browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Liberte sua mente da lavagem cerebral da mídia (Pre$$titute) convencional

Posted by on 09/10/2020

Começando com a impressora de Gutenberg, depois a câmera de cinema de Thomas Edison e a introdução do celulóide e da tela prateada, e mais tarde o tubo de raios catódicos das televisões – algumas instituições de mídia selecionadas, e os homens por trás delas, desfrutaram do monopólio monolítico sobre as informações que vemos e ouvir. Sua máquina de controle é incrível e aparentemente imparável, e atinge qualquer lugar, a qualquer hora e nas mentes de todos os seus alvos.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Liberte sua mente da lavagem cerebral da mídia (Pre$$titute) convencional

Como navegar, quanto mais entender, essa matriz do século 21?

Se essa transformação fosse realmente um processo orgânico, a maioria das mentes críticas seria capaz de lidar racionalmente com nossa total imersão na atual mídia. Mas a evolução da tecnologia e como interagimos com ela não é tão fácil de se articular. À medida que novas plataformas e escolhas continuam a proliferar, a situação está se tornando mais sintonizada com a Teoria do Caos do que com a Teoria Darwiniana. 

A mídia e seus braços de marketing modernos nos dizem que é tudo progresso. A esta altura, seu papel está bem definido – como o veículo expresso inicial no qual todas as novas ideias e avanços são entregues ao público. Na maioria dos casos, pode-se dizer que o público agora está totalmente pré-condicionado para aceitar novas mídias na sua chegada.

Quer nos importemos em admitir ou não, quer saibamos ou não, existem vários graus de lavagem cerebral e condicionamento comportamental em filmes e na TV. É por isso que chamam de “programação”. Quantos de nós nos encontramos automaticamente usando citações de filmes ou programas de TV populares? E quantos de nós imitam a moda ou o estilo de cabelo das pessoas que vemos na tela? [e quantos zumbis seguem celebridades, influencers, Kardasians, et caterva]

Acontece muito mais do que a maioria das pessoas gostaria de admitir. A maioria de nós ignora completamente o quanto imitamos o que vemos e repetimos o que ouvimos através dos veículos de mídia de massa e das mídias sociais.

No clássico filme de humor negro de 1976, The Network, o personagem principal do filme, um profeta da televisão chamado Howard Beale, faz um sermão inesquecível para o público de seu estúdio, descrevendo perfeitamente a natureza crua da mídia de massa em um contexto social:

E por que isso é ai de nós? Porque vocês e sessenta e dois milhões de outros norte americanos estão me ouvindo agora. Porque menos de três por cento de vocês leem livros. Porque menos de quinze por cento de vocês lêem jornais. Porque a única verdade que você sabe é o que você obtém por meio deste tubo de imagens.  Neste momento, existe toda uma geração inteira que nunca conheceu nada que não saísse deste tubo. Este tubo é o Evangelho. A revelação final! Este tubo pode fazer ou destruir presidentes, papas, primeiros-ministros [e a sua mente]. Este tubo é a força mais incrível em todo o mundo sem Deus. E ai de nós se alguma vez esse mecanismo cair nas mãos de pessoas erradas.

 

Beale devia saber que já tinha caído nas mãos de pessoas erradas, nomeadamente o crime organizado, a CIA, o Complexo Industrial  Militar e a elite [de judeus khazares] global transnacional.

A realidade é que executivos de estúdios e gravadoras, e seus produtores de mídia, são responsáveis ​​por ditar grande parte do comportamento da sociedade, bem como pelos arquétipos culturais populares que as pessoas adotam. Com certeza, é uma quantidade enorme de poder, e não pense por um momento que os executivos não sabem disso. O mesmo pode ser dito para os seus “assessores” da CIA e do Pentágono.

Quando em alta velocidade, esta máquina de cultura comanda qualquer um dos seguintes comportamentos em massa; linguagem chula, palavrões, promiscuidade sexual, pedofilia, desvios sexuais de toda ordem, casos pré e extraconjugais, uso e abuso de drogas, relacionamentos e famílias disfuncionais, tensão racial, violência, desfiguração de símbolos religiosos, ritualismo satânico, minando figuras de autoridade como pais, professores, clero e até a adoração do estado de segurança orwelliano. É tudo um jogo justo para a indústria de mídia e entretenimento. Como alguém pode sobreviver a esse ataque psicológico e espiritual ?

Social Media Survival

A pessoa média que vive em uma sociedade de primeiro mundo tecnologicamente avançada verá uma média de três horas de televisão por dia, bem como outras duas a três horas gastas em dispositivos eletrônicos computadorizados.  Se quisermos sobreviver com nossas mentes e almas intactas, em algum momento de nossas vidas temos que reunir a coragem para desligar tudo e nos desligar da mídia.

 

O grande volume de conteúdo agora disponível significa que cada pessoa deve ser criteriosa sobre como gasta seu tempo. A velha opção binária para ‘Geração X’, quando você dizia para si mesmo: “Tudo bem, tenho três horas para mim. Como vou passar esse tempo? Eu assisto TV ou leio um livro? ” – pode não se aplicar mais.

Para os Millennials (e outros também), é mais como, “Eu assisto TV, YouTube, faço hangout no Periscope, Instagram, Facebook, ou faço stream do Hulu, Amazon Prime, iTunes ou Roku, ou leio online, com meu Kindle , ou meu Nook, ou quem sabe, talvez um livro? ”

O termo binge watching também vem à mente. Sete temporadas com 10 episódios cada, com um enredo de suspense interconectado contínuo – suspense e intriga suficientes para acionar endorfinas no cérebro para mantê-lo acordado a noite toda, o suficiente para assistir uma temporada inteira de 24 … em 24 horas.

Se as coisas estão realmente tão ruins, ou você está se sentindo ansioso por causa de uma obsessão em se manter atualizado, conectado, então há uma grande probabilidade de que você esteja sob algum grau de controle mental impulsionado pela mídia (Pre$$titute).

O primeiro passo para se libertar da máquina é se tornar um consumidor mais ativo de informações e conteúdo real, necessário e verdadeiro, em vez de ser uma peneira passiva. Isso não quer dizer que você não possa desfrutar de um filme ou assistir a um bom jogo de futebol de vez em quando – todo mundo precisa sair da roda do hampster e se divertir de vez em quando.

Para derrotar o tubo linear de informação e o condicionamento social de alimentação forçada de Hollywood e da mídia pre$$titute tradicional … simplesmente leia mais. Leia tudo o que puder – livros, jornais impressos, revistas, artigos e jornais online. Sua taxa de retenção de conhecimento será expandida e ficará maior e a experiência de leitura aprimorará seu foco mental, autorreflexão e clareza de pensamento.

Em vez de perder horas assistindo TV ou assistindo a uma produção de cinema de Hollywood que você sabe que será decepcionante no final, tente ouvir programas de rádio ou podcasts. Em vez de mergulhar em “tocas de coelho” no YouTube, visite sites como o Soundcloud e mergulhe em sua vasta selva de áudio.

Outra prática útil para libertar sua mente do pensamento de grupo [de zumbis] e ficar menos suscetível à lavagem cerebral dominante é fazer um esforço concentrado para ocasionalmente ler, assistir ou ouvir conteúdo de meios de comunicação ou fontes que você não gosta ou com as quais geralmente não concorda. Isso é importante por vários motivos. 

Se você está realmente confiante em suas crenças políticas, sua visão de mundo ou sua compreensão de eventos atuais e históricos, então não deve incomodá-lo ouvir o que “o outro lado” tem a dizer. Se você realmente deseja defender com sucesso sua posição, opinião ou ideologia, ou seu lado do espectro político – então, é útil conhecer os argumentos contrários, e você deve querer analisá-los o máximo possível. Além disso, se você ficar cansado de ler sobre isso, vá e experimente.

Aprenda a Aprender

O poeta americano Robert Frost disse a famosa frase: “Todos nós procedemos com conhecimento insuficiente.”

Na educação da mente, todos devem se submeter (pelo menos uma vez por dia) ao fato de que não importa o quão inteligente ou conhecedor você pense que é sobre um determinado tópico ou evento, na verdade você sabe muito pouco. Você pode saber mais do que a pessoa ao seu lado e pode até ser um especialista em uma camada de uma rede, mas muito provavelmente teria um conhecimento acima da média de um canto da galáxia que é sua área de especialização.

Infelizmente, no que diz respeito à mídia social, ela continua sendo uma plataforma rudimentar para interação e aprendizado humano. A tela do seu laptop de 13,5 polegadas nem sempre atende quando se trata de estimulação humana e velocidade de troca que você obterá através da conversa humana. A solução para este problema é simples – precisamos conversar mais. Fale mais e fale sobre qualquer coisa. O microprocessador mais poderoso do planeta não está no porão da NSA em Provo, Utah, ou nos pátios de servidores de Jeff Bezos no Colorado – está entre suas orelhas e é o seu cérebro.

Além disso, em vez de pregar para o coro, tente conversar com pessoas mais espertas ou experientes que você. Esta é uma das maneiras mais rápidas de aumentar sua base de conhecimento e obter informações valiosas que você nunca obterá da mídia convencional, ou mesmo que encontrará nos anais do “Ministério da Verdade” do livro de George Oewell, a distopia “1984”..

Lembre-se: você não é um robô, então pare de agir como um autômato . Existe um grande mundo lá fora e dentro de voce mesmo – e é muito maior do que qualquer coisa dentro da sua TV, celular, notebook, smartphone, etc…


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. – Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da BESTA; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis[666]“.  –  Apocalipse 13:16-18


Mais informações, leitura adicional:

Permite reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

phi-cosmoswww.thoth3126.com.br

One Response to Liberte sua mente da lavagem cerebral da mídia (Pre$$titute) convencional

  1. Silvio J B Maia

    A curralização e a polarização são as principais ferramentas do sistema -em sua malignidade oculto nas expressões esquerda e direita para enganar a otariada endeusadora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.