Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Reação em Cadeia no Oriente Médio: Caos, Genocídio e Devastação se Israel lançar um ataque total contra Gaza

O ataque terrestre em grande escala de Israel contra Gaza teria sido adiado para que os militares dos EUA pudessem posicionar sistemas de defesa antimísseis adicionais em todo a região, de acordo com o Wall Street Journal [porta voz dos banqueiros de Wall Street]. Isto é a confirmação de que os EUA antecipam uma forte resposta cinética do Hezbollah e do Irã, assim que o ataque total de Israel a Faixa de Gaza tiver início. Claramente, Israel com a conivência dos EUA, pretende travar uma guerra total contra Gaza, matando potencialmente dezenas de milhares de civis ao longo do seu sangrento caminho.

Reação em Cadeia no Oriente Médio: Caos, Genocídio e Devastação se Israel lançar um ataque total contra Gaza

Fonte: NaturalNews

Ao mesmo tempo, o porta-voz do NSC [Conselho de Segurança Nacional], John Kirby – o mesmo que ainda insiste que os EUA não sabotou os oleodutos Nordstream 1 e 2 da Rússia – admite que “civis inocentes” serão mortos enquanto os EUA e Israel travam guerra contra Gaza:

“Isto é guerra. É combate. É sangrento. É feio e vai ser uma bagunça. E civis inocentes serão feridos daqui para frente”, disse ele em uma coletiva de imprensa hoje.

Claramente, Israel com o apoio incondicional dos EUA pretende travar uma guerra total contra Gaza, matando potencialmente dezenas de milhares de civis ao longo do caminho. O atual número de mortos ronda os 5.800 palestinos, incluindo 2.400 crianças. Ainda ontem, o número de mortos aumentou em 700 num período de 24 horas.

Joe Biden e as pre$$tituta$ dos meios de comunicação ocidentais afirmaram recentemente que o Hamas infligiu “quinze 11 de Setembro” a Israel durante os ataques terroristas de 7 de Outubro, que ceifaram a vida a cerca de 1.400 pessoas. A atribuição é baseada no número de mortes per capita, em comparação com o total de mortes do 11 de setembro versus a população total dos EUA. Quantos 11 de Setembro, então, foram infligidos a Gaza quando se consideram 5.791 mortes (até agora) versus os 2,3 milhões de palestinos que vivem lá? A resposta é mais de 250.

Israel, por outras palavras, infligiu pesados ataques a Gaza, e os bombardeamentos continuam a cada hora. Cerca de 40% das mortes de civis em Gaza são de crianças. Qualquer pessoa que aponte as mortes de civis palestinos é instantaneamente rotulada de “anti-semita” e cancelado das mídias sociais porque as críticas a Israel não são toleradas no mundo acordado e anti-verdade de hoje, onde mesmo agora, muitas publicações conservadoras afirmam que as mortes palestinas são falsas e não acontecem nos números alegados realmente.

Organização de ajuda humanitária acusa Israel de genocídio pela fome

A limpeza étnica que está sendo levada a cabo contra os habitantes de Gaza é tão flagrantemente óbvia – e uma violação tão grosseira dos códigos de Nuremberg – que a organização de ajuda humanitária Oxfam International acaba de declarar que Israel está envolvido no uso da “fome como arma de guerra”Do comunicado de imprensa da Oxfam :

A fome está sendo usada como arma de guerra contra os civis de Gaza, disse hoje a Oxfam ao renovar o seu apelo para que seja permitida a entrada de alimentos, água, combustível e outros bens essenciais. A agência internacional analisou dados da ONU e descobriu que apenas 2 por cento dos alimentos que teriam sido entregues entraram em Gaza desde que o cerco total – que reforçou o bloqueio existente – foi imposto em 9 de Outubro; na sequência dos ataques atrozes do Hamas e da tomada de reféns civis israelitas.

À medida que a escalada do conflito se estende até ao seu 21º dia, um número impressionante de 2,2 milhões de pessoas necessita agora urgentemente de alimentos. Sally Abi Khalil, Diretora Regional do Médio Oriente da Oxfam, disse: “A situação é simplesmente horrível – onde está a humanidade? Milhões de civis estão a ser punidos colectivamente à vista do mundo, não pode haver justificação para usar a fome como arma de guerra. Os líderes mundiais não podem continuar a ficar sentados e a observar, eles têm a obrigação de agir e de agir agora. 

“A cada dia a situação piora. As crianças estão sofrendo traumas graves devido aos constantes bombardeamentos, a sua água potável está poluída ou racionada e em breve as famílias poderão não conseguir alimentá-las também. Quanto mais se espera que os habitantes de Gaza aguentem?”

A provável reação em cadeia da escalada do conflito

Devido à crise humanitária que Israel está criando em Gaza, ao cortar alimentos, água, eletricidade e combustível, e devido ao crescente número de mortes e feridos civis que está sendo amplamente divulgado, um ataque terrestre em grande escala em Gaza corre o risco de uma rápida escalada para um conflito regional amplo. isso provavelmente envolverá o Hezbollah, o Irã, a Síria, Líbano e até a Turquia.

A lista a seguir revela prováveis desdobramentos numa “reação em cadeia” que podem ocorrer como eventos de “escalada”, se Israel decidir realizar um ataque por terra com força total a Gaza :

1) As IDF sofrerão perdas devastadoras muito além dos resultados simulados devido à falta de formação, fracas competências organizacionais e uma educação “floco de neve” enraizada no privilégio e na conveniência de seus militares.

– Os soldados israelitas encontrarão pela primeira vez as mulheres e crianças mortas e muitos perceberão que o seu próprio governo lhes mentiu.

2) As bases militares dos EUA serão atacadas e destruídas por todo o Oriente Médio. Muitos soldados e civis dos EUA serão mortos. Outras nações verão os EUA fracos e incapazes de defender as suas bases militares de ocupação.

3) O Hezbollah e outros grupos da Jordânia, Síria e Irã juntar-se-ão à luta contra Israel. Os EUA e Israel subestimam enormemente a força e as capacidades militares das nações árabes, pensando erradamente que ainda estamos em 1967.

4) Os preços da energia em todo o mundo dispararão à medida que as exportações de energia forem interrompidas ou embargadas, afetando os fluxos de petróleo e o GNL. Isto também terá impacto nos derivados de petróleo, como plásticos e resinas.

5) A Rússia colherá um enorme influxo de receitas energéticas decorrentes do aumento dos preços globais da energia. Efetivamente, o conflito no Oriente Médio PAGARÁ todo o custo da guerra da Rússia com a Ucrânia através do aumento das receitas energéticas para as exportações russas.

6) Grupos extremistas muçulmanos terão como alvo centros cristãos e judeus na América do Norte e em todo o mundo, especialmente nos principais centros europeus inundados por milhões de refugiados islâmicos. Assistiremos a um aumento acentuado de esfaqueamentos, tiroteios e bombardeamentos na Europa e na América do Norte.

7) Os EUA duplicarão a sua aposta na impressão de dinheiro para tentar financiar uma guerra em três frentes (Ucrânia, Israel e China), imprimindo, em última análise, bilhões de dólares em moeda fiduciária, sem lastro real e capacidades industriais correspondentes para realmente fabricar as munições e armas necessárias para uma última guerra mundial. Em última análise, os EUA não conseguirão vencer nenhuma destas guerras, e este será o último capítulo do Império romano, esticado até ao ponto de ruptura através das suas campanhas militares, impressão de dinheiro e corrupção política.

8) As taxas de juros dos títulos do Tesouro dos EUA dispararão ainda mais à medida que as nações do mundo testemunham a loucura dos membros do G-7 na impressão de dinheiro. Mais nações abandonarão os títulos do Tesouro dos EUA e procurarão ativamente acordos internacionais organizados pelos BRICS em moedas que não sejam o dólar, como o Yuan, a Rupia, o Real ou o Rublo.

9) Nos EUA e na Europa [o Hospício] Ocidental, uma forte aceleração da inflação irá repercutir-se no sistema à medida que os preços da energia duplicarem e depois triplicarem. Espere ver aumentos chocantes no custo dos alimentos, bens de consumo, transportes, energia, medicamentos e cuidados médicos. Este será o ponto de ruptura final para muitos americanos e europeus. Milhões ficarão desabrigados e desamparados. Os bancos alimentares serão invadidos.

10) O Fed aumentará as taxas de juro para tentar combater a inflação, colapsando os balanços de ainda mais bancos de varejo porque continuam a deter títulos do tesouro com rendimento próximo de zero que já perderam quase 50% do seu valor. Esperemos uma onda catastrófica de colapsos bancários combinada com um esforço de resgate de cair o queixo por parte do Fed, imprimindo bilhões de dólares para resgatar alguns bancos ligados aos oligarcas da globalização, ao mesmo tempo que deixa a maioria dos bancos de varejo entrar em colapso e falir.

11) Se o Hezbollah, a Síria, a Turquia ou o Irã entrarem na guerra, Israel será o primeiro a lançar ataques nucleares. Israel é movido pela raiva emocional, ódio racial e pelo fanatismo sionista que o levará a rejeitar todas as orientações enraizadas na sabedoria ou na proporcionalidade. Os primeiros disparos de artilharia nuclear de Israel provavelmente terão como alvo as tropas do Hezbollah no Líbano ou grupos de milícias palestinas e iranianas na Síria. (Damasco?)

12) Uma vez utilizada a primeira arma nuclear, todas as apostas estão canceladas: o Irã, a Rússia ou mesmo a Turquia provavelmente retaliarão com as suas próprias armas nucleares: mísseis hipersônicos, mísseis balísticos de médio alcance ou drones com armas subaquáticas. Esperamos que as frotas navais dos EUA estacionadas no Mediterrâneo e Golfo Pérsico sejam atingidas por armas nucleares em ataques de mísseis hipersônicos [Kinzhal da Rússia] e submarinos (drones nucleares subaquáticos). Os EUA provavelmente perderão um ou mais dos seus porta-aviões, consolidando ainda mais a visão de mundo de que os EUA já não são capazes de projetar poder como antes. Tanto o porta aviões USS Eisenhower como o porta aviões USS Gerald Ford são “alvos fáceis”, e é quase como se o ex presidente Obama ordenasse que (‘Dementia’ Joe) Biden os atirasse para a briga para os ver destruídos propositalmente. No dia seguinte a isso acontecer, o preço do petróleo irá para a estratosfera e o ouro também.

13) A maioria dos americanos verá as suas poupanças, pensões e investimentos totalmente destruídos. O mercado de ações irá despencar dos seus máximos, e a destruição acelerada de ativos irá sangrar nos mercados de derivados que irão desencadear um “apocalipse financeiro” de vários trilhões de dólares que quebrará todo o sistema financeiro ocidental, transformando-o num “zumbi” total [isso VEM SENDO intencionalmente PLANEJADO].

14) As cadeias de abastecimento globais entram em colapso com a notícia de que a marinha dos EUA está sendo atacada no Oriente Médio. O Canal de Suez será fechado assim como o Estreito de Ormuz, controlado pelo Irã. O petróleo passa dos US$ 300 barril, o ouro atinge US$ 5.000/oz, com a prata ultrapassando US$ 100 e subindo.

15) A escassez de energia atinge os EUA: Postos de gasolina começam a racionar combustível. Os transportes ficam paralisados pela falta de combustível acessível, afetando os bens de consumo, a agricultura e a indústria de forma generalizada. A indústria aérea e as transportadoras de pacotes (Fedex, UPS) enfrentam falência iminente e exigem resgates (mais impressão de dinheiro). Centenas de empresas nacionais de transporte rodoviário vão quebrar e o tráfego de barcaças pelos grandes rios dos EUA fica praticamente paralisado.

16) As grandes cidades dos EUA entram em [já estão em] erupção no caos. Massas de zumbis sem lei saqueiam estabelecimentos comerciais, lojas, shopping centers, farmácias, etc, incendeiam quarteirões inteiros. Os socorristas abandonam as suas funções e designam secções inteiras das grandes cidades como zonas “sem fiscalização”. Os governadores convocam tropas da guarda nacional para tentar conter a violência, mas sem capacidade para combater os saqueadores com força cinética, os esforços fracassam. O que começa como pilhagem rapidamente se transforma em operações territoriais de “senhores da guerra”, como Ed Dowd alertou anteriormente. Os governos municipais e a polícia perdem o controle e deixam de ter alguma relevância no caos emergente. Os senhores da guerra governam as cidades e conduzem operações de tráfico de armas, drogas e seres humanos, enquanto ganham poder e lucro enquanto os governos entram em colapso.

17) As eleições são canceladas. O regime de Biden declara uma emergência nacional e tenta a censura total da Internet, combinada com o confisco de armas a nível nacional e a proibição de munições nas mãos de civis. Tal como vimos na Ucrânia, Biden tenta proibir todos os meios de comunicação e partidos políticos dissidentes, transformando a América numa ditadura de partido único.

18) Os estados dos EUA começam a fazer barulho sobre a secessão. As batalhas acontecem entre autoridades federais e autoridades estaduais. Os estados vermelhos começam a promover planos sérios para declarar a sua independência e lançar as suas próprias moedas.

19) Células terroristas do Oriente Médio são ativados dentro dos EUA, possivelmente com a ajuda de grupos de cartéis do narcotráfico ligados ao PCC. Atacam alvos de infraestrutura, destruindo comunicações, refinarias, pontes, estradas, delegacias de polícia, instalações de tratamento de água, portos marítimos e subestações da rede elétrica. O povo americano estará mergulhado na escuridão, no caos, no colapso financeiro e na fome.

20) A Reserva Federal imprime mais trilhões de dólares por semana para comprar a dívida do Tesouro dos EUA que ninguém mais quer, dando início a uma espiral hiperinflacionária de destruição que termina num default total do dólar americano, das obrigações da dívida do Tesouro dos EUA, das pensões do governo dos EUA e direitos, incluindo pagamentos de seguridade social, assistência médica e invalidez.

21) O governo federal dos EUA entra em colapso. Embaixadas fecham em todo o mundo. As bases militares são abandonadas e todos os militares deixados para trás são massacrados. Os navios de guerra no mar ficam sem bandeira que os represente. O dólar não vale nada. Começa a força maior da dívida global. Começa uma corrida louca pelo controle dos silos de mísseis nucleares e de outros recursos militares dos EUA.

22) Após um curto período de caos e destruição alucinantes, o mundo e o que restar da humanidade recomeçara uma nova era de reconstrução e finalmente livre dos grilhões do ódio, racismo, imperialismo, corrupção, permissividade, etc, etc, sem que o império valentão dos EUA e o seu “povo eleito” cause mais caos, terrorismo e guerras em todo o planeta.

Ouça minha análise completa desses 22 pontos aqui: https://www.naturalnews.com/2023-10-25-chain-reaction-22-devastating-things-that-will-happen-israel-gaza.html


“O futuro será encontrar uma forma de reduzir a população … Claro, não seremos capazes de executar pessoas ou construir acampamentos [campos de concentração]. Livramo-nos deles fazendo-os acreditar que é para o seu próprio bem … Vamos encontrar ou causar alguma coisa, uma pandemia que atingirá certas pessoas, uma crise econômica real ou não, um vírus que afeta os idosos, tanto faz, os fracos e os medrosos sucumbirão a ela. O estúpido vai acreditar nisso e pedir para ser “tratado”.  Teremos cuidado de ter planejado o tratamento, um tratamento que será a solução. A seleção dos idiotas [para abate], portanto, será feita por si mesmos: eles irão para o matadouro sozinhos”.  – Excerto de livro de 1981 de Jacques Attalli [Membro do Grupo Bilderberger, num exemplo de mentalidade dos psicopatas da Elite]


“Precisamos do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na CEF  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (CEF)”.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *