browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

‘Síndrome da Desordem da Rússia’: Destruindo o Planeta para Salvar a Ucrânia

Posted by on 18/07/2022

Salvar a Ucrânia da Rússia tornou-se mais importante para os líderes do Hospício ocidental [OTAN-EUA] do que salvar o planeta das mudanças climáticas, mais importante do que evitar que suas populações congelem no frio e escuro, mais importante do que a viabilidade das indústrias ocidentais e mais importante ainda do que evitar o risco de uma guerra nuclear total entre o Hospício do Ocidente e a Rússia.

‘Síndrome da Desordem da Rússia’: Destruindo o Planeta para Salvar a Ucrânia

Fonte: The Epoch Times

Uma indicação precoce da perda de todas as perspectivas do Ocidente no que diz respeito à Rússia – chame-a de Síndrome da Desordem da Rússia – ocorreu nos Estados Unidos depois que Donald Trump foi eleito presidente. Grande parte do público, incluindo praticamente todos os democratas e a mídia tradicionalmente prostituída como máquina de propaganda, abraçou uma fantasia conhecida como Conluio Russo, que afirmava que a Rússia havia conspirado com a campanha de Trump para instalá-lo como presidente. 

A fantasia persistiu por três anos até 2019, quando o conluio russo foi confirmado como uma grande farsa perpetrada pela rival de Trump na presidência de 2016, [a satanista] Hillary Clinton e os democratas.

Foto do Epoch Times
O ex-secretário de Segurança Interna Jeh Johnson testemunha perante o Comitê de Inteligência da Câmara em uma audiência aberta no Centro de Visitantes do Capitólio dos EUA em Washington em 21 de junho de 2017. Johnson respondeu a perguntas sobre a interferência da Rússia nas eleições presidenciais de 2016 e a resposta de seu departamento à ameaça. (Chip Somodevilla/Getty Images)

No início deste ano, depois que a Rússia invadiu a Ucrânia por causa de uma disputa territorial, a ‘Síndrome da Desordem da Rússia’ entrou em ação no Hospício ocidental e seus psicopatas. Um Ocidente enfurecido sancionou os bens e serviços russos desordenadamente sem pensar nas consequências, principalmente as que envolviam energia. 

A Rússia representa a principal fonte de energia da Europa continental e é a principal razão pela qual os europeus podem manter as suas luzes acesas, casas aquecidas, indústrias funcionando, etc.

Somente depois que os europeus decidiram punir a Rússia, e somente depois que a Rússia anunciou cortes nos fluxos de gás – temporariamente, disseram – no gasoduto Nord Stream 1 de 60%, os europeus perceberam que a Rússia poderia retaliar no próximo inverno por meio de cortes no fornecimento de gás que gera energia punitivamente cronometrada, colocando a [o hospício da] Europa à mercê da Rússia.

Na Alemanha, por exemplo, o governo do chanceler Olaf Scholz fez as contas para descobrir que, em todos os cenários, a Alemanha não tinha as reservas necessárias para durante o inverno. “Esse foi o momento preocupante”, reconheceu Klaus Mueller, que dirige o regulador da rede de gás da Alemanha. “Se tivermos um inverno muito, muito frio, se formos descuidados e generosos demais com o gás, não será bonito.”

A União Europeia, agora em pânico, está lutando para adquirir combustíveis fósseis de qualquer fonte e pagando qualquer preço em uma tentativa desesperada de estocar energia antes da chegada do inverno. A Alemanha está voltando ao uso do carvão, assim como a Áustria, Itália e Holanda, com todos abandonando a “agenda verde”. 

O Reino Unido também está se voltando para o uso do carvão e revertendo sua proibição ao fracking e à produção de petróleo no Mar do Norte. A UE está endossando a mais recente exploração do Mar do Norte pela Noruega e está aberta a novos contratos para compromissos de fornecimento de longo prazo de gás natural.

Os Estados Unidos estão exportando quantidades recordes de gás, tanto que a Europa agora recebe mais gás natural liquefeito de alto preço de navios-tanque americanos do que gás natural barato de gasodutos russos. Desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, os europeus avançaram mais de 20 projetos de importação de gás natural liquefeito.

Neste combustível fóssil livre para todos, o Hospício do Ocidente efetivamente abandonou seu compromisso de combater as mudanças climáticas, que seus políticos marionetes nunca se cansaram de descrever como uma ameaça existencial ao planeta. Foi-se o compromisso zero líquido da Alemanha de eliminar gradualmente as usinas de carvão até 2030, tênue é a promessa do Reino Unido de parar de usar carvão em usinas de energia até 2024 e instável é a determinação dos países do G-7 de acabar com o “apoio público direto ao inabalável setor de energia de combustível fóssil internacional” até o final de 2022.” 

Em vez disso, os países do G-7, observando sua determinação em apoiar a Ucrânia, apoiou o aumento das entregas de gás natural liquefeito e instou as nações produtoras de petróleo a aumentar sua produção .

Foto do Epoch Times
Turbinas eólicas perto de uma usina a carvão, perto de Hamm, Alemanha, em 8 de junho de 2022. (Ina Fassbender/AFP via Getty Images)

Para punir a Rússia, os europeus estão conscientemente aplicando punições muito mais severas a si mesmos. A Alemanha está se preparando para colocar sua população em situação de emergência, pedindo o racionamento de energia. Seus governos estão respondendo escurecendo as luzes das ruas como Macron propôs na França, desligando a iluminação de prédios históricos e desligando a água quente em academias, museus e prédios governamentais. 

Os conjuntos habitacionais estão limitando as horas em que os chuveiros quentes podem ser tomados e diminuindo os termostatos nos complexos com aquecimento central. As indústrias estão planejando reduzir, se afastar da Europa ou encerrar completamente suas operações no continente ameaçado de congelar sua população por causa da loucura de seus políticos.

“Uma interrupção completa das exportações russas de gás natural custaria à Alemanha 12,7% do desempenho econômico no segundo semestre de 2022”, custando cerca de US$ 200 bilhões e afetando 5,6 milhões de empregos, alertou a Associação da Indústria da Baviera no mês passado.

O plano de emergência da Dinamarca envolve desligar o aquecimento a gás durante o verão, tomar banhos mais curtos, secar roupas ao ar livre e suspender o fornecimento de gás para indústrias de uso intensivo de energia .

Uma punição maior ainda está sendo expressa na forma de uma provável guerra nuclear. O Reino Unido, a França e os Estados Unidos lembraram à Rússia que possuem armas nucleares em resposta aos  lembretes russos de que ela tem o maior e mais moderno arsenal nuclear de todos os países do mundo.

Notavelmente, antes que o Ocidente viesse tão uniformemente em defesa da Ucrânia, a Ucrânia era pouco respeitada pelos europeus, ERA vista como uma cleptocracia dirigida por oligarcas corruptos com apenas um leve indício de estado de direito. 

Essa imagem foi transformada da noite para o dia quando a Rússia invadiu seu vizinho, quando a Ucrânia se tornou uma queridinha instantânea dos psicopatas do Ocidente, tão digna de justificar a destruição da economia, do meio ambiente e possivelmente do próprio Hospício do Ocidente. Tal é o poder da Síndrome da Desordem da Rússia.


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é thoth-3126-1.png

“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.