O Plano Para Destruir a América

Nos Estados Unidos, temos um problema de oligarquia, e é muito maior do que o problema de oligarquia de judeus khazares russos que Putin enfrentou quando se tornou presidente da Rússia em 2000. Todo o Ocidente está agora nas garras de elites bilionárias, muitos são psicopatas, que controlam as pre$$tituta$ da mídia, o establishment político, Big Pharma, Complexo Industrial Militar, mídia social Big Techs, et caterva e todas as nossas instituições mais importantes. 

O Plano Para Destruir a América e implantar uma NWO

Fonte: The Unz Review – De autoria de Mike Whitney

Nos últimos anos, vimos esses oligarcas expandirem sua influência dos mercados, finanças e comércio para a política, questões sociais, cultura e até a saúde pública. O impacto que esse grupo teve nessas outras áreas de interesse foi de tirar o fôlego. As elites do establishment e suas pre$$tituta$ da mídia não apenas apoiaram e criaram o Russiagate, o impeachment de Trump, [fraudaram eleições] os distúrbios do BLM e o fiasco de 6 de janeiro, mas também participaram da tirania da Covid e da série de medidas repressivas impostas em nome da saúde pública. 

O que gostaríamos de saber é até que ponto esse grupo está ativamente envolvido na formação de outros eventos que visam transformar a República Americana em um sistema ainda mais autoritário?

Em outras palavras,  são as injeções obrigatórias, os bloqueios e mascaramentos forçados, a censura agressiva implementada pelo governo, gigantes de Mídia Social, as eleições presidenciais duvidosas, a queima de fábricas de processamento de alimentos, o descarrilamento de trens, erupção de “Gripe Aviária” H5N1, os ataques à rede elétrica, os distúrbios BLM-Antifa, os shows de drag queens para crianças em idade escolar, o foco maníaco nas questões de gênero, wokism e os julgamentos públicos chamativos são apenas incidentes aleatórios que ocorrem espontaneamente durante um período de grande mudança social ou são, de fato, evidências de uma operação orquestrada intencional e furtivamente conduzida por agentes do estado agindo em nome de seus benfeitores de elite? 

Já sabemos que o FBI, o DOJ e as agências de inteligência estiveram diretamente envolvidos no escândalo fake Russiagate – que foi um ataque secreto ao presidente dos Estados Unidos, Trump.  Portanto, a questão não é “se” essas agências estão ativamente envolvidas em outros atos de traição, mas, sim, até que ponto esses atos impactam a vida dos americanos comuns, nossa política e o país? 

Mas antes de respondermos a essa pergunta, dê uma olhada nesta citação de uma entrevista recente do Coronel Douglas MacGregor:

Eu estava lendo um documento de autoria de [judeu khazar] George Soros há mais de 10 anos, no qual ele fala especificamente sobre essa guerra total que acabaria por vir contra a Rússia, porque ele disse que este ‘foi o último estado nacionalista que repousa sobre uma cultura com fundação de cristianismo ortodoxo com a identidade russa em seu núcleo. Isso tem que ser removido. Então eu acho que  as pessoas que estão no comando no oeste e as pessoas no comando em Washington pensam que destruíram com sucesso as identidades dos povos europeus e americanos, que não temos mais noção de nós mesmos, nossas fronteiras estão indefesas, não apresentamos resistência aos migrantes que chegam do mundo em desenvolvimento que essencialmente passam por cima de nós como se devêssemos a eles a vida e que nossas leis não contam. Assim, até aqui eu diria que é uma avaliação precisa do que temos feito. E acho  que é uma grande vitória para George Soros e os globalistas [judeus khazares], os antinacionalistas; aqueles que querem fronteiras abertas o que chamam de “Sociedade Aberta” porque você acaba sem nada, uma massa amorfa de pessoas lutando para sobreviver que são reduzidas aos níveis mais baixos de subsistência … (Soros) chega a falar sobre quão útil seria se fossem os europeus orientais cujas vidas fossem gastas neste processo e não os europeus ocidentais que simplesmente não aceitariam as baixas. Este não é um assunto menor. Esse é o tipo de pensamento que é tão destrutivo e tão perverso, na minha opinião, que é com isso que realmente estamos lidando em nossos próprios países e acho que Putin [ele SABE] reconhece isso.” ( Douglas Macgregor – A Huge Offensive” , You Tube;, 11:20 minutos)

A razão pela qual transcrevi este comentário do coronel MacGregor foi porque ele resume as percepções de muitas pessoas que veem as coisas da mesma maneira. Demonstra o ódio que os bilionários globalistas têm contra cristãos, conservadores e patriotas, os quais eles veem como obstáculos ao seu objetivo de um governo mundial sem fronteiras, e para que isso seja conquistado, os EUA tem que cair primeiro. 

MacGregor discute esse fenômeno em relação à Rússia, que Soros vê como “o último estado nacionalista que se baseia na cultura cristã ortodoxa com a identidade russa em seu núcleo”. Mas a mesma regra poderia ser aplicada aos manifestantes de 6 de janeiro, não? Não é essa a verdadeira razão pela qual os manifestantes foram presos e jogados no gulag de Washington? Afinal, todos sabem que não houve “insurreição” nem houve “supremacia branca”. 

Os manifestantes foram presos porque são nacionalistas (patriotas) que são inimigos naturais dos globalistas. A citação de MacGregor apresenta tudo em preto e branco. As elites não acreditam que os nacionalistas possam ser persuadidos pela propaganda. Eles devem ser erradicados através do encarceramento ou pior. Não é essa a mensagem subjacente do pós 6 de janeiro?

A outra mensagem subjacente de 6 de janeiro é que as pessoas comuns não podem mais desafiar a autoridade das pessoas no poder. Mais uma vez, a legitimidade política nos Estados Unidos sempre foi determinada pelas eleições. O que 6 de janeiro indica é que a legitimidade não importa mais. O que importa é o poder, e a pessoa que pode mandar prender você por questionar sua autoridade, tem todo o poder de que precisa para tanto. Confira este trecho de uma postagem no Substack do analista político Kurt Nimmo:

[o judeu khazar] Klaus Schwab, aluno do criminoso de guerra Henry Kissinger [um judeu khazar], é um mentor de sociopatas narcisistas e lacaios sedentos de posição de poder. O “Great Reset” do WEF foi projetado para transformar o mundo em um campo de concentração social empobrecido, onde servos destituídos “não possuem nada, comerão insetos e serão felizes” e isso, no verdadeiro estilo orwelliano, os libertará

Eu desafio as pessoas a investigar a Global Redesign Initiative [Iniciativa Global de Redesenho] do WEF. Segundo o Transnational Institute da Holanda, esta “iniciativa” propõe :

uma transição da tomada de decisões intergovernamentais para um sistema de governança multissetorial. Em outras palavras, furtivamente, eles estão marginalizando um modelo reconhecido onde votamos em governos que então negociam tratados que são então ratificados por nossos representantes eleitos com um modelo onde um grupo auto-selecionado de ‘oligarcas’ toma decisões em nosso nome. (Enfase adicionada.)

Em outras palavras, grandes “stakeholders” corporativos transnacionais decidirão onde você mora, o que você come (insetos e ervas daninhas), como você se reproduz (ou não se reproduz; crianças produzem muita “emissões de carbono”) e o que você pode “alugar” deles, ou não ter permissão para alugar se você reclamar de um cartel “econômico” globalista não eleito levando a humanidade à servidão, à pobreza mundial e ao despovoamento. (“ WEF clama pela destruição da classe média americana“, Kurt Nimmo sobre geopolítica)

O que Nimmo está dizendo é que essas elites bilionárias agora são tão poderosas que podem dizer abertamente que farão a “transição da tomada de decisões intergovernamentais” (ou seja, governo representativo) para um sistema de “governança multiglobalista”.

Se não me engano, essa é uma declaração bastante inequívoca de uma nova forma de governo [NWO] supranacional, na qual apenas os acionistas bilionários têm direito a voto sobre quais políticas serão implementadas para os “camponeses”. Mas já não é assim que as coisas já funcionam? Em vários tópicos, desde ESG, moedas digitais, passaportes de vacinas, IA, transgenerismo, pesquisa de ganho de função em vírus, cidades de 15 minutos, transumanismo, guerra com a Rússia; as decisões estão sendo tomadas por um punhado de pessoas que conhecemos bem e que nunca foram eleitas para nenhum cargo público.

E isso nos traz de volta à nossa pergunta original: quantos desses eventos excêntricos (nos últimos anos) foram evocados e implementados por agentes do estado profundo para promover a agenda elitista?

Esta parece ser uma pergunta impossível, pois é difícil encontrar uma ligação entre esses eventos dramaticamente diversos. Por exemplo, qual é a ligação entre uma Hora de leitura para as Crianças de Drag Queen e, digamos, bombardear uma fábrica de processamento de alimentos em Oklahoma? Ou a implacável exploração política das questões de gênero e os julgamentos públicos de 6 de janeiro? Se houvesse uma conexão, nós a veríamos, certo?

Não necessariamente, porque o link pode não ter nada a ver com o incidente em si, mas sim com seu impacto nas pessoas que o vivenciam. Em outras palavras, todos esses eventos podem ter como objetivo gerar medo, incerteza, ansiedade, alienação e até terror. As agências de inteligência lançaram tais operações desestabilizadoras antes?

Na verdade, eles o fizeram, muitas vezes, exaustivamente. Aqui está um trecho de um artigo que irá ajudá-lo a ver onde estou indo com isso. É de um artigo do The Saker intitulado Operation Gladio: NATO’s Secret War for International Fascism. Veja se você percebe alguma semelhança com a forma como as coisas estão se desenrolando na América nos últimos anos:

Yves Guerin-Serac: o Grande Mestre das Operações Negras por trás da Operação Gladio…. escreveu os manuais básicos de treinamento e propaganda que podem ser razoavelmente descritos como a ordem de batalha do Gladio.”…

Guerin-Serac foi um herói de guerra, agente provocador, assassino, homem-bomba, agente de inteligência, católico messiânico e o grande mestre intelectual por trás da ‘Estratégia de Tensão’ essencial para o sucesso da Operação Gladio. Guerin-Serac publicou via Aginter Press o manual Gladio, incluindo Nossa Atividade Política no que pode ser adequadamente descrito como o Primeiro Mandamento de Gladio:

“Acreditamos que a primeira fase da atividade política deva ser criar as condições que favoreçam a instalação do caos em todas as estruturas do regime. Em nossa opinião, o primeiro movimento que devemos fazer é destruir a estrutura do estado democrático sob a cobertura de atividades comunistas e pró-soviéticas… Além disso, temos pessoas que se infiltraram nesses grupos”.Guerin-Serac continua:

“Duas formas de terrorismo podem provocar tal situação [o colapso do Estado]: o terrorismo cego (cometendo massacres indiscriminadamente que causam um grande número de vítimas) e o terrorismo seletivo (eliminar pessoas escolhidas)…

Essa destruição do Estado deve ser realizada sob a cobertura de ‘atividades comunistas’. Depois disso, devemos intervir no seio dos militares, do poder judiciário e da igreja, a fim de influenciar a opinião popular, sugerir uma solução e demonstrar claramente a fragilidade do atual aparato legal. A opinião popular deve estar tão polarizada que estaremos sendo apresentados como o único instrumento capaz de salvar a nação”.

A violência aleatória anárquica seria a solução para trazer tal estado caótico de instabilidade, permitindo assim um sistema completamente novo, uma ordem autoritária global Yves Guerin-Serac, que era um fascista declarado, não seria o primeiro a usar táticas de bandeira falsa que foram atribuídas aos comunistas e usadas para justificar o controle policial e militar mais rigoroso do estado…” ( “Operação Gladio: Guerra Secreta da OTAN para o Facismo Internacional” , The Saker)

Repito: a primeira fase da atividade política deve ser criar as condições que favoreçam a instauração do caos em todas as estruturas do regime a ser derrubado… Essa destruição do Estado deve ser realizada sob a cobertura de atividades (comunistas)…. A opinião popular deve estar tão polarizada que estamos sendo apresentados como o único instrumento capaz de salvar a nação”.

Em outras palavras, o objetivo da operação é romper completamente todas as relações e interações sociais, cultivar sentimentos de incerteza, ódio, raiva, polarização e terror, encontrar um grupo que possa servir de bode expiatório para o amplo colapso social e, então, apresentar-se (as elites, os oligarcas) como a melhor escolha para restaurar a ordem.

É isso que já está acontecendo?

É muito possível. Tudo poderia fazer parte de uma Grande Estratégia destinada a “limpar a lousa” para “fazer a transição da tomada de decisões intergovernamentais” para um sistema de “governança com várias partes [apenas das elites] interessadas”.

Isso poderia explicar por que esta havendo um ataque tão cruel e contínuo à nossa história, cultura, tradições, crenças religiosas, monumentos, heróis e fundadores. Eles querem substituir nosso idealismo por sentimentos de vergonha, humilhação e culpa. Eles querem apagar nosso passado, nossos valores coletivos, nossa herança, nosso compromisso com a liberdade pessoal e a própria ideia da América. Eles querem arrasar tudo e começar de novo e de acordo com a agenda deles. Esse é o plano de jogo básico em grande escala.

A destruição do estado [ocidental] está sendo realizada sob a cobertura de eventos aparentemente aleatórios que estão espalhando o caos, exacerbando as divisões políticas, aumentando os incidentes de caos público e abrindo caminho para uma violenta reestruturação do governo.

Eles não podem construir uma Nova Ordem Mundial até que a antiga seja destruída.


E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a BESTA. Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; Vencerão os que estão com Ele, Chamados, e Eleitos, e Fiéis. E disse-me: As águas que viste, onde se assenta a prostituta [ROMA], são povos, e multidões, e nações, e línguas“. – Apocalipse 17:12-15

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é nabucodonoor-estatua-daniel.png

A estátua do sonho de Nabucodonosor, um símbolo daquilo que a humanidade construiria na Terra. Os dias de insanidade da atualidade estão contados, muito em breve, a “Grande Prostituta”, a cidade de Roma será varrida da face da Terra, dando início a derrota completa dos servidores das trevas e o fim de seus planos nefastos para o controle do planeta. Em 2023 o Brasil terá um papel decisivo na Guerra entre a Luz e as trevas.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.325 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth