browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Invasão chinesa na África: maior migração desde as invasões bárbaras de Roma

Posted by on 12/08/2019

A África, ou pelo menos a migração dentro e fora da África, será o epicentro do que está acontecendo no mundo pelo resto do século. A África deixou de ser apenas um espaço vazio no mapa no século 19, para um bando de colônias europeias retrógradas no século 20, e atualmente para um monte de estados caóticos e falidos que a maioria das pessoas só vagamente está ciente hoje. Em breve, no entanto, as notícias de primeira página continuarão. Isso ocorre porque os chineses estão se mudando para a África em números recordes, enquanto os africanos estão saindo o mais rápido que podem.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

A maior migração desde as invasões bárbaras de Roma

Fonte:  https://internationalman.com/


“E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas”. –  Apocalipse 12:3


Internationalman: O ex-líder líbio Muammar Gaddafi certa vez alertou que “a Europa corre o risco de se tornar negra pela imigração ilegal … pode se transformar em uma nova África”. Desde que os Estados Unidos e a OTAN ajudaram a derrubar Gadafi em 2011, milhões de migrantes da África e do Oriente Médio entraram na Europa. Muitos transitaram da Líbia. Tudo isto é bem conhecido e todos os sinais apontam para esta tendência em aceleração. Qual a sua opinião sobre para onde isso está indo?

Doug Casey: Primeiro, é uma pena que Ghaddafi tenha sido eliminado. Outra decisão política desastrosa dos EUA. Não que ele fosse um cara legal – ninguém pode governar um estado-nação artificialmente construído.  Mas era pelo menos uma situação estável. Agora foi substituído por uma guerra sangrenta e cara. E é um completo caos. Bom trabalho Hillary e Obama. Mas vamos falar sobre a situação da África em geral.

A África, ou pelo menos a migração dentro e fora da África, será o epicentro do que está acontecendo no mundo pelo resto do século.

Migração na ÁfricaA África deixou de ser apenas um espaço vazio no mapa no século 19, para virar um bando de colônias retrógradas no século 20, com um monte de estados falidos caóticos e artificiais que a maioria das pessoas só está vagamente ciente hoje. Em breve, no entanto, as notícias de primeira página continuarão. Isso ocorrerá porque os chineses estão se mudando para a África em números recordes, enquanto os africanos estão saindo o mais rápido que podem.

O que estamos vendo é, na verdade, a maior migração desde as invasões bárbaras do Império Romano. Haverá dezenas de milhões – isto mesmo, dezenas de milhões – de africanos tentando entrar na Europa. Eu não sei como os europeus vão mantê-los fora. Eu costumava dizer que a Europa seria um zoológico para os chineses, mas pode ser mais um campo de invasão para os africanos.

A África é a única parte do mundo onde a população ainda está crescendo e crescendo rapidamente. A África ao sul do Saara era de cerca de 6% da população mundial nos anos 50, agora já é cerca de 16%. Mas na virada do século, serão 45%. Supondo que não haja algum tipo de catástrofe. Não está claro que os africanos possam cultivar alimentos suficientes para alimentar bilhões de pessoas a mais.

De fato, se o Ocidente parar de sustentar o continente com capital e tecnologia, a África poderá estar em tempos muito difíceis. Wakanda, o país fictício mostrado no filme “Pantera Negra”, não existe. Pelo contrário, o continente está cheio de sósias de Gondwana. Gondwana é onde a maior parte da ação acontece no livro Speculator , o romance que John Hunt e eu escrevemos. É o primeiro dos sete da série High Ground.

Poucas pessoas percebem o quão rápido a população está crescendo e as coisas estão mudando na África. Eu pergunto a pessoas qualificadas sobre quais cidades elas acham que serão as maiores cidades do mundo na virada do próximo século. Todos apontam para cidades na China ou na Índia.

Mas isso não é verdade. Oitenta anos a partir de agora, Lagos, na Nigéria, será a maior cidade do mundo. Está a caminho de ter uma população de mais de 90 milhões. A segunda maior cidade do mundo será Kinshasa, no Congo, com cerca de 80 milhões de pessoas. Dar es Salaam, na Tanzânia, será a terceira maior cidade do mundo, com uma população de aproximadamente 75 milhões de pessoas. É incrível. Quando visitei Dar pela primeira vez no início dos anos 80, era um porto calmo e exótico com velhos vapores no porto.

Agora, todas essas pessoas ali vivendo têm telefones celulares, e estão bem cientes do fato de que o padrão de vida é muito mais alto na Europa e em todas as outras partes do mundo do que na África. E eles estão bem cientes do fato de que existem benefícios de bem-estar de todos os tipos se eles puderem chegar à Europa.

Há centenas de ONGs que incentivam os africanos a atravessar o Mediterrâneo para a Europa. Ou para migrar, voando para os EUA. Exatamente quem pagou a passagem e as despesas legais e de vida dos 200.000 somalis sem dinheiro que foram transplantados para Minnesota, nos EUA? É uma onda migratória crescente. Com a população europeia diminuindo e a população africana crescendo, você verá a Europa basicamente dominada pela África nas próximas gerações.

Internationalman: O que não ouvimos é a imensa migração dos chineses para a África que está ocorrendo.  Doug, você passou muito tempo na África. O que está acontecendo com tudo isso?

Doug Casey: Estamos vendo uma verdadeira recolonização da África. Cada vez que visito a África, há mais chineses vivendo e trabalhando lá. Não importa qual país; eles estão em todo lugar. Os chineses ricos são inteligentes para diversificar e migrar para os países ocidentais desenvolvidos. Chineses pobres vão para países atrasados ​​para tentar se tornar ricos. A África é o continente destinatário principal.

Supostamente, é política oficial chinesa migrar cerca de 300 milhões de chineses para a África nos próximos anos. Eles são empregados na construção de estradas, ferrovias, portos, minas e outras infraestruturas. É parcialmente impulsionado por sua iniciativa Belt and Road.

Os chineses emprestam bilhões aos governos dos países africanos. Os governos africanos são, por uma ordem de grandeza, os mais corruptos do mundo. E as pessoas que dirigem esses governos africanos estão sendo bem compensadas por fazer acordos com os chineses. E com efeito, vendendo seus países e os seus compatriotas. Todos esses governos estão cheios de pessoas tentando receber “10%”.

O pior caso para eles é se aposentar como centimilionários, morar longe dos porcos e ir para a França ou para a Suíça. Então, eles não têm nada a perder. É uma tendência bastante imparável neste momento.  Independente  de quanto seja roubado, no entanto, espero que os chineses vão querer de volta o dinheiro emprestado aos africanos e com juros.

Se subornar ou intimidar os “líderes políticos” africanos se mostrar ineficaz para recuperá-lo, é possível que eles coloquem as botas dos soldados do exército chinês em solo africano. Eles poderiam enviar o Exército Popular de Libertação (ELP) para defender seus bens. Ou enviar assassinos para expulsar “políticos” africanos recalcitrantes.

Eu não ficaria surpreso em encontrar o EPL na África nos próximos anos, coletando fisicamente essas dívidas. E para tornar isso mais fácil para eles, eles serão recebidos por muitos milhões de chineses que já estão lá. Será interessante ver o que acontece quando algumas centenas de milhões de chineses vivem com uma população africana nativa que se expande radicalmente.

Se os africanos estavam descontentes com a colonização européia, acho que vão ficar muito, muito mais insatisfeitos com a colonização chinesa. Os chineses e o Partido Comunista da China não serão “inclusivos”, como os ocidentais de hoje. Tem todos os ingredientes para terminar acontecendo uma guerra racial em apenas uma geração ou mais no futuro.

Internationalman: Por Que a África desperta tanto os interesses dos chineses?

Doug Casey: É importante lembrar que a África não produz nada além de matérias-primas – e muitas pessoas. Há quase zero de fabricação de produtos – apenas algo em torno de 1% do total mundial – na África subsaariana. E quase tudo que é produzido industrialmente é na África do Sul.

Os chineses vêem os africanos como não mais do que uma fonte de mão-de-obra barata e dispensável (exatamente como os ocidentais veem os chineses hoje). Isso é o melhor. Fora isso, eles são vistos como um incômodo completo. Basicamente, um obstáculo – um custo – impedindo a extração e o uso eficiente dos vastos recursos naturais do próprio continente (metais preciosos, petróleo, gás natural, minérios, diamantes, terras raras…).

O que os chineses pensam dos africanos? Eles não os tem em alta consideração. Claro, você tem que lembrar que a China se vê como o centro do mundo desde o primeiro dia. Eles vêem todos os não-Han como bárbaros, como inferiores. Isso era absolutamente verdadeiro quando os britânicos enviaram um embaixador, McCartney, para abrir relações no final do século XVIII. Ele foi tratado com desprezo limítrofe – basicamente como europeus e americanos trataram os povos primitivos das Américas desde os dias de Colombo.

Na verdade, é a atitude humana normal quando uma cultura avançada encontra uma cultura retrógrada. Os chineses vêem sua cultura como superior até mesmo à do Ocidente e acreditam – provavelmente corretamente – que logo serão economica e tecnologicamente superiores também.

Internationalman: Se a China dominar a África e seus vastos recursos naturais, o que isso significa para a sua crescente rivalidade com os EUA?

Doug Casey: Bem, o governo dos EUA está basicamente falido neste momento. A única coisa que os EUA exportam em grande quantidade é o dólar americano. E em breve, os chineses, os russos, os malaios, os iranianos e os indianos, entre outros, não precisarão nem vão mais querer receber dólares americanos.Eles não querem aceitá-los agora, porque é um ativo do adversário deles ou mesmo do inimigo deles. Eles estão insatisfeitos em ter que acertar contas em dólares que precisam passar por Nova York.

Então, eles vão propor sua própria alternativa. E eu suspeito que eles vão usar ouro. Por quê? Porque eles não confiam nas moedas de papel um do outro. E por que eles deveriam? Como os Estados Unidos vão reagir a isso?

Vai ficar nu, sem abrigo e no frio. Ninguém precisa ou quer mais seus dólares – eles querem e precisam de bens reais, não as obrigações de papel de um governo hostil, imprevisível e falido. Além disso, os EUA não estão em posição de exportar pessoas, exceto por alguns soldados indesejados (o que fazem muito bem mundo afora). Os chineses estão em excelente posição para exportar algumas centenas de milhões de pessoas para o exterior. O ponto principal é que os chineses vão dominar a África financeiramente, e eles em breve vão assumir o controle do continente africano demograficamente também.

Internationalman: Que tipo de oportunidades especulativas você acha que essa tendência criará?

Doug Casey: Bem, eu sempre disse que, se hoje eu tivesse 30 anos e quisesse fazer fortuna, eu definitivamente iria para a África. A razão para isso é que você não quer estar em igualdade de condições para competir. Você quer estar em um campo favorável em sua direção, tanto quanto possível.

Se um jovem ocidental vai para a África e viaja por alí, ele achará fácil comunicar-se com os níveis mais altos da sociedade. Porque ele é incomum. E as pessoas estão interessadas em coisas que são incomuns. O fato de você ser um ocidental significa que você provavelmente está associado a pessoas que têm muito mais dinheiro, muito mais sofisticação, muito mais conhecimento do que qualquer um dos locais. Você tem vantagens exclusivas na África. Se um jovem ocidental fica em casa, no entanto, ele não tem vantagens marginais.

É muito difícil manter-se no topo de uma sociedade ocidental, porque existem dezenas de milhões de pessoas como você, seus concorrentes, com a mesma educação, formação e habilidades. Mas na África, você está automaticamente no topo da pirâmide. E você é perceptível. Então, é um ótimo lugar para se ir por razões empresariais. Ao mesmo tempo, não acho que a África seja um lugar para investir, a menos que você tenha o Exército da China atrás de você. É um lugar para um empreendedorismo do tipo “bate e corre”. Ou talvez empreendedorismo político.

Por mais corruptos que os países e políticos da África sejam, a maneira como quase todo mundo ganha dinheiro é ficando ligado próximo ao governo. E isso é possível fazer. Você poderia ir a qualquer número de países africanos, ficar lá por um mês e sentar-se com o presidente. Isso não vai acontecer se você tentar fazer a mesma coisa na América do Norte ou na Europa ou até mesmo na América do Sul ou na Ásia.

Internationalman: Se você tivesse 30 anos e estivesse procurando oportunidades na África, em quais países você estaria mais interessado?

Doug Casey: Bem, eu não pularia do fundo no começo. Não vá a um lugar como a Nigéria para começar. A África do Sul também não é ideal para esse propósito. É muito desenvolvido e há muitas pessoas de descendência européia – embora isso esteja mudando. Os brancos estão fazendo o que os rodesianos chamam de “corrida de galinhas” e pelas mesmas razões. Há muito racismo anti-branco na África do Sul e, além disso, a economia está encolhendo, indo ao contrário.

Eu iria para um país como a Namíbia, que é grande, vazio e bonito. Eu definitivamente olharia para Moçambique. Ou Mauritânia – um país enorme, onde ninguém vai. São Tomé e Príncipe, um obscuro país insular na costa oeste. Se você é aventureiro, a República Centro-Africana, que é provavelmente o país mais atrasado da África.


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL): “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle MENTAL. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Mais informações sobre NWO, Illuminati, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

One Response to Invasão chinesa na África: maior migração desde as invasões bárbaras de Roma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.