Generais ucranianos, vários oficiais, vinte mercenários e ‘Conselheiros Estrangeiros’ mortos em ataque russo

Generais ucranianos mortos em ataque russo – MOD

Moscou havia relatado anteriormente ter atingido, com ataque de mísseis de alta precisão, uma base temporária da 56ª Brigada de Infantaria Motorizada das Forças Armadas Ucranianas na cidade de Kramatorsk, na região de Donbass. O ataque resultou na morte de “dois generais, até 50 oficiais das Forças Armadas ucranianas, bem como até 20 mercenários estrangeiros e conselheiros militares”, de acordo  com o briefing diário do Ministério da Defesa da Rússia.

Generais ucranianos, vários oficiais, vinte mercenários e ‘Conselheiros Estrangeiros’ mortos em ataque de precisão com misseis russos

Fonte: Rússia Today

O ministério havia afirmado anteriormente que o ataque tinha como alvo a base temporária da 56ª Brigada de Infantaria Motorizada das Forças Armadas Ucranianas. Desde então, o ministério acrescentou que a base estava realizando uma “reunião de equipe” envolvendo dezenas de oficiais ucranianos e conselheiros estrangeiros.

O ataque resultou na morte de “dois generais, até 50 oficiais das Forças Armadas ucranianas, bem como até 20 mercenários estrangeiros e conselheiros militares”, de acordo  com o briefing diário do Ministério da Defesa da Rússia.

A notícia veio enquanto as forças russas continuam a repelir os ataques ucranianos em suas posições defensivas na região de Zaporozhye, bem como em Donbass. A Ucrânia perdeu quase 800 militares em tentativas de ataques em várias frentes nas últimas 24 horas, afirmou o ministério russo. O MoD acrescentou que as forças russas destruíram dezenas de equipamentos pesados ??ucranianos, incluindo obuses, veículos blindados e um tanque.

No início desta semana, Kiev acusou Moscou de atacar um restaurante cheio de civis em Kramatorsk, matando 11 pessoas, incluindo pelo menos duas crianças e ferindo mais de 60 outras pessoas. O serviço de segurança da Ucrânia, o SBU, disse que prendeu um residente local suspeito de vazar informações de inteligência para a Rússia antes do suposto ataque. A agência também afirmou que o objetivo do ataque era matar civis.

A Rússia negou as acusações, insistindo que só atinge alvos militares.

Os desenvolvimentos ocorreram quando vários meios de comunicação ocidentais relataram que a Ucrânia sofreu pesadas perdas em sua contra-ofensiva muito esperada, preparada e elogiada, que alguns aliados teriam avaliado como malsucedida até agora. 

Na quinta-feira, a revista Forbes descreveu as perdas da Ucrânia como “desastrosas” , ao afirmar que Kiev havia perdido mais de 25 tanques e veículos de combate de infantaria em apenas uma tentativa de cruzar um campo minado.

O Financial Times informou no mesmo dia que os apoiadores ocidentais de Kiev alertaram que mais financiamento e apoio dependerão dos resultados da ofensiva em andamento. O general Christopher Cavoli, o principal comandante da OTAN na Europa, teria dito na semana passada que a Rússia ainda desfrutava da “vantagem da massa”.


OTAN acredita que contra-ofensiva da Ucrânia não teve sucesso até agora

A manutenção do apoio ocidental de longo prazo provavelmente dependerá do resultado da operação, disse uma fonte ao jornal Financial Times

Autoridades ocidentais reconheceram em particular que a contra-ofensiva da Ucrânia contra a Rússia não está indo bem e que a futura assistência militar ocidental a Kiev pode diminuir como resultado, informou o Financial Times.

“A Rússia ainda tem a vantagem da massa”, disse o general Christopher Cavoli, principal comandante da OTAN na Europa, em uma reunião privada na semana passada, afirmou o Financial Times na quinta-feira. Ele teria acrescentado que a Ucrânia não obteve nenhum sucesso significativo em sua operação de contra ofensiva.

“Para o bem ou para o mal, o resultado [da operação] afetará tudo o que fizermos em relação à Ucrânia, e todos estamos cientes disso”, disse um diplomata europeu sênior ao Financial Times sob condição de anonimato. “Financiamento, apoio, engajamento político… e, mais importante, as negociações de paz que estão por vir, gostemos dela ou não.”  

Publicamente, as autoridades ocidentais prometeram apoiar a Ucrânia “pelo tempo que for necessário” para derrotar a Rússia. No entanto, Moscou alertou que, ao armar e treinar as tropas ucranianas, os EUA e seus aliados estão prolongando o conflito e não alterarão seu resultado. A abordagem ocidental equivale a “lutar até o último ucraniano”, afirmaram as autoridades russas.

O Financial Times citou as avaliações para ilustrar as discussões internas no Ocidente. Os líderes da UE devem oferecer compromissos formais de segurança à Ucrânia, e o jornal disse ter obtido uma cópia preliminar da declaração final que está sendo considerada em uma cúpula em andamento em Bruxelas.

Os membros da UE, França e Alemanha, juntamente com o Reino Unido e os EUA, estão buscando fornecer acordos bilaterais de segurança. O acordo serviria como um “tampão” para dar a Kiev “confiança no apoio duradouro do Ocidente” e garantir que a UE não seja marginalizada pela OTAN, disse o relatório. A Irlanda, Malta e a Áustria são declaradamente contra a extensão de compromissos vagamente definidos.

As autoridades ucranianas insistiram que prosseguirão com a ação militar até que recuperem todo o território perdido para a Rússia. Uma lei ucraniana também proíbe qualquer negociação com Moscou enquanto o presidente russo, Vladimir Putin, permanecer no cargo.

Moscou disse que está preparada para negociações de paz sob certas condições, e que a postura intransigente de Kiev, calcificada pelo contínuo apoio ocidental, atrapalha a diplomacia para a paz.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.309 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth