browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Projeção Mental, Visão Remota e nosso lugar no Universo

Posted by on 22/11/2017

Tudo bem. Bem-vindos de volta à “Divulgação Cósmica“. Eu Sou o seu anfitrião,  David Wilcock , e estou aqui com o Corey Goode. E neste episódio, temos mais e surpreendentes novas informações que nos vem do nosso convidado veterano da Segunda Guerra Mundial, William Tompkins. Desta vez vamos abordar a capacidade de nos projetarmos mentalmente para fora do corpo e visitar outros “lugares”, passear pelo cosmos e entrar em contato com outros seres….

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

DIVULGAÇÃO CÓSMICA: PROJEÇÃO MENTAL E NOSSO LUGAR NO UNIVERSO, COM O INSIDER E INFORMANTE WILLIAM TOMPKINS

Fonte: https://spherebeingalliance.com/

{In Memoriam ao Engenheiro Aeroespacial William Milton Tompkins – 29 de maio de 1923 – 21 de agosto de 2017 (94 anos)} 


PROJEÇÃO MENTAL

William Tompkins relata: Quando eu era apenas um menino, e eu era, como, sete, oito e nove anos, eu costumava voar muito. Agora, não tinha um avião. Acabei de voar. 

Nós morávamos em Santa Mônica, Califórnia. Nós estávamos vivendo em Hollywood, e eu voei, me projetei muito, principalmente à noite, mas algumas vezes durante as aulas, na escola, durante o recesso, eu simplesmente iria atrás do prédio, e eu sairia em um vôo. E às vezes eu. . . Eu colocaria meus braços para cima, mas na maioria das vezes eu somente acabaria por sair.

E para que eu pudesse voar por toda Hollywood, San Fernando Valley, descer à praia de Santa Monica, voar até Malibu, voar até San Pedro, observar os navios da Marinha e as docas secas em San Pedro, e voar sobre LAX (Los Angeles) e voltar. 

Eu tive dificuldade em voar sobre LAX. Havia muitas coisas acontecendo, então eu me afastei dos aeroportos tanto quanto pude. Algumas vezes, depois de me divertir apenas voando em baixo da chave – e em particular, é mais divertido à noite com as luzes – eu apenas disparava para fora, voando pela galáxia. E eu passei acima de 186 mil milhas por segundo,  acima disso.

E demorou muito tempo para descobrir que mesmo os alemães podiam voar mais rápido do que isso, e certamente os extraterrestres poderiam, ok? Mas o que estou dizendo que eu fazia isso, estou voando lá fora da Terra. E uma vez  eu voei. . . Era o navio de comando do almirante de uma frota espacial reptiliana. Voei pelo escritório dele. Eu podia ver, ouvir e cheirar tudo o que eles estavam dizendo. 

Para mim, veio para mim em inglês, como quando voei uma vez sobre a Rússia. O Almirante Sergey Gorshkov estava construindo toda uma série de navios futuristas que nem se pareciam com algo do planeta porque foram construídos com sigilo.

Almirante da URSS, Sergey Gorshkov

Eu voei sobre a base em Vladivostok, e eu realmente voei em torno da base. Abaixei, olhei para a borda das instalações da construção, voltei alto, voei no escritório de Sergey Gorshkov, e pude ver, ouvir e sentir o cheiro do café em seu escritório.

E a sua língua. . . qual língua falavam? Era Inglês. Todos falavam inglês. OK?  Na verdade, mais tarde entrei em um grupo de pesquisa na Marinha dos EUA onde eu fui um conselheiro desse tipo de desenvolvimento de capacidade psíquica (Projeção da MENTE,  Visão Remota) do que eu mesmo conseguia fazer.


David: Então é uma coisa bastante interessante lá. Estamos ouvindo que ele conseguiu fazer isso desde os sete ou oito anos de idade. E Corey, uma das coisas que me saltaram aos olhos, eu tinha cinco anos quando tive uma experiência fora do corpo. Acordei flutuando sobre meu corpo, e foi o evento que me levou a estudar ESP. Então eu comecei a fazer experimentos psíquicos quando eu tinha sete anos de idade. Eu queria ter outra chance. Só consegui fazer uma vez quando era criança.

Corey: Sim, eu pensava que isso era comum à todos. Eu pensava que todos poderiam fazê-lo. Eu estava fazendo isso. . .

David: Isso foi algo que aconteceu com você muitas vezes?

Corey: Mm-hmm.

David: a partir de que idade?

Corey: A idade de quatro e cinco anos aconteceu espontaneamente, e então eu consegui controlá-lo através da minha juventude. Nós estaríamos em viagem de carro longa. Eu ficaria entediado e, em vez de perguntar: “Ainda demora para chegarmos?”, Eu apenas me projetava para fora do carro, e eu flutuaria e passaria acima dos sinais quando passávamos, acima dos viadutos. E pensava que fosse algo que todos pudessem fazer.

David: Há algo sobre linhagem extraterrestre na alma que torna mais provável que as pessoas possam fazer isso?

Corey: Bem, vamos dizer que, em uma vida anterior, você era um extraterrestre mais avançado.  Você tinha capacidades avançadas de consciência, e você concordou em encarnar aqui na Terra como um ser humano. Ainda temos a mesma luta para resgatar esse conhecimento. Então, essa habilidade deve fluir lentamente para esse ser consciente de que concordamos em nos tornar.

David: Existe algum motivo para acreditar que, se uma pessoa atravessa um trauma excessivo, que esse trauma possa impulsioná-los a desenvolver projeção mental?

Corey: Sim. Essa é realmente uma técnica que é usada nos programas SSP. Eles causarão que as pessoas se projetem mentalmente de forma traumática (dissociando a mente) infligindo um trauma extremo sobre eles.

David: Como isso acaba funcionando? Por que você se projeta para fora de seu corpo então?

Corey: isso é um. . . É uma fuga ou um mecanismo de proteção que nossa psique tem. É uma habilidade disassociativa que a nossa psique, e nós espiritualmente, nos desvinculamos e divorciamo-nos do trauma físico que está ocorrendo. E uma vez que eles programam uma pessoa através do trauma para que elas possam se projetar fora de seu corpo, então eles começam a treiná-los como fazê-lo para as operações que eles desejam.

David: E qual seria o exemplo de uma projeção mental?

Corey: muito semelhante à visualização remota. Vai reunir informações estando fora do corpo em um local remoto e distante.

David: Bem, parece que esta é uma técnica muito antiga, não é? Quero dizer, isso é algo que as escolas de mistério  falaram e praticaram há muito tempo.

Corey: Certo, é uma habilidade fortemente suprimida que todos os humanos têm.

David: Uma das coisas que, talvez, nossos telespectadores não estejam cientes, há uma sociedade secreta particular chamada BOTA, ou Construtores do Adytum, e o Adytum, acredite ou não, é uma sala que possui um altar com um livro sagrado dentro com conhecimento sagrado. E o quarto está completamente desligado. Geralmente, é uma sala cilíndrica, tudo embutido. Você não pode entrar, exceto através do seu corpo mental. 

E então, a chave para o iniciado é, você pode chegar a essa sala e, em seguida, ler o livro dentro do Adytum, mas apenas se você puder contar com precisão o que o livro diz, você se tornará um verdadeiro iniciado.  Você já ouviu falar de algo assim?

Corey: Bem, quero dizer, houve exercícios semelhantes que todos nós passamos (durante o treinamento nos programas SSP-Secret Space Program).

David: Sério?

Corey: Sim. Você precisaria identificar um objeto em outra sala, sua cor. Não era como. . . Não estávamos lendo livros, mas você sabe, nós éramos adolescentes.  E eles queriam que usássemos brinquedos, pinturas ou coisas diferentes em outra sala que fosse removida e que ninguém na experiência, naquela época, soubesse o que estava lá. Então você não estava conseguindo hits psíquicos, ou você não estava carregado de qualquer maneira.

David: Algumas pessoas podem estar inclinadas a descartar o testemunho de Tompkins com base na idéia de que ele está dizendo, por exemplo, ele entrou no escritório de um almirante da Marinha reptiliana e que ele está ouvindo coisas em inglês quando claramente eles não estão falando Inglês.  E o mesmo com o general russo onde eles tinham essas embarcações não convencionais, aeronaves furtivas.

Corey: Eu já escutei isso antes, que sua mente – seu corpo mental projetado – é capaz de interpretar outras línguas para o idioma que a mente humana usa.

David: Então, há uma espécie de função de tradução natural.

Corey: não o tempo todo, mas algumas pessoas também possuem essa habilidade inata. Você não pode apenas se projetar mentalmente sobre essas bases secretas. Suas instalações são protegidas por pessoas que também têm habilidades de influência mental remota e são aprimoradas pela tecnologia. Eu os ouvi sendo chamados de “Aqueles que dispersam”. Eles vão espalhar seus pensamentos. 



Além disso, existem os seres das trevas que protegerão instalações de serem vasculhadas de projetores mentais. Os projetores mentais irão tentar entrar em uma instalação, e de repente eles terão esse ser das trevas real que agora está perseguindo-os por todo o lugar. Então eles têm segurança nesta dimensão mental.

David: Tudo bem. Então, em nosso próximo segmento, vamos ter Tompkins viajando pelo cosmos e, especificamente, vamos ouvir o que ele tem a dizer sobre as bases existentes em nossa Lua.


AS BASES EXTRATERRESTRES EXISTENTES NA NOSSA LUA

Nossa Lua é artificial e completamente oca, com várias bases extraterrestres e da própria humanidade, construídas em seu lado oculto.

William Tompkins: Bem, antes e primeiro de tudo, não é “a nossa Lua”, e em segundo lugar, não é uma LUA. É um centro de comando (de várias raças extraterrestres) e várias bases para uma região desta parte da Via Láctea. É isso que é a “nossa” LUA.

E ela não gira. Todo mundo esquece que nossa Lua não gira. OK? Então não é uma LUA natural.  Não é a “nossa” Lua. É um centro de comando com provavelmente 25 a 35 civilizações de extraterrestres diferentes com bases próprias lá, que operam aqui para esta parte da Via Láctea. 

E, sim, algumas dessas raças alienígenas realmente estão em guerra umas com as outras, mas eles têm pessoal morando aqui. Suas famílias vivem aqui. As crianças estão sendo educadas. Eles ficam jovens. Eles ficam mais velhos. Eles se casaram. É um grande pedaço. É uma grande e monumental instalação de raças extraterrestres de diferentes origens em nossa galáxia.


David: Então, Corey, qual foi sua reação quando viu esse segmento agora?

Corey: É exatamente o que eu havia dito no passado. Há uma série de facções que têm território na Lua em bases instaladas em que eles operam. E haverá inimigos do sangue por milênios que operam a um quilômetro ou dois uns dos outros, quer dizer, grupos e raças de extraterrestres que não se juntam, não importa o que aconteça.

David: agora, ele mencionou entre 25 a 35 civilizações de seres extraterrestres. Estou curioso o quão bem isso se encaixa com o que você ouviu?

Corey: provavelmente esta certo. Há muitas das raças produtoras genéticas que têm “postos de observação” (bases) na nossa Lua, é como  elas as chamam. E eles usam isso como um posto de observação e uma estação de onde eles vão e voltam e fazem essas experiências genéticas sobre nós.

David: Agora, uma das coisas que me interessou foi, pensei nisso, como você disse, como um posto avançado ou talvez um ponto de parada, enquanto ele diz que eles tem famílias que vivem lá. Eles (e nas bases humanas) têm filhos sendo educados lá, crescendo nessas bases lunares. Então, estamos lidando com o que parece ser uma habitação permanente para populações potencialmente grandes de pessoas de várias raças e origens estelares diferentes, você sabe, 25 a 35 civilizações.

Corey: quer dizer, seria semelhante a nós ter uma base marítima na Europa. Os soldados têm famílias que estão lá com eles. Será um desses cenários. Eu não tinha ouvido informação de que há famílias e crianças. A informação que recebi foi que eles eram mais como indivíduos militares.

David: Quando fui ao Japão, fui a Tóquio, a cidade principal, e é maravilhoso quando você está lá, e você olha para fora, e você vê algo que se parece com Manhattan, mas é tão grande. Tóquio é tão incrivelmente grande, há uma densidade de edifícios que você não consegue ver nada até o ponto em que essa densidade de edifícios altamente compactada termina. 

Então, quando temos uma cidade desse tamanho, é uma ocupação geográfica muito pequena, mas você poderia ter 20, 30 milhões de pessoas vivendo lá. Pergunto-me se o nível de desenvolvimento na Lua em alguns desses territórios, essas pessoas, é suficiente para que você possa ter uma população tão grande em um espaço pequeno.

Corey: trata-se de tecnologia. Se não estivéssemos tecnicamente desenvolvidos, não seria possível sequer ter uma cidade tão grande como Tóquio aqui na Terra. Eles dominaram todas as necessidades de produção de energia, os requisitos de produção alimentar que as pessoas  precisam, tudo o que é necessário para processar o desperdício em um nível muito mais eficiente do que nós. Então, sim, eles podem ter uma densidade  populacional muito maior do que em nossas grandes cidades.

David: Existem requisitos de imigração que impedem que alguém que não faz parte de sua cultura nativa local possa mesmo ver o interior dessas cidades?

Corey: Absolutamente. Você não tem um grupo indo para as cidades dos outros. Quero dizer, é como a ONU ou tipo do que ocorre na Antártida e é esculpida por todos esses países diferentes. É um território incontestável, e eles não atravessam ou invadem o território alheio. 

Como o LOC  (Lunnar Operation Command), base humana na Lua, originalmente se parecia em seu início.

A Lua foi considerada como uma zona neutra, como a Suíça, uma zona livre de conflitos, depois de algumas grandes batalhas importantes que aconteceram na história de nosso sistema solar. E eles deixaram alguns dos restos daquela batalha na Lua como um testamento e uma lembrança das batalhas e o quão ruim que isso foi. 

Estes são os conflitos que levaram a que esses tratados fossem assinados entre os diferentes grupos de cientistas genéticos, alguns desses grupos mais negativos de que estamos falando, que lhes permite viver e operar em proximidade sem estar em guerra o tempo todo.

David: Pete Peterson tem um insider que veio do programa espacial russo, que lhe disse que se pudéssemos ver o lado escuro da Lua – o que, como observou Tompkins, é sempre oculto da nossa visão. Nós nunca podemos olhar desse lado – que seria iluminado como Manhattan de noite.  Significando toda a área circular da parte oculta da Lua, se esse lado pudesse ser virado para nós, tudo da noite é simplesmente coberto de luzes.

Corey: Sim, há um local particular, acho que se chama Luna City, que tem muita iluminação artificial.  Mas você também deve saber que eles têm um tipo de camuflagem que recai sobre seus edifícios e estruturas que se parecem com o resto do terreno árido da Lua.

David: Oh, uau!

Corey: então você poderia voar e ver crateras quando realmente é apenas uma projeção sobre uma base ou um posto avançado de alguma raça alienígena.

David: Isso é interessante porque, como sabemos, o major aposentado Bob Dean, de acordo com o que ouvi de Jacob, meu insider que se encontrou com ele em um evento do Projeto Camelot e reconheceu-o do Programa do Espaço Secreto. . .



Corey: tenho certeza de que ele fez serviço pelo menos em um programa de 20 anos e de volta à Terra.

David: Sim.

Corey: Essa é a minha opinião.

David: Mas uma das coisas que Dean disse enquanto ele estava falando com Jacob era que havia uma ilha no Pacífico onde a metade da ilha se parece uma ilha, mas é uma cobertura, e que há uma base muito importante lá. E se não fosse por esse holograma que faz parecer que é apenas uma ilha no oceano, você veria essa coisa maravilhosa.

Corey: Ah, sim, eles podem desaparecer ilhas inteiras.

David: Uau! Então, isso é algo que poderia ser usado na Terra agora mesmo.

Corey: Absolutamente.

David: você pode confirmar isso.

Corey: Sim. Pode ser usado na Antártida. Poderia ser usado em qualquer número de lugares.

David: Tudo bem. Agora, ele também mencionou que a Lua é um centro de comando. Quanto disso também está correto?

Corey: quase tudo isso. A maioria está sob a superfície da Lua nestas bases subterrâneas profundas fissuras profundas, rachaduras e tubos de lava.

David: E uma última coisa foi que você mencionou que temos uma nova espaçonave do Comando de Operações Lunar.

Corey: Sim. Sim. Se você olhar para esta imagem, esta é uma imagem que eu comissionei que é uma renderização em 3D do arranjo de edifícios de aparência de suástica que. . . como o LOC  (Lunnar Operation Command) originalmente se parecia em seu início.

A base humana na Lua, LOC, e como se parece hoje.

David: Ok.

Corey: E então eu tenho outra imagem que mostra como mais área foi construída para cobrir a suástica.

David: Interessante. Tudo bem. Então, neste último segmento, temos um conjunto final de palavras da Tompkins para nós neste episódio, e estas são suas declarações sobre como ele vê nosso lugar no universo com base em seu próprio conhecimento pessoal e deslumbrante e experiência direta com contato extraterrestre , incluindo os nórdicos. Vamos dar uma olhada.


O NOSSO LUGAR NA GALÁXIA

William Tompkins: agora aceitamos que temos cerca de, digamos, 200 trilhões de galáxias. Não é um milhão.  Temos 200 trilhões de galáxias por aí. Com isso eu quero dizer o que . . . Nós somos tão ingênuos do que existe lá fora. É totalmente inacreditável. Milhões e milhões de planetas por aí – coisas muito pequenas e coisas que fazem nossa Estrela se parecer com coisas infantis. Nossa estrela é apenas um pequeno e pálido ponto perdido no espaço infinito a criação – mesmo na nossa galáxia. 



E enquanto estamos falando sobre isso, esse assunto surge o tempo todo, e é um momento apropriado para dizê-lo. Se pudermos nos visualizar como o centro da Via Láctea, estamos à distância assim (do Sol Central) com o nosso braço. Todo mundo nesta sala, e toda a audiência que vai estar assistindo isso, tem que perceber que este é um dos braços da Via Láctea. Você está localizado na minha primeira junta.

Você não ainda não está abatido. . . Espere um minuto! Você não está para baixo, onde está a ação. Mesmo na galáxia da Via Láctea, você não é o centro da cidade, onde está a TODA a ação.  Você está aqui lá fora nesta borda, que com o tempo, você será derrubado porque a galáxia gira. A galáxia gira, todas giram ao redor de um grande e gigantesco Sol Central. 

Elas rodam e dançam a dança da criação, então as bordas são jogadas para fora. Outras galáxias passam, e eles pegam essas coisas. Então você pode estar indo para a próxima galáxia várias semanas a partir de agora. OK? Isso demora um bom tempo. [Sorrisos] 

Então, para perceber que você não está no centro da cidade, você é apenas um dos que existem nas bordas da galáxia.  E esta pequena coisa, o nosso Sistema Solar que você tem aqui – é. . . Você está fora das bênçãos do grande Sol Central.

E é interessante que tenhamos que abordar quem somos, onde estamos e o que sabemos e percebemos que o universo é inacreditável. E, portanto, oportunidades para os jovens neste país, em todo o mundo, estar envolvidos neste fato, em nosso futuro relacionamento com outras raças estelares, tudo bem. . . 

Vamos. Esqueça de possuir uma grande armada. Há muito disso. Esse não é o passo certo. Você deve ter o maior. . . armamento, o suficiente para poder enfrentá-los (aliens), e é aqui que a Marinha tem dito isso há 240 anos. Se você tiver uma marinha suficientemente grande, “eles” não vão voltar. 

Você não precisa usar uma marinha de para a guerra. Mas se você não defender essa ideia, as pessoas realmente vão dificultar sua vida.  E para mim, acho que estamos começando. Acabamos de perceber a ponta do iceberg de para onde poderemos ir e o que podemos fazer,


David: Tudo bem. Então, uau! Esse é um lembrete muito sóbrio da grandeza de nossa identidade cósmica. Estive citando os últimos estudos da NASA, que revelaram que há tantos planetas aquosos como a Terra em nosso universo, pois existem grãos de areia na Terra, em todo o planeta. Todos os grãos de areia juntos – significa planetas aquosos como a Terra existindo por todo o universo.  Então, isso é um número impressionante.

Corey: é um modelo do que é todo o cosmos.

David: E esses planetas aquosos nesta maquete teórica que a NASA expôs, eles estão vasculhando, tudo bem, talvez um em cada um deses sistemas solares tenha vida, e então talvez um em cada um deles vão desenvolver vida humana inteligente. Mas com base no que você me disse antes, parece que a vida inteligente para um planeta aquoso é muito mais prevalente do que aquela em uma das outras 100 coisas.



Corey: Bem, sim, e também, você tem que entender que cada sistema solar possui suas próprias dinâmicas. Então, haverá momentos de sociedades desenvolvidas no sistema solar, e então haverá cataclismos – ciclos que ocorrem. Então eles terão longos períodos de vida mais básica que habitam esses planetas.

David: E se nossa estimativa convencional da idade do universo é de cerca de 13,8 bilhões de anos – há opiniões diferentes, mas essa é uma das mais comuns – então isso significaria que poderia haver civilizações muito mais antigas do que a nossa que já atingiu tecnologia e evolução muito mais elevadas.

Corey: Ah, sim. Vieram, e foram embora.

David: Então, a ideia de que nós aqui na Terra somos a única vida inteligente no universo, à luz de todas essas novas estatísticas, é total e completamente ridícula.

Corey: Sim, é além do ridículo. É arrogante e estúpido. Você tem a mistura certa de minerais, distância do sol, o planeta sendo semeado com as enzimas ou proteínas corretas dos cometas.  Então você tem todos os blocos de construção para a vida básica, e isso esta acontecendo em todos os lugares. E agora que descobriram que as estrelas produzem água,. . .

David: certo.

Corey: . . . É daí que muitas das águas estão vindo. E o Sol também está produzindo a onda harmônica que permite que a vida aconteça.

David: Sim, isso é algo de que fiz muitas validações científicas. Se as pessoas também assistirem “Ensinamentos de Sabedoria”, eles vão ouvir, em muitos dos meus episódios de DNA, uma prova surpreendente.  Nós fomos pesquisar Wilhelm Reich e como você pode, de fato, gerar vida apenas por eletrizar uma pedra e água. Tudo o que você precisa fazer é isso, e você acabará por criar a vida.

Corey: certo, e também onde na galáxia este sistema solar esta, também vai depender. . . vai determinar o quão avançado e a rapidez com que a vida avança ou progride. Mais em direção ao centro da galáxia, as coisas estão ocorrendo muito mais rapidamente. O tempo está ocorrendo de forma diferente e a matéria é muito mais sutil. Há muito mais acontecendo, civilizações evoluidas, em direção ao centro das galáxias do que nos booms cósmicos de que ele estava falando.

David: Eu achei isso fascinante porque meu insider e informante Jacob, que conhecia muito amplamente o Programa Espacial Secreto, afirmou ter estado em mais de 200 diferentes locais fora do planeta Terra, ter visto mais de 400 tipos diferentes de extraterrestres, e ele era o cara que me deu muita informação que se correlacionou tão bem com o que você mesmo já citou em seus depoimentos 

Jacob estava me dizendo que, sim, o centro da galáxia é muito mais avançado, e há muito mais acontecendo lá que é quase incompreensível para nós. 

Corey: o tempo flui de maneira diferente. Energia, tudo. . . Em direção ao centro da galáxia, as coisas estão ocorrendo, da nossa perspectiva, muito mais rápido.

David: Agora, Tompkins também mencionou que havia oportunidades comerciais. Não se trata apenas de ir lá com uma arma. O que você acha que poderia acontecer em um mundo pós-divulgação completa, onde as pessoas terão a capacidade de potencialmente até ter um portal em sua casa, e, no decorrer de um dia, talvez até percorra muito do nosso Sistema Solar, encontre-se com outras pessoas, viaje para outros lugares? Que tipo de sociedade seria essa? Que tipo de empresas podemos começar a desenvolver a partir desse ponto?

Corey: Bem, já existe muito comércio entre o nosso Sistema Solar e os outros sistemas solares, mas está sendo controlado por um grupo muito militante e fascista que pertence a diferentes facções do SSP-Programa Espacial Secreto. Se for posto nas mãos das pessoas certas (evoluídas), poderemos fazer isso – começar a trocar – por nossos próprios interesses. Agora, muitas dessas pessoas nos programas espaciais secretos são  forçados a fazer isso. 

Quando alguém serve num programa espacial secreto do tipo da marinha dos EUA, então teremos pessoas que estão trazendo energia mais criativa para a missão deles. E se não é uma missão militar, será mais uma missão para o comércio.

David: Algumas pessoas assistindo este show podem ser céticas e cínicas, e eles argumentarão: “Bem, o que possamos oferecer a outras culturas? Nós somos como neandertais, trogloditas, em comparação com essas pessoas. Mesmo que desenvolvêssemos a capacidade de viajar por um portal, mesmo que possamos explorar um sistema solar fora do nosso e visitar uma cultura avançada, se eles tiverem edifícios gigantes feitos de cristal de alumínio transparente, o que vamos fazer lá, o que eles poderiam querer de nós? “

Corey: Bem, haverá algumas civilizações muito mais avançadas, não há nada que realmente possamos ter, exceto talvez por alguns produtos biológicos ou genéticos, que estamos dispostos a trocar de nosso planeta. Muitos deles estão interessados é nisso mesmo. Então, as civilizações mais super-avançadas. . . Nós realmente não teremos muito o que eles vão querer negociar. 

Mas há muitas civilizações muito próximas das nossas. Nosso nível de desenvolvimento é semelhante ao deles para um ponto em que eles estão comprando naves de nós. Somos uma civilização com tecnologias secretas de engenharia que os grupos não-terrestres desejam, querem, e estão dispostos a trocar por isso porque somos conhecidos como engenheiros muito diligentes e brilhantes.

David: Poderia haver também oportunidades de emprego para pessoas que podem ser, digamos, artistas ou músicos ou professores?

Corey: Absolutamente.

David: esse tipo de coisa?

Corey: Sim, espero muitos programas de intercâmbio quando se trata das artes, porque é. . . Todos os planetas têm alguma forma de arte.



David: E quanto de uma grande diversidade cultural de outras civilizações extraterrestres estamos procurando em lugares onde artistas ou professores ou músicos poderiam vir e oferecer seus serviços quando isso se abrir para todos?

Corey: em quase todos o planetas que possui uma civilização do tipo humano. A razão que eles nos dizem para não chamá-los de não-terrestres, ou ETs – eles nos dizem para chamá-los de pessoas – é porque há muito pouca diferença, geneticamente, entre nós e eles.

David: certo.

Corey: são pessoas, e as pessoas têm desejos, emoções, interesses. Eles têm muitos interesses.  Podemos fecundar as nossas ciências, as nossas artes, com conhecimento de outros sistemas estelares interessados ​​em nossa arte.

David: Então, existe um potencial em nosso futuro onde poderíamos ter programas educacionais, onde vamos ajudar as pessoas a chegarem a um ponto em que seriam bem-vindas como diplomatas, embaixadores, professores, compartilhadores de conhecimento, mas exigirá que nós tenhamos que nivelar a nossa maturidade espiritual antes de estarmos prontos para isso.

Corey: Nós continuaremos a ficar isolados das demais civilizações até que passemos por esse renascimento da consciência. Uma vez que consigamos evoluir para um novo nível de compreensão da sacralidade da vida universal, e não estejamos mais tão danificados, não sofrermos mais de PTSD, então vamos poder interagir com eles.

David: Bem, essa é uma mensagem muito fascinante e esperançosa. 

Nós os veremos na próxima vez em “Divulgação Cósmica“. Episódio especial com William Tompkins. Sou David Wilcock aqui com Corey Goode, e agradecemos por nos seguir e nos apoiar.


contagem-regressiva-azul

“O medo é a emoção predominante das massas que ainda estão presas no turbilhão da negatividade da estrutura de crença da (in)consciência de massa. Medo do futuro, medo da escassez, do governo, das empresas, de outras crenças religiosas, das raças e culturas diferentes, e até mesmo medo da ira divina. Há aversão e medo daqueles que olham, pensam e agem de modo diferente (os que OUVEM e SEGUEM a sua voz interior), e acima de tudo, existe medo de MUDAR e da própria MUDANÇA.” –  Arcanjo Miguel

“Conhece-te a ti mesmo e conheceras todo o universo e os deuses, porque se o que tu procuras não encontrares primeiro dentro de ti mesmo, tu não encontrarás em lugar nenhum”.  –  Frase escrita no pórtico do Templo do Oráculo de Delphos, na antiga Grécia.


Muito mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e a citação das fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *