browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

O crime [sempre] compensa para os ‘Grandes Bancos’ [Vampiros] de Wall Street

Posted by on 23/10/2020

O banco Goldman Sachs Group Inc. fecha acordo de US$ 2 bilhões com DoJ para evitar todas as cobranças vinculadas ao escândalo 1MDB na MalásiaO  Goldman fechou um pacto muito esperado com o Departamento de Justiça [DoJ} dos EUA para pagar mais de US$ 2 bilhões pelo papel do banco no escândalo de corrupção do Fundo 1MDB na Malásia, e o negócio pode ser anunciado em alguns dias, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. O acordo, parte de uma ação internacional de combate à corrupção, permitirá que a matriz evite uma condenação criminal nos EUA, segundo fontes, que pediram anonimato para discutir as negociações confidenciais. O pagamento ao DoJ está amplamente de acordo com as reservas anteriores do banco e as estimativas dos analistas.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

O crime compensa para grandes bancos de Wall Street: Goldman Sachs fecha acordo de US$ 2 bilhões com DoJ para evitar todas as cobranças vinculadas ao escândalo 1MDB na Malásia

Fonte:  Zero Edge

O Goldman Sachs está supostamente à beira de resolver um dos maiores [mais um dos muitos] casos criminais envolvendo um “grande banco” de Wall Street desde a crise financeira: de acordo com um relatório da Bloomberg News publicado na noite dessa segunda-feira, o “Polvo Vampiro” chegou a um acordo provisório com o DoJ – Depto de Justiça dos EUA para pagar mais de US$ 2 bilhões em penalidades – um valor que o BBG observou que está “amplamente em linha com as expectativas dos analistas” – e – aqui está o ponto chave – permite ao banco evitar todas as penalidades criminais, mais uma vez.

Essa última parte é especialmente importante porque, como relatamos nos últimos anos, muitos dos principais executivos do banco pareciam ter se envolvido pessoalmente com o negócio, escandaloso que foi inicialmente trazido à tona por Tim Leissner, o ex-presidente do Vampiro, ops, banco para o sudeste da Ásia, antes de ser suspenso devido ao negócio, antes de concordar em cooperar com os agentes federais contra seu ex-empregador (onde ele teria dito às autoridades sobre a endêmica “cultura de corrupção” em jogo dentro do banco).

Embora não possamos ter certeza, suspeitamos que o momento da saída do ex-chefão do Goldman Sachs, Lloyd Blankfein foi influenciado pelo escândalo que se desenrolou; ele de repente deixou sua posição bem na hora em que Leissner capotou. 

A palavra na rua era que p Goldman Sachs seria obrigado a admitir a culpa como parte do negócio. Na verdade, um vazamento sobre um negócio ‘iminente’ publicado há quase 1 ano alegou que o banco havia relutantemente concordado com o apelo . Aparentemente, a equipe jurídica do banco foi capaz de evitar isso, em meio a rumores de que as conexões entre os representantes do Goldman e os atuais líderes do DoJ podem criar conflitos de interesse (uma tática de negociação que o banco parece ter aproveitado a seu favor; observe que o acordo esta supostamente ocorrendo apenas semanas antes de uma eleição presidencial americana próxima).

O negócio veio poucos meses depois que o Goldman concordou em pagar US$ 3,9 bilhões em “reparações” ao governo da Malásia por seu papel na arrecadação e desvio dos US$ 6,5 bilhões que semearam o fundo soberano do 1MDB [1Malaysia Development Berhad – 1MDB]  , que deveria ser usado para financiar projetos públicos na Malásia, mas foi em vez disso, drenado por comparsas da quadrilha do ex-primeiro-ministro da Malásia Najib Razak, que foi condenado na Malásia por seu papel na maior fraude financeira de todos os tempos na região. Esse acordo incluiu outro montante de US$ 2,5 bilhões em pagamentos em dinheiro do Goldman ao governo da Malásia.

Mas o verdadeiro líder da fraude foi um misterioso financista chamado Jho Low, que supostamente orquestrou o desvio de dinheiro do fundo malaio, que foi desembolsado para contas bancárias controladas por Razak e outros controlados por Low e presumivelmente outros comparsas. 

Low passou a gastar o dinheiro em um fluxo aparentemente interminável de compra de bens de luxo – joias, belas artes, iates – Low chegou a usar parte do dinheiro para financiar o filme “O Lobo de Wall Street”, com Leonardo Di Caprio, e fazer contribuições ilegais de campanha para o campanha do ex-presidente Barack Obama (isso depois de Razak ter sido criticado por sua “diplomacia do golfe” com o ex-presidente enquanto seu país lutava com inundações históricas).

O DoJ apreendeu bilhões de dólares desses ganhos ilícitos e até devolveu parte do dinheiro roubado à Malásia. O Goldman Sachs fechou acordos com promotores em pelo menos três países sobre seu papel no escândalo do fundo 1MDB: em Cingapura, o banco pode enfrentar sérias penalidades criminais se for pego violando seu acordo de liquidação. Ao todo, o banco vai pagar US$ 5 bilhões em multas em dinheiro vinculadas ao 1MDB, montante que está praticamente em linha com as expectativas do mercado.

Em troca do acordo, o banco e os seus principais executivos [banksters] simplesmente irão embora, enquanto Tim Leissner (que se declarou culpado há dois anos por seu acordo de confissão) e outro banqueiro que foi preso em conexão com a investigação são deixados para enfrentar dançar a música.


A Matrix, o SISTEMA de CONTROLE MENTAL:   “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando salvar. “Mas até que nós consigamos salvá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso os transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle Mental. E muitos deles estão tão habituados, tão desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você  para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Mais informações, leitura adicional:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.