Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

‘Caixão Voador’: Mais Graves incidentes com aviões Boeing 737 Max e 777-200 esta semana

O que diabos está acontecendo com os jatos Boeing 737 Max da United Airlines esta semana? O terceiro incidente ocorreu na manhã dessa sexta-feira, quando o voo 2477 da United, um Boeing 737 MAX 8 transportando 160 passageiros e seis tripulantes, derrapou na pista de táxi e caiu em uma área gramada após pousar no Aeroporto Intercontinental George Bush, em Houston. Em outra ocorrência, o sistema de leme de uma aeronave 737 Max, também operada pela United Airlines, deu problema na hora do pouso, no mês passado, nos EUA. Na quinta-feira, o voo 35 da United Airlines, um Boeing 777-200 a caminho de Osaka, Japão vindo de São Francisco, perdeu uma roda logo após a decolagem, que foi abortada.

‘Caixão Voador’: Mais dois Graves incidentes com Boeing 737 Max esta semana

Fontes: Zero HedgeGloboG1

O último acidente do voo 2477 ocorre na sequência de dois outros incidentes com aeronaves da Boeing:

  • Na quinta-feira, o voo 35 da United Airlines, um Boeing 777-200 a caminho de Osaka vindo de São Francisco, perdeu uma roda logo após a partida,
  • e na quarta-feira, o voo 1118, um Boeing 737 voando de Houston para Fort Myers, teve uma turbina explodindo em pleno voo.

Um dia depois que um Boeing 737 da United Airlines de Houston para Fort Myers sofreu um  dramático incêndio/explosão no motor durante o voo , um jato da United vindo de São Francisco para o Japão perdeu um pneu durante a decolagem que caiu do céu e esmagou veículos no estacionamento, sem ferir ninguém. 

O voo 35 da United Airlines, um Boeing 777-200 com destino a Oska com 249 pessoas a bordo, sofreu um defeito no trem de pouso que fez com que um pneu se separasse do jato de fuselagem larga. O pneu caiu várias centenas de metros e esmagou veículos em um estacionamento do Aeroporto Internacional de São Francisco. 

O site de rastreamento de voos RadarBox republicou um vídeo no X que capturou o momento em que o pneu se separou do trem de pouso do avião. 

Vídeo Full HD do voo UA35 da United decolando de São Francisco e perdendo uma roda

“O Boeing 777-200 tem seis pneus em cada um dos dois suportes principais do trem de pouso. A aeronave foi projetada para pousar com segurança com pneus faltando ou danificados”, disse a United Airlines à  Bloomberg  em comunicado. 

O Boeing 777-200 conseguiu desviar e pousar com segurança no Aeroporto Internacional de Los Angeles logo após a decolagem. Imagens do veículo esmagado foram postadas no X. 

Aqui está o carro atropelado pela roda da United no SFO. Você pode ver a mancha de borracha e a impressão circular do pneu.

Enquanto isso, o vôo 1118 da United sofreu um defeito no motor no Texas na quarta-feira. 

O voo da United Airlines teve que fazer um pouso de emergência no Texas minutos após a decolagem, quando chamas começaram a sair de uma de suas turbinas. Este é o segundo incêndio em um motor em pleno ar que afeta um Boeing nos EUA este ano, depois que um motor 747 pegou fogo sobre Miami em janeiro. Fonte: Postagem de NY x.com/MarioNawfal/st/MarioNawfal/status/1765683637540864342

Boeing enfrenta mais uma investigação por falha em seu avião 737 Max. Veja qual foi o problema dessa vez

O sistema de controle do leme de uma aeronave da série 737 Max 8 também operada pela United Airlines deu problema na hora do pouso, no mês passado, nos EUA.

Investigadores americanos estão investigando outro incidente envolvendo o avião 737 Max da Boeing, um caso em que os pilotos de um 737 Max 8 da United Airlines disseram que os pedais do leme não funcionaram quando estavam pousando.

Segundo eles, os pedais que controlam o leme na cauda da aeronave, um dispositivo fundamental para ajudar a manobrar um avião, ficaram presos quando aterrissaram no Aeroporto Internacional Newark Liberty em 6 de fevereiro, informou o Conselho Nacional de Segurança nos Transportes (NTSB na sigla em inglês) em um relatório preliminar nesta quinta-feira.

O incidente é o mais recente envolvendo o avião a jato mais vendido da Boeing, que foi suspenso em todo o mundo em 2019 após o segundo de dois acidentes fatais que mataram 346 pessoas. No início deste ano, um painel que cobria uma porta não utilizada em um 737 Max 9 se abriu durante o voo, aparentemente porque não foi fixado corretamente em uma fábrica da Boeing durante a montagem final, de acordo com as conclusões preliminares do NTSB.

A Boeing trabalhou com a NTSB e a United para ajudar a diagnosticar o problema, que foi resolvido com a substituição de peças no sistema de controle do leme do avião, informou a empresa em comunicado.

ATUALIZAÇÃO: O voo 35 da United Airlines de São Francisco para Osaka, Japão, está de volta ao solo após PERDER UMA RODA na decolagem. O Boeing 777-222ER foi desviado para Los Angeles e foi recebido por equipes de emergência na pista A queda da roda causou ENORMES danos a carros e propriedades no chão, mas até agora, nenhum ferimento foi relatado

“Apreciamos o trabalho do NTSB nesse relatório preliminar e continuaremos a apoiar totalmente sua investigação”, disse a empresa.

Após o pouso do voo da United com 155 passageiros e seis tripulantes, os pilotos disseram que os pedais do leme não se moviam, de acordo com o relatório do NTSB. Normalmente, o leme é usado para dirigir na pista até que o avião diminua a velocidade. Ninguém ficou ferido.

Três dias depois do conserto, os pilotos da United realizaram um voo de teste com o avião e o leme ficou preso novamente, informou o NTSB. A companhia aérea notificou os investigadores após a segunda falha. Os dados capturados pelo gravador de voo do jato confirmaram as falhas, disse o Conselho.

Um exame inicial não conseguiu encontrar nenhuma “falha óbvia” no sistema do leme. Mas os testes do equipamento em um laboratório para simular as baixas temperaturas em alta altitude mostraram que isso poderia provocar uma falha.

Depois que os componentes do controle do leme foram substituídos no avião da United, ele funcionou sem problemas nos testes. O sistema de leme do Max é idêntico ao dos modelos anteriores do 737 conhecidos como NG, ou Next Generation, de acordo com a Boeing. Houve duas falhas semelhantes em 737 NGs em 2019 que também foram resolvidas com a substituição de componentes, disse a empresa.

Um problema separado no leme dos modelos 737 anteriores causou dois acidentes fatais na década de 1990, matando 157 pessoas. Nesses casos, o NTSB descobriu que uma falha rara poderia fazer com que o leme oscilasse agressivamente para um lado, dificultando o controle dos aviões.

A GRAVE crise de incompetência continua para a Boeing, uma empresa “Acordada” e com política “DEI-Diversidade, Igualdade e Inclusão”, que não esta levando em conta a SEGURANÇA para quem esta usando os seus produtos defeituosos, que somente por milagre, ainda não causou uma nova tragédia.


Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *