browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Casos extraordinários de crianças que relembram suas vidas passadas e as comprovam

Posted by on 31/12/2020

A reencarnação da alma humana em diferentes corpos ao longo da história é um assunto fascinante que permaneceu por muito tempo à margem do estudo científico. Felizmente, recentemente começou a atrair sério interesse da comunidade científica.  Décadas atrás, o astrônomo e astro biólogo norte americano Carl Sagan afirmou que “há três afirmações no campo [da parapsicologia] que, na minha opinião, merecem um estudo sério”, sendo uma delas “que as crianças às vezes relatam detalhes de uma vida anterior, que após verificação se revelam corretos porque não poderiam saber de nenhuma outra forma que não fosse a reencarnação de sua alma”. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Casos extraordinários de crianças que relembram suas vidas passadas e as comprovam

Fonte:  Collective Evolution – Por Arjun Walia

Avance até hoje, e descobertas surpreendentes foram feitas, à medida que vários pesquisadores se encarregaram de estudar esse fenômeno intrigante e inexplicável – pelo menos a partir de uma [obtusa e dogmática] visão de mundo científica materialista. Temas como reencarnação pertencem às ciências imateriais, área de pesquisa que merece mais atenção. Como o próprio Nikola Tesla disse, “no dia em que a ciência começar a estudar fenômenos não físicos, fará mais progresso em uma década do que em todos os séculos anteriores de sua existência”.

O psiquiatra Jim Tucker da Universidade da Virgínia é indiscutivelmente o pesquisador líder mundial neste tópico e, em 2008, ele publicou uma revisão de casos que sugeriam que o fenômeno da reencarnação é real na revista  Explore .

Um caso típico de reencarnação, descrito por Jim, inclui assuntos relatando uma experiência de vida passada. O interessante é que 100 por cento dos indivíduos que relatam lembranças de vidas passadas são crianças. A idade média em que eles começam a se lembrar de suas vidas passadas é aos 35 meses, e suas descrições de eventos e experiências de suas vidas passadas são extensas  freqüente e extremamente detalhadas. Tucker apontou que essas crianças mostram um envolvimento emocional muito forte quando falam sobre suas experiências; alguns até choram e imploram aos pais para que sejam levados para o que eles dizem ser sua família anterior.

De acordo com Tucker:

Os sujeitos geralmente param de fazer suas declarações de vidas passadas por volta dos seis a sete anos de idade, que é quando a maioria deles parece perder as supostas memórias. É a idade em que as crianças ingressam na escola e passam a ter mais experiências na vida atual, assim como tendem a perder as memórias da primeira infância.

Anônimo

Eli Lasch, um médico proeminente em Israel que atuou como consultor sênior na coordenação dos serviços de saúde na Faixa de Gaza. Ele faleceu em 2009, mas antes disso, ele estava investigando um suposto caso de reencarnação em que um menino de três anos alegou ter se lembrado de uma vida passada. Nesta vida, ele se lembra de ter sido atingido por uma grande pancada na cabeça com um machado e de ter uma marca de nascença longa e vermelha justamente na cabeça.

O menino de hoje, cujo nome permaneceu em sigilo durante todo o estudo, também tinha uma marca de nascença exatamente no mesmo lugar, o que é interessante porque vários estudos, como o publicado em Explore ,  apontam como marcas de nascença compartilhadas são comuns a crianças que se lembram de suas vidas passadas.

O pai do menino e vários outros parentes da aldeia decidiram visitar as comunidades vizinhas para ver se sua anterior identidade de vida passada poderia ser descoberta e o Dr. Lasch foi convidado a participar. Nessa jornada, eles visitaram várias aldeias até que o menino se lembrou da aldeia certa. Ele se lembrou de seu próprio nome e sobrenome, bem como do nome e sobrenome de seu assassino.

De acordo com o Instituto para a Integração da Ciência, Intuição e Espírito:

Um membro desta comunidade, que ouviu a história do menino, disse que conheceu o homem que o menino disse ter sido na vida passada. Este homem havia desaparecido 4 anos antes e nunca foi encontrado. Presumiu-se que essa pessoa deve ter sofrido algum infortúnio, pois se sabia que indivíduos foram mortos ou feitos prisioneiros nas áreas de fronteira entre Israel e a Síria por serem suspeitos de serem espiões.

O grupo passou pela aldeia e a certa altura o menino apontou para a casa de uma vida passada. Passantes curiosos se reuniram e de repente o menino se aproximou de um homem e o chamou pelo nome. O homem reconheceu que o menino o nomeou corretamente e o menino então disse:

“Eu costumava ser seu vizinho. Nós brigamos e você me matou com um machado”.

O Dr. Lasch então observou que o rosto desse homem de repente ficou branco como um lençol. A criança de 3 anos ainda afirmou: “Eu até sei onde ele enterrou meu corpo [anterior].”

O menino então conduziu o grupo, que incluía o assassino acusado, para campos que estavam localizados nas proximidades. O menino parou em frente a uma pilha de pedras e relatou: “Ele enterrou meu corpo sob essas pedras e o machado esta ali.”

Sam Taylor

Sam Taylor é uma criança sobre a qual Tucker estudou e escreveu. Nascido 18 meses após a morte de seu avô paterno, ele começou a se lembrar de detalhes de uma vida passada quando tinha pouco mais de um ano de idade:

Quando ele tinha 1,5 anos, ele olhou para cima quando seu pai estava trocando sua fralda e disse: “Quando eu tinha sua idade, costumava trocar suas fraldas”. Ele começou a falar mais sobre ter sido seu avô. Ele acabou contando detalhes da vida de seu avô que seus pais tinham certeza de que ele não poderia ter aprendido por meios normais, como o fato de que a irmã de seu avô tinha sido assassinada e que sua avó usara um processador de alimentos para fazer milkshakes para seu avô todos os dias no final de sua vida. ( fonte )

Muito notável, não é?

Ryan – um menino do meio-oeste

A história de Ryan começou quando ele tinha 4 anos, ele passou a ter pesadelos horríveis e frequentes. Assim que fez cinco anos, ele fez um anúncio à mãe. Ele disse a ela: “Eu costumava ser outra pessoa”.

Ele sempre falava sobre “voltar para casa” em Hollywood e implorava à sua mãe que o levasse para lá. Ele contou a ela histórias detalhadas sobre como conhecera estrelas de cinema como Rita Hayworth, dançou em produções da Broadway e trabalhou para uma agência onde as pessoas mudavam de nome com frequência. Ele até lembrou que o nome da rua em que morava tinha a palavra “pedra”.

O psiquiatra Jim Tucker com Ryan e sua mãe Cinydi. À direita Marty Martyn, uma vida anterior de Ryan.

A mãe de Ryan, Cyndi, disse que “suas histórias eram tão detalhadas e extensas, que simplesmente não era como se uma criança pudesse ter inventado”.

Cyndi decidiu dar uma olhada em alguns livros sobre Hollywood na biblioteca local, pensando que talvez algo lá dentro chamasse a atenção de seu filho, e chamou. Cyndi disse que assim que encontrou a foto abaixo – do homem que Ryan afirma ter sido em sua vida passada – tudo mudou.

Eles decidiram procurar a ajuda de Tucker, que assumiu o caso e iniciou sua pesquisa. Depois de apenas cerca de duas semanas, um arquivista de filmes de Hollywood conseguiu confirmar a identidade do homem na foto. A imagem era de um filme intitulado “Night After Night”, e o homem era Marty Martyn, que havia sido figurante do cinema e mais tarde se tornou um poderoso agente de Hollywood antes de falecer em 1964.

Martyn na verdade dançou na Broadway, trabalhou em uma agência onde nomes artísticos eram frequentemente criados para novos clientes, viajou para o exterior para Paris e morou na North Roxbury Drive, 825, em Beverly Hills. Todos esses foram detalhes que Ryan conseguiu comunicar a Tucker antes que soubessem a identidade de quem ele descreveu; por exemplo, Ryan sabia que o endereço continha “Rox”. Ryan também foi capaz de lembrar quantos filhos Martyn teve e quantas vezes foi casado. 

Mais notável ainda é o fato de que Ryan sabia que Martyn tinha duas irmãs, mas a própria filha de Martyn não. Ryan também se lembra de uma empregada doméstica afro-americana; Marty e sua esposa empregaram vários. Esses são apenas alguns dos 55 fatos incríveis que Ryan pode se lembrar de sua vida anterior como Marty Martyn, embora, à medida que envelhece, suas memórias se tornam cada vez mais obscuras.

Chanai Choomalaiwong

Chanai é um menino da Tailândia que, quando tinha três anos de idade, começou a dizer que havia sido um professor chamado Bua Kai que foi baleado e morto enquanto ia de bicicleta para a escola. Ele chorou e implorou para ser levado aos pais de Bua Kai, que ele sentia serem seus próprios pais. Ele conhecia o vilarejo onde moravam e finalmente convenceu sua avó a levá-lo para lá. De acordo com a pesquisa:

Sua avó contou que, depois que eles desceram do ônibus, Chanai a levou a uma casa onde morava um casal mais velho. Chanai pareceu reconhecer o casal, que eram pais de Bua Kai Lawnak, um professor que havia sido baleado e morto a caminho da escola cinco anos antes de Chanai nascer.

O fascinante é que Kai e Chanai tinham algo em comum. Kai, que foi baleado por trás, tinha pequenos ferimentos redondos na parte de trás da cabeça, típicos de um ferimento de entrada de uma bala, e ferimentos de saída maiores na testa; Chanai nasceu com duas marcas de nascença, uma pequena e redonda na parte de trás da cabeça e outra maior e de formato irregular na frente.

O Caso de P.M.

P.M. era um menino cujo meio-irmão morrera de neuroblastoma 12 anos antes de seu nascimento. O meio-irmão foi diagnosticado depois que começou a mancar e então sofreu uma fratura patológica na tíbia esquerda. Ele foi submetido à biópsia de um nódulo no couro cabeludo, logo acima da orelha direita, e recebeu quimioterapia por meio de um cateter central em sua veia jugular externa direita. Na época de sua morte, ele tinha dois anos e era cego do olho esquerdo.

PM nasceu com três marcas de nascença que correspondem às lesões em seu meio-irmão, bem como um inchaço de 1 cm de diâmetro acima de sua orelha direita e uma marca escura oblíqua na superfície anterior inferior direita de seu pescoço. Ele também tinha o que é conhecido como ‘leucoma corneano’, que o tornava praticamente cego do olho esquerdo. 

Assim que PM começou a andar, ele mancou, poupando o lado esquerdo e, por volta dos 4,5 anos, falou com a mãe sobre o desejo de voltar para a casa da família anterior, descrevendo-a com grande precisão. Ele também falou sobre a cirurgia no couro cabeludo de seu irmão, embora nunca tivesse ouvido falar dela antes.

Kendra Carter 

Quando Kendra começou as aulas de natação aos 4 anos, ela imediatamente desenvolveu uma ligação emocional com sua treinadora. Pouco depois de começar as aulas, ela começou a dizer que o bebê do treinadora havia morrido e que a treinadora estava doente e empurrou seu bebê para fora. A mãe de Kendra estava sempre em suas aulas, e quando ela perguntou a Kendra como ela sabia dessas coisas, sua resposta foi: “Eu sou o bebê que estava em sua barriga.” Kendra passou a descrever um aborto, e sua mãe descobriu mais tarde que a treinadora realmente havia feito um aborto 9 anos antes de Kendra nascer:

Kendra ficava feliz e borbulhante quando estava com a treinadora, mas quieta longe dela, e sua mãe a deixava passar cada vez mais tempo com a treinadora até que ela ficasse com ela três noites por semana.  Eventualmente, a treinadora teve um desentendimento com a mãe de Kendra e cortou o contato com a família. Kendra então entrou em depressão e não falou por 4,5 meses. A treinadora restabeleceu um contato mais limitado naquele ponto, e Kendra lentamente começou a falar novamente e a participar das atividades. fonte )

James Leininger

Na época deste caso, James era um menino de 4 anos de Louisiana. E ele acreditava que já foi um piloto da Segunda Guerra Mundial que foi abatido sobre Iwo Jima, uma ilha que os Estados Unidos lutaram para capturar em 1945.

Seus pais perceberam isso quando James começou a ter pesadelos, acordando e gritando “acidente de avião” e “avião em chamas”. Ele sabia detalhes sobre a aeronave da Segunda Guerra Mundial que seriam impossíveis para um jovem saber. Por exemplo, quando sua mãe se referiu a um objeto no fundo de um modelo de avião como uma bomba, ela foi corrigida por James, que a informou que era um ‘tanque de queda’. Por outro lado, ele e seus pais estavam assistindo a um documentário, e o narrador chamou um avião japonês de Zero, quando James insistiu que era Tony. Em ambos os casos, James estava certo.

James também insistiu que em sua vida anterior havia voado de um navio chamado Natoma, que, como os Leiningers descobriram, era um porta-aviões da II WW (USS Natoma Bay). James disse que seu nome anterior também era James, e surpreendentemente, no esquadrão USS Natoma Bay, havia um piloto chamado James Huston que havia sido morto em combate no oceano Pacífico.

O Dr. Tucker obteve documentos adicionais para várias das declarações de James Leininger, e eles foram feitos antes que alguém na família tivesse ouvido falar de James Huston ou do USS Natoma Baby. Pergunte a si mesmo: como uma criança de dois anos na Louisiana poderia se lembrar de ser um piloto da Segunda Guerra Mundial abatido sobre o Pacífico?

O maior cético neste caso foi o pai do menino, que comentou que ele era “o cético original, mas a informação que James nos deu foi tão surpreendente e incomum. Se alguém quiser examinar os fatos e desafiá-los, pode examinar tudo o que temos”.fonte )

Uma explicação?

Eu, pessoalmente, acredito de todo o coração que a reencarnação da alma humana é real, mas não acho que seja a única opção para o que acontece após a morte. Acredito que algumas almas podem reencarnar, como vimos acima, e recomeçar seu aprendizado em mais outra vida. Também acredito que alguns podem reencarnar em outros planetas, como seres que consideraríamos alienígenas. 

Além disso, acredito que a reencarnação é apenas uma das opções para uma alma; talvez eles tenham a opção de viajar para outras dimensões e experimentar uma vida lá, ou renunciar completamente à reencarnação e experimentar a vida no reino não físico, livre de um corpo físico. 

Talvez uma alma deva continuar a reencarnar até que certas lições sejam aprendidas para passar para outro ‘nível’? 

Eu também acredito que existe um lugar comum de onde todas as almas vêm, então talvez alguns de nós vamos para lá. Eu acredito, como Platão acreditava, que quando a alma entra em um corpo físico, ela se esquece de onde veio, e não tem nenhuma lembrança daquela experiência anterior.  Não acredito que este mundo material seja o único que existe; existem infinitos mundos lá fora que estão além de nossos sentidos físicos. Talvez venhamos a conhecê-los na vida após a morte?

Só posso especular, é claro, mas realmente não acho que a reencarnação seja a única opção para uma alma deixar seu corpo. Talvez a alma tenha a escolha de reencarnar? Talvez haja outras opções também [ou talvez em alguns casos a reencarnação seja compulsória, devido ao que conhecemos como o KARMA].

Fontes:


Questione tudo, nunca aceite nada como verdade sem a sua própria análise, chegue às suas próprias conclusões


“Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente.  Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo [uma verdadeira profecia publicada em 1932]Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento infantil e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que e prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito sugerindo às pessoas que amem sua servidão ao invés de açoita-los e chutando-os até à obediência. ”  Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984” 


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.