Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Kissinger clama pela paz na Ucrânia em encontro do WEF em Davos

Há uma pequena janela de oportunidade para encerrar o conflito armado na Ucrânia e encontrar um acordo de paz, disse o ex-secretário de Estado dos EUA Henry Kissinger em uma reunião das elites ocidentais [o hospício ocidental] em Davos, na Suíça. Além disso, a Rússia pode romper definitivamente com a Europa e se tornar um aliado permanente da China, disse ele na segunda-feira durante um discurso no Fórum Econômico Mundial-WEF.

Kissinger clama pela paz na Ucrânia em encontro do WEF em Davos

Fonte: Rússia Today

O conflito com a Rússia deve terminar em dois meses ou ficará fora de controle, alertou o veterano da realpolitik com 98 anos.

As negociações sobre a paz precisam começar nos próximos dois meses ou mais, [antes da guerra] cria convulsões e tensões que não serão facilmente superadas”, disse o diplomata veterano de 98 anos sobre a crise. O resultado determinará as relações da Europa com a Rússia e a Ucrânia, disse ele. “Idealmente, a linha divisória deve retornar ao status quo anterior à guerra” , disse ele.

“Acredito que prosseguir a guerra além desse ponto a transformaria não em uma guerra pela liberdade da Ucrânia, que havia sido empreendida com grande coesão pela Otan, mas em uma guerra contra a própria Rússia” , acrescentou.

Kissinger é um proeminente praticante da abordagem realpolitik das relações internacionais – que coloca os interesses práticos das nações antes de suas posições ideológicas. Ele lembrou que, oito anos atrás, quando a crise ucraniana foi lançada com um golpe armado em Kiev, ele defendeu que a Ucrânia se tornasse um estado neutro e uma “ponte entre a Rússia e a Europa, em vez de… uma linha de frente de agrupamentos dentro da Europa”.

Kiev, em vez disso, buscou a adesão à OTAN como um objetivo estratégico, abrindo caminho para as atuais hostilidades. A oportunidade que ele promoveu na época não existe mais, disse Kissinger, mas “ainda pode ser concebida como um objetivo final”.

As nações europeias devem ter em mente o quadro mais amplo e lembrar que a Rússia é há 400 anos uma parte essencial da Europa”, disse o diplomata. Ele alertou que o continente deve ter cuidado “para que a Rússia não seja levada a uma aliança permanente com a China”.

Kissinger abordou o crescente confronto entre a China e os EUA, dizendo que as duas nações agora se percebem como o único concorrente estratégico viável no cenário mundial. Ele disse que uma corrida armamentista entre os dois países é um cenário particularmente preocupante para o mundo inteiro.

“Um conflito com a tecnologia moderna conduzido na ausência de negociações anteriores de controle de armas, de modo que não haja critérios estabelecidos de limitações, será uma catástrofe para a humanidade” , disse ele.

O encontro em Davos nesta semana foi o mais recente fórum internacional que convidou o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky a defender seu país. Em seu discurso, ele pediu mais armas para Kiev e mais sanções contra a Rússia. Ele alegou que Moscou não estava interessada em negociar a paz.

A Rússia disse repetidamente que foi a Ucrânia que interrompeu as negociações de paz desde que alguns progressos foram feitos em Istambul no final de março.

“Não foi nossa iniciativa congelar as negociações”, disse o vice-chanceler Andrey Rudenko a jornalistas na segunda-feira, reiterando essa posição. “Estamos prontos para voltar às negociações assim que a Ucrânia demonstrar uma posição restritiva e, no mínimo, reagir às sugestões que enviamos a ela.”

A Rússia atacou seu estado vizinho no final de fevereiro, após o fracasso da Ucrânia em implementar os termos dos acordos de Minsk, assinados pela primeira vez em 2014, e o eventual reconhecimento de Moscou das repúblicas de Donbass de Donetsk e Lugansk. O protocolo mediado pela Alemanha e pela França foi projetado para dar às regiões separatistas um status especial dentro do estado ucraniano.

Desde então, o Kremlin exigiu que a Ucrânia se declarasse oficialmente um país neutro que nunca se juntará ao bloco militar da Otan liderado pelos EUA. Kiev insiste que a ofensiva russa foi completamente espontânea e negou as alegações de que planejava retomar as duas repúblicas pela força.

“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores”.  Mateus 24:6-8


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


“O indivíduo é deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana [humana] simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *