browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Mídia Pre$$titue$ culpa tudo, ‘Exceto as Vacinas’ pelo aumento explosivo da incidência de Ataques Cardíacos

Posted by on 03/03/2022

Se você mora no Ocidente, deve ter notado no mundo pós-COVID um verdadeiro dilúvio da mídia de propaganda (Pre$$titute$) assustadora oferecendo várias explicações para os aumentos significativos da ocorrência de ataques cardíacos, derrames e danos ao sistema reprodutivo humanos. O fato médico agora estabelecido é que as  terapias genéticas mRNA das injeções COVID-19 enganosamente comercializadas como “vacinas”  causam estragos no sistema cardiovascular do corpo humano injetado.

Mídia Pre$$titue$ culpa tudo, ‘Exceto as Vacinas’ pelo aumento explosivo da incidência de Doenças Cardíacas

Fonte: The Daily Bell – Por Ben Bartee

Direto do (blog de teoria da conspiração?)  American Heart Association : “Concluímos que as injeções de mRNA aumenta drasticamente a inflamação no endotélio e na infiltração de células T do músculo cardíaco e pode ser responsável pelas observações de aumento da trombose, cardiomiopatia e outros eventos vasculares após a vacinação”.

Em resposta aos fatos, da organização americana de CARDIOLOGIA [pasmemo Twitter classificou as conclusões baseadas em evidências da American Heart Association como “inseguras”.

Os “especialistas/sacerdotes” da Big Tech que veneram e respeitam a Ciência, e a interpretam como Nostradamus lendo folhas de chá, querem assegurar aos camponeses que o  aumento sem precedentes de ataques cardíacos, mesmo em jovens   que historicamente não sofrem deles, não tem nada a ver com as “vacinas” produzidas pelas mesmas entidades farmacêuticas da Big Pharma que coincidentemente financiam seus trabalhos de pesquisa.

(Obviamente, nenhum conflito de interesse afeta o julgamento dos senhores da Science© porque eles existem em uma classe moral acima dos humanos mesquinhos e falíveis, os camponeses que eles supervisionam).

Tempo frio: Em vez de terapias genéticas experimentais que aumentam a inflamação nos vasos sanguíneos, os ministros da Science© adivinharam explicações alternativas (e não se atreva a contradizer seus decretos, ou sua conta blasfema no Twitter ficará sem memória):

O princípio em jogo aqui é semelhante a um conceito legal chamado “negabilidade plausível”.

Na maioria das vezes, a negação plausível refere-se a membros de governos de alto escalão ou entidades igualmente grandes e complexas [todos corruptos] criando, por meio de várias maquinações, uma miragem de ignorância para se proteger da responsabilidade por comportamento criminoso ou antiético que eles realmente sancionaram.

Horário de verão – Da mesma forma, se a mídia corporativa pre$$titute$ puder oferecer uma série de explicações alternativas para o pico vertiginoso de ataques cardíacos, cânceres etc. deve sido quase literalmente qualquer outra coisa, menos as vacinas!

Criminosos sob o calor escaldante do escrutínio público precisam de bodes expiatórios plausíveis – quanto mais altas as apostas, mais elaboradas serão para fabricá-las. E eles não ficam muito mais altos do que  picos de dois dígitos na mortalidade por todas as causas .

Mesmo antes das vacinas, os engenheiros sociais introduziram uma estratégia paralela para turvar as águas sobre a origem do vírus SARS-CoV-2 e conter a pressão pública para identificar a sua causa real.

O presidente da Eco-Health Alliance, Peter Daszak, pressionou um consórcio de cientistas sob sua influência direta e indireta a  assinar uma carta em fevereiro de 2020 descartando a teoria de vazamento de laboratório  como uma explicação viável para as origens do COVID-19:

“Estamos juntos para condenar fortemente  as teorias da conspiração  que sugerem que o COVID-19 não tem uma origem natural… Apoiamos o apelo do diretor-geral da OMS para promover evidências científicas e unidade sobre desinformação.”

Em ironia ultra-grossa, a narrativa de Daszak entrou em colapso quando a verdade surgiu de que ele próprio se envolveu em uma conspiração para produzir sua campanha de desinformação acima citada:

“O presidente da EcoHealth Alliance, Peter Daszak, chefe de uma organização envolvida em pesquisas que manipulam geneticamente os coronavírus, discutiu esconder seu papel em uma declaração publicada no ano passado no The Lancet que condenou como ‘teorias da conspiração’ as preocupações de que o vírus COVID-19 possa ter se originado. em um laboratório de pesquisa”.

Pulando o café da manhã – Provavelmente com conhecimento em primeira mão de onde o COVID-19 realmente veio, dado seu financiamento direto ao laboratório de Wuhan ( link ), Daszak sabia muito bem que as premissas de sua carta mais tarde se desintegrariam em pó sob escrutínio.

Daszak também provavelmente suspeitou, até mesmo, que o The Lancet mais tarde seria  forçado a reverter sua posição  (e, no processo, jogar sua credibilidade como “autoridade” na privada) quando o conflito de interesses evidentemente óbvio em jogo veio à tona aos olhos do público.

(Entre esses muitos conflitos de interesse estavam o financiamento do laboratório Wuhan pela Eco-Health, as conexões pessoais de Daszak com o governo chinês, seu relacionamento próximo com Anthony Fauci etc.)

O objetivo da carta, então, como a  propaganda “as quatro estações causam ataques cardíacos e definitivamente não são as vacinas covid” , não era o sonho de realmente convencer para sempre o mundo inteiro de que o COVID pulou de um morcego para os humanos.

Em vez disso, o objetivo era obscurecer com sucesso o debate público a ponto de, uma vez que evidências reais surgissem, chegar conclusivamente às verdadeiras origens do vírus e alcançar um consenso seria tão demorado, e os buscadores teriam que percorrer um pântano tão espesso de desinformação patrocinada por empresas, que eles simplesmente levantam as mãos, exasperados.

O velho dilema do “afogamento na papelada”, “agulha no palheiro”. E, então, bastante da população se torna agnóstica na história de origem que os culpados de criar o vírus escapam da punição.

O horário de verão é mortal para toda a família – as crianças também têm derrames!

Da mesma forma, a mídia cria “negação plausível” em termos de “vacinas” que desencadeiam sérios efeitos adversos ao inundar seu público com volumes de explicações concorrentes –  “Sim, pode ser possível que o 11º  reforço tenha causado miocardite em seu filho, mas não poderia ser o clima frio ou Netflix. Nunca se pode saber! Respeite a Science©, camponês!”

Advogados astutos, que dirigem predominantemente o governo dos EUA, empregam essa estratégia constantemente para defender seus clientes culpados.

Apesar da esmagadora evidência física ligando seu cliente aos assassinatos, os advogados de OJ Simpson, por exemplo, tentaram enganar o júri com  explicações alternativas para o assassinato de Nicole Simpson e Ron Goldman  – como tentar traçar paralelos com outros assassinatos não resolvidos na área, ou oferecer mais teorias exóticas e sensacionais como um negócio de drogas que deu errado.

Funcionou, e OJ ficou livre.

A conclusão óbvia é que nenhuma das “informações” que a mídia corporativa apresenta tem a intenção de informar, mas sim de criar e inserir na psique do público uma narrativa deliberada para absolver poderosos atores de sua culpa.

Diante de provas concretas para contradizer sua estratégia preferida de absolver totalmente seus mestres de irregularidades, a mídia corporativa se contentará com a ofuscação das mesmas.

Ben Bartee é um jornalista americano baseado em Bangkok. Siga suas publicações via  Armageddon Prose ,  Substack ,  Patreon ,  Gab e  Twitter . Por favor, apoie suas operações independentes como puder.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

2 Responses to Mídia Pre$$titue$ culpa tudo, ‘Exceto as Vacinas’ pelo aumento explosivo da incidência de Ataques Cardíacos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.