O Livro (Etíope) de Enoch, Anjos Caídos, Anunnaki, Nephilim e os Vigilantes (17)

Introdução: Este livro teve como base a tradução acadêmica de Michael A. Knibb do Manuscritos etíopes, (The Ethiopic Book of Enoch, Oxford University Press), que acredito ser a melhor tradução disponível atualmente. Eu ouvi pela primeira vez sobre o Livro de Enoch alguns anos atrás, quando eu estava pesquisando sobre as profecias do “Fim dos Dias”. Quando eu finalmente consegui ter uma cópia em minhas mãos, descobri que era um livro extraordinário e incomum. A primeira vez que o li fiquei cético e um tanto perplexo; eu me perguntei quem teria escrito um livro tão estranho como este.

O Livro (Etíope) de Enoch, Anjos Caídos, Nephilim e os Vigilantes

Fonte: The Ethiopic Book of Enoch – Oxford University Press

17) A PRIMEIRA VISÃO DE ENOCH

83.1 E agora, meu filho Matusalém, vou mostrar-te todas as visões que eu tive, recontando-as diante de ti.

83.2 Duas visões eu tive, antes de tomar para mim uma esposa, e nenhuma foi como a outra. A primeira vez, quando estava aprendendo a arte de escrever, e a segunda vez, antes de unir-me com tua mãe. Tive uma terrível visão e com respeito a ela fiz súplicas ao Senhor.

83.3 Eu tinha me deitado na casa de meu avô, Malalel, quando vi em uma visão como os Céus eram arremessados para baixo, e removidos, e caíram sobre a Terra.

83.4 E quando caiu sobre a Terra, vi como a Terra foi tragada em um grande abismo, e montanhas suspensas sobre montanhas, e montes afundavam sobre montes, e altas árvores eram arrancadas por suas raízes, e eram arremessadas para baixo, e afundavam no abismo.

83.5 E logo após uma palavra veio à minha boca, e eu ergui minha voz para gritar, e disse: “ A Terra está destruída!”

83.6 E meu avô, Malalel, me acordou, pois estava deitado perto dele, e me disse: “Porque gritas desta maneira, meu filho, e porque fazes tal lamentação?”

83.7 E eu lhe contei toda a visão, que eu tinha tido, e ele me disse: “Coisa terrível viste, meu filho! Tua visão em sonho é concernente aos segredos de todos os pecados da Terra; ela está prestes a ser tragada pelo abismo e ser completamente destruída.

83.8 E agora, meu filho, ergue-te e suplique ao Senhor da Glória, já que tens fé, para que alguns possam ser deixados na Terra, e que Ele possa não destruir toda a Terra.

83.9 Meu filho, dos Céus tudo isso virá sobre a Terra, e sobre a Terra haverá grande destruição.”

89.19 E então me levantei e orei, e fiz súplicas, e escrevi minha oração para as gerações da eternidade, e mostrarei tudo a ti meu filho Matusalém.

83.11 E quando eu tiver partido (daqui) debaixo e visto os céus, e o Sol nascendo a leste, e a Lua se pondo a oeste, e algumas estrelas, e toda a Terra, e tudo como Ele soube desde o princípio. Então bendirei ao Senhor do Julgamento e atribuído Majestade a Ele, pois Ele fez o Sol sair das janelas a leste, para que ele nasça e se ponha na face dos Céus, e siga o caminho que lhe foi mostrado.

84.1 E ergui minhas mãos em justiça e bendisse o Santo e Magnífico. E falei com o fôlego de minha boca, com a língua da carne, que Deus fez para os homens nascidos da carne para que com ela pudessem falar; e Ele lhes deu fôlego, e uma língua, e uma boca, para que possam falar com elas.

84.2 “Bendito sejas Tu, Ó Senhor Rei, Grande e Poderoso em Tua Majestade, Senhor de toda a Criação dos Céus, Rei dos Reis, e Deus de todo o mundo! E Tua Autoridade Real, e Tua Soberania e Tua Majestade durarão para sempre, e para todo o sempre, e Teu Poder, por todas as gerações. E todos os Céus são Teu trono, para sempre, e toda a Terra Teu escabelo para sempre, e para todo
o sempre.

84.3 Pois Tu fizeste, e Tu reinas, sobre todas as coisas, e nada é muito difícil para Ti, e nenhuma Sabedoria Te escapa, não se aparta de Teu trono, nem de Tua presença. E Tu sabes, e vês, e escutas tudo, e nada está oculto de Ti, pois Tu vês tudo.

84.4 E agora os Anjos de Teus Céus estão incorrendo em erro e Tua ira está sobre a carne dos homens até o dia do grande julgamento.

84.5 E agora, Ó Deus, Senhor, e Grande Rei, eu imploro e suplico a Ti que atenda minha oração, para deixar-me uma posteridade sobre a Terra e não destruir toda a carne do homem e tornar a Terra inabitada, de modo que haja lá uma eterna destruição.

84.6 E agora, meu Senhor, destrua da Terra a carne que provocou Tua ira, mas a carne da justiça e retidão estabelece como semente que germina para sempre. E não escondas Tua face da oração do Teu servo, Ó Senhor.”


Notas: (17) A PRIMEIRA VISÃO DE ENOCH (páginas 122-125)

Este capítulo serve como uma pequena introdução aos capítulos de profecias. Nele Enoch descreve um sonho perturbador que teve quando era jovem.


“A sabedoria (Sophia) clama lá fora; pelas ruas levanta a sua voz. Nas esquinas movimentadas ela brada; nas entradas das portas e nas cidades profere as suas palavras:  “Até quando vocês, inexperientes, irão contentar-se com a sua inexperiência? Vocês, zombadores, até quando terão prazer na zombaria? E vocês, tolos [ignorantes], até quando desprezarão o conhecimento?  Atentai para a minha repreensão; pois eis que vos derramarei abundantemente do meu espírito e vos farei saber as minhas palavras [o conhecimento]”. – Provérbios 1:20-23


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.327 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth