browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

‘Ordo Ab Chao’: Guerra Rússia x Ucrânia foi Projetada para Beneficiar os Globalistas

Posted by on 25/02/2022

Ordo Ab Chao’ (a Ordem vem do Caos): Nos próximos dois meses, é provável que haja envolvimento militar direto dos EUA na Ucrânia, com a Rússia agora apoiando e reconhecendo abertamente grupos separatistas na região de Donbass, no extremo leste do país, e invadindo e bombardeando a Ucrânia e se movendo para ajudá-los militarmente na separação. Esta não é a primeira vez que a Rússia envia unidades militares para a Ucrânia, mas é a primeira vez desde 2014 e a anexação da Crimeia que a ameaça de ação militar foi aberta e não encoberta.

O corrupto ESTABLISHMENT fará qualquer coisa para impedir que sites como o nosso revelem a verdade. A mídia corporativa Big Tech faz isso desmonetizando sites como o meu, bloqueando o site da receita de publicidade. Se você receber e perceber algum valor real deste site, mantenha-o funcionando com uma doação.


‘Ordo Ab Chao’ (a Ordem vem do Caos): Guerra Rússia x Ucrânia foi Projetada para Beneficiar os Globalistas

Fonte: AltMarket.UsPor Brandon Smith

Quando o conflito irrompeu, você viu um enxame de histórias da mídia em países ocidentais tentando delinear a complexidade do relacionamento entre a Rússia e a Ucrânia desde a queda da União Soviética, ignorando certas verdades inconvenientes

Você verá muitas dessas histórias construir uma narrativa que simplifica demais a situação e pinta a Rússia como o agressor monstruoso. O objetivo será convencer o público de que o envolvimento dos EUA na Ucrânia é uma necessidade moral e geopolítica. Haverá tentativas de ganhar o favor americano e um pedido de soldados dos EUA no terreno. Joe Biden estará na vanguarda desse esforço.

O gatilho superficial para o confronto está obviamente enraizado na decisão de 2009 das potências ocidentais e autoridades ucranianas de considerar o país como membro da OTAN. A maioria das ações da Rússia ao lidar com a Ucrânia pode ser devida ao envolvimento de expansão da OTAN na região, incluindo a invasão russa da Crimeia em 2014. Estrategicamente, faz sentido. Imagine se o México de repente anunciasse que estava se juntando a uma aliança militar com a China e que os ativos militares chineses seriam transferidos perto da fronteira sul dos EUA?  Isso provavelmente não terminaria bem.

Certamente, a Rússia tem um histórico de comportamento hipócrita quando se trata de seu envolvimento nos assuntos de seus vizinhos. Por exemplo, apenas alguns meses atrás, o Cazaquistão enfrentava protestos em massa que o governo alegou terem sido causados ​​por “manipulação estrangeira”. Prova zero foi apresentada para justificar esta afirmação. No entanto, a alegação foi suficiente para racionalizar o envio de 2.300 soldados russos pela fronteira para encerrar os protestos.

Na realidade, os cidadãos do Cazaquistão estavam irritados com o aumento da inflação e os altos preços do gás que continuam a oprimir a classe média e os pobres (soa familiar?). Em 2019, apenas 4% da população vivia abaixo da linha oficial de pobreza. Em 2020, esse número explodiu para 14% da população cazaque. É difícil encontrar números precisos para 2021, mas é provável que os níveis de pobreza estejam agora mais próximos de 16%-20%. As razões para a agitação civil eram óbvias e justificadas, mas os cazaques que protestavam foram acusados ​​de serem peões de inimigos estrangeiros. Como observei em muitos artigos ultimamente, essa é uma estratégia típica de governos corruptos que tentam manter o poder quando o povo se levanta e se rebela por motivos legítimos.

Mais uma vez, imagine se o governo canadense sob [o covarde] Justin Trudeau pedisse assistência militar dos EUA para dispersar os protestos dos caminhoneiros contra seus mandatos draconianos de vacina covid? Precisamos olhar para essas decisões no contexto para entender o quão insanas elas realmente são.

Ironicamente, a Rússia está feliz em apoiar a agitação dos separatistas na Ucrânia, ao mesmo tempo em que ajuda a silenciar a agitação no Cazaquistão. Mantenha esse padrão em mente porque ele ajudará a entender como os eventos em torno da Rússia refletem uma tendência global que pode afetar os americanos no futuro.

A confusão diplomática entre a Ucrânia e a Rússia pode ser atribuída em parte a ambos os lados, e é nesse tipo de ambiguidade histórica que os globalistas tendem a prosperar. A névoa da guerra ajuda a obscurecer as atividades do establishment e muitas vezes é difícil para as pessoas verem quem está realmente se beneficiando do caos até que seja tarde demais. É minha convicção que o problema da Ucrânia é pelo menos parcialmente engendrado e concebido como o primeiro dominó numa cadeia sucessiva de crises pretendidas.

Não acho que haja algo único no conflito da Ucrânia para os globalistas; eles poderiam facilmente ter tentado iniciar uma guerra regional em Taiwan, Coréia do Norte, Irã, etc. Existem vários países semelhantes a barris de pólvora que eles cultivam há algumas décadas. Não devemos nos concentrar em quem é o culpado entre a Ucrânia ou a Rússia, devemos nos concentrar nos efeitos que resultarão de qualquer grande desastre regional e como os globalistas exploram essas catástrofes para promover a agenda de centralização total do poder e mais dinheiro em suas mãos.

O cenário da Ucrânia poderia ser facilmente neutralizado se ambos os lados tomassem algumas medidas diplomáticas básicas, mas isso não vai acontecer. Autoridades da Otan podem dar um passo atrás em sua busca de adicionar a Ucrânia às suas fileiras. Os EUA podem parar de despejar dinheiro e armas na Ucrânia no valor de US$ 5,4 bilhões desde 2014 . Mais de 90 toneladas de equipamento militar foram enviadas ao país somente em 2022. A Rússia poderia parar de enviar unidades secretas de operações especiais para o Donbass e estar mais disposta a vir à mesa para discutir soluções diplomáticas. A razão pela qual essas coisas não acontecem é porque elas não são permitidas pelos agentes do poder por trás da cortina.

Estamos todos cientes das influências globalistas por trás dos líderes dos EUA e da OTAN, apresentamos a evidência inegável disso regularmente. A inclinação de Biden por instituições globalistas é bem conhecida. Mas e a Rússia?

Schwab e Putin em reunião do WEF em Davos

Há alguns na mídia alternativa e no movimento pela liberdade que acreditam falsa e cegamente que a Rússia é antiglobalista – Nada poderia estar mais longe da verdade. Assim como muitos líderes políticos, Putin às vezes usa a retórica antiglobalista, mas seus relacionamentos contam outra história. Na primeira autobiografia de Putin, intitulada ‘Primeira Pessoa’, ele discute com carinho seu primeiro encontro com o globalista da Nova Ordem Mundial o judeu khazar Henry Kissinger como membro do FSB (antigo KGB). À medida que Putin subiu na hierarquia política, ele manteve uma amizade constante com Kissinger e até hoje eles almoçam regularmente e Kissinger foi conselheiro de vários ramos do Kremlin.

Não para por aí, no entanto. Putin e o Kremlin também mantêm um diálogo constante com o Fórum Econômico Mundial-WEF, projeto do agora notório globalista Klaus Schwab. De fato, apenas no ano passado a Rússia anunciou que estava se juntando à “Rede Quarta Revolução Industrial” do WEF, que se concentra na socialização econômica, Inteligência Artificial, a “internet das coisas” e uma série de outros interesses globalistas que levarão à tecnocracia, à tirania mundiais e governo e moeda únicos.

Mais uma vez, o governo russo NÃO é anti-globalista. Essa afirmação é absurda e sempre foi. Eu atribuiria a fantasia da oposição russa a um fluxo constante de propaganda e ao que chamo de Falso Paradigma Oriente/Ocidente – A noção fraudulenta de que a agenda globalista é uma agenda puramente ocidental ou americana e que países como China e Rússia se opõem a ela. Se você observar as interações próximas entre o Oriente e os globalistas, essa ideia desmorona completamente.

É importante entender que a maioria dos conflitos entre o Oriente e o Ocidente são conflitos planejados e os líderes de AMBOS OS LADOS não estão real e verdadeiramente em conflito um com o outro. Em vez disso, essas guerras são o Teatro Kabuki; são guerras de conveniência para alcançar a implantação de agendas secretas enquanto hipnotizam as massas com momentos de terror e calamidade. 

Para quem AINDA tem dúvidas sobre isso, eu recomendo que leia as obras exaustivamente pesquisadas e evidenciadas do historiador e economista profissional Antony Sutton , que acidentalmente tropeçou nos fatos que cercam a conspiração globalista e então ele passou a expor seu hábito [dos globalistas, Illuminati, Khazares, Oligarcas, et caterva] de jogar os dois lados de quase todas as guerras do século passado, desde a Revolução Bolchevique até a Segunda Guerra Mundial.

A estratégia de ordem a partir do caos não é novidade, é algo que os globalistas vêm fazendo há muito tempo. O número de revelações abertas pós-Covid sobre a ‘Grande Reinicialização’ que os globalistas admitiram publicamente é tão impressionante que seus planos não podem mais ser negados. Qualquer cético neste momento deve ser suspeito de ter um QI de uma galinha.

Então, agora que estabelecemos a realidade do envolvimento globalista no Ocidente e na Rússia [em todos e qualquer lugar], precisamos nos perguntar como eles se beneficiam de iniciar uma crise entre essas potências sobre a Ucrânia? O que eles ganham com isso?

Como observei em artigos recentes, parece-me que a Ucrânia é uma tentativa do Plano B de evocar mais fumaça e espelhos onde a pandemia de covid já se esgotou e não conseguiu satisfazer o plano “Great Reset”. Como Klaus Schwab e o WEF afirmaram constantemente, eles viram a pandemia como a “oportunidade” perfeita para forçar a Quarta Revolução Industrial no mundo. Como o globalista e judeu khazar Rahm Emanual opinou uma vez após a crise econômica de 2008:

“ Você nunca quer que uma crise séria seja desperdiçada. E o que quero dizer com isso é que é uma oportunidade de fazer coisas que você acha que não podia fazer antes.”

O WEF é um veterano nessa tática. Klaus Schwab também usou exatamente a mesma linguagem logo após a quebra de crédito imobiliário de 2008 que usou após a disseminação da covid, sempre tentando vender uma “Governança Global” [estilo NWO] como a solução para todos os desastres:

“ O que estamos vivenciando é o nascimento de uma “nova era”[Nova Ordem Mundial], um alerta para reformar nossas instituições, nossos sistemas e, acima de tudo, nosso pensamento, e ajustar nossas atitudes e valores às necessidades de um mundo que espera justamente um grau muito maior de responsabilidade e prestação de contas”, explicou. “Se reconhecermos esta crise como sendo realmente transformadora, podemos lançar as bases para um mundo mais estável, mais sustentável e ainda mais próspero.” Klaus Schwab na Global Redesign Initiative, 2009

Schwab soltou a arma na época, assim como em 2020, quando declarou o “Grande Reset” uma inevitabilidade diante da covid. Os globalistas devem ter esperado uma taxa de mortalidade muito maior do vírus porque estavam praticamente dançando nas ruas, exultantes com a quantidade de poder que poderiam roubar em nome de “proteger o público de uma ameaça à saúde global”. Se você olhar para a simulação do WEF e da Fundação Gates de uma pandemia de covid, o Evento 201, que foi realizado apenas dois meses antes da pandemia acontecer , eles claramente esperavam que a covid causasse muito mais danos, prevendo um número inicial de 65 milhões de mortes. Isso nunca aconteceu; não está nem perto.

É difícil dizer por que uma arma biológica fabricada em laboratório [Wuhan] óbvia como a covid não conseguiu fazer o trabalho. Os vírus tendem a sofrer mutações rapidamente na natureza e se comportam de maneira diferente do que em um ambiente de laboratório. Eu até consideraria a possibilidade de intervenção divina

Mas seja qual for o motivo, os globalistas não conseguiram o que queriam e agora precisam de mais uma crise para lubrificar as engrenagens da máquina “Great Reset”. Com a já pequena taxa de mortalidade da covid agora caindo ainda mais com a variante Omicron, com o fim da pandemia e de suas medidas tirânicas em vários países e metade dos estados dos EUA em total desafio aos mandatos de vacinação do governo Biden, é apenas uma questão de tempo até que o resto do mundo pergunte por que eles ainda estão sob o autoritarismo de cuidados médicos?

A guerra na Ucrânia e a mera ameaça de que essa guerra se expanda para além da região poderia realizar uma série de coisas que a covid não conseguiu. Ele fornece uma cobertura contínua para o colapso estagflacionário que está agora em pleno andamento nos EUA, os problemas da cadeia de suprimentos que continuam globalmente, bem como a desestabilização da economia europeia. Em particular, a UE depende fortemente do gás natural russo para aquecer as casas e manter a sua economia [A Alemanha depende em torno de 60% do gás da Rússia em sua matriz energética]. 

A Rússia estrangulou o fornecimento de gás natural para a Europa no passado e fará isso novamente. As exportações russas de petróleo também preenchem as lacunas de demanda globalmente, e essas exportações serão estranguladas por sanções ou pelo Kremlin cortar deliberadamente o fornecimento para certas nações.

A guerra é sempre uma distração da sabotagem econômica. Embora as sementes dos colapsos financeiros sejam muitas vezes plantadas, adubadas e regadas com bastante antecedência pelos bancos centrais, os bancos nunca levam a culpa porque os conflitos internacionais ocupam convenientemente o centro do palco. Por extensão, a crise econômica causa pobreza em massa, desespero em massa e histeria em massa, e os globalistas dirão que esses perigos exigem uma solução internacional que eles fornecerão com prazer na forma de centralização de governo, moeda, sistema político, econômico, etc.

Nos EUA e em muitas outras nações ocidentais que têm um grande número de pessoas ainda defendendo a liberdade individual, os globalistas claramente querem usar as tensões [sempre] com a Rússia como um meio de silenciar a dissidência pública sobre políticas autoritárias. Já estou vendo vários casos de funcionários do establishment e esquerdistas nas mídias sociais sugerindo que os ativistas da liberdade são “peões dos russos” e que estamos sendo usados ​​para “dividir e conquistar”. Isso é um absurdo apoiado por nada, mas eles estão testando a narrativa de qualquer maneira para ver se ela pega.

Não tenho dúvidas de que qualquer rebelião nos EUA contra os globalistas será atribuída à interferência estrangeira da . . . Rússia. Como mencionado anteriormente, a última coisa que as elites querem são movimentos de pessoas livres obstruindo o Great Reset em nome da liberdade. Testemunhamos isso no Canadá, onde o covarde pusilânime Justin Trudeau anunciou poderes de emergência unilaterais contra os protestos dos caminhoneiros, dando a si mesmo níveis totalitários de controle. Até o governo russo interveio em tais ações públicas para evitar qualquer tipo de impulso ativista. Biden tentará fazer a mesma coisa, e a guerra, mesmo uma guerra regional menor, lhe dá uma razão para oprimir a dissidência, declarar estado de emergência, Lei Marcial, etc, em nome da segurança pública.

Curiosamente, a lei marcial nos EUA também é muito mais fácil de justificar legal e historicamente para o governo, desde que seja feita em resposta à invasão de um inimigo estrangeiro. A narrativa da influência russa pode muito bem estar em preparação para a lei marcial na América. Se isso realmente terá sucesso ou não é outra questão.

As consequências de um grande bombardeio russo na Ucrânia vão muito além de uma distração para o público americano; minha intenção aqui não é sugerir que apenas os americanos serão afetados. O que quero dizer é que existem certos lugares no mundo que são naturalmente resistentes ao esquema globalista, e os norte-americanos e demais povos que buscam e lutam pela sua liberdade são o principal obstáculo. Se houver uma rebelião em grande escala contra a Grande – Great Reset – Reinicialização, ela começará aqui nos EUA. Os globalistas também sabem disso, e é por isso que os EUA, sem dúvida, estarão envolvidos centralmente no atoleiro da Ucrânia.

Embora o evento seja desastroso para os ucranianos e provavelmente para muitos russos, existem ameaças subjacentes mais profundas e perigosas destinadas aos EUA e uma guerra na Ucrânia funciona como um bode expiatório eficaz para muitos deles e para a contínua implantação da agenda globalista de vários psicopatas.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

5 Responses to ‘Ordo Ab Chao’: Guerra Rússia x Ucrânia foi Projetada para Beneficiar os Globalistas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.