browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

População dos EUA se prepara para enfrentar “tempos difíceis” e caóticos pós eleição

Posted by on 18/10/2020

Houve um tempo em que os “preparados” [Preppers] eram implacavelmente zombados, mas ninguém mais está rindo agora.  Hoje, a maioria dos norte americanos está pensando seriamente em estocar alimentos e outros itens essenciais, e essa mudança massiva em nossa mentalidade nacional foi provocada pela preocupação com o que vai acontecer nos próximos meses, no período pós eleições e com a chegada de mais um inverno muito rigoroso. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Mais da metade de todos os norte americanos “planejam estocar alimentos e outros itens essenciais” para os meses caóticos pós eleições que estão por vir

Muitos norte americanos acreditam que outra onda da pandemia do coronavírus está chegando, outros acreditam que nossa depressão econômica em curso se tornará ainda mais profunda e outros ainda estão convencidos de que as próximas eleições podem produzir violência generalizada e caos por todo o pais.

 Claro que sempre houve pessoas que ficaram profundamente alarmadas com eventos futuros, mas nunca vimos nada parecido com isso antes. Na verdade, uma nova pesquisa descobriu que mais da metade de todos os norte americanos estão planejando  “estocar alimentos e outros itens essenciais” …

“Um pouco mais da metade dos norte americanos em uma pesquisa recente do Sports and Leisure Research Group afirma que já tem ou planeja estocar alimentos e outros itens essenciais. O principal motivo: temores de uma pandemia ressurgente, que poderia levar a interrupções, como novas restrições às empresas. Em 2 de outubro, o número de casos COVID-19 nos EUA foi o maior em quase dois meses”.

As pessoas ainda se lembram da escassez de produtos essenciais que testemunhamos no início deste ano, quando a pandemia de coronavírus eclodiu pela primeira vez neste país, e aqueles que acabaram ficando presos em casa sem papel higiênico suficiente preferem não repetir essa experiência.

Assim, à medida que a grande mídia [PRE$$TITUTE] continua a divulgar uma nova “onda [FAKE] da pandemia”, devemos esperar ver os americanos irem aos supermercados e às compras com muita força. E de acordo com a empresa de dados Envestnet Yodlee, há evidências de  que isso já está acontecendo …

“Já existem evidências de que as vendas de alimentos estão aumentando, de acordo com dados de fontes do setor.  A conta típica média de uma ida ao supermercado subiu para US$ 72 na semana encerrada em 6 de outubro, ou 11% mais alta em relação à semana anterior, de acordo com a empresa de dados Envestnet Yodlee. Esse é o maior valor que vimos desde a primeira semana de junho e o segundo maior desde que começamos a monitorar isso em janeiro”, disse Bill Parsons, presidente do grupo de dados e análises da Evestnet”.

Felizmente, muitas redes de supermercados anteciparam um pico na demanda e começaram a estocar antes do tempo. O seguinte vem da  CNN …

“Mercearias nos Estados Unidos estão estocando produtos para evitar a escassez durante uma segunda onda de coronavírus. Produtos domésticos – incluindo toalhas de papel e lenços Clorox – têm sido difíceis de encontrar às vezes durante a pandemia, e se os supermercados não estiverem estocados e preparados para a segunda onda neste inverno, os produtos acabarão e a escassez poderá acontecer novamente”.

Em uma época em que outros varejistas em todo o país estão falhando em um ritmo que nunca vimos antes, muitas redes de supermercados estão passando por vendas crescentes. E, é claro, há muito tempo venho alertando que isso eventualmente aconteceria. Em tempos de crise, a demanda por alimentos e outros itens essenciais tende a aumentar e a demanda por itens não essenciais tende a diminuir.

Não é preciso dizer que isso não está acontecendo apenas nos Estados Unidos. Em todo o mundo, temos visto a demanda por alimentos aumentar, e isso ocorre em um momento em que a produção global de alimentos está cada vez mais estressada. Como resultado, os preços dos alimentos em todo o mundo estão começando a subir de forma  bastante agressiva …

Os preços dos alimentos continuam subindo durante a pandemia do coronavírus, colocando em risco a segurança alimentar de dezenas de milhões de pessoas em todo o mundo.

Na quinta-feira, a Organização para Agricultura e Alimentação (FAO) das Nações Unidas disse que os preços mundiais dos alimentos subiram pelo quarto mês consecutivo em setembro, liderados pela alta nos preços de cereais e óleos vegetais, informou a  Reuters .

O índice de preços de alimentos da FAO, que acompanha os preços internacionais das principais commodities alimentares comercializadas (cereais, sementes oleaginosas, laticínios, carne e açúcar), teve média de 97,9 em setembro contra 95,9 revisados ​​para baixo em agosto.

Infelizmente, este é apenas o começo. O abastecimento global de alimentos continuará a ficar ainda mais restrito, e a demanda global por alimentos continuará crescendo. Então, eu estocaria enquanto você ainda pode, porque os preços nunca serão mais baixos do que estão agora.

Enquanto isso, nossa sociedade continua se desfazendo bem diante de nossos olhos. Você poderia pensar que o Lakers ganhando o título da NBA seria um momento para comemorar para a cidade de Los Angeles, mas em vez disso, grandes multidões de jovens usaram isso como uma oportunidade para tumultos e atacar policiais …

Uma multidão de mais de 1.000 rufiões desceu para a área ao redor do Staples Center após o jogo. Indivíduos rebeldes misturados na multidão começaram a atirar garrafas de vidro, pedras e outros projéteis nos policiais. Foi quando uma assembleia ilegal foi declarada, e apenas um número limitado de pessoas concordou e começou a se dispersar. Uma parte maior do grupo se separou e começou a vandalizar negócios, continuando a se envolver em comportamento violento, alguns deles voltados contra os policiais.

Em Portland, os manifestantes simplesmente derrubaram estátuas de Teddy Roosevelt e Abraham Lincoln durante um “dia de fúria”, mas a grande mídia [PRE$$TITUTE] não parecia pensar que isso fosse qualquer tipo de problema. E no centro do país, a violência parece nunca parar na cidade de Chicago …

Cinco pessoas morreram e 48 outras ficaram feridas por tiros neste fim de semana em Chicago. Cinco dos feridos eram adolescentes. No último fim de semana, 37 pessoas foram baleadas em toda a cidade, cinco delas fatalmente.

Claro que em breve as coisas podem piorar muito. De acordo com uma pesquisa recente, 56 por cento de todos os americanos esperam “um aumento na violência como resultado das eleições”. Isso não é incrivelmente triste?

Muitos ainda esperam que tal cenário possa ser evitado se um dos candidatos à presidência dos EUA nas eleições de novembro conseguir construir uma vantagem extremamente grande na noite da eleição. Uma vantagem grande o suficiente pode fazer com que o candidato que está atrás ceda rapidamente e isso pode aliviar as tensões.

Mas eu não contaria com isso. Neste ponto, estamos a apenas cerca de 500 horas da eleição, e ambos os lados estão indicando que estão preparados para lutar até o amargo fim. E o lado que acabar perdendo provavelmente terá um grande acesso de raiva, e isso não será bom para o nosso país já bastante divido e extremamente polarizado.

Portanto, faz sentido que tantos norte americanos estejam fazendo preparativos extras para os meses de intenso frio do inverno que estão por vir, porque definitivamente parece que eles podem ser bastante duros e extremamente frios.


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. – Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da BESTA; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis[666]“.  –  Apocalipse 13:16-18


Mais informações, leitura adicional:

Permite reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

phi-cosmoswww.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.