browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Hospício Ocidental quer reviver tempos do ‘Império Romano’

Posted by on 29/06/2022

Boris Johnson quer uma ‘comunidade política‘ que englobe não apenas a UE, mas o antigo território do Império Romano. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, teria ficado tão apaixonado pela ideia do presidente francês Emmanuel Macron de uma “Comunidade Política Europeia” abrangendo não apenas a UE, mas também a Europa Oriental – particularmente a Ucrânia – e o Reino Unido que ele a reivindicou como sua própria ideia e a enquadrou como uma visão moderna do Império Romano, informou o Financial Times na quarta-feira. 

Aliança do império romano “beneficiaria a Europa” – declarou Boris Johnson, PM do Reino Unido.

Fonte: Rússia Today

O [novo] Império moderno de Johnson se estenderia do Reino Unido até a região do Magrebe no norte da África e para o leste até a Turquia e a Ucrânia, disse ele, declarando que teve a ideia de Macron “quando me tornei secretário de Relações Exteriores” e revelando que acreditava que “deveríamos basicamente estar recriando o Mare Nostrum do Império Romano” em uma audiência com jornalistas a caminho de Madri para uma cúpula da OTAN na terça-feira. 

Mare Nostrum [Nosso Mar] era o nome romano para o Mar Mediterrâneo, adotado em uma época em que o império latino controlava grande parte da Europa, a costa do norte da África e a Turquia moderna, estendendo-se até a região do Cáucaso, na Ásia.

No entanto, Macron antecipou até mesmo a cronologia revisionista de Johnson quando propôs a ideia no Parlamento Europeu, alegando que seu antecessor François Mitterrand havia pedido um “amplo clube europeu” desde 1989, quando a URSS enfrentava crises.

Johnson moderou seu entusiasmo, descrevendo a ideia de Macron como “valendo a pena”, desde que se encaixasse nos objetivos estratégicos do Reino Unido, embora reconhecendo que “inventar novas estruturas” pode não ser o melhor uso de recursos que poderiam ser gastos na melhoria de parcerias entre países.

Embora as relações entre os líderes franceses e britânicos tenham sido geladas no passado devido ao Brexit, a dupla concordou em recomeçar no domingo enquanto falavam um a um durante a cúpula do G7, com um funcionário do Reino Unido descrevendo sua nova parceria como “le bromance”. No entanto, um funcionário francês estava menos animado, descrevendo a reunião como tendo ido “bem. É isso.

Embora os dois possam ter começado de novo, ainda há muitas questões sobre as quais eles discordam, com Paris supostamente chateada com o retrocesso de Johnson no Brexit, bem como seus briefings públicos, sugerindo que Macron está sendo insuficientemente agressivo em suas negociações com o presidente russo, Vladimir Putin. . 

Esperava-se que Johnson tocasse no assunto mais uma vez durante seu discurso na cúpula da OTAN, dizendo aos membros que “cavem fundo”, desembolsem seus 2% do PIB e reforcem militarmente o “flanco leste” da aliança europeia.

As declarações se encaixam no tema da reunião da aliança na quarta-feira, durante a qual ela aprovou seu novo Conceito Estratégico, ainda mais abertamente anti-russo, declarando que Moscou “destruiu a paz e alterou gravemente nosso ambiente de segurança” ao atacar a Ucrânia. Os membros do bloco garantiram uns aos outros que sua aliança era “única, essencial e indispensável” e prometeram trabalhar juntos para frustrar os “atores autoritários” que ameaçam sua “[des]ordem internacional baseada em regras”.

Johnson também deveria se encontrar com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, bem como com os líderes da Suécia e da Finlândia [que poderiam, também, querer reviver o tempos das invasões vikings da europa…], que a Otan recebeu de braços abertos em sua aprovação mais rápida até agora de um novo membro. Não se sabe se ele planeja abordar o assunto de seu novo e melhorado “Império Romano” com o trio. 

Uma das últimas tentativas dos principais estados europeus de reconstruir ou reivindicar a herança do Império Romano foi realizada pelos líderes nazistas alemães e fascistas italianos Adolf Hitler e Benito Mussolini. Terminou com uma derrota esmagadora de ambos em 1945.


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é thoth-3126-1.png

“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.