Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Rússia segue firme apesar das ‘Sanções’ do Ocidente

Petróleo russo flui secretamente para países da UE através de rotas marítimas ocultas – Nikkei. Fórum Econômico Russo fecha bilhões em novos negócios. Mais de 290 acordos comerciais foram assinados no evento russo do Extremo Oriente este ano, na cidade de Vladivostok, relata a TASS. Política de esquerda da Alemanha a deputada Sahra Wagenknecht (do partido Die Linke – A Esquerda) criticou seu governo por causar uma guerra econômica ‘fatal’ com a Rússia.

Rússia segue firme apesar das ‘Sanções’ do Ocidente

Fontes; Rússia Today

Grande Fórum Econômico Russo fecha bilhões em novos negócios. Mais de 290 acordos comerciais foram assinados no evento do Extremo Oriente este ano, relata a TASS.

Acordos no total de US$ 54 bilhões (3,27 trilhões de rublos) foram assinados no sétimo Fórum Econômico Oriental (EEF), em Vladivostok, nesta semana, informou a TASS na quinta-feira, citando o serviço de imprensa do vice-primeiro-ministro da Rússia, Yuri Trutnev. 

“A economia da macrorregião (Extremo Oriente) recebeu cerca de 2,7 trilhões de rublos (US$ 44,2 bilhões) de investimentos. Mais de 100.000 empregos foram criados e agora mais de 290 acordos foram assinados no fórum por um total de 3,27 trilhões de rublos (US$ 54 bilhões), o que também é um recorde”, disse o serviço de imprensa.

Dados os desafios impostos pelas sanções ocidentais anti-Rússia, a importância econômica da região do Extremo Oriente está crescendo rapidamente, acrescentou o relatório.

Este ano, no âmbito do fórum, foram lançadas três novas instalações de produção no Extremo Oriente: um transporte ferry-boat-carro de passageiros em Komsomolsk-on-Amur, uma unidade de processamento de pescado Komandor em Kamchatka e a fábrica de processamento de grãos Zabaikalsk-Manchuria no terminal ferroviário na região de Zabaikalsky. O EEF, que aconteceu de 5 a 8 de setembro na capital russa do Extremo Oriente, a cidade de Vladivostok, que atraiu representantes de empresas e funcionários do governo de mais de 60 países.

Petróleo russo flui secretamente para países da UE através de rotas marítimas ocultas – Nikkei

O comércio de petróleo offshore via Grécia tem disparado recentemente, escreveu o jornal

Nos últimos seis meses, dezenas de navios fizeram transferências de petróleo de navio para navio na costa da Grécia com navios-tanque que deixaram a Rússia e depois chegaram a portos europeus, informou o jornal de negócios Nikkei na quarta-feira. Sua análise mostrou que havia apenas um desses navios no ano passado.

“A transferência de petróleo entre navios no mar para esconder sua origem pode continuar mesmo depois que o embargo de petróleo entrou em vigor”, disse o jornal.

Revelou ainda que, em 24 de agosto, fotografou a transferência de petróleo de um navio-tanque para outro no Golfo da Lacônia, perto do sul da Grécia. Um navio-tanque teria sido o Sea Falcon, registrado na Grécia, que deixou o porto de Ust-Luga, no noroeste da Rússia, em 4 de agosto. O outro foi o Jag Lok, de bandeira indiana, que partiu do porto turco de Aliaga, também em 4 de agosto. Pequenos barcos cercaram os navios-tanque, auxiliando na transferência, de acordo com o relatório.

Ao longo dos seis meses até 22 de agosto, o Nikkei confirmou 175 transferências ao largo da costa grega envolvendo navios-tanque da Rússia. Houve apenas nove dessas transferências durante o mesmo período do ano passado, disse. 

Dados da Refinitiv mostram que a Rússia exportou 23,86 milhões de barris de petróleo para transferências de navio para navio da Grécia. No mesmo período do ano passado, foram embarcados apenas 4,34 milhões de barris para transferências semelhantes.

O Nikkei rastreou as rotas dos navios, confirmando que 89 navios-tanque chegaram aos portos, em comparação com apenas três dessas chegadas em 2021. Desses, 41 chegaram a portos na Grécia, Bélgica e em outros lugares da Europa, escreveu, observando que dois navios-tanque fizeram escalas portuárias na Grã-Bretanha.

A análise destacou o papel crucial que as águas próximas à Grécia desempenham como centro de embarques de petróleo entre a Rússia e a Europa.

Deputada alemã nomeia o atual regime da Alemanha como ‘o governo mais estúpido’ da Europa

A política de esquerda Sahra Wagenknecht (do partido Die Linke – A Esquerda) criticou seu governo por causar uma guerra econômica ‘fatal’ com a Rússia

O governo da Alemanha é o “mais estúpido” da Europa por conseguir se envolver conscientemente em uma “guerra econômica” com seu principal fornecedor de energia e grande parceiro comercial, a Rússia, disse a política de esquerda Sahra Wagenknecht nesta quinta-feira.

Falando no Bundestag, o ex-copresidente do partido Die Linke (A Esquerda) pediu o fim das sanções anti-russas do seu pais e a renúncia do vice-chanceler e ministro da Economia da Alemanha, Robert Habeck.

Ao descrever o conflito em curso na Ucrânia como um “crime”, Wagenknecht disse que as sanções anti-russas são “fatais” para a própria economia da Alemanha. Com os preços da energia fora de controle, a economia do país em breve “será apenas um lembrete dos bons velhos tempos”, alertou a parlamentar, ao pedir o cancelamento das restrições e o envolvimento de seu pais em negociações com a Rússia. 

“Nós realmente temos o governo mais estúpido da Europa” , disse ela ao parlamento, pedindo a renúncia de Habeck.

O maior problema foi a ideia grandiosa de lançar uma guerra econômica sem precedentes contra nosso mais importante fornecedor de energia.

“A ideia de que estamos punindo Putin empobrecendo milhões de famílias na Alemanha e destruindo nossa indústria enquanto a Gazprom está obtendo lucros recordes – quão estúpido é isso?” Wagenknecht se perguntou. 

O discurso controverso encontrou uma reação bastante mista, com as observações de Wagenknecht ganhando aplausos no Bundestag de parlamentares de visões políticas opostas, incluindo membros da Alternativa para a Alemanha de direita (AFD). No entanto, vários políticos de esquerda correram para se distanciar das declarações de Wagenknecht e condená-la. 

“A posição do partido sobre as sanções contra a Rússia foi decidida na última conferência federal do partido. Não há ‘guerra econômica contra a Rússia’. A Rússia está em guerra com a Ucrânia” , tuitou o ex-copresidente do partido Die Linke, Bernd Riexinger, acrescentando que não deve haver “nenhuma dúvida” sobre quem o partido apoia no conflito em curso.

O ex-deputado de esquerda Niema Movassat foi ainda mais longe, levando ao Twitter para pedir a exclusão de Wagenknecht de seu grupo parlamentar. As declarações da política contradizem “muito ” o que o partido concorda, e ela deveria ser punida por “agir contra” o Die Linke, sugeriu Movassat.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


{Nota de Thoth: Em breve haverá um novo papa, será um francês, e será o ÚLTIMO  . . .  A estrondosa queda da “Estátua de Nabucodonosor“, com o fim do Hospício e os psicopatas da civilização ocidental e a própria destruição da região da cidade de Roma [incluso a cloaca do Vaticano] estão bem próximos de acontecer. O Hospício Ocidental, o circo do G-7 [do qual dois marionetes já caíram, Mario Draghi e Boris Johnson], os ditos “Países de Primeiro Mundo” vão fazer face ao seu carma “liberal“}


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *