Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Os EUA são o ‘Líder’ mundial, de acordo com psicopatas de Washington, e a China e Rússia tem que aceitar

Em resposta às perguntas que recebeu durante uma coletiva de imprensa na segunda-feira sobre a reunião de três dias de Xi Jinping e Vladimir Putin em Moscou cimentando uma “nova era” na parceria estratégica entre China e Rússia, John Kirby, membro [‘acordado’] do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, fez nada menos do que sete afirmações de que os EUA são o “líder” [incontestável] do mundo.

As [pseudo] autoridades americanas [‘acordadas’] realmente querem que você saiba que os EUA são o “líder” mundial

Fontes: CaityJohnstone.medium.comInformationLiberation.com

Por Caitlin Johnstone

Aqui estão alguns trechos de seus comentários sobre a “liderança” dos EUA :

  • “Os dois países se aproximaram {China e Rússia]. Mas ambos são países que se irritam e se irritam com a liderança dos EUA em todo o mundo”.
  • “E no caso da China em particular, eles certamente gostariam de desafiar a liderança dos EUA em todo o mundo”.
  • “Mas esses não são dois países que têm, você sabe, décadas de experiência trabalhando juntos e total confiança. É um crescimento recente com base na liderança crescente da América em todo o mundo e tentando verificar isso.
  • “Peter, esses são dois países que há muito se irritam conosco, como eu disse a Jeff – há muito se irritam com a liderança dos EUA em todo o mundo e com a rede de alianças e parcerias que temos”.
  • “E trabalhamos nesses relacionamentos um de cada vez, porque cada país do continente é diferente, tem necessidades diferentes e expectativas diferentes da liderança americana“.
  • “Esse é o poder da liderança de convocação americana. E você não vê esse poder vindo da Rússia ou da China”.
  • “Mas uma das razões pelas quais você está vendo esse relacionamento estreito é porque eles reconhecem que não têm uma base sólida de apoio internacional para o que estão tentando fazer, que é basicamente desafiar a liderança americana em todo o mundo“.

John Kirby realmente quer que todos saibam que a América está no comando do mundo. Isto é de uma única conferência de imprensa”.

efeito da verdade ilusória é um viés cognitivo que leva as pessoas a confundir algo que ouviram muitas vezes com um fato estabelecido, porque a maneira como o cérebro humano recebe e interpreta as informações tende a fazer pouca ou nenhuma distinção entre repetição e verdade. 

Propagandistas e gerentes de império geralmente tiram proveito dessa falha em nosso wetware, que é o que está acontecendo quando você os vê repetindo frases-chave repetidas vezes que eles querem que as pessoas acreditem [ou que eles mesmos precisam acreditar, que ainda é verdade a “liderança” dos EUA].

Vimos outra repetição dessa linha recentemente em uma conferência online organizada pela Câmara de Comércio dos EUA, na qual o embaixador dos EUA na China afirmou que Pequim deve aceitar os EUA como o “líder” da região do Indo-Pacífico.

É claro que os psicopatas do império dos EUA estão ficando muito assertivos sobre a narrativa de que eles são os “líderes” do mundo porque essa autodenominada “liderança” está sendo desafiada pela China e pelas nações que a apoiam com crescente abertura, como a Rússia. 

A maioria das principais notícias internacionais de nossos dias está direta ou indiretamente relacionada a essa dinâmica, em que os EUA estão lutando para garantir a dominação planetária unipolar, a imposição de suas agendas, frustrando a ascensão da China e minando seus parceiros.

A mensagem que eles estão transmitindo é: “Este é o nosso mundo. Nós estamos no comando. Qualquer um que afirme o contrário é esquisito e anormal e deve ser combatido”.

Embaixador dos EUA na China: “Somos o líder” do Indo-Pacífico A maneira como os gerentes do império dos EUA falam sobre “liderar” estados ostensivamente soberanos com governos ostensivamente independentes mostra que eles realmente pensam que são donos do mundo”.

Por que eles dizem que os EUA são o “líder” do mundo em vez de seu “governante”, afinal? Não estou clara sobre a diferença aplicada na prática. É para nos dar a impressão de que os EUA governam o mundo pelo voto democrático? Que isso é algo que o resto do mundo consentiu? Porque eu com certeza não me lembro de ter votado a favor, e todos nós já vimos o que acontece com os governos que não aceitam a “liderança” dos EUA e não cumprem com sua agenda.

Não sou daqueles que acreditam que um mundo multipolar será uma coisa maravilhosa, apenas reconheço que é melhor do que a alternativa atual, que é uma manobra nuclear cada vez mais imprudente para manter o controle global. 

Os EUA estão no comando há tempo suficiente para deixar claro que a ordem mundial que domina só pode ser mantida por violência, chantagem, corrupção e agressão ininterruptas, com cada vez mais violência e agressão sendo direcionadas às principais potências com armas nucleares. Os fatos estão apurados e o caso encerrado: a hegemonia unipolar dos Estados Unidos é insustentável.

O problema é que o próprio império dos EUA não sabe e/ou ainda não percebeu disso. Esta trajetória horrível em que estamos em direção a uma guerra mundial da Era Atômica é o resultado da doutrina do império de que deve manter o controle unipolar a todo custo colidindo com a ascensão de uma ordem mundial multipolar.

Não precisa ser assim. Não há nenhuma razão válida para que os EUA precisem permanecer no comando do mundo e não possam simplesmente deixar que diferentes pessoas em diferentes regiões resolvam seus próprios assuntos como sempre fizeram antes. 

Pela primeira vez vejo a TV saudita zombando do {senil marionete ‘Dementia’ Joe, presidente do “líder” do mundo} governo dos Estados Unidos”.

Não há nenhuma razão válida para que os governos precisem brandir armas do Armagedom uns contra os outros, em vez de colaborar pacificamente no interesse de toda a humanidade. Estamos sendo empurrados para o desastre para preservar a “liderança americana em todo o mundo”, mas eu, pelo menos, não concordo com isso.

EUA, “líder” do mundo: O avanço dos “direitos LGBTQ+” é uma “Parte Central” da Política Externa dos EUA, anunciou o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, John Kirby, durante uma coletiva de imprensa na Casa Branca na terça-feira.

Na Casa Branca, na terça-feira, um repórter disse a John Kirby que o parlamento de Uganda havia aprovado uma “lei anti-LGBTQ+” e que as autoridades de Uganda planejavam participar de uma cúpula africana para discutir e promover a aprovação de leis semelhantes em outros estados africanos.

Ele também disse que a Rússia estava potencialmente apoiando tais leis como uma “cunha” contra os EUA e porque o governo Biden “está atualmente envolvido com a África em outras questões, isso é uma preocupação para os EUA?” Kirby respondeu:

“O presidente Biden tem sido consistente em sua crença fundamental nos direitos humanos, e os direitos LGBTQ + são direitos humanos. Nunca seremos tímidos ou fracos em falar sobre os direitos dos indivíduos de viver como bem entenderem, como desejam viver”, disse Kirby.

“E isso é algo que é parte central de nossa política externa e assim permanecerá”, disse ele. Kirby não estava exagerando.

O secretário de Estado, Antony Blinken, disse no ano passado que menciona o sexo gay em “todas as conversas” com os sauditas.

Para a política externa e suas relações com os demais países do planeta é absolutamente imperativo que os homens tenham permissão para fazer sexo com outros homens em Uganda, Botswana, Arábia Saudita, Rússia, Coréia do Norte, Irã, Afeganistão, China e assim por diante.

JOHN KIRBY: “Os direitos LGBTQ… são uma parte essencial da nossa política externa.”

Os psicopatas neoconservadores ‘acordados’ que controlam nossa “política externa” fizeram da defesa dos direitos e agenda LGBTQ+ um de seus principais objetivos por décadas – e o programa ainda continuava também sob Trump.

Como relatei na semana passada, os militares dos EUA estão passando por uma crise de recrutamento sem precedentes para novos recrutas em suas fileiras “transexuais” e “acordadas” porque mais e mais norte americanos estão decidindo que não querem lutar e morrer em terras estrangeiras para que as Paradas do Orgulho LGBTQ+ possam ser realizadas em Moscou, Xangai, Teerã, Riad, etc . . .


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é fim-dominio-eua-otan-nabucodonosor-fim-roma.jpg

{Nota de Thoth: A estrondosa queda da “Estátua de Nabucodonosor“, com o fim do Hospício e os psicopatas da civilização ocidental e a própria destruição da região da cidade de Roma [incluso a cloaca do Vaticano] estão bem próximos de acontecer. O Hospício Ocidental, o circo do G-7 os ditos “Países de Primeiro Mundo” vão fazer face ao seu carma “liberal“, “acordado” . . .}


Mais informações, leitura adicional:

Permitido reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *