Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

O que acontece se a Rússia Fechar as Torneiras de Gás para a Europa

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, indicou na quarta-feira que todas as exportações de energia GÁS E PETRÓLEO] e commodities do país podem ser cotadas apenas em rublos. Moscou já exigiu que as exportações de gás para países hostis sejam pagas em moeda russa à partir de 31 de março. Peskov foi questionado sobre os comentários do presidente do parlamento, Vyacheslav Volodin, que no início do dia pediu que todas as exportações de commodities russas fossem precificadas em moeda russa, o rublo.

Prazo final em 31 de março para mudança de pagamentos para rublos para os países importadores de óleo e gás da Rússia

Fonte: Rússia Today

A Rússia deu aos países “hostis” um prazo até 31 de março para iniciarem os pagamentos das importações de gás natural em rublos. A nova regra de troca de moeda afetará os países que impuseram sanções econômicas à nação e congelaram suas reservas em moeda estrangeira. Isso diz respeito particularmente a alguns países da UE que dependem fortemente do fornecimento de energia russo.

  1. O que acontecerá depois de 31 de março?
    A Rússia diz que a Europa não receberá gás de graça se os países se recusarem a pagar em rublos. “Não vamos fornecer gás de graça, isso está claro”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, na terça-feira. Quando perguntado se o gás seria desligado para não pagantes, Peskov respondeu: “Sem pagamento, sem gás”. Ele acrescentou, no entanto, que a Rússia ainda não tomou uma decisão final sobre como responder se os países europeus se recusarem a pagar na moeda russa.
  2. Quanto a Europa depende do gás russo?
    A Europa depende fortemente do gás russo para aquecimento e geração de energia. O gás russo representa cerca de 40% do consumo total da Europa. As importações de gás da UE da Rússia este ano ficaram entre € 200 milhões e € 800 milhões por dia.
  3. O que acontece na Europa sem gás russo?
    A Comissão Europeia disse que planeja reduzir a dependência da UE do gás russo em dois terços este ano e encerrar sua dependência de suprimentos russos “bem antes de 2030”. No entanto, os economistas dizem que não é fácil substituir os 1.550 terawatts-hora de gás russo entregues à UE em 2021. A Europa não pode substituir o déficit de oferta rapidamente; terá de conter a procura. Enquanto isso, o aumento das importações de gás natural liquefeito (GNL) em um mercado global de GNL já apertado colocaria imensa pressão ascendente sobre os preços. Isso seria um grande golpe para a economia europeia, que já sofre com os preços altíssimos da energia. Uma interrupção prolongada no fornecimento de gás russo teria um custo para a UE e poderia até resultar em alguns países mais expostos às flutuações do gás russo, como Itália e Alemanha, tendo que tomar medidas de emergência. O chanceler alemão Olaf Scholz alertou que a proibição das importações de energia russa desencadearia uma recessão econômica em toda a Europa.
  4. Quais são as implicações mais amplas?
    Existe o risco de uma crise energética global. A Rússia é o maior exportador de gás natural do mundo e o segundo maior exportador de petróleo bruto, atrás da Arábia Saudita, segundo a Agência Internacional de Energia. Substituir o gás russo não será fácil. A Europa terá que comprar gás no mercado aberto, o que significa que, se comprarem de países como o Catar ou os EUA, terão que pagar mais. Isso também significa que o gás que eles compram não irá para outro lugar. O resultado será preços mais altos do gás em todos os lugares, já que os países se superam em ofertas limitadas.
  5. Os preços do petróleo serão afetados?
    A Rússia fornece cerca de quatro milhões de barris de petróleo por dia para a União Europeia. Ao contrário do gás, cuja oferta ainda é regulada em maior medida por contratos de longo prazo, o preço do petróleo é volátil e é determinado pela oferta e demanda. Se a Europa ainda decidir abandonar o petróleo russo, os preços do petróleo podem subir para US$ 200 por barril, ou até mais, alertam analistas.
  6. A Rússia venderá outras commodities em rublos?
    O presidente Vladimir Putin deu a entender durante o anúncio de seu plano de pagamento que o gás natural pode ser a primeira commodity russa a ser vendida em rublos. Se o Ocidente impor mais sanções, aumenta a possibilidade de que outras commodities de exportação russas possam ser precificadas em rublos, incluindo petróleo bruto, carvão, metais, terras raras, minerais, pedras preciosas, diamantes, gases nobres, madeira, fertilizantes, óleo alimentar e grãos.
  7. Quem piscará primeiro quando o prazo de pagamento se aproximar?
    Até agora, os países da UE e do G7 rejeitaram a exigência da Rússia de mudar seus pagamentos de gás para rublos. A Rússia disse que não fornecerá gás gratuito, sugerindo que está pronta para fechar as torneiras. Se isso acontecer, Moscou perderia entre € 200 milhões e € 800 milhões a cada dia do embargo. No entanto, a Rússia poderia redirecionar parte do gás para a Ásia. A Europa provavelmente enfrentaria uma crise econômica não vista desde a Segunda Guerra Mundial, já que o aumento dos preços da energia levaria as economias da região à recessão. Então, quem vai piscar primeiro? Façam suas apostas, pois o hospício ocidental, a cada dia que passa, fica mais histérico . . . .

Todas as exportações russas poderão em breve estar em rublos

Aumentou a possibilidade de que outras commodities de exportação russas possam ser vendidas somente em rublos, incluindo petróleo bruto, carvão, metais, terras raras, minerais, pedras preciosas, gases nobres, madeira, fertilizantes, óleos alimentícios e grãos.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, indicou nessa quarta-feira que todas as exportações de energia e commodities do país podem ser cotadas em rublos. Moscou já exigiu que as exportações de gás para países hostis sejam pagas em moeda russa a partir de 31 de março. Peskov foi questionado sobre os comentários do presidente do parlamento, Vyacheslav Volodin, que no início do dia pediu que todas as exportações de commodities russas fossem precificadas em moeda doméstica.

“Esta é uma ideia que definitivamente deve ser trabalhada”, disse o porta-voz do Kremlin.

De acordo com Peskov, o papel do dólar americano como moeda de reserva global já havia sido atingido e uma mudança para precificar as maiores exportações da Rússia em rublos seria “do nosso interesse e dos interesses de nossos parceiros”.

Na semana passada, o presidente russo, Vladimir Putin, ordenou que o governo desenvolvesse as ferramentas necessárias para mudar todos os pagamentos pelo gás natural russo de “estados hostis” compradores [EUA-União Europeia-Japão-Canadá] para rublos a partir de 31 de março. A medida diz respeito a países que impuseram sanções econômicas à Rússia e congelaram as reservas estrangeiras de Moscou.

Em resposta, Volodin disse em um post relacionado no Telegram: “Se você quer gasolina, encontre rublos”,  acrescentando: “Além disso, seria certo – onde é benéfico para o nosso país – ampliar a lista de produtos de exportação com preços em rublos. para incluir: fertilizantes, grãos, óleo alimentar, carvão, petróleo bruto, metais, madeira, etc.”


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *