browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Rabinos em academia do exército de Israel exaltam Hitler, exortando a escravização de árabes 

Posted by on 12/05/2019

Gravações em vídeo mostram instrutores religiosos na academia militar israelense em assentamento judaico promovendo abertamente a supremacia judaica; rabinos declaram que os árabes querem viver sob a ocupação israelense devido à sua inferioridade genética. Em uma série de gravações em vídeo sem data publicadas pelo canal 13 na segunda-feira, o rabino Eliezer Kashtiel, chefe da Bnei David academy in Eli (academia militar), pode ser ouvido pedindo a escravização dos “estúpidos e violentos” não judeus devido à sua inferioridade genética.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Abraçando o racismo: rabinos na escola (Yeshivá*do exército de Israel elogiam Hitler, exortando a escravização de árabes 

Fonte:  https://www.timesofisrael.com/

De Tamar Pileggi

Dois rabinos de uma academia religiosa pré-militar em um assentamento da Cisjordânia {território ocupado} foram registrados fazendo comentários depreciativos e racistas sobre os árabes, defendendo a visão racista de mundo de Adolf Hitler e promovendo abertamente a supremacia judaica.

Em uma série de gravações sem data publicadas pelo canal 13 na segunda-feira, o rabino Eliezer Kashtiel, chefe da Bnei David academy in Eli (academia militar), pode ser ouvido pedindo a escravização dos “estúpidos e violentos” não judeus devido à sua inferioridade genética.

“Os gentios vão querer ser nossos escravos. Ser escravo de um judeu é o melhor. Eles estão contentes em ser escravos, eles querem ser escravos ”, disse ele em uma aula em um dos videoclipes. “Em vez de apenas andar pelas ruas e ser estúpido e violento e prejudicar um ao outro, uma vez que são escravos, suas vidas podem começar a tomar forma.”

“Ao nosso redor, estamos cercados de pessoas com problemas genéticos. Pergunte a um árabe simples ‘onde você quer estar?’ Ele quer estar sob a ocupação {israelense}. Por quê? Porque eles têm problemas genéticos, eles não sabem como administrar um país, eles não sabem como fazer qualquer coisa. Olhe para eles.”



Na palestra, Kashtiel segue abraçando o racismo aberto contra os não-judeus.

“Sim, somos racistas. Acreditamos no racismo … Existem raças no mundo e os povos têm características genéticas, e isso exige que tentemos ajudá-los”, disse ele. “Os judeus são uma raça mais bem sucedida.”

Em outro clipe do Bnei David Yeshiva publicado pelo Canal 13, o Rabino Giora Redler pode ser ouvido elogiando a ideologia de Hilter durante uma lição sobre o Holocausto.

“Vamos começar com o fato de Hitler estar certo ou não”, disse ele aos estudantes. “Ele era a pessoa mais correta que já existiu, e estava correto em cada palavra que ele disse … ele estava do lado errado.”

Redler prossegue dizendo que o pluralismo é o genocídio “real” perpetrado contra o povo judeu, e não a Solução Final da Alemanha nazista.

“O verdadeiro Holocausto não foi quando eles assassinaram os judeus, não é isso. Todas essas desculpas – que eram ideológicas ou sistemáticas – são absurdas ”, disse ele. “O humanismo e a cultura secular de ‘Nós acreditamos no homem’ é o Holocausto”.

Neste mapa uma “diferente” visão do ORIENTE MÉDIO: O GRANDE ISRAEL: Em 04 de setembro de 2001 uma manifestação foi realizada em Jerusalém, para apoiar à ideia da implantação do Estado de Israel desde o RIO NILO (Egito) até o RIO EUFRATES (Iraque). Foi organizado pelo movimento Bhead Artzeinu (“Para a Pátria”), presidido pelo rabino e historiador Avraham Shmulevic de Hebron. De acordo com Shmulevic: “Nós não teremos paz enquanto todo o território da Terra de Israel não voltar sob o controle judaico …. Uma paz estável só virá depois, quando ISRAEL tomar a si todas as suas terras históricas, e, assim, controlar tanto desde o CANAL de SUEZ (EGITO) até o ESTREITO de ORMUZ (o IRÃ) … Devemos lembrar que os campos de petróleo iraquianos também estão localizadas na terra dos judeus”. UMA DECLARAÇÃO do ministro Yuval Steinitz, do Likud, que detém o extenso título de ministro da Inteligência, Relações Internacionais e Assuntos Estratégicos de Israel hoje: “Estamos testemunhando o extermínio do antigo Oriente Médio. A ordem das coisas esta sendo completamente abalada. O antigo Oriente Médio está morto, e o novo Oriente Médio não está aqui ainda. Esta instabilidade extrema poderia durar mais um ano, ou até mais alguns anos, e nós não sabemos como a nova ordem do Oriente Médio vai se parecer à medida que emergir a partir do caos e derramamento de sangue e fumaça atual. É por isso que devemos continuar a agir com premeditação. No mapa acima podemos ver as pretensões de judeus radicais (tão ou mais radicais quanto os fanáticos islâmicos).

Os comentários provocaram uma grande condenação dos legisladores da oposição no Knesset, que pediram a retirada de todo o financiamento estatal para a academia baseada em Eli, sobre os comentários de Kashtiel e Redler.

“Isso não é judaísmo, e esses não são nossos valores”, disse Mair Yair Lapid, de azul e branco, em um comunicado. “As pessoas que falam assim não são dignas de se chamarem rabinos … o estado precisa parar de financiar esse programa até que os rabinos racistas sejam removidos”.

A presidente do Meretz, Tamar Zandberg, enviou uma carta ao Ministério da Educação exigindo que todo o financiamento estatal fosse cortado à luz do “chauvinismo, homofobia e ódio sendo vomitados daquela academia”.

Depois que as imagens foram ao ar na segunda-feira, os rabinos Kashtiel e Redler, em uma declaração ao Channel 13, reconheceram as declarações, mas alegaram que os comentários foram retirados do contexto.



Kashtiel disse que ficou “magoado” porque sua “lição sobre direitos humanos” foi mal interpretada, dizendo à rede que ele quis dizer exatamente o oposto e apelando por “responsabilidade social e cuidado com os fracos”. Ele disse que suas referências à escravidão e ao racismo uma “interpretação modernista-socialista” desses conceitos.

Em sua aula, Redler disse que estava simplesmente tentando “explicar a lógica mórbida de Hitler” e acusou a mídia de uma “difamação cínica” contra ele dias antes da comemoração do Dia da Memória do Holocausto.

Rabinos lecionando na academia Eli – um queridinho do campo religioso nacional para doutrinar com religião milhares de oficiais em posições de combate sênior nas IDF (Israel Defense Force) – têm um histórico de fazer comentários controversos e conservadores.

Em 2016, o co-fundador da academia (Yeshivá*) David, Yigal Levinstein, foi gravado em classe chamando os gays de “doentes e pervertidos”. Em outra palestra naquele ano, Levinstein afirmou que a elaboração de mulheres para as IDF (Israel Defense Force) estava deixando-as “loucas” e despojadas da sua condição de judeu.

O outro co-fundador do Bnei David, o rabino Eli Sadan, prega contra a educação das mulheres, alegando que o pensamento independente “neutraliza sua capacidade mais importante … de construir um lar”. No ano passado, surgiu filmagens de outro professor do Bnei David, o rabino Yosef Kelner, ensinando a estudantes sobre como as mulheres são “fracas de espírito” e possuindo uma capacidade reduzida de espiritualidade.

Em 2017, o então ministro da Defesa, Avigdor Liberman, prometeu desapropriar a academia Eli, mas a medida foi bloqueada pelo procurador-geral por razões legais. Em vez disso, Liberman anunciou que iria restringir o número de estudantes como uma medida punitiva para o “sexismo constante” na academia Eli.

Jacob Magid contribuiu para este relatório.


{* Yeshivá (do hebraico ישיבה, “assento (subst.)” pl. yeshivot, em português: Jessibá), é o nome dado às  instituições de ensino que incidem sobre o estudo de textos religiosos tradicionais, principalmente o Talmud e a  Torá. O estudo geralmente é feito através de shiurim diária (palestras ou aulas) e em pares de estudo chamados  chavrutas  (aramaico para “amizade” ou “companhia”). O estilo de aprendizagem Chavruta é uma das características únicas da yeshiva.

Em Israel, os alunos da escola primária estão matriculados em uma Talmud Torá ou cheder, pós-bar mitzvah em um Ketana yeshiva (em hebraicoישיבה קטנה, lit. “pequena yeshiva”), e em nível superior estudam em uma yeshiva gedola.  As yeshivot geralmente são instituições judaicas ortodoxas, e geralmente abrigam rapazes ou homens. A instituição equivalente para mulheres é a midrashá, embora o termo yeshivá possa ser usado também para uma instituição. Uma yeshivá com um enfoque para estudo independente e que fornece sustento para estudantes do sexo masculino casados é conhecida como kolel.}


“Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não são, mas mentem: eis que eu farei que venham, e adorem prostrados a teus pés, e saibam que eu te amo”.Apocalipse 3:9


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL): “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle MENTAL. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Sobre os Judeus Khazares, saiba mais acessando os links:


Mais informações sobre NWO, Illuminati, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.