhã de segunda-feira. Os mercados de caixa da S&P abriram 6,7%, saltaram um pouco, antes de cair para uma perda de 7%, acionando o primeiro “Circuit Breaker” [suspenção dos negócios] em todo o sistema, fazendo com que os mercados parassem de negociar por 15 minutos.

Veja os principais destaques negativos do dia no mercado de capitais:

  • Barril do petróleo Brent: opera em queda de 6,12%, a US$ 33,60
  • Barril do petróleo WTI: opera em queda de 6,22%, a US$ 30,93
  • Dólar: opera em alta 4,52%, a R$ 4,9347 (na abertura, bateu R$ 5,027)
  • Bovespa: queda de 11,65% (circuit breaker acionado)
  • Ação da Petrobras: ainda indisponível
  • Ação da Vale: ainda indisponível
  • Bolsa de NY (Dow Jones): ainda fechada
  • Bolsa de Frankfurt: opera em queda de 5,96%
  • Bolsa de Paris: opera em queda de 6,09%
  • Bolsa de Londres: opera em queda de 5,63%
  • Bolsa de Tóquio: fechou em queda de 4,41%
  • Bolsa de Xangai: fechou em queda de 1,52%
  • O ator Tom Hanks disse que ele e sua esposa, Rita Wilson, deram positivo para o coronavírus 
  • As ações australianas caíram mais de 7% nessa quinta-feira, a pior queda desde a crise financeira de 2008, com a divulgação do governo de um pacote de estímulo multibilionário que pouco ajudou a aliviar as preocupações dos investidores.
  • Covid-19: Linhas de suprimentos da Big Pharma estão entrando em colapso.

As ações despencaram nessa quinta-feira, quando o mais recente esforço do presidente Trump para combater o surto de coronavírus – uma proibição de entrada da maioria dos europeus nos Estados Unidos – falhou em abordar as preocupações dos investidores sobre a economia global. As negociações nos Estados Unidos foram interrompidas apenas alguns minutos após a abertura dos mercados, após uma queda de 7% no S&P 500 acionar o chamado Circuit Breaker. A interrupção, por 15 minutos, visa impedir que os mercados colapsem.

Parece que vários CISNES NEGROS estão chegando nas águas pútridas do “Mercado Financeiro”, o grande cassino dos mercados de capitais .

As ondas de vendas desta semana deixaram a média industrial da Dow Jones e vários dos principais benchmarks mundiais em território de mercado em baixa – um termo que significa que as ações caíram mais de 20% em relação aos seus máximos. Sem uma recuperação substancial na quinta-feira, o S&P 500 também terminará lá.

As quedas seguem uma série de notícias recentes dos Estados Unidos na quarta-feira. O presidente Trump anunciou que os Estados Unidos impediriam a maioria dos europeus fora da Grã  Bretanha de viajar para o país por 30 dias, em um esforço para retardar a propagação do vírus. O Departamento de Estado aconselhou os americanos a reconsiderar todas as viagens internacionais. A National Basketball Association suspendeu sua temporada depois que um jogador testou positivo.

A decisão do presidente Trump de proibir a maioria dos viajantes europeus dos Estados Unidos deve abalar as indústrias dependentes do turismo nos dois lados do Oceano Atlântico, de companhias aéreas a hotéis, museus e parques de diversões. Isso interromperá os ambiciosos planos de negócios e aumentará os problemas dos líderes mundiais que já lutam com o incansável surto de coronavírus e a ameaça que isso representa para empregos e meios de subsistência.

Travellers at Paris Charles de Gaulle airport on Thursday.
Viajantes no aeroporto de Paris Charles de Gaulle na quinta-feira. Crédito:Bertrand Guay / Agence France-Presse – Getty Images

As ações das companhias aéreas europeias foram negociadas acentuadamente na quinta-feira depois que Trump anunciou que suspenderia as viagens da maior parte da Europa para os Estados Unidos por 30 dias, com exceção da Grã-Bretanha e da Irlanda. O Departamento de Estado também alertou os americanos de que deveriam reconsiderar todas as viagens internacionais, a precaução mais severa que pode oferecer antes de “não viajar”.

As ações de viagens e lazer caíram quase 10% no índice de referência Stoxx 600, e as ações das companhias aéreas europeias caíram 20%, à medida que o setor se preparava para um freio quase sem precedentes na atividade. A Air France, a Lufthansa e a IAG, proprietária da British Airways e da Iberia, caíram 13%. As ações da Carnival, operadora de navios de cruzeiro, caíram para mínimos de 11 anos.

Mesmo antes da pandemia global, muitas das maiores economias do mundo estavam desacelerando acentuadamente, deslizando em direção a problemas. Esta é a principal descoberta de um relatório divulgado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico na manhã de quinta-feira – uma indicação potencial de que o coronavírus mortal corre o risco de transformar o que já estava sinalizando crescimento em uma recessão global.

An empty street in Milan. Italy’s economy contracted in the last three months of 2019, before the pandemic.
Uma rua e restaurantes vazios em Milão. A economia da Itália se contraiu nos últimos três meses de 2019, antes da pandemia. Crédito …Alessandro Grassani para o New York Times

Membros do chamado Grupo dos 20 países – um bloco que representa coletivamente cerca de 90% da produção econômica mundial – viram seu crescimento desacelerar para 0,6% nos últimos três meses de 2019, ante 0,8% no trimestre anterior, De acordo com o relatório. Japão, Itália, França e México, todos contratados.

A tendência foi especialmente pronunciada na Grã-Bretanha, onde o crescimento diminuiu de 0,5% entre julho e setembro para zero nos últimos três meses do ano. O crescimento permaneceu inalterado nos Estados Unidos, mantendo um ritmo de expansão de 0,5%.

Veja os últimos destaques

  • O Banco Central da União Europeia anunciou o lançamento de um pacote de estímulo para combater o choque econômico provocado pelo coronavírus.
  • Irã pediu ajuda ao FMI para combater o coronavírus.
  • A companhia aérea chilena-brasileira LATAM, considerada a maior da América Latina, anunciou nesta quinta-feira que reduzirá seus voos internacionais em 30% devido à menor demanda e restrições de viagens impostas pelos governos em razão da pandemia de coronavírus.
  • Juntando-se a uma lista crescente de vítimas corporativas do surto, a loja de varejos WH Smith previu uma perda de 40 milhões de libras para o lucro anual.
  • Já a operadora de lojas em aeroportos Dufry afirmou que que deverá cortar postos de trabalho depois de registrar uma queda de 7,3% nas vendas orgânicas. As ações das empresas caíram 17% e 16,8%, respectivamente.
  • O presidente dos EUA, Donald Trump, proibiu viagens da Europa aos EUA por 30 dias, a partir desta sexta-feira.
  • Na abertura da Bolsa de Nova York os operadores se cumprimentaram com os cotovelos.

No Brasil, os casos de covid-19, como é chamado oficialmente o novo coronavírus, têm crescido exponencialmente nos últimos dias — até esta quarta-feira (11) eram 69 registros. Porém não há, ao menos até a manhã desta quinta-feira (12), uma ordem do Ministério da Saúde para as suspensões de aulas ou para que eventos sejam cancelados.

Até o momento, apenas o governo do Distrito Federal — onde foram confirmados dois casos — adotou medidas restritivas à população. Durante cinco dias, a partir desta quinta-feira, estão suspensas aulas em escolas e universidades do DF. Também foram proibidos eventos com aglomeração, como missas e shows. O decreto do governador Ibaneis Rocha (MDB) estipula também que bares e restaurantes devem manter uma distância de dois metros entre suas mesas.

Para especialistas consultados pela BBC News Brasil, mesmo que seja uma medida classificada como eficaz, as autoridades podem considerar que ainda não é o momento de ações como suspensão de aulas ou de grandes eventos em todo o país. O principal argumento, segundo eles, é porque não há registros de nenhum caso de transmissão comunitária — quando o vírus circula e não é possível mais rastrear a origem dos casos. No entanto, dizem que em pouco tempo, com o aumento de casos, será fundamental evitar aglomerações e grandes eventos.

“Neste momento, a principal orientação é para que as pessoas mantenham a higiene pessoal, como lavar as mãos com frequência e manter os locais sempre limpos”, pontua Fernando Spilki, presidente da Sociedade Brasileira de Virologia. “Mas é importante que autoridades e empresas comecem a considerar a possibilidade de adiar eventos que possam ser adiados e racionalizar os momentos em que haverá aglomerações. As pessoas precisam estar preparadas para isso”, acrescenta Spilki.

O novo coronavírus já chegou a 110 países. Ele infectou mais de 126 mil pessoas, levando 4,6 mil delas à morte. A OMS estima que 3,4% dos pacientes morrem por causa da covid-19, a doença causada por este vírus. Mas especialistas estimam que essa taxa de letalidade gire em torno de 2% ou menos. Por enquanto, o Ministério da Saúde orienta que os brasileiros evitem aglomerações e grandes eventos, como forma de prevenção. Porém, a pasta ainda não fez uma recomendação para que os eventos sejam suspensos ou que as aulas em escolas ou universidades sejam canceladas.


Você quer mesmo saber como esse coronavírus “surgiu na China” e se espalhou pelo mundo em pouco tempo? Ao pesquisar os arquivos de registros de patentes nos EUA on-line, foi descoberto o registro de uma patente de Coronavírus concedida para o C.D.C. –  Centers for Disease Control and Prevention [se trata do principal instituto nacional de saúde pública dos EUA. O C.D.C. é uma agência federal dos EUA sob o United States Department of Health & Human Services (HHS)] que tem sua sede em Atlanta, Geórgia. Assim emerge um fato indiscutível, o de que o “DONO” DESSE VÍRUS MORTAL E SEU CRIADOR é o PRÓPRIO C.D.C. (Centro de Controle e Prevenção de Doenças)

O coronavírus do surto atual não teve origem na China, mas FOI IMPLANTADO neste país asiático com a clara intenção de causar o maior dano possível aos chineses. A consequência natural, quando  [se já não descobriu] a China perceber que a eclosão do surto pode ter sido um ataque de BIOWEAPON ao seu território e contra seu povo, qual será o tipo de resposta a ser dada pela China aos [ir]responsáveis pela contaminação. Começamos a ano de 2020 com muitos que operam nas sombras desejando aumentar o caos no planeta.

PATENTE de criação de um CORONAVÍRUS fornecida ao CDC (Centers for Disease Control and Prevention)  US7220852B1 – SOBRE A CRIAÇÃO DE CORONAVÍRUS [SARS] ….

Na patente acima, do registro de um CORONAVÍRUS [uma BIOWEAPON], você encontrará 72 páginas de conteúdo para poder julgar esse letal “surto repentino e desconhecido de coronavírus” na ChinaLeia a patente nesse link primeiro, faça o download e compartilhe este artigo amplamente antes que os AGENTES do DEEP STATE a excluam. Mantenha-se sábio, com discernimento e saudável!


 “E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarãoE surgirão muitos FALSOS PROFETAS, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo”.  Mateus 24:6-13

 

0 resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *