Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

EUA está enviando Soldados para o Oriente Médio, enquanto ‘Israel Exige’ mais US$ 10 bilhões

Que aliado incrível temos no Oriente Médio, [“O Povo Eleito”] lá em Israel. É verdadeiramente indispensável. A sua liderança belicista e fanática flerta imprudentemente com iniciar a Terceira Guerra Mundial – enquanto confia no poder geopolítico dos EUA, sua fonte de “mercenários”, veja bem, para apoiar a sua bravata contra os palestinos – enquanto suga o tesouro americano até ao limite de bilhões de dólares por ano e pressiona os EUA a mobilizar suas tropas sempre que o governo judeu estalar os dedos.

EUA está enviando Soldados para o Oriente Médio, enquanto ‘Israel Exige’ US$ 10 bilhões a mais

Fonte: Armageddon Prose

É quase certo que as autoridades israelitas agiriam com mais ligeireza se não fossem beneficiárias de um cheque em branco, moral e literal, dos Estados Unidos. O bastão que ele carrega é grande demais para caber em suas calças.

Via  Times of Israel :

“ Israel pediu aos Estados Unidos 10 bilhões de dólares em ajuda militar de emergência … O pacote de ajuda está atualmente sendo elaborado pelo Congresso em coordenação com a Casa Branca…

O líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, disse durante uma visita a Tel Aviv no domingo que os legisladores dos EUA discutiram o fornecimento de munição de reposição para o sistema de defesa antimísseis Iron Dome, bombas guiadas de precisão, kits JDAM para transformar bombas padrão em munições de precisão e 155 milímetros. munição.”

Segure os cavalos, aí.

Disseram-me que Israel, através da implacável máquina de propaganda corporativa pre$$tituta$ dos meios de comunicação estatais, é uma potência tecnológica com uma economia avançada e seus militares uma das melhores forças de combate na Terra, capaz de eliminar os rivais geopolíticos da América em nosso nome. É por isso que, segundo a história, Israel é um “aliado regional tão importante e valioso”.

Mas e Então, para que precisa de MAIS dez bilhões de dólares em dinheiro americano – além dos 4 Bilhões de dólares que já recebe todos anualmente como a maior rainha do bem-estar social do mundo – e de armas?

E por que é que 2.000 soldados dos EUA têm de marchar para lutar em nome de Israel e seu poderoso aparato militar? Por que dois porta-aviões e suas frotas de navios de guerra são necessários ir em socorro de Israel?

Através da  NBC Notícias sabemos que :

“Cerca de 2.000 soldados dos EUA foram colocados em ordens de preparação para o envio para possível apoio a Israel, de acordo com um oficial de defesa. As tropas ainda não foram enviadas para lado nenhum, nem iriam necessariamente para Israel ou Gaza. Se fossem destacados, iriam para um país próximo para se prepararem para apoiar Israel na guerra contra o Hamas, disse o funcionário. Aqueles que receberam os pedidos já estavam no status de preparação para implantação de 96 horas, que agora foi reduzido para 24 horas.”

https://youtu.be/JO-bMdWeDsM

Se não fosse pela benevolência [estupidez e ignorância] dos cidadãos americanos, Israel teria deixado de existir há décadas. Na verdade, todo o projeto do Estado judeu khazar nunca teria arrancado, em primeiro lugar, sem não apenas o apoio americano, mas também o que só pode ser descrito como subsídio total do ocidente.

Em troca de dever literalmente a sua existência ao patrocínio americano, poder-se-ia esperar gratidão e deferência intermináveis ​​por parte do Estado israelita. Talvez alguns rastejem quando se trata de implorar por apoio e mais caridade.  

Em vez disso, o rabo abana o cachorro.

Os neoconservadores intitulados “Israel Primeiro”, milionários falcões como [o judeu khazar] Ben Shapiro ameaçam a guerra nuclear a partir do seu confortável estúdio, a menos que John Q. Public Taxpayer feche a sua boca anti-semita e entregue a Israel mais dinheiro, munições e armas com uma reverência atirada para uma boa medida.

Relacionado : o Neocon Ben Shapiro ameaça guerra nuclear a menos que os EUA dêem a Israel mais dinheiro e armas

Quando Israel diz “pulem”, os contribuintes americanos perguntam “quão alto”? Isso se chama Freedom™. Isso se chama Democracia™.

Entretanto, a AIPAC e outros grupos  canalizam dezenas de milhões de dólares em cada ciclo eleitoral  para lobby no Congresso para subverter o processo democrático dos EUA, subornando políticos americanos para cumprirem as ordens de Israel – e esse é apenas um dos muitos grupos de lobby obscuros que trabalham na mesma capacidade em nome de Israel.

A AIPAC e grupos semelhantes, como  a Maioria Democrática por Israel (DMFI) , também investem milhões de dólares no seu candidato político favorito para garantir para sempre a lealdade do Congresso americano e da sua presidência.

Através dos representantes do Estado corporativo multinacional, como a ADL, Israel difama e censura qualquer americano que aponte os desequilíbrios na relação parasitária EUA-Israel como “nazistas” ou “terroristas domésticos” ou o que quer que seja.

Em alguns estados americanos, o governo obriga os funcionários, em clara violação das proteções à liberdade de expressão da Primeira Emenda, a assinarem  absurdos juramentos de lealdade” ao Estado israelita,  nos quais se comprometem a nunca apoiar um boicote a Israel.

… E os abusos continuam indefinidamente – abusos que indignariam e adoeceriam qualquer americano decente se fossem cometidos por quaisquer outros interesses além de Israel, que por razões labirínticas goza de privilégios para subverter e distorcer o processo democrático americano com impunidade.

Se Israel quer tão desesperadamente uma guerra com o Irã e todos os seus demais vizinhos árabes – o que obviamente quer – deveria ser livre para o fazer e colher as consequências geopolíticas SOZINHO.

Mas Israel não receberá qualquer apoio – moral ou material (exceto na forma de dinheiro dos contribuintes que extorque através de roubo legal) – de um rapaz do Kansas como eu. Minha nacionalidade é americana. Sou leal à América – não ao governo ilegítimo que a governa, mas aos ideais sobre os quais esta nação foi fundada, que antecedem em séculos a criação da entidade política do Médio Oriente conhecida como “Israel”.

Nota : Como você deve ter notado, se acompanhar as notícias de perto, provavelmente não obterá esse tipo de perspectiva sobre o conflito Israel-Gaza das pre$$tituta$ da mídia estatal corporativa ou mesmo, infelizmente, de grande parte da mídia independente, uma grande parte dos quais, por qualquer motivo, considera adequado servir aos interesses geopolíticos israelenses. 

Ben Bartee, autor de  Broken English Teacher: Notes From Exile , é um jornalista americano independente nascido no Kansas e baseado em Bangkok com polegares oponíveis.


“E ouvireis de GUERRAS e de rumores de GUERRAS; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores.  –  Apocalipse 13:16


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *