EUA rejeitam investigação do Tribunal Penal Internacional (TPI) sobre Israel, o mandado de prisão de Netanyahu se aproxima

A administração de ‘Dementia’ Joe está supostamente no meio de uma pressão diplomática nos esforços para impedir que o Tribunal Penal Internacional (TPI) emita mandados de prisão para altos funcionários israelenses, incluindo o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. Espera-se também que o TPI emita mandados para o ministro da Defesa, Yoav Gallant, e para o chefe do Estado-Maior das Forças de Defesa de Israel, Herzi Halevi, em conexão com alegados abusos em grande escala dos direitos humanos [genocídio] relacionados com a guerra em Gaza.

EUA rejeitam investigação do Tribunal Penal Internacional (TPI) sobre Israel, o mandado de prisão de Netanyahu se aproxima

Fonte: Times of IsraelZero Hedge

O site Axios relatou nessa segunda-feira que o governo israelense está ficando “cada vez mais preocupado” com a possível ação penal, enquanto o Times of Israel escreveu que Netanyahu está “sob estresse incomum” sobre o que será um olho roxo na sua reputação amplamente simbólico, embora ainda profundamente embaraçoso para seu governo em num momento que ele enfrenta imensa pressão interna para trazer de volta os reféns ainda nas mãos do Hamas.

O líder israelense pediu pessoalmente a intervenção do senil presidente marionete Biden. Detalhes da ligação de Axios : “As autoridades disseram que Netanyahu expressou sua preocupação a Biden em um telefonema no domingo, onde os “dois líderes” [um senil e demente e o outro um psicopata assassino] também discutiram negociações de reféns, a defesa de Israel contra o ataque de mísseis do Irã e a necessidade de aumentar a ajuda humanitária a Gaza, de acordo com a  leitura da Casa Branca“.

A Casa Branca emitiu uma nova declaração na segunda-feira, sublinhando que os Estados Unidos “não apoiam” a investigação em curso do tribunal TPI sobre os crimes de guerra israelenses.

A investigação do TPI remonta, na verdade, à guerra de 2014 entre Israel e o Hamas. Mas também após 7 de Outubro e a invasão de Gaza por Israel, a África do Sul trouxe um novo caso de crimes de guerra – que ganhou o apoio de países como a Turquia, mas especialmente de vários outros países do Sul Global.

O tribunal internacional com sede em Haia emitiu, em Março de 2023, um mandado de detenção para o presidente russo, Vladimir Putin, devido à guerra na Ucrânia, o que significa que, ironicamente,  Netanyahu poderá em breve ser um homem “procurado” ao lado do “terrível” Putin.

Na sexta-feira, Netanyahu disse desafiadoramente: “Nunca deixaremos de nos defender. Embora as decisões do tribunal de Haia não afetem as ações de Israel, seriam um precedente perigoso que ameaça os soldados e funcionários de qualquer democracia que luta contra o terrorismo criminoso e a agressão”, numa mensagem no X.

A partir da esquerda: Ministro da Defesa Yoav Gallant, primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e chefe do Estado-Maior das FDI, tenente-general Herzi Halevi, em uma cerimônia de formatura de cadetes na escola de oficiais das FDI no sul de Israel, conhecida como Bahad 1, em 7 de março de 2024. (Amos Ben Gérson/GPO)

Israel está agora alertando que um mandado do TPI poderia explodir um acordo de reféns mediado pelo Egito e pelo Catar :

Se o Tribunal Penal Internacional emitir mandados de prisão para os líderes israelitas, continua o responsável, isso levará a [MAIS] “uma onda de anti-semitismo SIONISMO em todo o mundo” que poderá fazer explodir um potencial acordo de reféns. Esta não é uma ameaça israelita de se afastar das conversações no caso de uma decisão do TPI, explica o responsável, mas reflete a crença de Israel de que a pressão internacional sobre Israel eliminará a pressão sobre o Hamas para que estabeleça os compromissos necessários para um acordo.

Reagindo ao relatório do Departamento de Estado dos EUA que considerou cinco unidades das FDI culpadas de “graves violações dos direitos humanos” em ataques à palestinos na Cisjordânia, o responsável diz que Jerusalém “rejeita categoricamente qualquer tentativa de prejudicar as FDI e o direito de Israel de se defender”.

Em Janeiro, o TPI emitiu uma decisão provisória que afirmava que o caso da África do Sul tem mérito legal e pode prosseguir enquanto ordena que Israel tome todas as medidas capazes de impedir atos de genocídio dos seus militares contra os palestinos na Faixa de Gaza. 

Em última análise, o TPI não tem poder de aplicação por si só, mas pode apelar aos Estados-membros para que prendam os líderes da sua lista negra caso estes viajem através dos seus territórios. Em Agosto, Putin cancelou uma viagem pessoal à África do Sul para uma cimeira dos BRICS, precisamente para evitar uma situação potencialmente embaraçosa num momento em que Pretória estava a sendo pressionada a agir pelo próprio TPI.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.330 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth