Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

O Cartel do Federal Reserve (3): The Round Table (Mesa Redonda) e os Illuminati

Os ‘Quatro Cavaleiros da Banca’ internacional (Bank of America, JP Morgan Chase, Citigroup e Wells Fargo) são donos dos ‘Quatro Cavaleiros do Petróleo ‘(Exxon Mobil, Royal Dutch/Shell, BP e Chevron Texaco); em conjunto com o Deutsche Bank, BNP, Barclays e outros gigantes europeus do dinheiro antigo.  Mas seu monopólio sobre a economia global não termina no limite da área do petróleo/bancos. De acordo com os registros da empresa 10K para a SEC, os ‘Quatro Cavaleiros da Banca’ estão entre os dez maiores acionistas de praticamente todas as empresas da Fortune 500.[1]

O Cartel do Federal Reserve (3): The Round Table (Mesa Redonda) e os Illuminati

Fonte: Global Research – Por Dean Henderson

Primeira parte: O Cartel do Federal Reserve (1): as Oito Famílias

“Dê-me o controle do dinheiro de uma Nação e pouco me importa quem faça suas leis.” – Judeu Khazar Mayer Amschel Bauer (ROTHSCHILD)

De acordo com o livro do ex-agente de inteligência britânico John Coleman, The Committee of 300, os Rothschilds exercem controle político através da secreta The Round Table (Mesa Redonda), que criaram em 1909 com a ajuda de Lord Alfred Milner e do industrial sul-africano Cecil Rhodes. A bolsa Rhodes é concedida pela Universidade de Oxford, enquanto o propagandista da indústria petrolífera Cambridge Energy Research Associates opera na Universidade de Cambridge, apoiada por Rhodes.

Rhodes fundou a De Beers e o Standard Chartered Bank. De acordo com a exposição de Gary Allen, The Rockefeller File , Milner financiou os bolcheviques [judeus khazares] russos em nome dos Rothschilds, com a ajuda de Jacob Schiff e Max Warburg.

Em 1917, o Ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Arthur Balfour, escreveu uma carta ao  Segundo Lorde Sionista [judeu khazar] Lionel Walter Rothschild, na qual expressava apoio a uma pátria judaica em terras controladas pelos palestinos há quase dois mil anos no Médio Oriente. [1]

A Declaração Balfour justificou a apreensão brutal de terras palestinas para o estabelecimento de Israel pós-Segunda Guerra Mundial. Israel serviria, não como uma “pátria judaica” nobre, mas como eixo central no controle, agenda e projetos dos Rothschild/Oito Famílias sobre o abastecimento mundial de petróleo.  O Barão Edmond de Rothschild construiu o primeiro oleoduto do Mar Vermelho ao Mediterrâneo para levar o petróleo iraniano da BP para Israel. Ele fundou o Banco Geral Israelense e a Paz Oil. Ele é considerado por muitos o pai do Israel moderno. [2]

A sociedade The Round Table (Mesa Redonda) interna do Círculo de Iniciados incluiu Lord Milner, Cecil Rhodes, Arthur Balfour, Albert Gray e Lord Nathan Rothschild. A The Round Table leva o nome da mesa do lendário cavaleiro do Rei Arthur, cuja história do Santo Graal é fundamental para a noção Illuminati de Sangreal ou sangue sagrado.

John Coleman escreve em The Committee of 300 , “A Mesa Redonda armada com o acúmulo de imensa riqueza proveniente de monopólios de ouro, diamantes, bancos, petróleo e drogas espalhou-se por todo o mundo para assumir o controle das políticas fiscais e monetárias e da liderança política em todos os países onde operavam”.

Enquanto Cecil Rhodes e os Oppenheimers foram para a África do Sul, os Kuhn Loebs partiram para recolonizar a América. Rudyard Kipling foi enviado para a Índia. Os Schiffs e Warburgs maltrataram a Rússia com a revolução comunista. Os Rothschilds, Lazards e Israel Moses Seifs avançaram para o Oriente Médio . 

Em Princeton, Nova Jersey, a Mesa Redonda fundou o Institute for Advanced Study (IAS) como parceiro do All Souls College em Oxford. O IAS foi financiado pelo Conselho de Educação Geral de Rockefeller. Os membros da IAS Robert Oppenheimer, Neils Bohr com a ajuda de Albert Einstein criaram a bomba atômica. [3]

Em 1919, a The Round Table de Negócios de Rothschild gerou o Royal Institute of International Affairs (RIIA) em Londres. A RIIA logo patrocinou organizações irmãs em todo o mundo, incluindo o Conselho de Relações Exteriores dos EUA (CFR), o Instituto Asiático de Relações do Pacífico, o Instituto Canadense de Assuntos Internacionais, o Instituto de Relações Internacionais com sede em Bruxelas, a Sociedade Dinamarquesa de Política Externa , o Conselho Indiano de Assuntos Mundiais e o Instituto Australiano de Assuntos Internacionais. Outras afiliadas surgiram na França, Turquia, Itália, Iugoslávia e Grécia. [4]

A RIIA é uma instituição de caridade registada pela Rainha e, de acordo com os seus relatórios anuais, é financiada em grande parte pelos Quatro Cavaleiros. O ex-secretário de Relações Exteriores britânico e cofundador da Kissinger Associates, Lord Carrington, foi presidente da RIIA e do Grupo Bilderberg. 

O círculo interno do RIIA é dominado pelos Cavaleiros de São João de Jerusalém, Cavaleiros de Malta, Cavaleiros Templários e Maçons do Rito Escocês do 33º Grau. Os Cavaleiros de São João foram fundados em 1070 e respondem diretamente à Casa Britânica de Windsor. Sua principal linhagem é a dinastia Villiers, com a qual a família Matheson de Hong Kong se casou. A família Lytton também se casou com alguém da gangue Villiers. [5]

O coronel Edward Bulwer-Lytton liderou a sociedade secreta rosacruz inglesa, à qual Shakespeare opacamente se referiu como Rosencrantz, enquanto os maçons assumiam o papel de Guildenstern. Lytton foi o pai espiritual tanto do RIIA quanto do fascismo nazista. Em 1871 ele escreveu um romance intitulado Vril: The Power of the Coming Race . Setenta anos depois, a nazista Sociedade Vril recebeu ampla menção no Mein Kampf de Adolf Hitler. O filho de Lytton tornou-se vice-rei da Índia em 1876, pouco antes do aumento da produção de ópio naquele país. O bom amigo de Lytton, Rudyard Kipling, trabalhou sob o comando de Lord Beaverbrook como Ministro da Propaganda, ao lado de Sir Charles Hambro, da dinastia bancária Hambros. [6]

James Bruce, ancestral do fundador do Rito Escocês Maçom, Sir Robert the Bruce, foi o 8º Conde de Elgin. Ele supervisionou o comércio de escravos no Caribe como Governador Geral da Jamaica de 1842-1846. Ele foi embaixador da Grã-Bretanha na China durante a Segunda Guerra do Ópio. Seu irmão Frederick foi secretário colonial de Hong Kong durante as duas Guerras do Ópio. Ambos eram maçons proeminentes. O lorde britânico Palmerston, que comandou as Guerras do Ópio, era parente de sangue da monarquia Bruce, assim como seu secretário de Relações Exteriores, John Russell, avô de Bertrand Russell. [7]

Os filhos da elite da Mesa Redonda são membros de um culto dionisíaco conhecido como Filhos do Sol. Os iniciados incluem Aldous Huxley, TS Eliot, DH Lawrence e HG Wells. Wells chefiou a inteligência britânica durante a Primeira Guerra Mundial. Seus livros falam de um “cérebro mundial” e de “uma polícia da mente”. William Butler Yeats, outro membro do Sun, era amigo do mago negro Aleister Crowley. 

Os dois formaram um culto a Ísis baseado em um manuscrito de Madame Blavatsky, que conclamava a aristocracia britânica a se organizar em um sacerdócio ariano de Ísis. A maioria dos escritores proeminentes da literatura inglesa veio das fileiras da Mesa Redonda. Todos promoveram a expansão do Império, ainda que sutilmente. A Sociedade Teosófica de Blavatsky e os Rosacruzes de Bulwer-Lytton uniram forças para formar a Sociedade Thule, da qual surgiram os nazistas. [8]

Aleister Crowley formou a paralela britânica à Sociedade Thule, a Ordem Hermética Ísis-Urania da Golden Dawn. Ele ensinou o guru do LSD Aldous Huxley, que chegou aos EUA em 1952, o mesmo ano em que a CIA lançou seu programa de controle mental MK-ULTRA com a ajuda dos laboratórios suíços Sandoz, de propriedade de Warburg, e do primo Rockefeller, Allen Dulles, chefe da estação OSS nazista em Berna, na Suíça. Dulles recebeu informações da Casa da Irmandade Muçulmana da Arábia Saudita sobre a criação de Assassinos com mente controlada. O assistente de Dulles foi James Warburg. [9]

A União Atlântica (UA) era uma afiliada da RIIA fundada por Cecil Rhodes – que sonhava em devolver os EUA à Coroa Britânica. Em 1939, a União Atlântica (UA) abriu seus primeiros escritórios na América em um espaço doado por Nelson Rockefeller na 10 E 40th St na cidade de Nova York. Todos os anos, entre 1949 e 1976, uma resolução da UA era apresentada no Congresso apelando à revogação da Declaração de Independência e a criação de uma “NWO-Nova Ordem Mundial”. 

Outra afiliada do RIIA foi a United World Federalists (UWF) – fundada por Norman Cousins ​​e pelo assistente de Dulles, James P. Warburg. O lema da UWF era “Um único mundo ou nenhum”. O seu primeiro presidente, Cord Meyer, deixou o cargo para assumir uma posição-chave na CIA de Allen Dulles. Meyer articulou o objetivo da UWF: “Depois de ingressar no Governo Federado Mundial Único, nenhuma nação poderia separar-se ou revoltar-se… com a bomba atómica na sua posse, o Governo Federal iria exterminar essa nação da face da terra.” [10]

Em 1950, James Warburg, cujos irmãos mais velhos, Max e Paul, faziam parte do conselho de administração da associação empresarial nazista IG Farben, testemunhou perante a Comissão de Relações Exteriores do Senado: “Teremos um governo mundial, quer vocês gostem ou não – por conquista ou consentimento”. A UA e a UAF estão próximas do CFR e da Comissão Trilateral (TC) – fundada por David Rockefeller e Zbigniew Brzezinski em 1974. [11]

O TC publicou The Triangle Papers que alargou a “relação especial entre os EUA e a Europa Ocidental” para incluir o Japão, que estava rapidamente a tornar-se credor do resto do mundo. O ex-presidente do Federal Reserve, Paul Volcker, foi presidente do TC. Samuel Huntington, membro do TC/CFR de Harvard, que mais recentemente defendeu um “Choque de Civilizações” entre o Ocidente e o mundo muçulmano, escreveu na publicação do TC Crisis in Democracy: “…um governo que carece de autoridade terá pouca capacidade em curto prazo” de gerenciar uma crise cataclísmica para impor ao seu povo os sacrifícios que possam ser necessários”. [12]

Os Illuminati

Os Illuminati servem como conselho governante de todas as sociedades secretas. Suas raízes remontam aos Guardiões da Luz na Atlântida, à Irmandade da Serpente na Suméria, aos Roshaniya afegãos, às Escolas de Mistério Egípcias e às famílias genovesas que financiaram o Império Romano. O primeiro-ministro britânico Benjamin Disraeli, que “lidou” com o fundador da máfia e maçom do 33º Grau Guiseppe Mazzini, aludiu aos Illuminati num discurso perante a Câmara dos Comuns em 1856, alertando:

“Há em Itália um poder que raramente mencionamos. Quero dizer as sociedades secretas. A Europa…está coberta por uma rede de sociedades secretas, assim como as superfícies da Terra estão cobertas por uma rede de ferrovias.”[13]

Os Illuminati são para estas sociedades secretas o que o Banco de Compensações Internacionais-BIS é para os banqueiros centrais das Oito Famílias. E seus círculos eleitorais são exatamente os mesmos.

Os precursores dos maçons – A Ordem dos Cavaleiros Templários – fundaram o moderno conceito de sistema bancário e criaram um mercado de títulos como meio de controlar os nobres europeus através de dívidas de guerra. No século XIII, os Templários usaram o ouro saqueado das Cruzadas para comprar 9.000 castelos em toda a Europa e administraram um império que se estendia de Copenhague a Damasco.

Criaram técnicas bancárias modernas e legitimaram a usura através do pagamento de juros. Agências bancárias dos Templários surgiram por toda parte, respaldadas pelo ouro obtido de forma ilícita. Cobraram juros de até 60% sobre os empréstimos, lançaram o conceito de contas fiduciárias e introduziram um sistema de cartas de crédito para os peregrinos da Terra Santa.

Eles agiram como cobradores de impostos para monarcas e nobreza, embora isentos pelas autoridades da igreja romana, e construíram as grandes catedrais góticas da Europa, tendo também encontrado instruções sobre técnicas secretas de construção juntamente com o ouro que encontraram sob o Templo de Salomão. Os vitrais utilizados nas catedrais resultam de uma técnica gótica secreta conhecida por poucos. Quem aperfeiçoou essa arte foi Omar Khayvam, um bom amigo do fundador dos Nizari  Assassins, Hasan bin Sabah. [14]

Os Templários controlavam uma enorme frota de navios e a sua própria frota naval, na época a maior da Europa, baseada no porto atlântico francês de La Rochelle. Eles eram especialmente íntimos da realeza da Inglaterra. Eles compraram a ilha de Chipre de Ricardo Coração de Leão, mas mais tarde foram invadidos pelos turcos. 

Numa sexta-feira, 13 de outubro de 1307, o rei Filipe IV da França uniu forças com o papa Clemente V e começou a prender os Templários sob acusações que iam da necromancia ao uso de magia negra, de olho na fortuna da Ordem. Sexta-feira, 13, daquele dia em diante teria conotações negativas. 

Acredita-se que “Sion” seja uma transliteração de Sião, em si uma transliteração do antigo nome hebraico Jerusalém. O Priorado de Sião tornou-se público em julho de 1956. Um aviso de 1981 na imprensa francesa listou 121 dignitários como membros do Priorado. Todos eram banqueiros, membros da realeza ou membros do jet set político internacional. Pierre Plantard foi listado como Grão-Mestre. Plantard é descendente direto, através do Rei Dagoberto II, dos Reis Merovingios franceses. 

Plantard, que possuiu propriedades na área de Rennes-le-Chateau, no sul da França, onde está sediado o Priorado de Sião, afirmou que a ordem tem em sua posse um tesouro perdido recuperado sob o Templo de Salomão e que será devolvido a Israel quando for a hora certa. Ele também afirmou que num futuro próximo a monarquia seria restaurada na França e em outras nações. 

Aos Templários é imputado o conhecimento secreto de que Jesus Cristo se casou com Maria Madalena, teve dois filhos e uma filha para lançar a linhagem merovíngia na França e que ele era filho de José de Arimatéia. [15] que possuia propriedades na área de Rennes-le-Chateau, no sul da França, onde está sediado o Priorado de Sião.

José seria descendente do rei Salomão. O Templo de Salomão é o modelo para os Templos Maçônicos, que ocorrem sem falhas em todas as cidades de qualquer tamanho na América e alhures. Era um lugar de má reputação onde a fornicação, a embriaguez e o sacrifício humano eram a norma. De acordo com o pesquisador britânico David Icke, sua localização no Monte Moriah, em Jerusalém, também pode ter sido um centro de controle de vôo dos aliens Anunnaki. 

Os Annunaki são os reptilianos/alienígenas revelados pelos registros antigos das tábuas de argila em escrita suméria – os mais antigos relatos escritos da humanidade conhecidos. Os Cavaleiros Templários e os Cruzados saquearam seu enorme estoque de ouro e numerosos artefatos sagrados debaixo do Templo. O Rei Salomão era filho do Rei David – que durante seu reinado a partir de 1015 a.C. massacrou milhares de pessoas.

Icke chama o Rei David de “açougueiro” e afirma que o rei escreveu uma boa parte da Bíblia. Seu filho Salomão matou seu próprio irmão para se tornar rei. Ele aconselhou o faraó egípcio Shiskak I, casando-se com sua filha. Salomão estudou nas Escolas de Mistério Egípcias de Akhenaton, onde o controle da mente era desenfreado. 

A Grande Loja maçônica do Cairo gerou uma rede de sociedades secretas, incluindo Assassinos, Cabalistas, Maçons e a Roshaniya Afegã. Aqueles que passam para os níveis mais elevados tornam-se membro dos Illuminati, uma sociedade secreta fundada pelos Rothschild através de seu marionete Adam Weishaupt na cidade de Ingolstadt, na ALEMANHA, em  1 de Maio de 1776, dois meses apenas antes da independência dos EUA em 04 de julho.

Icke afirma que a Irmandade Cananéia era chefiada pelo deus/rei Melquisedeque, que pode ter sido um Annunaki. O Rei se concentrou na compreensão hebraica dos Mistérios Antigos. A Ordem de Melquisedeque tornou-se a sociedade secreta associada à Cabala. O Rei Salomão desenvolveu sua vasta sabedoria estudando as Tábuas do Destino Sumérias que Abraão possuía. Abraão também pode ter sido de origem Anunnaki.

Tanto ele quanto Melquisedeque foram ensinados pela Irmandade Suméria da Serpente, cujo nome pode ter algo a ver com a história bíblica da criação, onde Adão e Eva são tentados a partir de um abundante jardim do Éden, mundo de “pecado e servidão” por uma serpente. Quando a Bíblia diz que o primeiro casal comeu o fruto proibido, isso poderia significar que Eva foi engravidada pela serpente Annunaki (o Nephilim do Livro do Gênesis) – condenando assim todos os Adamu a uma vida de trabalho sob o controle da linhagem do rei serpente?

A base das Tábuas do Destino Sumérias que Abraão possuía ficou conhecida como Ha Qabala, hebraico para “luz e conhecimento”. Aqueles que compreenderam esses segredos enigmáticos [e o REALIZARAM], supostamente codificados em todo o Antigo Testamento, são chamados respeitosamente de Ram. A frase também é usada nos círculos espirituais celtas, budistas e hindus. Os Cavaleiros Templários trouxeram o conhecimento cabalístico para a Europa quando retornaram de suas aventuras nas Cruzadas no Oriente Médio. [16]

Os Cavaleiros criaram o Prieuré de Sion no Monte Sião, perto de Jerusalém, no século 11, para guardar relíquias sagradas como o Sudário de Turim, a Arca da Aliança e a Lança do Destino da família Habsburgo – que foi usada para perfurar Jesus Cristo. O objetivo mais importante do Priorado era guardar o ouro dos Templários e preservar a alegada linhagem de Jesus – o Sangreal real – que eles acreditam ser levada a cabo pela família francesa Bourbon Merovingia e pelos monarcas Habsburgos relacionados de Espanha e Áustria. [17] A dinastia francesa da Lorena, que descendia dos merovíngios, casou-se com um membro da Casa de Habsburgo para adquirir o trono da Áustria.

Os Habsburgos governaram o Sacro Império Romano até a sua dissolução em 1806, através do rei Carlos V e outros. As raízes da família remontam a uma propriedade suíça conhecida como Habichtburg, que foi construída em 1020. Os Habsburgos são parte integrante do Priorado de Sião. Muitos pesquisadores acreditam que o Rei Filipe dos Habsburgos da Espanha será coroado Rei Mundial Sangreal em Jerusalém. Os Habsburgos são parentes dos Rothschilds através de Arquibaldo II filho do Sacro Imperador Romano Frederico Barbarossa.

Os judeus khazares Rothschilds – líderes da Cabala, da Maçonaria e dos Cavaleiros Templários – estão no ápice do cartel bancário dos Illuminati e das Oito Famílias . A família acumulou a sua vasta riqueza emitindo títulos de guerra para a Nobreza Negra durante séculos, incluindo os Windsors britânicos, os Bourbons franceses, os von Thurn und Taxis alemães, os Savoys italianos e os Habsburgos austríacos e espanhóis. As Oito Famílias também se casaram com esses membros da realeza.

O autor David Icke acredita que os Rothschilds representam o chefe dos Reis Serpentes Anunnaki, afirmando:

“Eles (Rothschilds) tinham os chefes da coroa da Europa em dívida permanente com eles e isso incluía a dinastia da Nobreza Negra, os Habsburgos, que governaram o Sacro Império Romano por 600 anos. Os Rothschilds também controlam o Banco da Inglaterra. Se houvesse uma guerra, os Rothschilds estariam nos bastidores, criando conflitos e financiando ambos os lados.”[18]

Os Rothschilds e os Warburgs são os principais acionistas do Bundesbank [BC] alemão . Os Rothschilds controlam a maior casa bancária do Japão, Nomura Securities, através de uma associação entre Edmund Rothschild e Tsunao Okumura. Os Rothschilds são a família mais rica e poderosa do mundo. Eles também são consanguíneos. De acordo com vários biógrafos familiares, mais de metade da última geração de descendentes de Rothschild casou-se dentro da família, presumivelmente para preservar o seu sangue Anunnaki/Nephilim. [19]

O Grande Selo dos Estados Unidos de 1782 está carregado de simbolismo Illuminati. O mesmo acontece com o verso da nota de 1 dólar da Reserva Federal, que foi desenhada pelos maçons. A pirâmide do lado esquerdo representa aqueles no Egito – possivelmente farol espacial/fonte de energia para os Anunnaki – cujos faraós supervisionaram a construção das pirâmides usando trabalho escravo.

A pirâmide é um símbolo importante para os banqueiros Illuminati. Eles empregam Tríades, Trilaterais e Trindades para criar uma sociedade governada por uma elite Sangreal que preside as massas – representada por uma pirâmide. A Irmandade da Serpente adorava uma Trindade de Ísis, Osíris e Hórus – que pode ter sido descendente dos Anunnaki. A Irmandade difundiu o conceito de Trindade para as religiões cristã (Pai, ​​Filho e Espírito Santo), hindu (Brahma, Shiva e Krishna) e budista (Buda, Dharma e Sangha). [20]

O olho reptiliano no topo da pirâmide representado na nota de US$ 1 é o olho que tudo vê da  Roshaniya afegão, conhecido alternadamente como A Ordem e Ordem da Missão – nomes adotados pela Skull & Bones, Germanorden e pela Sociedade JASON. [21] Pegue uma lupa e observe a pupila do olho. Há uma imagem de um alienígena dentro da pupila. Eu não estou brincando.

Novus Ordo Seclorum aparece abaixo da pirâmide, enquanto Annuit Coeptis aparece acima do olho que tudo vê.  Annuit Coeptis significa “que ele sorria para nossos esforços (Grande Obra dos Séculos)”. Acima da águia do lado direito da nota estão as palavras “E Pluribus Unum“, em latim para “Um entre muitos”. A águia segura 13 flechas e 13 ramos de oliveira, enquanto 13 estrelas aparecem acima da cabeça da águia. A América foi fundada com 13 colônias. O último Grão Mestre templário Jaques deMolay foi executado numa sexta-feira, dia 13.

Os números 3, 9, 13 e 33 são significativos para as sociedades secretas. Diz-se que os maçons do 33º se tornaram Illuminati. De acordo com o falecido investigador William Cooper, o Grupo Bilderberg tem um poderoso Comité Político composto por 13 membros. É um dos 3 comitês de 13 que responderam (até sua recente morte) ao Príncipe Bernhard – membro da família Habsburgo e líder da Nobreza Negra. O Comitê de Política Bilderberg responde a uma Mesa Redonda Rothschild de 9. [22]

Notes

  • [1] “The Secret Financial Network Behind ‘Wizard’ George Soros”. William Engdahl. Executive Intelligence Review. 11-1-96
  • [2] Rule by Secrecy: The Hidden History that Connects the Trilateral Commission, the Freemasons and the Great Pyramids. Jim Marrs. HarperCollins Publishers. New York. 2000. p.83
  • [3] Ibid. p.89
  • [4] Fourth Reich of the Rich. Des Griffin. Emissary Publications. Pasadena, CA. 1978. p.77
  • [5] The Robot’s Rebellion: The Story of the Spiritual Renaissance. David Icke. Gateway Books. Bath, UK. 1994. p.195
  • [6] Ibid
  • [7] Dope Inc.: The Book that Drove Kissinger Crazy. The Editors of Executive Intelligence Review. Washington, DC. 1992. p.264
  • [8] Ibid. p.538
  • [9] Dope Inc.
  • [10] Ibid
  • [11] Ibid
  • [12] Marrs
  • [13] Icke. p.148
  • [14] Bloodline of the Holy Grail. Laurence Gardner. Element Books, Inc. Rockport, MA. 1996
  • [15] Holy Blood, Holy Grail. Michael Bagent, Richard Leigh and Henry Lincoln. Dell Publishing Company New York. 1983
  • [16] Icke.
  • [17] Behold a Pale Horse. William Cooper. Light Technology Press. Sedona, AZ. 1991. p.79
  • [18] Children of the Matrix. David Icke. Bridge of Love Publishing. Scottsdale, AZ. 2000.
  • [19] Marrs. p.71
  • [20] Icke. 1994. p.42
  • [21] Ibid. p.71
  • [22] Cooper

Dean Henderson é autor do livro Big Oil & Their Bankers in the Persian Gulf: Four Horsemen, Eight Families & Their Global Intelligence, Narcotics & Terror Network, de onde este resumo foi retirado, e The Grateful Unrich: Revolution in 50 Countries. Seu blog Left Hook está em www.deanhenderson.wordpress.com

O livro de Dean Henderson… abre as portas para expor uma cabala secular de oligarcas globais, cujo controle sobre a economia global é baseado na hegemonia sobre as três commodities mais valiosas do planeta: petróleo, armas e drogas – combinadas com a propriedade dos bancos centrais do mundo. Henderson envolve esses oligarcas na orquestração de uma série de conspirações desde Pearl Harbor ao assassinato de Kennedy e os atentados às torres gêmeas do 11 de setembro. Ele segue o rastro de dinheiro sujo na “cadeia alimentar” até as Oito Famílias cruzadas que – de sua base na cidade de Londres – controlam os Quatro Cavaleiros do Petróleo, o comércio global de drogas e a economia de guerra permanente.”Big Oil… é uma exposição extraordinária dos poderes e eventos que estão cobrando um preço alto de todos nós, o povo.” – Nexus New Times Magazine, Austrália.

”Big Oil… é de arrepiar os cabelos e uma obra-prima que merece nada menos que o Prêmio Pulitzer de Jornalismo. Este livro deve ser um requisito para todo americano estudar.” – Dr. Carlos J. Canggiano, MD, Juana Diaz, Porto Rico.


Dizem que existem apenas três tipos de pessoas no mundo:

  • Aquelas que fazem as coisas acontecer;
  • Aquelas que observam as coisas acontecerem e
  • Aquelas que ficam se perguntando o que aconteceu?
  • A vasta maioria da humanidade encontra-se nas duas últimas categorias.
  • A maioria tem “olhos para ver”, mas não enxerga o que está acontecendo.
  • A maioria tem “ouvidos para ouvir”, mas não compreende o que está acontecendo,
  • LOCAL, NACIONAL, ou INTERNACIONALMENTE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *