Elon Musk diz que ‘X’ desafiará ordem do STF do Brasil após arquivos do Twitter

O proprietário da X Corp. (ex Twitter) Elon Musk disse na sua plataforma na noite de sábado que a empresa decidiu suspender todas as restrições às contas brasileiras alvo de ordem de CENSURA do Supremo Tribunal Federal do Brasil: “Estamos suspendendo todas as restrições. Este juiz (Alexandre de Moraes) aplicou multas pesadas, ameaçou prender nossos funcionários e cortou o acesso ao 𝕏 no Brasil. Como resultado, provavelmente perderemos todas as receitas no Brasil e teremos que fechar nosso escritório lá. Mas os princípios são mais importantes do que o lucro”, postou Musk, notificando a decisão do X.

Elon Musk diz que X desafiará ordem do STF do Brasil após arquivos do Twitter

Fonte: The Epoch Times

O anúncio de Musk veio em resposta à reportagem do jornalista investigativo Michael Shellenberger e dos colegas David Ágape e Eli Vieira, intitulada “TWITTER FILES BRASIL”.

Em sua reportagem, Shellenberger cita registros divulgados por X, antigo Twitter, durante a aquisição de Musk em 2022, que supostamente mostram que “o (STF) Brasil está envolvido em uma repressão abrangente à liberdade de expressão liderada por um juiz da Suprema Corte (Alexandre de Moraes)”.

O jornalista americano Michael Shellenberger publicou na quarta-feira (3) uma série de e-mails trocados por funcionários do Twitter (agora X), expondo a pressão para que a empresa divulgasse à justiça brasileira informações pessoais de usuários com base em hashtags e censurasse perfis sem aparente base legal em meio às eleições de 2022.

Os documentos apontam preocupações sobre a politização do judiciário e violação de direitos fundamentais entre funcionários do Twitter e atuação desproporcional do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra apoiadores do então candidato Jair Bolsonaro.

A publicação é a mais recente dos Twitter Files — série de reportagens expondo arquivos internos do Twitter antes da aquisição da empresa por Elon Musk. O bilionário encomendou a revisão e organização destas informações por jornalistas independentes após a aquisição da plataforma.

Esta é a primeira publicação dos artigos tratando de fatos ocorridos no Brasil. Ela contou com o trabalho dos jornalistas brasileiros David Àgape e Eli Vieira.

O BRASIL ESTÁ À BEIRA Estou reportando a vocês do Brasil, onde uma série dramática de eventos está em andamento. Às 17h52, horário do leste dos EUA, hoje, 6 de abril de 2024, a corporação X, anteriormente conhecida como Twitter, anunciou que um tribunal brasileiro o forçou a “bloquear certas contas populares no Brasil”.

Membros titulares do Congresso do Brasil e jornalistas estavam entre os nomeados pelo mais alto tribunal do Brasil para serem censurados, disse Shellenberger sobre suas descobertas, que ele compartilhou no X.

Ele nomeou os membros da Câmara Carla Zambelli, do Partido Liberal, do ex-presidente Jair Bolsonaro, e Marcel van Hattem, do partido NOVO, como alvos de ordens visando postagens que o tribunal considerou desinformação.

De acordo com os arquivos internos compartilhados por Shellenberger, o Twitter no Brasil foi ameaçado com uma multa de US$ 30 mil. A empresa tinha uma hora para retirar os post dos parlamentares ou pagar à Justiça pelo descumprimento.

A matéria relata que a justiça chegou a prender indivíduos sem julgamento por coisas postadas nas redes sociais.

De acordo com Shellenberger, o juiz do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes supostamente fez exigências ao Twitter para permitir o acesso aos seus dados internos, violando as próprias políticas do Twitter sobre o tratamento de dados de usuários.

Darth Vader do Brasil!

Ele também ( o Darth Vader do Brasil!) supostamente ordenou que o Twitter retirasse a plataforma dos indivíduos responsáveis ​​pelas postagens específicas que ele queria censurar, “sem dar aos usuários qualquer direito de recurso ou mesmo o direito de ver as provas e acusações apresentadas contra eles”.

Os “TWITTER FILES BRASIL” também mostram que a justiça “procurou usar como arma as políticas de moderação de conteúdo do Twitter contra os apoiadores do então presidente @jairbolsonaro”, disse Shellenberger – uma tendência semelhante ao que os “arquivos do Twitter” revelaram que estava acontecendo com o ex-presidente Donald Trump e as vozes conservadoras nos Estados Unidos.

A origem da ordem para censurar postagens de brasileiros também foi revelada nos arquivos internos do Twitter, disse Shellenberger. O jornalista disse que o Ministro Moraes, o Supremo Tribunal Federal e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do Brasil se recusaram a responder ao relatório.

No ano passado, o juiz Moraes também ordenou uma investigação sobre executivos da plataforma de mensagens sociais Telegram e do Google, da Alphabet, que estavam encarregados de uma campanha criticando uma proposta de lei de regulamentação da Internet.

O projeto de lei atribuiu às empresas de Internet, aos motores de busca e aos serviços de mensagens sociais o ónus de encontrar e denunciar material ilegal, em vez de o deixar aos tribunais, e cobrou pesadas multas por não o fazer.

‘Censura Agressiva’

Musk disse sobre os arquivos do “TWITTER FILES BRASIL”, que ele divulgou para Shellenberger: “Essa censura agressiva parece violar a lei e a vontade do povo do Brasil”.

A CIA entrou na discussão

O jornalista Paulo Figueiredo, que é colaborador do The Epoch Times e censurado pela ordem judicial, respondeu: “Você vai salvar meu país. Nós nunca poderíamos retribuir você.

Ele respondeu a uma postagem anterior instando o X a não cumprir a ordem judicial, dizendo que as plataformas independentes Rumble e Locals não cumpriram.

“Você é poderoso o suficiente para fazer a diferença”, disse ele.

Musk se descreve como um absolutista da liberdade de expressão. Ele disse na época em que comprou o Twitter que o objetivo era criar uma plataforma onde “uma ampla gama de crenças pudesse ser debatida de maneira saudável”.

Pouco depois de dizer ao Supremo Tribunal Federal do Brasil que sua empresa não cumpriria sua ordem, ele postou em X uma imagem “Para o povo da Terra” de um X composto por “LIBERDADE DE EXPRESSÃO”.

5 respostas

  1. Ou o Elon Musk foi enganado pelos bolsonarentos ou ele é cúmplice do golpe. Não é possível que uma pessoa tão rica não tenha alguém confiável para orienta-lo sobre a política interna dos países com os quais faz negócios.

    1. Ou o controle mendal da falsa esquerda (Soros, por ex.) dominou sua mente ou você tem interesses econômicos pessoais controlando suas “opiniões”…

  2. Muito obrigado, Elon Musk!!! Sua coragem, dignidade, sabedoria e poder de influência têm feito uma enorme diferença para a reconquista da liberdade no mundo!!! A Luz, finalmente, está vencendo as trevas aqui na Terra!!!

  3. Não podemos nos intimidar; não podemos deixar que pessoas tão mal intencionadas predominem em nossa sociedade, em nosso mundo. Temos sim que combater estas pessoas que tão descaradamente estão tentando implantar este governo corrupto e socialista, começando por nos impedir de conhecer a verdade, de termos informações e através delas construirmos nossas opiniões. PARABÉNS! Muito Obrigado senhor Elon Musk.

  4. Não é Elon Musk quem abusa de poder econômico; quem assim faz é aquele que aplica uma multa de 22 milhões de reais a um partido político para controlar a oposição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.326 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth