Mentiras sobre Extraterrestres e OVNIs: decifrando a verdade em meio a ‘Décadas de Manipulação’

A velha questão de saber se estamos sozinhos no universo finalmente foi respondida? No que parece ser uma campanha de divulgação muito bem coordenada, vários “insiders” experientes recentemente fizeram declarações públicas afirmando que os “ETs” são reais e visitam a Terra há décadas (para ser mais exato, há milênios) e que várias espaçonaves aliens foram recuperadas. Nos “últimos oitenta anos”, programas secretos “focaram em engenharia reversa de tecnologias de origem desconhecida” e “que pelo menos algumas dessas tecnologias de origem desconhecida derivam de inteligência não humana“.

Mentiras, malditas mentiras e os Extraterrestres e OVNIs: decifrando a verdade escondida em meio a décadas de manipulação

Fonte: Gatestone Institute

Em meados de maio, o professor de medicina de Stanford, Garry Nolan, causou alvoroço durante uma conferência de inovação e investimento organizada pelo fórum de liderança SALT i-Connections,  quando afirmou inequivocamente que um pequeno grupo de cientistas está fazendo engenharia reversa de tecnologia alienígena há muito tempo.

Uma das coisas convincentes sobre a entrevista de 15 minutos em que ele discutiu essa revelação é o cuidado do apresentador, Alex Klokus, em enquadrar o testemunho do Dr. Nolan com questionamentos sóbrios e lógicos, como se para se proteger contra possíveis acusações de charlatanismo. Quase como um advogado conduziria um exame de testemunha em um tribunal, Klokus primeiro apresenta os avanços inovadores de Nolan em imunologia, virologia e pesquisa do câncer. 

Em seguida, ele percorre a “experiência pessoal do professor com pessoas que … estão trabalhando nos programas de engenharia reversa” da tecnologia alienígena. Finalmente, Klokus oferece a Nolan a chance de descrever para o público sua crença de que a revelação do governo sobre a vida extraterrestre provavelmente está por vir.

A entrevista de Nolan aconteceu cerca de uma semana antes da reunião pública da NASA em 31 de maio para discutir fenômenos anômalos não identificados (UAP) – a atual categorização de assunto usada para referenciar incidentes antes entendidos menos formalmente como aqueles envolvendo OVNIs e “encontros imediatos” de vários tipos com seres extraterrestres. 

Embora a conferência do governo tenha frustrado alguns telespectadores porque levantou muitas questões sem fornecer respostas definitivas, o astrofísico Dr. David Spergel deixou claro que a intenção da comissão é “fornecer à comunidade científica um roteiro” que possa ser usado para reunir e analisar mais dados. De muitas maneiras, o evento apareceu como mais um passo para tornar a pesquisa secreta mais pública.

No início de junho, duas publicações online separadas postaram artigos que identificavam testemunhas com conhecimento pessoal de UAPs, agora pedindo maior divulgação do governo. Em uma época de jornalismo em que a dependência de fontes anônimas infelizmente se tornou a norma, o uso de entrevistas gravadas e declarações corroboradas distinguem essa reportagem.

Em um ensaio para o Politico intitulado “Se o governo tem materiais de queda de OVNIs, é hora de revelá-los”, o ex-vice-secretário adjunto de Defesa para Inteligência, Christopher Mellon, detalhou seu envolvimento direto na entrega de evidências de UAPs-OVNIs ao Congresso – trabalho que acabou  levando ao estabelecimento do All-domain Anomaly Resolution Office (AARO), organizado para investigar e documentar encontros com naves não identificadas que podem ser de origem extraterrestre. 

Mellon descreveu seus esforços para chamar a atenção do público para a existência de incidentes UAP registrados envolvendo militares dos EUA. “Mas, apesar dos avanços na transparência do governo sobre esses avistamentos”, argumentou, “há uma coisa que o Pentágono e a comunidade de inteligência ainda não abordaram, e é se eles tiveram algum contato direto com esses objetos” e se há verdade nos “rumores persistentes” alegando “que o governo tem trabalhado secretamente ao fazer engenharia reversa da tecnologia alienígena (em absoluto segredo).”

Mellon encaminhou pessoalmente quatro testemunhas à AARO “que afirmam ter conhecimento de um programa secreto do governo dos Estados Unidos envolvendo a análise e exploração de materiais recuperados de espaçonaves de fora do nosso mundo”. Ele conhece outras fontes com evidências adicionais. Embora a AARO não tenha nenhuma obrigação legal de relatar suas descobertas ao público, Mellon “concluiu que o público precisa saber a verdade”.

Dois dias depois do ensaio do Politico, outra publicação online, The Debrief, publicou uma matéria sob o título: “Oficiais de inteligência dizem que os EUA recuperaram espaçonaves de origem não humana”. Em seu artigo bem fundamentado, os jornalistas Leslie Kean e Ralph Blumenthal detalham as alegações de David Charles Grusch – um “ex-oficial de inteligência que se tornou denunciante” – que forneceu ao Congresso e ao Inspetor Geral da Comunidade de Inteligência “extensas informações classificadas sobre programas profundamente secretos” e a posse de “espaçonave intacta e naves parcialmente intactas de origem não humana” pelo governo dos EUA.

Mais uma vez, uma das coisas mais impressionantes sobre esta exposição é sua atenção direta em citar nomes e fornecer evidências substanciais de fundo para apoiar a reputação de honestidade de Grusch. Os repórteres não apenas rejeitam o uso de fontes anônimas, mas também têm o cuidado de destacar a credibilidade das fontes que usam. 

O coronel aposentado do Exército Karl E. Nell – que trabalhou com Grusch como parte da Força-Tarefa de Fenômenos Aéreos Não Identificados originalmente constituída sob a autoridade do Gabinete do Subsecretário de Defesa para Inteligência e Segurança antes que esse órgão de investigação fosse reorganizado em AARO – é citado como descrevendo Grusch como “irrepreensível”. 

Em seguida, os repórteres Kean e Blumenthal certificam-se de desenterrar uma avaliação de desempenho da vice-chefe de gabinete de inteligência Laura A. Potter, descrevendo Nell como “um oficial com a bússola moral mais forte possível”. Se você confia na avaliação do Exército sobre Nell e na avaliação de Nell sobre Grusch, então a lógica sugere que as revelações do insider e denunciante de Grusch também devem ser confiáveis.

De sua parte, Nell concorda totalmente com Grusch que, nos “últimos oitenta anos”, os programas secretos “focaram em fazer engenharia reversa de tecnologias de origem desconhecida” e “que pelo menos algumas dessas tecnologias de origem desconhecida derivam de inteligência não humana”. Ele considera essa conclusão “indiscutível”.

Enquanto buscavam corroborar as alegações de Grusch, os jornalistas Kean e Blumenthal entrevistaram um oficial de inteligência do Centro Nacional de Inteligência Aérea e Espacial especializado em análise de UAP e que opera sob a identidade de “Jonathan Gray” dentro da agência. Por quase uma década, ele recebeu materiais informativos altamente confidenciais envolvendo UAPs. Ele diz sem rodeios:

“O fenômeno da inteligência não-humana é real. Não estamos sozinhos no universo.”

Por fim, vale ressaltar que Grusch é representado pelo advogado Charles McCullough III, que anteriormente atuou como Inspetor Geral da Comunidade de Inteligência. Dada a familiaridade de McCullough com o mundo sombrio da espionagem, as salvaguardas legais bizantinas que governam os segredos de Estado e a confusão de armadilhas criminosas que tornam a divulgação legal semelhante a cruzar um campo minado no escuro, sua decisão de ajudar Grusch como um denunciante legítimo fornece mais credibilidade para o caso dele. Também é verdade que, ao apresentar sua queixa de denúncia, Grusch se colocou em risco legal ao atestar formalmente que suas declarações foram feitas “sob as penas de perjúrio”.

Isso é muito para aceitar. Depois de décadas de negações do governo e alegações de encobrimentos em massa, de repente uma avalanche de revelações de UAP está atingindo o público de uma só vez. Temos denunciantes insiders, agentes da Comunidade de Inteligência, cientistas altamente respeitados e  membros do Congresso, todos se manifestando. 

Em outra época, a entrevista de Nolan durante um popular fórum de investimento de “líderes de pensamento” teria sido suficiente para capturar a atenção da nação indefinidamente. Juntamente com dois ensaios provocativos detalhando relatos em primeira pessoa confirmando a existência de tecnologia extraterrestre, as revelações das últimas semanas deveriam ter sido suficientes para eclipsar todas as outras notícias do mundo. Mas as PRE$$TITUTA$, à serviço do establishment, nada falam.

Em vez disso, a resposta de toda a mídia noticiosa foi um silêncio de rádio quase completo. Tucker Carlson, em seu primeiro episódio de “Tucker no Twitter”, chamou as alegações do denunciante de Grusch de a “bomba do milênio” – uma bomba sendo totalmente ignorada, escondida, escamoteada do consenso público. 

Como pode uma notícia com o potencial de transformar completamente a maneira como os humanos entendem e percebem o seu universo causar uma pequena ondulação no lago dos eventos atuais?  Carlson argumenta que os americanos têm aceitado mentiras por tanto tempo sobre tantas questões diferentes que ninguém mais tem ideia neste momento no que acreditar.

 “Ninguém sabe o que está acontecendo”, diz ele . “Um pequeno grupo de pessoas controla o acesso a todas as informações relevantes e o resto de nós… não sabemos.”

Dada a óbvia coordenação das divulgações do UAP nas últimas semanas, apenas dois cenários parecem plausíveis:

  1. ou um grupo de cientistas, agentes de inteligência, militares, tubarões legais e políticos estão trabalhando juntos nos bastidores [sob ESTRITA ORIENTAÇÃO de extraterrestes da Federação Galáctica) para fornecer informações corroboradas o suficiente ao público para penetrar em quase um século de sigilo imposto pelo Estado, ou
  2. essa coleção diversificada de profissionais faz parte de uma elaborada campanha de desinformação usada para manipular a percepção e a opinião pública.

Em outras palavras, ou há uma tentativa altamente organizada de revelar uma verdade espetacular, porém oculta há décadas, para o resto da humanidade, ou há uma tentativa altamente organizada de usar a guerra de informação como um meio de moldar a consciência coletiva. 

Ou o governo dos EUA se envolveu em uma conspiração maciça por quase um século para esconder verdades importantes de seus próprios cidadãos [verdadeiro]. Ou está envolvido em uma conspiração massiva hoje para manipular as mentes dos americanos em massa

Numa época em que os líderes políticos adoram falar sobre as virtudes da “democracia”, qualquer uma das possibilidades confirma um desrespeito impressionante pela soberania popular.

Essa é uma acusação bastante contundente contra o governo e a sociedade ocidentais. As pessoas são bombardeadas com tanta propaganda sancionada pelo governo e mentiras descaradas que nunca sabem se as declarações oficiais são verdadeiras. 

Instituições externas – incluindo a academia e a mídia de notícias – abraçaram tantas “notícias falsas” ao longo dos anos que suas reputações não estão em melhor forma. O resultado final é que ninguém em uma posição de autoridade é confiável ou acreditado.

A “bomba do milênio” explode do lado de fora das portas dos americanos, e o público em geral dá de ombros porque aceitou uma verdade feia há muito tempo: está sendo constantemente enganado. Com todo o respeito aos nossos amigos extraterrestres, talvez essa seja a notícia mais importante do nosso tempo (e vai ser AMPLIADA até atingir os quatro cantos da Terra, porque em breve os extraterrestres estão voando ABERTAMENTE em nossos céus . . ).


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na CEF, AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”;


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é fim-dominio-eua-otan-nabucodonosor-fim-roma.jpg

“Quando é chegada a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está rubro. E, pela manhã: Hoje haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Hipócritas, sabeis discernir a face do céu, e não reconheceis os sinais dos tempos? Uma geração má e adúltera pede um sinal, e nenhum sinal lhe será dado . . .” – Mateus 16:2-4


4 respostas

  1. Já durante a 2ª grande guerra, estavam estudando e criando tecnologia provocando um “lapso no tempo-espaço” em que, p.ex., uma nave desaparecia, aparecendo em outro lugar.
    A presença dos EBEs se faz a milênios!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.326 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth