browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Mulher vítima de escravidão sexual implantada com CHIP RFID nos EUA

Posted by on 04/12/2017

Em outubro de 2016, uma mulher de 28 anos entrou em um hospital alegando que ela tinha um rastreador (um CHIP implantado) dentro de seu corpo. Os doutores ficaram duvidosos até o raio-x mostrar um pequeno objeto, apenas um pouco maior do que um grão de arroz, embutido no lado direito do tronco do corpo da mulher. Era um chip RFID (um emissor de radiofrequência), do tipo que se usaria para marcar um animal de estimação… 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Os médicos pensaram que ela estava insana antes que encontrassem o chip RFID implantado pelo tráfico sexual de vítimas de prostituição

Fontehttp://exonews.org/

A mulher implantada disse que seu namorado a implantou com o CHIP para forçá-la a prostituir-se  sexualmente e dar-lhe o dinheiro.

Até 88% das vítimas do tráfico sexual terminam em ERs enquanto ainda são presos. Existem quase 6.000 hospitais nos Estados Unidos, mas apenas 60 deles têm protocolos específicos em vigor se suspeitarem que um de seus pacientes é vítima de tráfico. 95% do pessoal de ER não são adequadamente treinados no tratamento de vítimas de tráfico humano e para ajudá-los a escapar. 
• Entre 2015 e 2016, houve um aumento de 35,7% na quantidade de vítimas de tráfico de seres humanos conhecidos nos EUA. Pelo menos 100 mil crianças são prostituídas anualmente nos EUA, somando-se ao setor de tráfico sexual no valor de US$ 10 bilhões. 

• A Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que há 20,9 milhões de vítimas de tráfico humano em todo o mundo e 4,5 milhões de pessoas presas no tráfico sexual forçado em todo o mundo.
• Os Estados Unidos representam a metade dos sites de pornografia infantil no mundo. Todos os anos, inúmeros americanos também se envolverão em turismo sexual, viajando para países com leis menos rigorosas ou não tem legislação sobre prostituição e escravidão sexual infantil. 
• Ted Gunderson, ex-agente especial do FBI e chefe do escritório em Los Angeles, trabalhou anos para descobrir informações sobre redes de pedofilia de alto nível, abuso sexual e rituais satânicos realizados pela elite que controla o país. 
• A ex-representante dos EUA, Cynthia McKinney, sabia sobre o relacionamento do governo com o tráfico de seres humanos, e ela realmente se dirigiu a ele em 2005. Ela acusou o então secretário de defesa Donald Rumsfeld, (Governo Bush filho) no envolvimento no negócio de tráfico de crianças da DynCorp, de vender mulheres e crianças para escravidão sexual.



• Em 2009, o multi-milionário judeu KHAZAR Jeffrey E. Epstein se declarou culpado de acusações de utilizar a prostituição de garotas menores de 14 anos. De acordo com o ex-oficial do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Steve Pieczenik, Epstein voaria com seus amigos para as Bahamas em seu avião privado chamado “Lolita Express”, para se engajar em sexo com jovens durante o voo. Os amigos de Epstein incluíam o príncipe Andrew da Inglaterra, Barack Obama e Bill e Hillary Clinton. 
• [Nota do Editor] A pedofilia e o satanismo é um fio comum entre a elite do governo Deep State (Governo Oculto). Discutido como uma investigação do FBI sobre possíveis ligações entre a Rússia e a campanha presidencial de Trump, o diretor do FBI, Robert Mueller, pode estar investigando secretamente a vasta rede de pedofilia que monopolizou o poder no governo dos Estados Unidos, com acusações seladas que já totalizam mais de 1100 pessoas agora. Clique para ver Artigo sobre o desmantelamento desta rede de prostituição infantil.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que há 20,9 milhões de vítimas de tráfico humano em todo o mundo e 4,5 milhões de pessoas escravas no tráfico sexual forçado em todo o mundo. Pelo menos 100 mil crianças são prostituídas anualmente nos EUA, somando-se ao setor de tráfico sexual de US$ 9,8 bilhões. Este é um negócio extremamente lucrativo, pois os proxenetas costumam fazer entre US$ 150 mil a US$ 200 mil por criança anualmente e explorar sexualmente entre 4 a 6 meninas, em média.



O tráfico de seres humanos continua a ser um grande problema em todo o mundo, e não são apenas proxenetas e condenados fugitivos envolvidos. São os políticos, a elite, os empresários ricos, seus vizinhos e, muitas vezes,  pessoas que menos se espera. Houve um surpreendente aumento de 35,7% na quantidade de vítimas de tráfico humano nos EUA entre 2015 e 2016, e esse é apenas o número conhecido de vítimas. Isso levanta a questão: Estamos melhorando em encontrá-los, ou um número crescente de adultos e crianças são forçadas a vender seus corpos? Infelizmente, as estatísticas sugerem o último caso.

A tecnologia desempenhou um papel fundamental na busca dessas vítimas nos últimos anos; no entanto, a tecnologia também pode permitir o tráfico humano através de uma sombria e mesmo através do uso de chips de identificação por radiofrequência (RFID). Um médico recentemente se apresentou, cuja identidade será mantida anônima, para compartilhar sua história na remoção cirúrgica de um chip RFID em uma vítima de tráfico sexual feminino. Como o sistema de saúde pode ajudar essas vítimas e o que podemos fazer para acabar com o tráfico humano?

Doctor extrai chip RFID de vítima do tráfico sexual

Em outubro de 2016, uma mulher de 28 anos entrou em um hospital alegando que ela tinha um rastreador dentro de seu corpo. Embora o médico tenha dito que a mulher parecia respeitável, as enfermeiras e os médicos no local ficaram céticos sobre sua história, até que lhe fizerram um raio-X.

“Embutido no lado direito do flanco estava um pequeno objeto metálico apenas um pouco maior do que um grão de arroz. Mas estava lá. Inequivocamente estava lá. Ela tinha um rastreador RFID implantado em seu corpo. E ninguém  falou por cinco segundos, ficamos mudos de espanto – e em um hospital lotado ninguém disse nada, surpresos”, explicou o médico.

No Oriente a mulher vale menos do que um camelo e no ocidente, ela tem a “liberdade” de se prostituir ao adotar voluntariamente os padrões de comportamento que o sistema de controle determina serem “normais”. A promiscuidade sexual CORROMPE e CONTAMINA a atual civilização…

Como se viu, esse pequeno objeto de metal era um chip RFID. “É usado para marcar gatos e cachorros. E alguém a marcou como um animal, como se fosse um animal de estimação de alguém que eles possuíssem”, continuou ele.

É importante notar que os chips RFID não são como qualquer outro dispositivo de rastreamento ou sistema GPS. O tipo de chip que estava dentro desta mulher só poderia ter sido usado para rastreá-la se a pessoa que a seguisse estivesse perto. Isso significa que ela provavelmente foi mantida em uma área confinada pelo seu captor e “proprietário”, como se ela realmente fosse um animal de estimação que precisava ficar perto de seu dono.

Na verdade, ela foi forçada a entrar no mundo do tráfico sexual por seu namorado, que estava agindo como seu cafetão. Ele a implantou para assegurar seu cumprimento de ser uma escrava sexual, forçando-a a vender seu corpo para sexo e depois lhe dar o dinheiro. Esta não é uma prática incomum, também, como muitas indústrias, desde a prostituição até a manufatura, o serviço doméstico, irão empregar seus “funcionários”.

Já em uso, os chips RFID podem se tornar tecnologia de uso comum. Uma empresa americana chamada Applied Digital Solutions desenvolveu o chip do tamanho de um grão de arroz e já foi aprovado pela US Food and Drug Administration para distribuição e implementação.



As questões potenciais implicações relativas ao microchip para implante na raça humana são infinitas.  Teríamos alguma privacidade? É fácil imaginar como a elite e o governo oculto poderiam usar microchips para controlar ainda mais a população em geral. É mesmo seguro colocar dentro de nossos corpos um CHIP ou nós teríamos outro aumento drástico nas taxas de câncer? Além disso, se isso se tornar uma prática comum no mundo do tráfico humano, isso nos ajudaria a encontrar suas vítimas ou isso só ajudaria aqueles que as controlariam?

Como os prestadores de serviços de saúde podem ajudar a traficar vítimas

O tráfico de seres humanos tem sido um problema sério desde há décadas, desde os círculos de satanistas e pedófilos da elite subterrânea, a escravidão até o tráfico sexual. O nível de corrupção pode parecer esmagador, mas sempre há algo que podemos fazer para ajudar! Uma indústria em particular que pode ajudar as vítimas do tráfico sexual livre é o sistema de serviços de prestação de saúde.

Cerca de 88% das vítimas de tráfico sexual terminam em salas de emergência enquanto ainda estão presas à escravidão. Isso significa que a equipe do hospital tem a oportunidade de interagir com essas vítimas e assim ajudá-las a escapar de sua prisão. A dificuldade é identificar os traficantes de sexo e depois entender como obter a ajuda de que precisam suas vítimas.

Um quarto dos profissionais de saúde acredita que seus pacientes estão envolvidos com o tráfico de seres humanos, mas muito poucos são realmente educados sobre como lidar corretamente com essa situação. Existem quase 6.000 hospitais nos Estados Unidos, mas apenas 60 deles têm protocolos específicos em vigor se suspeitarem que um de seus pacientes é vítima de tráfico. Como resultado, um alarmante índice de 95%do pessoal de salas de emergência não está adequadamente treinado no tratamento de vítimas de tráfico de seres humanos.

Infelizmente, tudo se resume à falta de financiamento, já que muitos hospitais simplesmente não podem se dar ao luxo de executar programas de educação para seus funcionários ou oferecer serviços adicionais às vítimas do tráfico de humanos. Felizmente, esse não é o caso em todos os casos. Alguns hospitais e médicos do Havaí, Nova York, Texas e Massachusetts abriram recentemente clínicas gratuitas para vítimas de tráfico humano e sexual.



E não são apenas os prestadores de cuidados de saúde que estão intensificando seus cuidados; por exemplo, Ashton Kutcher recentemente criou um software que atualmente está sendo usado por 4.000 funcionários nos EUA, o que permite que os responsáveis ​​pela lei reduzam o tempo de investigação em 60%. Outra ferramenta que a empresa desenvolveu, a Solace, prevê ser capaz de reduzir o tempo de investigação de três anos para apenas três semanas.

Kutcher realmente destacou outra indústria que tem o poder de fazer uma grande diferença para a vida das vítimas do tráfico sexual durante seu discurso no Congresso dos EUA – o sistema de acolhimento adotivo. Em 2016, o Centro Nacional de Crianças Desaparecidas e Exploradas estimou que um em seis fugitivos ameaçados de extinção relatados para eles era provavelmente vítima de tráfico sexual.

Ashton afirma: “Fiquei surpreso ao descobrir que 70% dos presos nas prisões de todo o país tocaram o sistema de acolhimento e 80% das pessoas no corredor da morte estavam em algum momento expostos ao sistema de acolhimento adotivo … As crianças cuidadas são 4 vezes mais propensas a serem expostas ao abuso sexual. Esse é um terreno fértil para o tráfico de seres humanos, eu prometo a você “.

Outro pipeline do tráfico que ele menciona é a falta de apoio à saúde mental oferecido tanto às vítimas quanto aos perpetradores do abuso. Nós não podemos apenas entregar prescrições médicas às pessoas e assumir que isso vai acabar com seus pesadelos. Qualquer pessoa que esteja sujeita a este tipo de abuso, ou seja o próprio agressor, provavelmente necessitará aconselhamento e terapia de longo prazo.

Esta não é apenas uma questão de busca e resgate, também. O tráfico de seres humanos só pode ser interrompido se trabalharmos para corrigir todo o sistema. Isso significa entender por que isso ocorre em primeiro lugar para que possamos evitar que isso ocorra, além de oferecer um melhor apoio às vítimas e punir seus perpetradores após o fato.



Talvez se o governo alocasse mais recursos para encontrar essas vítimas e evitar que esses anéis subterrâneos de satanistas e pedófilos existam em primeiro lugar, o tráfico de seres humanos não seria uma questão tão grande. No entanto, a triste realidade é, o governo dos EUA e as forças que o (das trevas, o Deep State) controlam são uma grande parte do problema.

Envolvimento do Governo dos EUA e sua Elite no tráfico sexual

De acordo com a Associação de Locais de Defesa da Proteção à Criança, os EUA têm a maior participação – um enorme índice de 50% – de sites de pornografia infantil comercializados no mundo. Inúmeros americanos cada ano também se envolverão em turismo sexual, que é quando alguém viaja para países com leis menos rígidas ou não envolvendo prostituição e escravidão sexual infantil, mas eles raramente são pegos fazendo isso.

Também houve muitas especulações nos círculos de abuso com sexo infantil sendo usados ​​por membros do alto escalão do governo dos EUA. Você pode estar familiarizado com o escândalo do PizzaGate, que supostamente descobriu um anel de pedófilo global elitista de alto nível no qual membros do governo dos EUA estavam envolvidos.

Isso ocorreu quando o Wikileaks lançou dezenas de milhares de e-mails do ex-chefe de gabinete da Casa Branca sob o governo de (pedófilo e satanista) Bill Clinton, Jon Podesta, que também atuou como gerente de campanha de (também pedófila e satanista) Hillary Clinton. É por causa desses e-mails que muitos afirmam que Jon Podesta também era parte desses anéis de tráfico de crianças para abuso sexual.


Sobre os criadores e controladores do sistema, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

 

3 Responses to Mulher vítima de escravidão sexual implantada com CHIP RFID nos EUA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *