browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Quando surgiu uma facção nazista que invadiu e controlou os EUA

Posted by on 23/10/2018

washington-ufo-sobrevoo-nazistaEu estou muito animado para com este episódio. Bem vindos. Sou o seu anfitriăo, David Wilcock. E estamos mergulhando profundamente no mundo da informação cósmica, o material mais altamente classificado e secreto que você poderia obter em suas mãos. Tem sido zelosamente guardado atrás de tantas camadas de segredo compartimentadas que ele nunca esteve disponível antes de agora. Se você está seguindo nosso arco narrativo e esteve nos lendo através de episódios anteriores, já cobrimos algumas coisas realmente incríveis.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

A SEPARAÇÃO NAZISTA, QUANDO A RUPTURA COMEÇOU E DOMINOU OS EUA

Fonte: https://spherebeingalliance.com

Já discutimos aqui de como as sociedades (Thule e Vril) secretas alemãs nazistas, nos anos 1920 e nos anos 30, formaram relações diplomáticas e políticas com duas civilizações inteligentes diferentes de extraterrestres, uma conhecida como Dracos (origem na estrela/sol Thuban, na Constelação de Draco-Dragão), que parece ser uma confederação de humanoides de aparência reptiliana, e a outra sendo os Agarthans, que são pessoas de aparência nórdica – em outras palavras, olhos azuis, cabelos loiros, humanos mais altos do que nossa humanidade, que se apresentaram como não sendo deste mundo, mas como ele revelou são, de fato, pessoas que são originais aqui na Terra e devido a eventos catastróficos, tiveram que ir para os subterrâneos milênios no passado.

ThulegesellschaftEntão agora o que estamos discutindo é como esta aliança se formou e como os Agarthans e os reptilianos de Draco permitiram que os alemães fossem capazes de ter uma pequena ajuda extra que precisavam para abrir caminho na exploração do espaço já na década dos anos 1940, em plena desenvolvimento da III Guerra mundial na Europa e Ásia. Nós estávamos apenas começando a chegar a algumas coisas realmente boas da última vez, e agora estamos de volta para continuar a história mais à frente. Então Corey, bem-vindo de volta ao show. 

CG: Obrigado.

DW : Eu só estou tentando manter meu cérebro dentro da minha cabeça aqui, porque as coisas que você está me dizendo – que é como ser trazido para este mundo e aprender todas essas coisas? Se você está andando na sociedade e sabe tudo isso, como é ver pessoas que pensam que estamos sozinhos no universo e pensar que a atual civilização planetária é tudo que existe e não há vida após a morte, todo esse tipo de coisa? Como é viver neste mundo?

CG: Você se acostuma. Você vê pessoas olhando para a lua, e eu olho para a lua, e eu olho para ela totalmente diferente do que as outras pessoas. Você se acostuma com isso.

DW : Então estávamos falando sobre a história de como nosso programa espacial se desenvolveu, e este assunto dos Agarthans é realmente fascinante. Parece ligar tantos pontos. Quando Graham Hancock escreveu “Fingerprints of the Gods”, sua hipótese era de que você tem essas pessoas de cabelos loiros, de olhos azuis e arianos que aparecem em espaçonaves para todas essas várias e antigas culturas nativas em todo o mundo, e se apresentaram como deuses, e ensinaram-lhes coisas como como criar uma roda de água, e depois usar a roda de água para começar a moer grãos de cereais, e como fazer metalurgia, ensinaram matemática, astronomia. Você acha que os Agarthans tiveram muito a ver com a reconstrução de nossas sociedades no rescaldo de algum tipo de catástrofe antiga?

CG: Sim. Sim, essa antiga civilização separatista assim o fez, e houve outras civilizações que fizeram a mesma coisa.

DW: Então esses Agarthans, você disse, eram muito mais favoráveis aos alemães porque eles se pareciam mais como nós. E é aí que eles conseguiram esse conceito de raça de mestres, você acredita?

CG: Ou isso ou eles foram favoráveis a eles por causa de sua propensão para uma raça eleita. Eu não sei qual veio primeiro.

DW: Então os Agarthans voaram com os alemães em sua espaçonave com formato de sino?

CG: Bem, o sino era realmente o componente de propulsão para espaçonaves, o motor, ou o componente que causou o campo eletrogravitacional. A espaçonave era realmente maior e em forma de disco no começo.

DW: Como foi chamada a espaçonave na documentação que você viu?

CG: Quando os americanos realmente conseguiram por suas mãos sobre elas, chamaram-lhes ARVs, Alien Reproduction Vehicles.

DW: Bem, só para voltar à minha pergunta porque algumas pessoas vão ficar penduradas se você não responder, os Agarthans voaram com os alemães nessas espaçonaves?

Inner-Earth-to-Reveal-themselves-to-Humanity-aghartans

CG: Sim.

DW: Sério?

CG: Sim.

DW: Isso foi uma coisa freqüente? O alemães eram geralmente supervisionados e não apenas fizeram tudo por si mesmos?

CG: No começo.

DW: Qual seria o tamanho, você estimaria, da população de Agarthans? Estamos falando talvez 10.000 pessoas, 100.000 pessoas? Quão grande era

CG: Eu não sei. Eu sei que era muito grande porque era uma rede de cidades subterrâneas.

DW: Sério?

CG: Esta era uma rede de cidades subterrâneas. Nos Himalaias, aquela era a cidade mais próxima da superfície, e isso parecia ser o ponto de partida e de partida para a superfície.

DW: Uau. Assim os Agarthans introduziram os alemães a esta área arruinada de uma antiga base que estava sob o gelo na Antártica. E você disse que houve algum desenvolvimento subterrâneo, assim como na superfície.

CG: Certo.

DW: Estamos falando como adegas de porão? Ou quanta infra-estrutura subterrânea eles tinham, ou tem lá embaixo?

CG: Era basicamente o mesmo tipo de cavernas subterrâneas que haviam sido construídas por outra civilização nos tempos antigos.

DW: Então é bastante extensa?

CG: Sim.

DW: Estamos falando de múltiplos níveis para baixo?

CG: Certo, assim como a descrição que eu dei a você uma outra vez sobre o quanto mais você vai para baixo, você tem tipo de uma estrutura tipo de favo de mel de cavernas mais profundas sob a Terra.

DW: Vamos saltar para isso por um segundo porque eu acho que muitas pessoas vão ter algum problema com isso na idéia de que, pelo menos em termos de ciência convencional, há uma compreensão de que quanto mais abaixo você vai para a Terra que a temperatura vai aumentar continuamente. Então, essas pessoas não seriam queimadas vivas em algum tipo de super forno?

CG: É o caso de certas áreas e profundidades. E depois, depois dessas certas áreas e profundidades, ela começa a se inverter.

DW: Você realmente tem um efeito refrescante.

CG: Certo. Obtém exponencialmente menos pressão e menos calor, assim como ele exponencialmente fica mais quente e mais pressão na medida que você vai para baixo. Ele inverte.

Inner-Earth-City-Cosmic-Disclosure-Corey-Goode-Sphere-Being-Alliance

Segundo Goode, existem inúmeras cidades em gigantescas cavernas de civilizações antigas em subterrâneos em muitos pontos do planeta

DW: Você acha que essas áreas que estão profundamente sob a terra que realmente têm vegetação e sua própria evolução paralela de um bioma de animais e plantas e assim por diante – você acha que isso é evidência de design inteligente? Não parece que o planeta é manipulado para ter vida inteligente que pode viver na superfície e, em seguida, talvez mais avançada vida inteligente que pode viver debaixo em subterrâneos e supervisionar para não serem detectados?

CG: A vida nasce onde quer que a vida possa nascer.

DW: Mesmo em uma forma tão complexa como um bioma inteiro, você está dizendo?

CG: Certo, mesmo no espaço interestelar.

DW: Correto, nós conversamos antes, as pessoas do programa espacial Solar Warden analisando esses seres de plasma lá fora. OK, então vamos percorrer agora como os alemães chegaram até a nossa Lua. Nós meio que cobrimos isso um pouco da última vez, mas você disse que as reuniões da super federação de extraterrestres de que você falou, havia 22 programas genéticos que estão sendo executados na humanidade, parte da qual envolve a partilha e combinação de material genético. Você também mencionou que estamos programados para procurar e adorar deuses como figuras e transferir nosso poder para gurus, líderes religiosos e políticos, esse tipo de coisa?

CG: Correto.

DW: E essas raças que dirigem esta super federação extraterrestre, eu acho que você disse que há cerca de 40 raças que são normalmente as principais?

CG: Entre 40 a 60.

DW: É sempre os mesmos delegados que eles enviam para essas conferências ou eles mudam?

CG: Normalmente são os mesmos delegados Extraterrestres. A delegação da Terra muda.

DW: Então, Corey, vamos ter que dedicar episódios inteiros ao que aconteceu com as bases da Lua, o que aconteceu com as bases de Marte. Mas para o espectador, vai ser uma coisa realmente difícil para eles entenderem como a Alemanha, que foi realmente o principal motor industrial por trás da Primeira e da Segunda Guerra Mundial – eles eram, sem dúvida, a grande potência industrial da Europa. E, em seguida, a América tornou-se a sua contraparte principal neste combate de boxe que criou a Primeira Guerra Mundial e Segunda Guerra Mundial. Essa força industrial muito forte na Alemanha parece ter sido esmagada. Quando vemos as conseqüências da Segunda Guerra Mundial, os alemães tiveram que pagar grandes assentamentos de reconstrução, enormes valores financeiros, que basicamente baniram sua economia, assim como o que aconteceu depois da Primeira Guerra Mundial, onde você conseguiu a República de Weimar, E as pessoas têm um carrinho de mão de dinheiro quase sem valor só para ir comprar um pedaço de pão. Então olhe, a Alemanha parece ter sido achatada e não tinha mais nada naquele momento.

CG: Bem, neste momento, a Alemanha já havia sido abandonada pelo grupo nazista separatista alemão.

DW: Sério? Quando isso começou a acontecer?

CG: Começou a acontecer muito antes do fim da guerra. Eles viram “escrito na parede”. A guerra ia dar mau resultado para a Alemanha. Eles sabiam disso. Assim, eles começaram, como discutimos, a criar enclaves na América do Sul, no Brasil e depois na Antártica.

DW: Então tudo isso estava em preparação para eles perderem. O que eles estavam querendo fazer se perdessem?

CG: Eles só queriam continuar sua civilização alemã separatista, apenas continuar e deixar todas as pessoas regulares para trás.

DW: É o aparelho que está desenvolvendo a civilização separatista em seu próprio compartimento separado, diferente do aparelho do governo que realmente estava lutando a guerra?

nazi-ss-escravo-imperio-eua

CG: Sim, eles estavam totalmente separados já por esse tempo.

DW: Sério? Acho que é um conceito amplamente mal entendido, o que você está nos dizendo.

CG: Sim. Então, o que tinha acontecido na Operação Paperclip, os EUA  tinha capturado muito mais cientistas nazistas do que os anunciados.

DW: O que é a Operação Paperclip, para aqueles que ainda não sabem?

CG: A Operação Paperclip foi um projeto de onde recrutamos os principais cientistas nazistas alemães e obtivemos tecnologia que era altamente avançada (a base do futuro projeto Apollo de conquista espacial), e essas pessoas estavam como 20, 30 anos à frente de nós tecnologicamente, é o que dizem no papel. Então nós os trouxemos para os EUA secretamente, e depois da guerra nós levamos esses cientistas nazistas alemães e os colocamos em nossos programas espaciais incipientes, em nossa infra-estrutura do Complexo Industrial Militar, e começamos a dar-lhes um pouco de poder na medida em que eles começaram a provar-se como ativos valiosos.

DW: Por que no mundo nós confiamos neles?

CG: Eles estavam nos ajudando a ganhar muito dinheiro com novas tecnologias.

DW: Não pareceu uma boa idéia.

CG: Bem, não foi. Assim, o que tínhamos em 1947 foi que nossas agências de inteligência descobriram que os grupos nazistas alemães separatistas haviam criado enclaves na América do Sul e na Antártica. E sabíamos que na Antártica havia uma base militar subterrânea muito grande. Então o que o DoD (Depto de Defesa dos EUA) decidiu foi enviar uma frota muito grande sob o comando do Almirante Byrd. E isso foi chamado de Operação Highjump, e hoje muitas pessoas estão familiarizadas com o nome dessa operação. Não consigo me lembrar do número exato, mas era uma frota de guerra.

DW: Navios de guerra, Destróieres?

CG: Navios de guerra, destróieres, porta-aviões, submarinos, aviões, um aparato completo.

paperclip-operation-01

DW: Isso é logo depois do fim da Segunda Guerra Mundial, no entanto. Vocę disse em 1947?

CG: Foi em 1947, sim. E eles foram até a Antártica. E eles acabaram funcionando em um pouco de alta tecnologia que eles não esperavam. Havia essas espaçonaves (discos voadores nazistas) altamente avançadas que estavam saindo voando de dentro da água e da Antártica continental que estavam derrubando as aeronaves dos EUA e causando grandes danos em, eu acho, vários navios destróieres. E muitas vidas norte americanas foram perdidas. Eles (a frota do Almirante Byrd) realmente tiveram os seus traseiros entregues a eles.

DW: Atirando-os para baixo com foguetes ou metralhadoras?

CG: Armamento avançado.

DW: Sério?

CG: Certo. Armas energéticas de algum tipo.

DW: Uau. Quão destrutivas eram essas armas? O que aconteceria se eles disparassem uma?

CG: Foi destrutivo o suficiente para fazer o trabalho. Então a frota dos EUA se viraram, recuaram, voltaram, e o Almirante Byrd foi perante o DoD e o Presidente dos EUA, os Chefes Conjuntos, e deu um relatório fechado sobre o que ele encontrou de resistência alemã nazista separatista na Antártica. E seu registro ainda é o registro do capitão. Ainda está sob segredo ainda hoje. Alguns de seus comentários sairam para o domínio público onde ele disse, “a próxima guerra, vamos ser atacados por aviões que vão voar de pólo a pólo em questão de minutos”. Alguns comentários pequenos saíram assim feitos por ele. Mas isso fez com que o DoD e as agências de inteligência fossem se voltar para os cientistas nazistas do projeto PaperClip.

DW: Mas espere um minuto. Eu era um nerd, e eu li cerca de 300 livros sobre Atlântida e tudo isso. E dizem que o Almirante Byrd viu a Terra Interior (Agharta), que havia mamutes e homens das cavernas.

CG: Isso é um monte de coisas que saiu mais tarde mas que não tem nada a ver com a missão real que ele comandou.

DW: Foi desinformação? Foi plantada desinformação?

CG: Era desinformação ou alguém com uma grande imaginação. Eu não sei qual dos dois.

DW: OK.

CG: Mas eles acabaram entrando em contato com alguns desses cientistas alemães do programa Paperclip e perguntaram sobre isso. E alguns deles vieram limpos e disseram, sim, nós sabemos sobre este grupo. E eles disseram – sendo os americanos – inteligência americana e governo, disse, bem, você pode nos colocar em contato com eles? Então, esses cientistas alemães do Paperclip iniciaram um diálogo entre os americanos. E então eu acredito que foi o presidente Harry Truman.

operação-highjump

DW: Eles fizeram isso por meio de comunicações de rádio, algum tipo de comunicação criptografada?

CG: Bem, começou as comunicações de rádio. E organizaram um encontro entre Truman e este grupo alemão separatista.

DW: Não está brincando?

CG: E este grupo separatista começou a fazer algumas exigências muito pesadas que Truman não gostava.

DW: Então, se a operação Highjump, do Almirante Byrd foi em 1947, o que estamos falando agora no tempo?

CG: Imediatamente depois disso.

DW: Sério?

CG: Sim. Então, depois disso, houve um período de contenção. A civilização separatista nazista alemã descobriu através dos jornalistas alemães que, depois do caso Roswell (queda e resgate de UFO da raça Grey do Planeta SERPO) e de um par de outros acidentes anteriores de espaçonaves extraterrestres, tínhamos criado uma política de que era ultra-secreto acima das armas nucleares, que a existência de extraterrestres e certas tecnologias nunca seria  liberado para a humanidade. E era porque iria destruir a sociedade e tudo isso. Esse foi raciocínio deles naquele momento (e ainda hoje). Assim, o grupo dissidente nazista alemão na Antártica aproveitou-se disso e praticamente começou a fazer saídas com seus discos voadores e a sobrevoar os Estados Unidos. E isso inclui o famoso enxame de UFOs sobrevoando em 1952 Washington, DC, que foram com apenas duas semanas de intervalo.

DW: Eu sempre pensei que eras extraterrestres. Eram nazistas separatistas que sobrevoaram sobre o Congresso e nossa capital.

CG: Esse era o grupo de separatistas alemão. E essa era sua maneira de dizer, concordem com os nossos termos, assinem um tratado conosco, ou vamos quebrar este segredo, e sabemos que esse é o seu pior pesadelo. Você não quer que o povo norte americano saiba nada sobre isso.

DW: Ou eles perderiam o controle do óleo. Então eles perderiam o dinheiro deles. Eles perderiam a economia.

CG: Exatamente.

DW: Eles perderiam credibilidade política.

CG: Mm-hmm.

DW: Uau. Portanto, é a oferta que eles não podiam recusar.

CG: Certo. Então isso estava acontecendo no final do tempo de governo de Truman e no início do tempo de Eisenhower no cargo.

DW: Neste ponto, o Presidente dos Estados Unidos ainda tem realmente a palavra final sobre os militares e o que eles estavam fazendo?

CG: Sim, ele ainda tinha um pouco de poder. E Eisenhower e Truman foram os que assinaram tratados com esse grupo nazista separatista alemão.

DW: Uau.

CG: E o que isso fez, isso trouxe o grupo nazista separatista alemão para os EUA. Agora, ambos os grupos tinham uma agenda. Os norte-americanos tinham um plano de que, quando o grupo de separação alemão chegasse aqui, íamos infiltrá-los, obter sua tecnologia, encontrar uma maneira de derrotá-los, usar linguagem limpa e, em seguida, sairmos vencedores.

Bem, o grupo separatista alemão tinha exatamente o mesmo plano. Eles queriam construir a infra-estrutura no espaço profundo, ou em nosso sistema solar, e quem melhor para fazer isso do que os Estados Unidos? Porque os tínhamos derrotado com nosso poder industrial. Quero dizer, foi isso que os derrotou. Construímos mais tanques. Construímos mais bombas, mais navios, aviões e a bomba atômica. Foi o desgaste que os levou a perder a guerra.

DW: Este grupo alemão saiu com ouro? Como eles têm sua própria fonte de financiamento que eles poderiam usar se eles tinham piscinas de trabalho em potencial para ativar?

CG: Sim, eles tinham muito ouro e a pilhagem de riqueza que fizeram na Europa

DW: Mas eles precisavam de trabalhadores. Eles precisavam de uma infra-estrutura industrial.

CG: Eles precisavam de infra-estrutura industrial, e eles precisavam de acesso às nossas corporações que assinaram os cheques, criaram os planos de negócios e ajudaram a construir a infra-estrutura. Então o que aconteceu é que basicamente eles ganharam a pequena competição de quem se infiltra em quem. Eles se infiltraram completamente nas grandes corporações de empresas do complexo industrial militar dos EUA.

Nazi-UFOs-Real-Haunebu

DW: Completamente infiltrado?

CG: Completamente.

DW: Essa é uma declaração muito provocativa. Como você define completamente infiltrado?

CG: Bem, eles já tinham tido uma posição muito boa com os cientistas alemães através do projeto Paperclip. E quando entraram com toda essa alta tecnologia, os empresários gatos gordos não se importavam com quem eles eram. Eles não se importavam se eles eram grupos de separação de nazistas alemães. Eles não se importavam com o remendo no ombro. Estes gatos gordos do banqueiro e mandachuvas das grandes corporações de empresas do complexo industrial militar dos EUA se importavam apenas com os sinais dos dólares em seus olhos.

DW: Eles querem os melhores brinquedos no bloco.

CG: Isso mesmo. Então eles, de braços abertos, aceitaram esses grupos alemães nazistas separatistas. E eles entraram em suas pranchas. Eles se infiltraram totalmente nos EUA.

DW: O que os alemães mostraram para convencê-los? Eles receberam algum passeio? Eles conseguiram ver essas coisas na Antártica, algo assim?

CG: Não, eles entregaram alguns dos ARVs, espaçonaves, para nos deixar fazer engenharia reversa enquanto eles ainda estavam jogando conosco. E esta foi realmente a raiz por trás do discurso de despedida de Eisenhower sobre o Complexo Industrial Militar.

DW: Sua advertência sobre a ascensão de poder e influência injustificada pelo complexo industrial militar.

CG: Sim. E no final dos anos 50, início dos anos 60, eles tinham se infiltrado completamente, também, as agências de inteligência. E depois disso, eles finalmente assumiram basicamente o CONTROLE TOTAL do governo “formalmente eleito” (meros marionetes) dos EUA.

DW: Isso é muito para se aceitar.

CG: É, parece.

DW: Eu acho que todo mundo, especialmente as pessoas que são desportistas, querem estar na equipe vencedora. E se você está em uma equipe que não ganhou, você sente como se você fosse um fracasso. Eu acho que você vai encontrar muita resistência porque as pessoas não querem ser um fracasso. Eles querem acreditar em Deus e no país, mamãe e torta de maçã, cerca de piquete branco, SUV na garagem, e 2, 5 crianças. O que você está dizendo viola completamente a idéia da América como a conhecemos (ou a ideia que foi “vendida” à massa ignorante).

CG: E isso é o que está acontecendo no topo. Todo mundo no nível inferior, ainda temos essa ilusão. Ainda temos a cerca de piquete branca. Nós ainda temos o SUVs na garagem. Então, conseguimos manter essa ilusão.

Nazi-UFOs-sobrevoam-congresso-eua

DW: Ainda há pessoas nas forças armadas dos EUA que acreditam na Constituição que juram?

CG: Absolutamente. Sim.

DW: Então isso poderia causar um problema, então, se as empresas, os grandes contratantes da indústria da defesa estão com um acordo com os alemães. Nem todo mundo vai realmente querer marchar em passo de ganso com os nazistas separatistas alemães.

CG: Sim, e podemos entrar nisto mais tarde sobre a disputa no governo, nas alianças com a Terra, e o que está acontecendo lá. Os alemães, uma vez que tiveram um firme controle sobre a infra-estrutura dos Estados Unidos, que é quando a construção maciça começou no espaço e os programas espaciais secretos começaram. E eles começaram a trabalhar em conjunto com grupos da elite da cabala norte americana e europeia que tinham se saido muito bem trabalhando juntos o tempo todo, durante a Primeira e Segunda Guerra Mundial de qualquer maneira. Então, naquele momento, é quando eles começaram a construir o programa espacial secreto em sério e a enorme infra-estrutura espacial secreta de que estou falando há algum tempo.

DW: Então você disse que a Operação Highjump foi em 1947, Truman começa a se encontrar com eles logo após seu fracasso na Antàrtica. As negociações começam a ter lugar, mas não está indo bem para os EUA. E, em seguida, os alemães empurraram o envelope fazendo esta aparição pública com seus discos voadores muito evidente que, se acontecesse agora com os celulares de todas as pessoas, seria o fim do encobrimento dos UFOs, pelo menos dos nazistas separatista alemães.

CG: Certo.

DW: Os nazistas separatistas voaram direto sobre a capital, direto sobre o edifício do governo dos Estados Unidos da América. Isso é em 1952, você disse. Qual é o cronograma? Esboce para nós de quando isso se realizou. Será que o governo americano se rendeu imediatamente depois da fuga? Foi essa demonstração de poder dos separatistas nazistas como o tiro final?

CG: Essa foi a palha que trouxe o camelo de volta para onde os assessores presidenciais disseram, OK, precisamos assinar um tratado com eles. Quando assinarmos o tratado, também apresentaremos um plano para prosseguir e tentar infiltra-los e roubar sua tecnologia e lidar com eles mais tarde. Não tentaremos lidar com fraqueza. E isso praticamente nos traz até onde chegamos na situação de hoje – onde eles começaram a construir a infra-estrutura principal do Secret Space Program (SSP-Programa Espacia Secreto).

DW: Agora, isso obviamente vai dar muita mão de obra. Como eles obtêm o músculo? Esta é outra coisa que eu acho que as pessoas têm problemas para entender. E temos apenas alguns minutos, dois ou três minutos.

CG: Isso vai nos levar a algo que muita gente já ouviu um pouco sobre o que tem sido chamado de Brain Drain, que ocorreu nos anos 50, 60 e durante os anos 80 de muitos cientistas de topo em todo o mundo. Muitos foram sendo abordados e receberam ofertas para se juntar a esses programas secretos em segredo. E de repente todos esses cientistas brilhantes desapareceram da face da Terra.

DW: Você diz um monte de cientistas e todos eles brilhantes – o que é “muito” e “tudo isso?”

CG: Houve milhões de pessoas durante um longo período de tempo que foram brilhantes e mostraram muita promessa que eles sentiram poderia contribuir para este programa espacial que estava crescendo como o grupo de infra-estrutura. E eles trouxeram, seduziram esses brilhantes cientistas para fazerem parte dos projetos secretos.

DW: Bem, meu insider, Pete Peterson, um veterano, é claro, disse que foi entre 50 a 60 milhões de pessoas no Brain Drain.

CG: Isso é muito.

DW: E eles são designados a ter filhos realmente rapidamente quando eles crescem de idade?

CG: Sim, eles dizem para serem frutíferos e se multiplicarem.

contagem-regressiva-azulDW: Então, 60 milhões de pessoas que têm filhos assim que chegam a idade suficiente para fazer isso, você poderia estar falando de uma população tão grande como todos os habitantes nos Estados Unidos ou mais.

CG: Certo.

DW: Uau. Vamos continuar essa narrativa para a frente, descobrindo mais sobre o que aconteceu. Como conseguimos convencer essas pessoas inteligentes a abandonar a Terra e irem para o espaço? O que eles disseram? Há muito mais por aqui. Então eu agradeço por voces nos lerem e ficarem atentos para novos episódios.


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

One Response to Quando surgiu uma facção nazista que invadiu e controlou os EUA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.