browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Intel Inside (DARPA) a serviço do Império do Mal

Posted by on 13/01/2018

Darpa-logoUma das melhores maneiras de descrever o Departamento de Defesa (DoD) dos EUA e a DARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa) é usar o apelido ” Evil Empire ” (IMPÉRIO do MAL) da obra Star Wars para descrever sua agenda internacional secreta para conquistar o mundo e transformar todos nós em escravos neo-feudais que não têm escolha senão dar lealdade aos controladores do universo: Lord  Darth Vader e os Sith Lords.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) e o IMPÉRIO do MAL via INTEL INSIDE

Fonte: http://themillenniumreport.com

A agência DARPA Vader” tem controlado a inovação tecnológica desde 1958, quando foi criada pelo Império Maligno, um Departamento de Defesa militar dos EUA. Toda tecnologia emergente do Império do Mal conduz a humanidade ao destino de ficção científica das máquinas que controlam os seres humanos, assim como Darth Vader se tornou uma arma que era metade homem e metade máquina. Há muita sabedoria e verdade que está por trás do primeiro filme de Guerra nas Estrelas, e sua história foi dada à humanidade como um aviso de como o Império do Mal e sua Estrela da Morte planejavam destruir todo o planeta.

Gente, isso já não é mais apenas ficção científica. Esta batalha pela Terra está acontecendo agora e nós, como a Aliança Rebelde, devemos unir forças para destruir as forças imperiais do mal de Darth Vader.

darth-vader-intel-IA

Além: Você conhece a verdadeira história de Star Wars? Se não, veja Star Wars: The Secret Weapon e Por que George Lucas tem mantido escondido.

As pessoas no DoD (United States Department of Defense) Departamento de Defesa dos EUA devem ler ficção científica para que eles possam ver como suas ações – individual e coletivamente – estão levando a humanidade para um mau destino comumente encontrado na ficção científica: guerras de robôs, cyborgs contra humanos, tomada do controle do mundo pelos computadores, armas sem fim, e, você adivinhou – a espaçonave Estrela da Morte. DARPA é o pai das guerras, convencional e digital. E como todos sabemos, Darth Vader tomou suas ordens do Imperador do Mal. DARPA Vader é controlado por um homem que eles chamam de “Yoda”, mas é na realidade o Imperador Maligno que lidera um grupo chamado Highlands Forum (Evil Empire of Imperial Command-Comando Imperial do Império do MAL), que dirige todas as pesquisas e desenvolvimento militar da Agência DARPA. 

Quem é esse Imperador do Mal que parece tão inocente como Yoda? Seu nome é Andrew Marshall e por décadas este único homem tem conduzido o Highland Forum (Evil Empire) para criar armas de todos os tipos que foram lançadas no mundo corporativo e agora controlam o seu laptop, telefone, computador e todos os outros dispositivos com um Microprocessador dentro – especialmente o “Evil Intel Empire Inside “.

O Microprocessador Intel Inside é encontrado em nossos dispositivos digitais privados e, de fato, está coletando ” Inteligência ” para o Departamento de Defesa, CIA, FBI, DIA e NSA, que são todos membros do Império do Mal. Sim, o senhor que eles chamam de “Yoda” é, na verdade, o Imperador do Mal disfarçado que controla a agência DARPA Vader e os maus senhores Sith da guerra. Ele não tem raios disparando para fora de seus dedos – a menos que naturalmente ele usasse uma de suas muitas invenções DARPA para fazê-lo. 

Andrew Marshall: Ex-Chefe do Highland Forum

Andrew Marshall

Andrew Marshall

Imperador do Mal, como chamamos Andrew Marshall, foi o diretor do  Departamento de Defesa dos  Estados Unidos do Escritório de Avaliação Net  de 1973 a 2015. Foi nomeado por Richard Nixon e permaneceu no cargo durante todas as sucessivas administrações que se seguiram até sua aposentadoria em 2 de janeiro de 2015. Marshall criou o Highlands Forum como um think tank secreto para a inovação da guerra. Todas as reuniões são apenas de convite e não são abertas ao público e não são mantidos registros escritos. Marshall criou esse tipo de plataforma secreta para que ninguém pudesse provar que o Highland Forum existe ou que tem o maior poder sobre tecnologia da guerra no planeta.

A DARPA e o Highlands Forum têm essencialmente tomado de assalto o mundo e poucas pessoas têm notado isso. Desde a criação de dispositivos que controlam todas as armas nucleares até à incubação das tecnologias que criaram a Internet (originalmente ARPANET), os microprocessadores Intel, os roteadores Cisco, os motores de busca Google, o Facebook, a Internet das Coisas, os  I-Phones, o software Microsoft, e todos os dispositivos de guerra convencionais e digitais, entre muitos outros. O Highlands Forum tem sido a sede do Império Maligno durante cinco décadas. O imperador Andrew Marshall tem o sangue de milhões em suas mãos e contudo é considerado um herói da América em vez de um criminoso senhor da guerra (Warlord).

Você já se perguntou por que a Intel usou para executar esses anúncios quentes e distorcidos para nos informar que havia um “Intel Inside”, como se tivéssemos alguma escolha de qual microprocessador esta dentro do nosso computador? Eles detêm o monopólio dos microprocessadores por décadas e certamente os consumidores de uso final nunca tiveram uma escolha de quais componentes estavam dentro de seus computadores. Por que a Intel gastaria dinheiro em anúncios para nos fazer sentir bem com a Intel?   Pelo amor de Deus, é apenas um microchip em seu computador. 

Ponto-chave: E se disséssemos que dentro de cada microprocessador Intel EXISTE um processador menor que permite que os Sith Lords da Intel – que trabalham para o Departamento de Defesa – controlem todos os aspectos do seu computador REMOTAMENTE, independentemente dos códigos de criptografia que você usar

intel-look-inside

Há um Intel dentro. Para ser sincero, este anúncio deveria ser: Intel “VIGIA VOCE” de dentro

Sim, o Imperador do Mal (Andrew Marshall) conseguiu se aposentar há dois anos aos 94 anos sabendo que o controle do Império do Mal atingiu todos os dispositivos digitais do mundo através do bom trabalho de seu melhor aluno, a agência DARPA Vader. A única coisa que resta para o Imperador do Mal é ativar a Estrela da Morte, que como você verá nos “planos futuros” da DARPA abaixo, já foi construída. A pergunta é: “Será que Luke Skywalker vai aparecer e derrotar o Império do Mal?”

Um PC com base em Intel é permanentemente Hackeável

Todos os chips de microprocessador Intel têm um backdoor interno que permite o acesso remoto completo a um PC, o seu PC, através de um segundo processador físico incorporado no processador principal que tem seu próprio sistema operacional embutido no chip. Ele está sendo anunciado como algo que permitirá aos profissionais de TI a capacidade de solucionar remotamente um PC. Os últimos chips x86 da Intel contêm um backdoor secreto com um subsistema embutido chamado Management Engine  (ME) que funciona como uma CPU separada e não pode ser desativado, e o código é o proprietário . 

O Management Engine é um microcontrolador dedicado em todas as plataformas recentes da Intel. As primeiras versões foram incluídas na placa de rede e mais tarde mudou-se para o chipset onde compartilha flash com o BIOS, mas é completamente independente da CPU. Ele permite que os profissionais de TI possam ver o conteúdo de discos rígidos, verificar a memória, a caça de problemas em uma máquina remotamente, ou assumir o sistema inteiramente .

Mesmo um disco rígido criptografado pode ser monitorado e controlado pelo “processador dentro do processador” que já tem sua chave de criptografia. Há mais do que apenas a NSA monitorando suas chamadas, e-mails e transmissões – há Intel (DARPA) “Inside” no seu computador. A Intel coleta “inteligência”, mas também fornece um backdoor para controlar, ou desligar o seu computador à vontade, assim como foi demonstrado que os roteadores Cisco têm um backdoor (porta traseira-secreta) aberto para a NSA. Um backdoor é um método de ignorar a autenticação normal em um cryptosystem usado para proteger o acesso remoto não autorizado a um computador.

Ponto-chave: A palavra Intel foi usada para este produto DARPA porque está coletando INTELIGÊNCIA pessoal de VOCÊ que pode ser usada contra VOCÊ sempre que o Império do Mal decide que assim deva ser feito.

Por que a DARPA, através da Intel, tem acesso aberto a todos os seus arquivos e ao seu computador? A DARPA financiou todo o desenvolvimento original de microprocessadores. A Intel é uma frente para a DARPA e os esforços militares para criar, controlar e militarizar todas as plataformas digitais através da guerra cibernética. A DARPA, a ARPARNET, a DARPANET, a Internet e os microprocessadores são criações militares que foram autorizadas a entrar no mercado público somente depois que o Departamento de Defesa e a CIA através da In-Q-Tel instalaram backdoors para controlar essas poderosas plataformas digitais de Guerra. 

intel-sponsor-tomorrow

Para ser sincero, este anúncio deveria se ler: Intel “Controladores” do Amanhã

Alguns chips fabricados na Europa utilizados em contratos de defesa têm um “interruptor de morte” embutido que pode ser acessado remotamente para desabilitar um microprocessador remotamente em armas que usam o chip. O Pentágono percebeu que já não controla quem fabrica os chips que vão para os seus sistemas cada vez mais complexos. Quase todo sistema militar hoje contém algum hardware comercial. Nenhuma entidade, não importa o quão bem financiado, pode se dar ao luxo de fabricar sua própria versão segura de cada chip em cada peça de equipamento . 

Examinar um chip é quase impossível e requer um microscópio eletrônico de varredura para examinar as muitas camadas de um chip e os milhões ou bilhões de transistores.  Chips semicondutores são feitos em Cingapura, Taiwan, China, Europa, mas a Intel projeta e fabrica todos os seus próprios chips em suas próprias fábricas na América.

O Conselho de Ciência da Defesa (Defense Science Board – DSB), que acessora o Departamento de Defesa sobre desenvolvimentos científicos e tecnológicos, alertou em um relatório que a mudança contínua para a fabricação de chips ultramarinos exporia os circuitos integrados mais críticos do Pentágono para a sabotagem. O conselho estava especialmente alarmado que nenhum teste existente pudesse detectar esses chips comprometidos, o que levou à formação do programa DARPA Trust in IC. Cada ano, as redes seguras de computador do governo resistem a milhares de ataques sobre o Internet dos lugares onde a maioria de nossos componentes eletrônicos estão sendo manufaturados. Qualquer malfeitor que possa penetrar na segurança do governo pode descobrir quais chips estão sendo ordenados pelo Departamento de Defesa e então alvejá-los para sabotagem. Em outras palavras, a DARPA e o Imperador do Mal estão em guerra aberta com a rebelião que tem sequestrado a indústria de microprocessamento no infiltrado Comando Imperial.

Chamando os Rebeldes da Aliança a Retirar a Estrela da Morte Real

Companheiros Patriotas e Rebeldes da Aliança, tomamos os planos da Estrela da Morte do Império Galáctico e confiamos que você saberá o que fazer com esta Intel. Rebeldes estão se preparando desde 1977, quando o primeiro Star Wars foi lançado, para enfrentar o verdadeiro império do mal, Darth Vader, e os Sith Lords, e o Comando Imperial. Esta não é mais uma fantasia de ficção científica ou sequencia para o próximo episódio da saga Star Wars. Esta é a verdadeira guerra e todos os Rebeldes da Aliança são chamados para salvar a galáxia, ou pelo menos a civilização ocidental.

Um relatório da inteligência dos cidadãos rebeldes foi dado previamente em um artigo recente. Se você não se armou com essa inteligência, por favor, faça isso agora. A CIA e Deep State Exposed. Precisamos de todos os Rebeldes da Aliança para analisar os planos da Estrela da Morte e identificar portas de escape vulneráveis que se conectem ao reator principal.

Neste relatório de inteligência adicional aos companheiros Rebeldes da Aliança, mostraremos o seguinte para ajudar nos seus esforços de planejamento na análise da Estrela da Morte: 

Os microprocessadores, a Internet, a Cisco Systems, o Google e a Intel foram todos criados por projetos da DARPA que foram autorizados a florescer com novas tecnologias criadas e financiadas pelos militares para a guerra cibernética. A maioria dos magnatas de alta tecnologia são simplesmente “homens da frente” vendendo produtos DARPA e In-Q-Tel (a DARPA da CIA) que controlam nossas vidas e nos espiam continuamente. Os processadores Intel têm um backdoor integrado no microprocessador que permite monitoramento e controle completo sobre o seu computador pessoal.

Cisco Systems é uma frente para os roteadores DARPA que foram criados com um backdoor para a NSA poder espionar “praticamente todas as trocas na Internet.” A “Internet of Things” do Cisco System planta os net-bots em todos os dispositivos sob seu controle que podem ser ativados remotamente e usados para ataques cibernéticos. A Internet foi primeiro um projeto DARPA chamado ARPANET que foi criado como uma arma de tecnologia da informação para a guerra cibernética.

google-cia-darpa-facebook

DARPA, os inventores da tecnologia de guerra

Em 1999, a CIA criou sua própria empresa de investimento de capital de risco, a In-Q-Tel, para financiar empreendimentos promissores que poderiam criar tecnologias úteis para agências de inteligência, assim como o Departamento de Defesa criou anos antes a DARPA. Ambos os grupos são controlados pelo Highlands Forum (Grupo). O Highlands Forum fornece idéias e financiamento para o arsenal científico de novas invenções através da cooperação entre os militares e empreiteiros corporativos. Seus maiores sucessos recentemente foram liderados pela In-Q-Tel da CIA no desenvolvimento de cyber-guerra baseada em rede de alta tecnologia.

A In-Q-Tel contrata quase todo o seu trabalho por meio da SAIC (Science Applications International Corporation), que mudou seu nome para Leidos em 2013. A Leidos está entre as cem maiores empresas contratadas de defesa dos EUA e tem uma relação simbiótica com a NSA (National Securiry Agency) e demais agências de inteligência dos EUA.

O Highland Forum, o DARPA e o In-Q-Tel são grupos de reflexão multinacionais de alta tecnologia para inventar e controlar inovações que podem ser transformadas em armas. Militares e especialistas em tecnologia da informação se reúnem nas reuniões do Fórum para considerar os impactos da globalização da TI nos interesses e na guerra dos EUA. O Fórum desenvolveu a ideia de “guerra centrada em redes”, que agora é uma das principais preocupações dos militares e das corporações que o servem.

DARPANET = Internet

Em 1973, a DARPA iniciou um programa de pesquisa para investigar técnicas e tecnologias para interligar redes de pacotes de vários tipos. O objetivo era desenvolver protocolos de comunicação que permitissem que os computadores em rede se comunicassem de forma transparente em várias redes de pacotes vinculadas para o uso de empreiteiros de defesa. Isso foi chamado de “Projeto Internet” e o sistema de redes que emergiu da pesquisa era conhecido como ARPANET, mais tarde chamado de Internet.

Em 1986, o US National Science Foundation (NSF) iniciou o desenvolvimento da NSFNET que, hoje, fornece um importante serviço de comunicação backbone para a Internet. A Administração Nacional de Aeronáutica e do Espaço (NASA) e o Departamento de Energia dos EUA contribuíram com instalações de backbone adicionais na forma do NSINET e do ESNET, respectivamente. Assim, a conectividade eletrônica da Internet foi avançada com financiamento do governo.

Um grande apoio para a comunidade da Internet veio do governo federal dos EUA, já que a Internet era originalmente parte de um programa de pesquisa financiado pelo governo federal e, posteriormente, tornou-se uma parte importante da infra-estrutura de pesquisa dos EUA.

cisco-systems

Cisco Systems – Roteadores DARPA

Uma vez que a ARPANET provou ser eficaz, foram criados roteadores que poderiam lidar com trocas entre sistemas e computadores. Em 1998, praticamente todas as trocas de Internet passaram por um roteador Cisco. Em 2010, um pesquisador da IBM publicamente revelou uma falha em um sistema operacional da Cisco que permite a um hacker usar um backdoor que era suposto estar disponível apenas para agências de aplicação da lei. O intruso poderia usar o dispositivo Cisco e usá-lo para espionar todas as comunicações passando por ele, incluindo o conteúdo dos e-mails, deixando os produtos vulneráveis a ataques, particularmente programas de software onipresentes como os produzidos pela Microsoft . Esses backdoors colocam em risco milhões de clientes e suas informações privadas e comprometem a segurança das instalações de energia elétrica, serviços públicos e sistemas de transporte.

A Cisco foi acusada de monitorar remotamente as conexões dos usuários através dos dispositivos Linksys E2700, E3500 e E4500 da Cisco. Eles foram relatados para serem atualizados remotamente para uma versão de firmware que obriga os usuários a se registrarem para um serviço em nuvem que permite à Cisco monitorar o uso da rede e, em última instância, desligar a conta do serviço em nuvem e tornar o roteador afetado inutilizável.

A Cisco também foi acusada de construir em seus roteadores um firewall backdoor desenvolvido pela NSA. A unidade de Operações de Acesso Personalizado (TAO) e outros funcionários da NSA interceptam servidores, roteadores e outros equipamentos da rede sendo enviados para organizações direcionadas para vigilância e instalam firmware secreto neles antes de serem entregues. Esses sistemas de cavalo de Tróia foram descritos por um gerente da NSA como sendo “algumas das operações mais produtivas no TAO porque pré-posicionam pontos de acesso em redes de destino difíceis em todo o mundo”.

A Criação do Google da DARPA

A comunidade de inteligência dos Estados Unidos financiou, alimentou e incubou o Google como uma arma militar para controlar informações. Fundada pela NSA (DARPA) e pela CIA (In-Q-Tel & SAIC), o Google foi uma entre um grupo de empresas start-ups do setor privado cooptado pela inteligência dos EUA para controlar a guerra da informação. 

Em 1994 (o mesmo ano do Highlands Forum – o patrão de DARPA – foi fundado sob a administração do escritório do secretário de defesa, o ONA, e DARPA) dois estudantes de PhD na universidade de Stanford, Sergey Brin e Larry Page, fizeram seu avanço na primeira web automatizada de rastreamento e aplicação de classificação de páginas. Essa aplicação continua a ser o componente central do que eventualmente se tornou o serviço de pesquisa do Google. Brin e Page tinham realizado seu trabalho com financiamento da  Digital Library Initiative  (DLI), um programa multi-agência da National Science Foundation (NSF), NASA e DARPA.

A NSA precisava controlar e monitorar informações digitais, particularmente os dados que fluíam pela Internet. Com seus milhões de clientes ao redor do mundo, o Google é efetivamente um diretório de pessoas que usam a Internet. Ele armazena os endereços de e-mail dos usuários e sabe onde eles estão fisicamente localizados, quando eles fazem o login e o que eles pesquisam na web. O Google tem um perfil de cada usuário. O governo pode “ordenar” que qualquer empresa deve entregar essa informação, e faz isso como parte do programa PRISM da NSA, no qual a Google estava participando há anos, quando assinou o acordo de cooperação com a NSA.

De acordo com os termos de serviço do Google, a empresa recomenda aos seus usuários que possam compartilhar suas informações pessoais com organizações externas, incluindo agências governamentais, para “detectar, prevenir ou tratar de questões de fraude, segurança ou questões técnicas e “proteger contra danos aos direitos, à propriedade ou à segurança do Google.”

google-cia-nsa

Agência de Controle de Agências de Inteligência

Nenhuma organização de inteligência pode sobreviver se não conhecer seu inimigo. Por mais expansiva que seja a rede de sensores da NSA, às vezes é mais fácil obter informações precisas sobre campanhas de hackers a partir dos próprios alvos. É por isso que a NSA se associou ao Google. Sergey Brin, o chefão do Google é apenas um das centenas de CEOs que foram trazidos para o círculo de sigilo da NSA. A partir de 2008, a agência começou a oferecer aos executivos autorizações temporárias de segurança, algumas boas por apenas um dia, para que pudessem se sentar em briefings de ameaças classificadas.

Reuniões de alto nível privadas são apenas uma maneira que a NSA tem forjado alianças com corporações. Vários programas classificados permitem que as empresas compartilhem os projetos de seus produtos com a agência para que possa inspecioná-los por falhas e, em alguns casos, instalar backdoors ou outras formas de acesso privilegiado. Os tipos de empresas que mostraram a NSA seus produtos incluem computadores, servidores e fabricantes de roteadores; fabricantes de produtos de software populares, incluindo a Microsoft; Internet e provedores de serviços de e-mail; empresas de telecomunicações; fabricantes de satélites; antivírus e empresas de segurança na Internet; e fabricantes de algoritmos de criptografia.

A NSA ajuda as empresas a encontrar deficiências em seus produtos. Mas também paga às empresas para não corrigir algumas delas. Esses pontos fracos dão à agência um ponto de entrada para espionar ou atacar governos estrangeiros que instalam os produtos em suas agências de inteligência, seus serviços militares e sua infra-estrutura crítica. A Microsoft, por exemplo, compartilha vulnerabilidades de zero dia em seus produtos com a NSA antes de lançar um alerta público ou um patch de software. A McAfee, empresa de segurança da Internet da Intel, fornece à NSA, à CIA e ao FBI fluxos de tráfego de rede, análise de malware e informações sobre tendências de hackers.

As empresas que prometem divulgar brechas em seus produtos apenas para as agências de espionagem são pagas pelo silêncio. Até certo ponto, essas aberturas para a vigilância do governo são exigidas por lei. As empresas de telecomunicações em particular devem construir seu equipamento de tal forma que possa ser aproveitado por uma agência de execução da lei apresentando uma ordem judicial. Mas quando a NSA está reunindo inteligência no exterior, ela não está vinculada pelas mesmas leis. A vigilância que conduz através de backdoors e falhas secretas em hardware e software seria ilegal na maioria dos países onde isso ocorre.

AT & T é controlada pela Homeland Security

O Departamento de Segurança Interna realiza reuniões com empresas através de sua iniciativa de “grupos de trabalho transversais”. Estas sessões são uma oportunidade para os representantes do grande grupo de empresas com as quais o governo compartilha inteligência para se reunir uns com os outros e dialogar com os funcionários do governo dos EUA. Os participantes nestas reuniões muitas vezes têm altas autorizações (Security Clearance) de segurança e foram submetidos a verificações de antecedentes e entrevistas. Entre janeiro de 2010 e outubro de 2013, o período para o qual os registros públicos estão disponíveis, o governo realizou pelo menos 168 reuniões com empresas apenas no grupo de trabalho transversal. Houve centenas de reuniões divididas por categorias específicas da indústria, como energia, telecomunicações e transporte.

Através deste intercâmbio de informações, o governo criou um negócio de segurança cibernética. A AT & T e a CenturyLink são, na verdade, seus sentinelas privados, vendendo proteção para empresas e indústrias selecionadas. A AT & T tem uma das histórias mais longas de qualquer empresa que participa do sistema de vigilância do governo. A maioria dos telefonemas nos Estados Unidos passam pelo equipamento da AT & T em algum momento, independentemente de qual operadora os inicia. A infra-estrutura da empresa é um dos repositórios de inteligência eletrônica mais importantes e freqüentemente explorados para a NSA e as agências de aplicação da lei dos EUA.

A CenturyLink, que tem sua sede em Monroe, Louisiana, tem sido um nome menos familiar nos círculos de inteligência ao longo dos anos. Em 2011, a empresa adquiriu a Qwest Communications, que agora faz parte do extenso dispositivo de segurança da NSA.

manipulação-controle-nwo

História da DARPA

A história da DARPA está cheia de morte e destruição. DARPA e a In-Q-Tel, através do Highlands Forum (Group), têm impulsionado a investigação e desenvolvimento para os militares que custou trilhões de contribuintes americanos. Esta mesma tecnologia também é compartilhada com países em todo o mundo através da partilha de código aberto. Os militares dos EUA querem que nossos inimigos tenham a tecnologia para que possam ser espionados com tecnologia cada vez mais sofisticada e atacados com armas cada vez melhores.

Ponto-chave: Se ambos os lados têm a mesma tecnologia e armas, então o Complexo Militar-Industrial sempre precisa de mais dinheiro para gastar em armas maiores e melhores, continuamente.

As áreas de foco e desenvolvimento para a agência DARPA ao longo de sua história incluem: projetos espaciais da NASA , processamento de informações, ARPANET (Internet),  defesa contra mísseis balísticos , testes nucleares  de detecção, de contra-insurgência, processamento de computadores,  ciências comportamentais, ciências dos materiais, sensores,  vigilânciaradar, sensoriamento  infravermelho,  detecção de raios X / raios gama, satélites de posicionamento global, processamento de informação, tecnologias tácticas, sistemas de partilha de tempo, redes de comutação de pacotes de grande área, redes de pacotes por satélite, inteligência artificial, reconhecimento de voz, processamento de sinais, robótica,  sistemas de hipermídiarealidade virtual, computação pessoal, tecnologia espacial, armadura tática, programas anti-blindagem, sensor infravermelho para vigilância espacial, tecnologia laser de alta energia, guerra antisubmarina, mísseis de cruzeiro avançados, aeronaves avançadas, aplicações de defesa de computação avançada, pesquisa de circuitos integrados, tecnologia eletrônica submicrométrica e dispositivos eletrônicos, integração em larga escala, feixes de partículas carregadasreconhecimento automático de alvo, sensores baseados no espaço, sistemas de propulsão, embarcações aeroespaciaispesquisa hipersônica, computação estratégica, processamento avançado, viagens interestelares, aviões X, segurança informática e guerra cibernética, para citar alguns que entraram no domínio público.

A lista acima é apenas a ponta do iceberg para os projetos DARPA. Não sabemos dos projetos que ainda estão classificados (são secretos), o que poderia ser uma lista muito maior. Todos os projetos da DARPA e da In-Q-Tel foram militarizados antes de serem compartilhados com as empresas que então são o “front” de uma empresa patrocinada pela agência. A DARPA e a In-Q-Tel mantêm os códigos de criptografia e constroem portas traseiras para que possam sempre tentar controlar as armas militares que foram lançadas no mundo corporativo para uso público. 

Abaixo está uma lista de projetos DARPA na prancheta, ou pelo menos os que conhecemos. Você pode notar que as idéias são completamente insanas e só perpetuam o contínuo estado de GUERRA.

Achamos justo dizer que qualquer pessoa razoável concordaria que a DARPA é simplesmente má e focada em matar, fazer guerra e manipular a ciência. 

Apenas a lista acima mostra a insanidade dirigindo esta agência que não está sendo controlada por qualquer agência governamental fora dos militares. Não há limite para a pesquisa e desenvolvimento para a guerra e qualquer idéia que possa ser utilizada na guerra é financiada e colocada em produção antes que qualquer pessoa possa objetar. De acordo com a DARPA e a In-Q-Tel, a inovação e os avanços tecnológicos devem primeiro ser uma arma que pode ser controlada por seus fabricantes – os militares.

nwo-yahoo-facebook-controle

O que a Aliança Rebelde pode fazer para impedir a vitória do Império do Mal

  • Investigar, auditar e, em seguida, esgotar a fonte de financiamento da DARPA, da In-Q-Tel e do Fórum Highlands.
  • Acabar com o Highlands Forum e investigar todos os participantes para a espionagem industrial e militar.
  • Parar de usar circuitos integrados, chips e microprocessadores de países estrangeiros.
  • Investigar a Cisco, o Google, a Intel, o Facebook, a Microsoft, a Apple e outras empresas de tecnologia patrocinadas e financiadas pela DARPA e confiscar a propriedade das empresas em nome dos contribuintes norte-americanos cujos impostos criaram essas frentes.
  • Aproveitar os ativos de todas as empresas encontradas para usar backdoors em seus produtos, por qualquer motivo.
  • Fazer a NSA parar de usar backdoors em roteadores, microchips e processadores e fechar essas vias de manipulação e vigilância.

Pode haver outras estratégias e táticas que não incluímos na lista, e damos as boas-vindas às suas idéias e apelo à ação para sua comunidade de Rebeldes e Patriotas. Pedimos que os cidadãos ao redor do mundo chamem seus Hans Solos, Lukes Skywalker e Princesa Leia (Eu Superior) internos. A história de Star Wars é muito mais do que um filme de ficção científica. Os personagens e o enredo são memes profundamente enraizados que realmente apontam para a verdade sobre forças no mundo que desejam destruir a humanidade.

Guiados pelo espírito de Obi-Wan Kenobi, poderemos encontrar a FORÇA dentro de nós para destruir a Estrela da Morte criada pela DARPA e o DoD … e, sim, salvar o mundo. Aliança Rebelde una-se!

Originalmente postado em:  http://themillenniumreport.com


contagem-regressiva-azul“O medo é a emoção predominante das massas que ainda estão presas no turbilhão da negatividade da estrutura de crença da (in)consciência de massa. Medo do futuro, medo da escassez, do governo, das empresas, de outras crenças religiosas, das raças e culturas diferentes, e até mesmo medo da ira divina. Há aversão e medo daqueles que olham, pensam e agem de modo diferente (os que OUVEM e SEGUEM a sua voz interior), e acima de tudo, existe medo de MUDAR e da própria MUDANÇA.” –  Arcanjo Miguel


Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *