browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Maria Orsitsch, médium de contatos Extraterrestres da Sociedade Vril nazista

Posted by on 08/09/2019

Maria Orsitsch – Marija Oršić – Maria Orsitsch, também conhecida como Maria Orsic, foi uma médium famosa que mais tarde se tornou líder e “guia espiritual” para os membros da Sociedade Vril. Ela nasceu em 31 de outubro de 1895 em Zagreb. Seu pai era croata e sua mãe era alemã de Viena. O pai dMaria, Tomislav Oršić nasceu em uma casa próxima à Catedral de St. Stephans, em Zagreb, Croácia, império austro-húngaro. Arquiteto, Tomislav trabalhou na década de 1890 em um escritório localizado na Praça Ban Jelačić (Trg bana Jelačića)

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Maria Orsitsch, a médium que se tornou líder e “guia espiritual” para os membros da Sociedade Vril 

Fonte:  https://battleofearth.wordpress.com/2009/05/04/maria-orsic-and-the-vril-society/

Maria Orsitsch: (nome também presente em diferentes ortografias: Oršić, Ortisch, Orschitsch, Orsic; nascida em 31. outubro de 1895 em Zagreb, Donji Grad; desaparecida desde 1945) Marija Oršić – Vril medium

Maria Orsitsch – Marija Oršić – Maria Orsitsch, também conhecida como Maria Orsic, foi uma médium famosa que mais tarde se tornou líder e “guia espiritual” para os membros da Sociedade Vril. Ela nasceu em 31 de outubro de 1895 em Zagreb. Seu pai era croata e sua mãe era alemã de Viena. (A data de seu nascimento testemunha uma alma poderosa, é o Dia das bruxas ou Halloween (Véspera do Dia de Todos os Santos), na Mitologia céltica é o dia de Samhain – festival da colheita e o início no Ano novo celta.)

 

O pai Tomislav Oršić dMaria nasceu em uma casa próxima à Catedral de St. Stephans, em Zagreb, Croácia, então parte do império austro-húngaro. Arquiteto, Tomislav trabalhou na década de 1890 em um escritório localizado na Praça Ban Jelačić (Trg bana Jelačića).

Tomislav conheceu Sabine em 1894: Durante uma viagem a Viena, Tomislav conheceu uma jovem bailarina excepcionalmente bonita chamada Sabine. Eles se apaixonaram e se casaram pouco depois, e em 31 de outubro de 1895 em Zagreb, Sabine Orsic deu à luz uma loira deslumbrante que ela chamava de Maria. Mais tarde, Tomislav mudou seu primeiro nome para Thomas.

Maria Orsitsch era mais bela do que qualquer estrela de Hollywood na sua época. Maria Orsitsch foi mencionada e retratada em 1967 por Bergier e Pauwels em seu livro: “Aufbruch ins dritte Jahrtausend: von der Zukunft der phantastischen Vernunft(Partida para o terceiro milênio: do futuro da razão fantástica) . Maria logo seguiu o movimento nacional alemão que estava ativo após a Primeira Guerra Mundial; o principal objetivo do movimento era unir a Áustria com a Alemanha e parte da polônia que era também germânica. No ano de 1919, Maria mudou-se para Munique, para lá morar com seu noivo.

Em Munique, Maria entrou em contato com a Thule Gesellschaft e logo criou seu próprio círculo, juntamente com Traute, de Munique e vários outros amigos: o “Alldeutsche Gesellschaft für Metaphysik”, nome oficial da Vril Gesellschaft (Sociedade VRIL). Todas elas eram jovens, o que, entre outras coisas, todas também eram contra a moda dos penteados curtos para as mulheres. 

Maria e Traute eram lindas mulheres com cabelos muito compridos; Maria era loira e Traute tinha cabelos castanhos. Eles tinham longas caudas de cavalo, um penteado muito incomum na época. Isso se tornou uma característica distintiva em todas as mulheres que integraram a Sociedade Vril, que foi mantida até maio de 1945.

Elas acreditavam que seus cabelos longos agiam como antenas cósmicas para receber comunicação alienígena e de seres do além. Em público, no entanto, eles quase nunca exibiam o cabelo no estilo de rabo de cavalo. Para identificação, os membros da sociedade Vril (também chamados Vrilerinnen) usavam um disco que representava as duas médiuns: Marija Oršić e Sigrun.

{À DIREITA: capa de um livro sobre a misteriosa Sociedade Vril, sobre se ela forneceu à Alemanha projetos de aeronaves avançadas nos anos 1930? Uma investigação psíquica surpreendente prova que a resposta é SIM. Em conversas com a bela jovem fundadora da Sociedade, Fraulein Maria Orsic, aprendemos sobre o que a sociedade realmente era e sobre o que realmente aconteceu nos últimos dias da Segunda Guerra Mundial e como suas informações afetam nosso próprio tempo ATUAL FONTE}

A Sociedade VRIL

A Sociedade Vril foi formada por um grupo de mulheres médiuns psíquicas  lideradas pela médium líder da Sociedade “Thule Gesellschaft”, Maria Orsitsch (Orsic) de Zagreb, que receberiam, entre outras coisas, comunicação de alienígenas arianos que vivem em Alpha Centauri, no sistema Aldebaran. Alegadamente, esses alienígenas visitavam a Terra e se estabeleceram na Suméria, e a palavra Vril foi formada a partir da antiga palavra suméria “Vri-Il” (“como deus”). Um segundo meio era conhecido apenas como Sigrun, um nome etimologicamente relacionado a Sigrune, uma Valquíria e uma das nove filhas de Wotan na lenda nórdica dos vikings.

Cavaleiros Templários no Café “Schopenhauer” em Viena

Em 1917, quatro pessoas se encontraram no Café Schopenhauer, em Viena, com o prelado Gernot dos herdeiros dos Cavaleiros Templários, o barão Rudolf von Sebottendorf, Karl Haushofer, Lothar Waiz e Maria Orsitsch, de Zagreb. Nesta reunião, eles esperavam ouvir sobre a epifania dos Templários e a ordem secreta dos prelados “Os Senhores da Pedra Negra”. Durante esta entrevista, Gernot abriu a revelação dos Templários:

“… sobre a próxima Era de Aquário e o Sol Central (da Galáxia) que causa essa mudança”.

Falou-se do ano cósmico, que dura 25.920 anos e que a transição da Era de Peixes para a Era de Aquário requer uma fase de transformação com um período de 168 anos, os “três passos de MARDUK”. Durante a segunda etapa, isto é, na metade dos 168 anos, foi prevista a primeira greve do aço> ILU <. De acordo com os cálculos dos templários, este evento estava previsto para acontecer em 1968. Nesse sentido, também foram previstos eventos importantes para o início de 1934 e o final de 1990. Num futuro próximo, o povo germânico estaria conectado com a criação de um reino de Luz e isso seria cumprido na nova era.

“Comunicação mediúnica” com o fantasma de Eckart

No final de novembro de 1924, ela visitou Rudolf Hess em seu apartamento em Munique, juntamente com Rudolf von Sebottendorf, o fundador da Thule Gesellschaft. Sebottendorf queria entrar em contato com Dietrich Eckart, que havia falecido um ano antes. Eckart traduziu as peças de Ibsen para o alemão e publicou a revista Auf gut Deutsch; ele também fora membro da Thule Gesellschaft. 

Os MÉDIUNS dos nossos dias: “GRANDES” figuras da humanidade, religiosos (“pastores”), políticos, esportistas, ARTISTAS, “filantropos”, CELEBRIDADES, enfim, pessoas “importantes”, em sua maioria são indivíduos SEM ALMA, mas com mensagens muito sedutoras para a imensidão de DISTRAÍDOS e IGNORANTES, pois são meros marionetes de poderes ocultos …

Para estabelecer contato com Eckart, Sebottendorff e outros thulistas (entre eles Ernst Schulte-Strathauss) deram as mãos em volta de uma mesa coberta de preto. Hess achou irritante ver os olhos de Maria Orsic girando para trás e mostrando apenas os brancos dos olhos, e vê-la caindo para trás em sua cadeira, com a boca aberta. 

No entanto, Sebottendorff sorriu satisfeito quando a voz de Eckart começou a sair através dela. Eckart anunciou que era obrigado a deixar a voz de outro ser (não físico) e vinha com uma mensagem importante. Uma voz estranha então se identificou como o Sumi, morador de um mundo distante, que orbita a estrela Aldebaran na constelação que vocês chamam de Touro. Hess e Schulte-Strathaus se entreolharam de surpresa. Segundo a voz, os Sumi eram uma raça humanóide que colonizou brevemente a Terra cerca de 500 milhões de anos atrás.

A gigante vermelha, Aldebarã em comparação com o nosso sol

As ruínas das antigas cidades de Larsa, Shurrupak e Nippur no Iraque foram construídas por eles. Aqueles que sobreviveram ao grande dilúvio de Ut-napishtim (o dilúvio da arca de Noé) haviam se tornado os ancestrais da raça ariana. Sebottendorff permaneceu cético e pediu provas. Enquanto Maria ainda estava em transe, ela rabiscou várias linhas de marcas estranhas. Essas marcas acabaram sendo personagens de verão antigos, a língua dos fundadores da mais antiga cultura babilônica.

Canalizando o projeto de uma máquina de vôo circular (um “Disco Voador”)

Em dezembro de 1919, um pequeno grupo de pessoas de Thule, Vril e DHvSS (Homens da pedra negra) alugou um pequeno alojamento florestal nas proximidades de Berchtesgaden (Alemanha) onde eles se encontraram, acompanhados por Maria Orsic e outra bela mulher médium que é conhecido apenas como Sigrun.

Aldebaran

O sistema solar de Aldebaran fica a 68 anos-luz da Terra e dois planetas habitados que constituem o Reino dos Sumeran orbitam em torno de seu sol. Os habitantes deste sistema solar são subdivididos em mestres, pessoas  deuses brancos (arianos) e outras raças humanas diferentes. Estes últimos se desenvolveram devido a mudanças climáticas nos planetas individuais e foram o resultado de uma degeneração genética da raça branca semelhante a Deus. Esses mutantes de Aldebaran passaram a ter um desenvolvimento espiritual inferior ao povo divino.

Quanto mais as raças se misturavam, mais seu desenvolvimento espiritual se degradava. Consequentemente, quando o sol (Aldebaran) começou a se expandir, eles não eram mais capazes de fazer viagens interplanetárias como seus ancestrais; tornou-se impossível para eles deixarem seus planetas. Assim, as raças inferiores, totalmente dependentes dos mestres, veio a ser evacuada em naves espaciais e levada para outros planetas habitáveis. Apesar das diferenças, houve respeito entre essas duas raças, elas não invadiram o espaço vital uma da outra (em contraste com o que ocorre na Terra).

A localização da estrela/sol Aldebaram, o “olho vermelho” da Constelação de Touro, entre a Constelação de Órion e Plêiades

A raça dos mestres, o “povo ariano branco de deus”, começou a colonizar outros planetas semelhantes à Terra cerca de 500 milhões de anos atrás, após a expansão do sol Aldebaran e o crescente calor resultante dele, o que tornava os planetas inabitáveis. Dizia-se que eles colonizaram o planeta Mallona (também chamado MALDEK, Marduk, que hoje são os trilhões de pedaços de rocha que compõe o Cinturão de Asteroides, que são os restos do planeta MALDEK que explodiu a cerca de 251 milhões de anos. 

Depois disso, colonizaram Marte, cujas cidades e uma grande pirâmide foram construídas, cujos restos estão localizados na região chamada por Cydonia e a conhecida “FACE”, COM CERCA DE UMA MILHA, fotografada em solo marciano, fotografados em 1976 pela sonda Viking, testemunham o alto nível de desenvolvimento de seus habitantes. 

Imagem feita pela sonda Viking Orbiter de Marte em 1976, da região marciana de Cydonia, que tornou-se famosa depois que uma sucessão de pesquisadores alegou que a região continha uma FACE esculpida, com cerca de 1.600 metros de tamanho, ruínas de uma cidade, e pirâmides.(FONTE)

A partir daí, naquela época, assumiu-se que o povo de deus de Sumeran – Aldebaran veio à Terra pela primeira vez. Traços antigos de um sapato petrificado com cerca de 500 milhões de anos, com um trilobita petrificado junto com a sola daquele sapato, da um testemunho da existência deles. Aquele peixe primitivo viveu na Terra na época e desapareceu 400 milhões de anos atrás.

Os membros da Sociedade Vril pensaram que os extraterrestres de Aldebarã desembarcaram mais tarde, quando a Terra se tornou lentamente habitável na Mesopotâmia, e que formaram a casta dominante dos sumérios. Esses aldebaranos eram chamados de pessoas brancas de Deus. Além disso, as médiuns telepatas da Sociedade Vril receberam as seguintes informações: a língua suméria não era apenas idêntica à dos aldebaranianos, mas também tinha tons semelhantes ao alemão, e a frequência das duas línguas era quase idêntica. Isso corresponde à realidade?

Digamos simplesmente que os desenhos de construção e os dados técnicos recebidos pelas telepatas – não importa de onde eles vieram – eram tão precisos que nasceu a ideia mais fantástica já concebida pelo homem: a construção de uma máquina para voar para o além! O conceito de “outra ciência” amadureceu mentalmente (hoje se usaria o termo “formas alternativas de energia”). Levou três anos para o início do projeto. Na primeira fase do desenvolvimento de uma “outra tecnologia” ou “outra ciência”, o Dr. W.O. Schumann, membro das Sociedades Thule e Vril, deu uma palestra na Faculdade de Ciências de Munique.

Anotações tiradas por Maria Orsic e Sigrun, quando em transe mediúnico,  contendo escrita suméria e templária

Os documentos da Sociedade Vril mencionam que essas mensagens telepáticas tiveram origem em Aldebaran, um sistema solar a 68 anos-luz de distância na constelação de Touro. Ela tinha duas pilhas de papéis: um com a escrita dos Templários, o outro com uma escrita ilegível para todos. Maria suspeitava que a segunda pilha seria escrita em uma antiga língua oriental e, portanto, poderia ser auxiliada pelos panbabylonistas, um círculo próximo à sociedade Thule que foi integrada por Hugo Winckler, Peter Jensen, Friedrich Delitzsch e outros. Descobriu-se que a língua aparentemente misteriosa era na verdade uma antiga língua sumeriana e, portanto, a língua dos antigos fundadores da cultura babilônica. Sigrun, da Vril gesellschaft, ajudou a traduzir o idioma e decifrar as estranhas imagens mentais de uma máquina de vôo circular.

Vrilerinnen Ladies

Maria Orsitsch era a chefe da “Sociedade Alemã para a Metafísica” (Alldeutsche Gesellschaft fr Metaphysik) fundada no início do século 20 como um círculo feminino de médiuns que estavam envolvidos em contatos telepáticos extraterrestres. Mais tarde, a sociedade foi renomeada como ‘Sociedade Vril’ ou ‘Sociedade das Mulheres Vrilerinnen’. Em 1917, diz-se que Maria Orsitsch fez contato com extraterrestres de Aldebaran com seu círculo Vril feminino. 

Mais tarde, em 1919, o círculo Vril se reuniu com outros grupos em um pequeno alojamento florestal nas proximidades de Berchtesgaden para discutir uma possível viagem a Aldebaran para encontrar os alienígenas através da construção das espaçonaves nazistas com tecnologia cedida pelos extraterrestres. As notas sobre esta missão espacial são discutidas em uma recente análise detalhada do ocultismo nazista intitulada ‘Sol Negro: Cultos Arianos, Nazismo Esotérico e Política de Identidade.

Maria recebeu, por meio de transmissões mediúnicas, em um mosteiro templário alemão secreto – um idioma desconhecido para ela – contendo dados técnicos para a construção de uma máquina voadora. Os documentos da Vril mencionam que essas mensagens telepáticas tiveram origem em Aldebaran, de um planeta, Summeran, de um sistema solar a 68 anos-luz de distância da Terra, situado na constelação de Touro.

O projeto da máquina voadora

O conceito de “ciência alternativa” amadureceu neste período e nos anos seguintes. Devido às dificuldades de financiamento, levou três anos até o projeto das máquinas voadoras começar a tomar forma. Em 1922, as peças da máquina começaram a chegar independentemente de várias fontes industriais pagas integralmente pela Thule e Vril.

– Quando Hitler proibiu as sociedades secretas em 1941, elas registraram a sociedade como um negócio, chamado “Antriebstechnische Werkstätten” Laboratório de Engenharia de propulsão Vril), [você percebe a similaridade “acidental” com o nome JPL – Jet Propulsion Laboratory criado pela NASA]?

Este é um segredo que Himmler e Sebottendorff levaram ao túmulo. Diz-se, no entanto, que a sociedade Vril ocasionalmente para as indústrias Adam Opel AG e Arado um tipo especial de propulsão para seus aviões. Dizem que a Sociedade Vril foi incluída na organização secreta criada por Himmler, “Die Kette”.

Em dezembro de 1943, Maria participou, juntamente com Sigrun, de uma reunião realizada pela Sociedade Vril na estância balnearia de Kolberg. O principal objetivo da reunião foi lidar com o “projeto Aldebaran”. As médiuns da Sociedade Vril receberam informações precisas sobre os planetas habitáveis ​​ao redor do sol Aldebaran, e estavam dispostos a planejar uma viagem até lá. Este projeto foi discutido novamente em 22 de janeiro de 1944 em uma reunião entre Hitler, Himmler, Dr. W. Schumann (professor da Universidade Técnica de Munique) e Kunkel da Vril Gesellschaft.

Planejava-se enviar uma nave de grande capacidade, a VRIL-7 através de um canal de dimensão independente da velocidade da luz para Aldebaran. Segundo N. Ratthofer (escritor), um primeiro voo de teste no canal de dimensão ocorreu no final de 1944. O voo de teste quase terminou em desastre, porque após o voo o Vril 7 parecia “como se estivesse voando por cem anos”. . Sua parte externa parecia envelhecida e sofrera danos em vários lugares.

Maria Orsic desapareceu misteriosamente em 1945. Em 11 de março de 1945, um documento interno da Vril Gesellschaft foi enviado a todos os seus membros; uma carta escrita por Maria Orsic. A carta termina: “niemand bleibt hier” (“ninguém fica aqui”). Este foi o último anúncio da principal médium da sociedade Vril e, desde então, ninguém mais viu ou ouviu falar de Maria ou do resto dos membros da sociedade Vril. Especula-se que eles escaparam para Aldebaran.

Apesar de desconfiarem dos homens, as mulheres da Sociedade Vril acabaram se unindo ao Thule Gesellschaft e ao DHvSS para construir um disco de voo interdimensional, conhecido como JenseitsFlugMaschine (JFM) Mas, diferentemente dos outros dois grupos, a Vril Gesellschaft era um círculo interno de mulheres que também lutavam contra seus tempos e cultura. Com substancial apoio financeiro, as máquinas em forma de disco foram construídas com sucesso e secretamente testadas por vários anos, a Thule queria desenvolver uma embarcação de combate e uma Raumschiff funcional (nave espacial). A Vril, por comparação, só queria desenvolver Raumschiffe (Nave Espacial) para alcançar Aldebaran. 

Maria Orsic pode ter tido uma filha chamada Schultz ou Stilts em Long Island, que se casou com o banqueiro milanês Raffa (Chase-Manhattan) e esteve por trás da nova iniciativa CAUSA NOSTRA VRIL em Milão. Maria Orsic teria sido ajudada em sua fuga da Alemanha em 11 de março de 1945 por um general Hans-Georg Schmidt von Altenstadt, que foi agraciado com a Cruz de Ferro em 8 de maio de 1944, promovido a Major-General em 1 de julho de 1944.

Ele era casado com uma das Vril Maidens de Orsic, Franziska Oettingen, sobrinha de um dos apoiadores originais de Maria Orsic, Franziska Romana. Franziska Romana havia doado uma tiara de diamante para Orsic antes de sua morte, em 25 de março de 1931, para ajudar a financiar sua Sociedade Vril, e sua sobrinha, Franziska Oettingen, foi renegada pela família Oettingen quando se tornou donzela da sociedade Vril, em 15 de setembro de 1931.

O General von Altenstadt ajudou Orsic em sua fuga e nenhum deles foi pego ou julgado. 1945: Buechner detalha com precisão as rotas de fuga. A rota VIP geralmente passava de submarino para a Noruega e depois descia o Atlântico até a América do Sul ou qualquer outro lugar. O escalão inferior na hierarquia nazista geralmente tomava a rota de fuga do sul através da Itália. 

Maria Orsitsch foi mencionada e retratada em 1967 por Bergier e Pauwels em seu livro “Aufbruch ins dritte Jahrtausend: von der Zukunft der phantastischen Vernunft“.

Referências:

-Barry Taylor – Sociedade Vril O Livro Amarelo no. 5
-Joseph Trainor – UFO Roundup, 10-6
-N. Ratthofer – Das Vril Projekt


Teoria da viagem de partida ao sistema solar de Aldebaran

Fonte: https://www.gaia.com/article/maria-orsic-vril-ufos-nazi-germany-secrets

Parece que a Orsic pretendia se comunicar com os extraterrestres no sistema solar Aldebaran para um propósito. Após receber instruções para a construção de um disco voador, faz sentido que a espaçonave Vril tenha partido da Terra para Aldebaran. Esse sistema solar existe na Constelação de Touro, que fica a 68 luz. anos longe da Terra (Para comparação, Alpha Centauri, o sistema solar mais próximo do nosso fica a apenas 4,35 anos-luz da Terra)

Aqueles que acreditam que a Orsic partiu da Terra para Aldebaran argumentam que os membros de primeira linha da Sociedade Vril, juntamente com outras sociedades secretas alemãs como a Thule, tinham financiamento adequado do regime de Adolf Hitler para a construção de discos voadores. nenhum segredo do fato de que os nazistas receberam uma abundância de informações técnicas de extraterrestres antes e durante (e depois) a Segunda Guerra Mundial.

Rudolf Walter Richard Hess era um ocultista e político alemão e um dos principais membros do Partido Nazista da Alemanha. Nomeado Vice Führer para Adolf Hitler em 1933 Hess serviu nessa posição até 1941, quando voou sozinho para a Escócia, na tentativa de negociar a paz com o Reino Unido durante a Segunda Guerra Mundial e ficou preso até sua morte.

A conexão de Rudolf Hess – Maria Orsic

Outra alegação popular dos historiadores nazistas na Alemanha é que Orsic forneceu todas as suas informações canalizadas a uma estrela em ascensão dentro do partido nazista chamado Rudolf Hess. Segundo essa teoria, Orsic forneceu a Hess todos os detalhes de suas comunicações com o Vril como forma de expressá-la. O nacionalismo alemão Hess se tornou uma figura influente no partido nazista.

Se os teóricos estão corretos, Hitler e seus cientistas associados se basearam nas canalizações detalhadas de Maria Orsic para criar uma variedade de discos voadores e outras armas de alta tecnologia para uso na guerra. Esses teóricos também acreditam que os nazistas financiaram milhões de dólares em um programa espacial secreto dedicado a dominar o vôo com tecnologia de antigravidade usada nos discos voadores e outras aeronaves semelhantes a OVNIs desenvolvidas pelos cientistas nazistas.

Cientistas nazistas confirmam contato com extraterrestres

Um colega pioneiro espacial alemão chamado Hermann Oberth ecoou as alegações de Von Braun de que os alemães tinham conhecimento e contato com seres extraterrestres. Oberth foi um dos principais projetistas de foguetes do Reich alemão durante a Segunda Guerra Mundial. Embora ele tenha se mudado para os EUA por conta do Projeto Paperclip, e ajudou no esforço do desenvolvimento do programa espacial dos EUA de enviar homens para o espaço sideral, Hermann Oberth é mais lembrado por suas declarações que ligam os nazistas a extraterrestres

De acordo com Oberth, os nazistas não podiam “levar o crédito” por seu avanço em uma série de campos científicos. Como Von Braun, Oberth alegou que os nazistas recebiam ampla assistência de uma forma de vida alienígena super inteligente que Oberth referia a esses alienígenas como “pessoas de outros mundos” “

Se considerarmos Oberth e Von Braun, fica claro que o governo nazista obteve assistência militar significativa de alienígenas altamente avançados. Muitos teóricos da conspiração acreditam que as canalizações de Maria Orsic serviram como ponto de conexão inicial entre alemães e esses extraterrestres super inteligentes.

Fato ou ficção sobre a Sociedade Vril

Aqueles que acreditam na existência da sociedade Vril teorizam que eles agora vivem abaixo da superfície da terra ou no sistema solar de Aldebaran. Muitos historiadores argumentam que a suposta conexão nazista com uma raça de extraterrestres é pura ficção

Alguns céticos apontam para o romance de 1871, Vril, The Power of the Coming Race, de Edward Bulwer-Lytton. Neste trabalho fictício, um viajante rebelde se depara com uma raça altamente inteligente de pessoas que vivem em um mundo subterrâneo. Essas pessoas se autodenominavam “Vril-ya”. Vril-ya entendem muito sobre os acontecimentos acima do solo, mas foram forçados a viver abaixo da terra após uma antiga catástrofe mundial. Os membros de Vril-ya creditaram sua sobrevivência à força invisível conhecida como “Vril”. O romance descreve Vril como uma forma mística de eletricidade ou magnetismo (essencialmente feminina) que lhes forneceram super capaciddes e acesso a energia cósmica ilimitada que funciona em harmonia com o mundo natural.

Com base nas semelhanças notáveis ​​entre o romance e a história de Maria Orsic, a linha entre fato e ficção é bastante embaçada. O trabalho de ficção de Lytton foi realmente baseado em interações do mundo real entre alemães como Orsic e extraterrestres legítimos?

O misterioso desaparecimento de Maria Orsic e seus seguidores permanece um mistério. Talvez essas mulheres tenham decidido deixar nosso planeta devastado pela guerra com a ajuda de uma raça extraterrestre antiga. Talvez Orsic tenha vivido o resto de sua vida em um planeta desconhecido no sistema solar Aldebaran. Explore mais sobre a vida seus mistérios no Espaço Profundo para chegar às suas próprias conclusões.


Dois insiders e denunciantes dos SSP-Programas Espaciais Secretos, Corey Goode e Willian Tompkins,, declararam o seguinte sobre Maria Orsic: Ela foi uma médium da Virl Society e um ativo do SSP-Programa Espacial Secreto Nazista alemão que usou suas habilidades psi (psíquicas) para entrar em contato com inteligências sobrenaturais durante as décadas de 1920 e 1930. Corey Goode a descreve como uma mulher bonita, mas de origem humana, Tompkins difere de Goode, pois diz que Orsic era uma alienígena da Raça Nórdica (Tall Whites) em contato com os alemães.

Ele continua dizendo que ela e suas oito colegas desenvolveram sua própria nave espacial antigravidade que os alemães finalmente descobriram e confiscaram ao encerrar suas operações. Aparentemente, duas dessas embarcações projetadas por Orsic finalmente chegaram, mais tarde, à Área 51. A S.S. estava tentando cooptar Orsic, mas Hitler mais tarde permitiu que eles tivessem um programa independente. Maria Orsic não queria que seus avanços tecnológicos fossem usados pelos alemães nazistas mais nefastos (membros das S.S., adoradores de um Sol Negro) na época, sugerindo que ela e sua equipe poderiam ter sido mais benevolentes por natureza própria. Tompkins diz que elas eventualmente escaparam para a Antártica com a ajuda dos aliados extraterrestres reptilianos dos alemães nazistas dissidentes.


“Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo”.  –  Mateus 24:10-13


“Conhece-te a ti mesmo e conheceras todo o universo e os deuses, porque se o que tu procuras não encontrares primeiro dentro de ti mesmo, tu não encontrarás em lugar nenhum” – Frase escrita no pórtico do Templo do Oráculo de Delphos, na antiga Grécia.

“A exposição à verdade muda a tua vida, ponto final – seja essa verdade uma revelação sobre a honestidade e integridade pessoal ou se for uma revelação divina que reestrutura o teu lugar no Universo. Por esse motivo é que a maioria (a massa ignorante do Pão e Circo) das pessoas foge da verdade, em vez de se aproximar dela”.  {Caroline Myss}


Mais informações sobre ANTÁRTIDA, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida na formatação original e mencione as fontes.

phi-golden-ratiowww.thoth3126.com.br

 

 

2 Responses to Maria Orsitsch, médium de contatos Extraterrestres da Sociedade Vril nazista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.