Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Funcionários protestam sobre a Hipocrisia na Política da Chefe da Comissão da UE em Gaza.

Mais de 800 autoridades europeias acusaram em carta a Ursula von der Leyen de ‘duplos pesos e duas medidas’. A Presidente da Comissão Europeia, [a psicopata] Ursula von der Leyen, está fechando os olhos aos “crimes de guerra” de Israel em Gaza, escreveram centenas de funcionários da UE numa carta que circula nas instituições do bloco europeu, informou o The Irish Times nessa sexta-feira.

Funcionários protestam sobre a hipocrisia [no Hospício Europeu] na política da chefe da comissão da UE em Gaza.

Fontes: Rússia Today

A Comissão Europeia está dando “carta branca à aceleração e legitimidade de um crime de guerra na Faixa de Gaza”, declara uma carta assinada por 842 funcionários de estado. Segundo informações, o documento foi distribuído entre diplomatas e funcionários da Comissão e de outros órgãos da UE.

Embora a missiva comece com uma condenação do ataque do Hamas a Israel no início deste mês, segue-se com uma condenação “igualmente forte” do que os escritores descrevem como “a reação desproporcional do governo israelita contra 2,3 milhões de civis palestinos encurralados na Faixa de Gaza” acusando von der Leyen de um “duplo padrão” e de hipocrisia. 

A carta afirma que ela “ignorou completamente” o bloqueio de Israel que impede a água, alimentos e combustível de chegar a Faixa de Gaza, ao mesmo tempo que observa que ela descreveu um “ato idêntico” da Rússia no seu conflito com a Ucrânia como “terror”. 

Mosco tem atacado a infraestrutura elétrica na Ucrânia desde finais de 2022, insistindo que estavam sendo utilizadas para fornecer energia aos militares ucranianos. Moscou também disse que os ataques foram uma retaliação contra os ataques em solo russo, principalmente o atentado à bomba na ponte da Crimeia em outubro de 2022. 

Numa carta a von der Leyen, os signatários alegadamente argumentaram que ela tinha apoiado incondicionalmente Israel sem consultas com os estados membros da UE, enquanto outros sugeriram que cabia a Bruxelas usar a sua influência para pressionar por uma solução pacífica para o conflito de décadas e exigem a reinstalação dos “direitos humanos básicos e do direito internacional” aos cidadãos na Palestina.

Um diplomata que assinou o documento disse estar “envergonhado” com o tom beligerante de von der Leyen, lamentando o seu abandono “dos valores sobre os quais a UE foi construída”. 

“Como europeu, não quero que nenhum crime de guerra seja apoiado em meu nome”, escreveu outro signatário.

Von der Leyen hasteou a bandeira de Israel na sede da Comissão Europeia em Bruxelas e reiterou o seu apoio ao país quando se reuniu com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu na semana passada. Mais tarde, ela declarou que “o direito de Israel de se defender contra os terroristas do Hamas” deve ser conduzido “no pleno respeito pelo direito humanitário internacional”. 


Israel delineia planos futuros para Gaza

O ministro da defesa israelense diz que o país abandonará toda a responsabilidade pelo enclave palestino após uma ofensiva terrestre

Israel lavará as mãos em relação a Gaza assim que concluir a sua operação militar terrestre e derrotar o Hamas, disse o ministro da Defesa, Yoav Gallant. O Financial Times, citando um responsável anônimo israelita, informou que a nova abordagem significa que os habitantes de Gaza não serão mais autorizados a entrar em Israel ou a trabalhar lá.

Dirigindo-se ao Comitê de Relações Exteriores e Defesa do Parlamento israelense na sexta-feira, Gallant disse aos legisladores que Israel não terá mais “responsabilidade pela vida cotidiana na Faixa de Gaza” assim que as hostilidades terminarem.

Segundo o ministro, a operação militar israelita consistirá em três fases – sendo a primeira o pesado bombardeamento aéreo, que já está em curso. Incluirá também manobras terrestres “com o objetivo de destruir operacionais e danificar infra-estruturas, a fim de derrotar e destruir o Hamas.

A segunda fase verá combates de menor intensidade no enclave, com o objetivo de eliminar “bolsões de resistência”, segundo Gallant. A ação militar terminará com a “criação de um novo regime de segurança” em Gaza.

O Financial Times citou um funcionário israelense não identificado dizendo que “Israel não fará parte da solução em termos de dar trabalho [aos habitantes de Gaza]. Desconectamos o cordão umbilical ”, acrescentou. O responsável disse ao meio de comunicação que todas as passagens fronteiriças existentes entre Gaza e Israel serão fechadas.

Israel ocupou e manteve colonatos em Gaza entre 1967 e 2005. Até à última escalada, o país continuou a fornecer serviços básicos, como água e eletricidade, ao densamente povoado território palestino. A circulação de pessoas e bens foi severamente restringida por Israel durante anos.

No sábado, a agência Bloomberg afirmou que autoridades dos EUA e de Israel estavam conduzindo conversações secretas sobre o futuro de Gaza pós-Hamas. Segundo a mídia, um cenário atualmente em consideração é a instalação de um governo interino apoiado pela ONU e pelos países árabes. O relatório acrescenta que as discussões ainda estão nos estágios iniciais, sem nenhuma garantia de que os países vizinhos irão concordar com os supostos planos.

O conflito entre o Hamas e Israel eclodiu em 7 de outubro, depois que militantes palestinos lançarem um inédito ataque massivo com mísseis e uma incursão surpresa de centenas de seus militantes. Israel retaliou com ataques aéreos contra Gaza.

De acordo com autoridades locais de ambos os lados, a última ronda de violência deixou pelo menos 4.100 palestinos e 1.400 israelitas mortos, com milhares de feridos, em sua maioria mulheres e crianças. A ONU e grupos de direitos humanos alertaram para um desastre humanitário iminente em Gaza.


“E ouvireis de GUERRAS e de rumores de GUERRAS; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores.  –  Apocalipse 13:16


AVISO PARA OS ASSINANTES DO BLOG: Para os leitores assinantes do Blog, que recebiam o link para acessar as postagens em seus endereços de E-Mail, solicitamos, por favor, que refaçam a sua inscrição aqui neste LINK: https://linktr.ee/thoth3126, devido à problemas técnicos e perda de dados que tivemos com a migração de servidor. Também avisamos aos nossos leitores que estamos preparando uma NOVA VERSÃO do Blog que em breve será disponibilizada para todos.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *