Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Dívida dos EUA atinge recorde de US$ 34 Trilhões

O Tesouro dos EUA tem o hábito mórbido de revelar números grandes e redondos de sua dívida em torno dos principais marcos do calendário, e o novo ano de 2024 não foi diferente porque, de acordo com a última Declaração Diária do Tesouro publicada após o fecho de hoje e refletindo a situação dos EUA nas demonstrações financeiras do Tesouro em 29 de dezembro de 2023, a dívida total dos EUA no final do ano era – rufar de tambores – pouco mais de US$ 34 trilhões pela primeira vez, ou US$ 34.001.493.655.565,48  para ser mais preciso.

Dívida dos EUA atinge recorde de US$ 34 Trilhões

Fonte: Zero Hedge

Como esse é um tópico que abordamos mais ou menos diariamente durante nossos 15 anos de existência, não precisamos dizer muito, basta mostrar um gráfico do total da dívida dos EUA desde o lançamento do zerohedge em janeiro de 2009, quando a dívida total do país era de apenas US$ 10,6 trilhões. Com certeza percorremos um longo caminho nestes quinze anos desde então.

Algum contexto: a dívida dos EUA aumentou em…

  • US$ 1 trilhão nos últimos 3 meses
  • US$ 2 trilhões nos últimos 6 meses
  • US$ 4 trilhões nos últimos 2 anos
  • US$ 11 trilhões nos últimos 4 anos

… e assim por diante. Você obtém a imagem exponencial. Neste ponto, todos sabem como isso termina – certamente o CBO termina … mas como não há como reverter o resultado catastrófico, não adianta nem falar sobre isso.

Na melhor das hipóteses, só podemos nos preparar para o inevitável resultado hiperinflacionário, o que seria uma boa notícia para o que hoje ultrapassa US$ 1 trilhão em despesas com juros: afinal, alguém tem que desvalorizar a moeda em que todos os juros são pagos.

E como não há mais saída, podemos muito bem brincar sobre isso, então considere o seguinte: no terceiro trimestre, quando o PIB dos EUA supostamente cresceu a uma taxa anualizada de 4,9% – dificilmente o material de recessões – (não reais), o déficit orçamentário dos EUA aumentou em impressionantes US$ 622 bilhões, aumentando mais US$ 547 bilhões em dólares nominais.

Isto não só explica de onde o “crescimento” veio, mas levanta a questão de quanta dívida será necessária quando os EUA entrarem numa recessão oficial.

Ou na verdade não, porque neste momento o melhor que alguém pode fazer é polir o bronze do Titanic  enquanto espera pelo inevitável “iceberg” antes de afundar, capturado tão vividamente pelo gráfico de final de jogo a seguir.


SEJA UM ASSINANTE DO BLOG: Para os leitores do Blog que ainda não são assinantes e desejam acessar as postagens em seus endereços de E-Mail, solicitamos, por favor, que façam a sua inscrição aqui neste LINK: https://linktr.ee/thoth3126

Convidamos também a conhecerem e seguirem nossas redes sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/th.oth3126/
Facebook: https://www.facebook.com/thoth3126.blog
X (antigo Twitter): https://twitter.com/thoth3126_blog
Youtube: https://www.youtube.com/@thoth3126_blog

Siga o canal “Blog Thoth3126” no WhatsApp: https://www.whatsapp.com/channel/0029VaF1s8E9Gv7YevnqRB3X


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *